AVISO: Estamos atendendo normalmente de segunda a sábado.

BLOCOS 1 A 42 – EXEMPLOS

BLOCO 1

A dor no tornozelo é um problema mais comum do que imaginamos, especialmente entre as mulheres de 45 a 55 anos de idade. Por trás disso, uma explicação bem simples, enquanto os homens priorizam o conforto, mulheres geralmente escolhem seus calçados pela beleza.

Diversos fatores estão por trás do sintoma, geralmente sua origem tem relação com uma combinação causal, como sedentarismo, alterações hormonais e as já mencionadas escolhas inadequadas de calçados.

Além disso, a dor no tornozelo surge como uma consequência do processo natural de envelhecimento. Afinal, a articulação também envelhece, passando por mudanças morfológicas e funcionais. Este processo é progressivo e pode ser intensificado ou retardado de acordo com os hábitos de vida de cada indivíduo.

Muitos dos acometidos não procuram ajuda médica, já que na maioria das vezes o problema acaba se curando naturalmente. No entanto, para casos mais graves ou em situação de doença associada, o acompanhamento médico é indispensável.

Geralmente a dor no tornozelo não aparece só, surgindo acompanhada de inchaço, mudanças da temperatura e da tonalidade dos pés, redução da estabilidade da articulação e alterações em sua mobilidade.

Para compreendermos melhor as possíveis causas de dor no tornozelo e os melhores tratamentos para cada uma delas, falaremos a fundo sobre essa articulação.

BLOCO 2 Articulação do tornozelo

O que chamamos de tornozelo, anatomicamente é denominado articulação tíbio-társica, a responsável por unir a perna ao pé. Curiosamente, a estrutura recebe o mesmo nome em todas as espécies de mamíferos e em muitos vertebrados tetrápodes.

A região é formada pela união de três ossos, dois ossos da perna, a tíbia e a fíbula, e um do pé, chamado tálus.

Na verdade, não se trata de apenas uma articulação, mas de inúmeras pequenas zonas de ligação. Dessas, três merecem destaque, já que são as responsáveis pela execução das principais funções biomecânicas do tornozelo: articulação talocrural, articulação subtalar e articulação tibiofibular.

Você pode observar em detalhes a anatomia do tornozelo na imagem abaixo.

A articulação do tornozelo é do uniaxial, gínglimo, ou seja, realiza movimentos em único eixo. Chamamos esses movimentos de dorsiflexão, quando levantamos o pé em direção a perna e, flexão plantar, quando realizamos o movimento contrario.

Sua estabilização se dá graças a três estruturas principais:

Ligamento colateral medial

tem origem no maléolo tibial e se insere em três ossos, navicular, tálus e calcâneo.

Ligamento colateral lateral

tem origem no maléolo da fíbula e se insere em dois ossos, calcâneo e tálus.

Sindesmose tibiofibular

tem origem na tíbia e se insere na fíbula.

De maneira geral, as causas são simples e fáceis de tratar. No entanto, podem haver outros distúrbios associados, o que requer uma maior atenção e cuidado. Por causa disso, por mais simples que pareça a dor no tornozelo, em casos de recorrência, deve-se procurar ajuda médica.

BLOCO 3

Em algum momento da vida todos sentiremos algum tipo de dor do tornozelo. Apesar de ser uma região de alta instabilidade, é também uma articulação muito exigida, especialmente por suportar e equilibrar o peso do corpo.

Sendo assim, poderíamos imaginar uma infinidade de calças possíveis. Pensando em problemas mais comuns, sapatos inadequados, sobrepeso, sedentarismo, lesões por queda e entorses

Veja quais doenças podem causar este tipo de problema e como é feito o tratamento de cada uma delas.

BLOCO 4 Osteoartrose

articulacao com artrose
Joelhos com osteoartrose

A osteoartrose é uma doença que afeta a cartilagem articular, levando a um processo degenerativo que leva a um maior desgaste do revestimento ósseo. Além de dor intensa, podem haver fraturas ósseas e ligamentares.

Tratamento

Existem diversas opções terapêuticas para a patologia, desde medicamentos anti-inflamatórios a analgésicos a fisioterapia e cirurgia.

BLOCO 5

tendinite do pulso
test 11
BLOCO 6 TENDINITE

BLOCO 7

symptom 1. more. details . details. symptom 1. more. details . details. symptom 1. more. details . details. symptom 1. more. details . details. symptom 1. more. details . details. symptom 1. more. details . details. symptom 1. more. details . details. symptom 1. more. details . details. symptom 1. more. details . details. symptom 1. more. details . details. symptom 1. more. details . details.

BLOCO 7

TESTE

BLOCO 8BLOCO 8BLOCO 8BLOCO 8BLOCO 8BLOCO 8BLOCO 8BLOCO 8BLOCO 8BLOCO 8BLOCO 8BLOCO 8BLOCO 8
Grid item 2. Grid item 1. Grid item 1. Grid item 1. Grid item 1. Grid item 1. Grid item 1. Grid item 1. Grid item 1. Grid item 2.
Grid item 3. Grid item 1. Grid item 1. Grid item 1. Grid item 1. Grid item 1. Grid item 1. Grid item 1. Grid item 1. Grid item 3.
Grid item 4. Grid item 1. Grid item 1. Grid item 1. Grid item 1. Grid item 1. Grid item 1. Grid item 1. Grid item 1. Grid item 3.
fisioterapia cinesioterapia coluna vertebral

BLOCO 9Acupuntura Médica

A acupuntura é um tratamento derivado da medicina chinesa.
O tratamento por acupuntura envolve a inserção de agulhas muito finas através da pele, em determinados locais do corpo para fins terapêuticos ou preventivos.

A acupuntura envolve estimular os nervos sensoriais sob a pele e nos músculos do corpo, resultando na produção de substâncias do próprio organismo para alívio da dor e outros sintomas.

cifose

Fisiatria e dor

A Fisiatria é a especialidade médica focada no diagnóstico e tratamento de alterações funcionais dos pacientes. Atuamos com o tratamento de enfermidades ortopédicas (dor na coluna, dor articular), enfermidades musculares (dor miofascial) e neurológicas (fibromialgia).

O objetivo da Fisiatria é promover a reabilitação do paciente, por meio de tratamentos medicamentosos, infiltrações, bloqueios anestésicos e outros procedimentos.

BLOCO 10

HONG 11
HONG 11
HONG 11 HONG 11 HONG 11
HONG 11
HONG 11
HONG 11
Como diferenciar a cefaleia tipo tensional da enxaqueca?

Os dados diagnósticos de ambas se contrastam de modo bem distinto.

A enxaqueca tende a ser unilateral, enquanto a cefaleia do tipo tensional é bilateral. A enxaqueca tende a ser pulsátil, enquanto que a tensional pode ser constante, ou com uma sensação de pressão ou compressão. A enxaqueca tende a ser moderada a severa, enquanto a cefaleia do tipo tensional tende a ser leve a moderada.

A enxaqueca é agravada pela atividade física de rotina, como subir escadas, enquanto não há relação da cefaleia tensional com atividades. Além disso, a cefaleia tensional se caracteriza pela ausência de sintomas associados próprios da enxaqueca. Especificamente, aquela não se acompanha de náusea, fotofobia, fonofobia ou aura. Nas raras ocasiões em que estes fatos se acham presentes, ocorrem de modo leve.

Qual é o diagnóstico diferencial da cefaleia do tipo tensional?

A cefaleia do tipo tensional deve ser diferenciada de outros tipos de cefaleias, primárias e secundárias. Sua localização bilateral, a intensidade leve ou moderada da dor, e a ausência de sintomas autonômicos diferenciam-na, facilmente, da cefaleia cluster.

Infelizmente, de modo precoce em seu curso, tumores cerebrais e outras lesões da massa encefálica podem produzir cefaleias bilaterais prolongadas que, com dificuldade, podem ser diferenciadas da cefaléia tipo tensional.

Cefaléias devido a tumores cerebrais tendem a progredir em frequência e intensidade, e sintomas neurológicos focais e sinais ou evidencias de pressão intracraniana elevada se desenvolvem habitualmente.

Como se caracterizam as cefaléias do tipo tensional?

São caracterizadas por ataques recorrentes de dor de cabeça, sem fatos específicos associados. Para o diagnóstico desta cefaleia, pelo menos dois dos quatro sintomas dolorosos seguintes devem estar presentes: dor em ambos os lados da cabeça (dor bilateral), contínua e compressiva, de intensidade leve ou moderada, e não exacerbada por atividade física rotineira.

A cefaleia é, frequentemente, bifrontal, bioccipital ou binucal. Ocasionalmente, a dor é associada à sensibilidade dos músculos paracranianos à palpação, e pode ser descrita como uma sensação de aperto ou pressão.

Cefaléias de tipo tensional são cefaleias comuns?

Sim. Muitos de nós já experimentamos este tipo de cefaleia, uma vez ou outra, e quase 80% da população terá um episódio dentro de um ano. Embora exista certa preponderância nas mulheres, a relação genética é próxima a 1:1.

A cefaleia do tipo tensional é um distúrbio da meia-idade, afetando as pessoas durante seus anos mais produtivos. É sete vezes mais comum que a enxaqueca e pode ser incapacitante. Por ser tão frequente, causa mais absenteísmo ao trabalho do que a enxaqueca.

Os pacientes com enxaqueca são de grande risco para depressão?

Estudos comunitários têm apontado uma associação entre depressão e enxaqueca. O risco estimado de acesso inicial de grande depressão, entre pacientes com enxaqueca, foi de 3,2 vezes maior do que em pacientes-controle. O risco de enxaqueca foi 3,1 vezes maior entre os indivíduos com historia de depressão.

Os achados foram aplicados, igualmente, a homens e mulheres, embora as mulheres tenham uma incidência mais alta de ambos os distúrbios

Qual o significado de dor referida?

A dor referida é a dor em área distante da lesão tecidual. Os exemplos mais comuns são a dor no ombro, por infarto miocárdico; nas costas, por doença pancreática e no ombro direito, por afecção da vesícula biliar.  A dor referida é também um dos sintomas encontrados na Síndrome Dolorosa Miofascial, onde uma cefaleia frontal pode ter origem irradiada da região cervical.

O mecanismo pressuposto é que fibras aferentes, oriundas do local lesado, penetrem na medula no mesmo nível de outras fibras aferentes, originárias da área em que a dor é referida. Esta zona comum, na medula, resulta na percepção errônea que a dor provém do sítio referido.

hong 14

HONG 32

HONG 32
HONG 33 HONG 33HONG 33HONG 33HONG 33 HONG 33HONG 33HONG 33HONG 33 HONG 33HONG 33HONG 33HONG 33HONG 33HONG 33 HONG 33HONG 33HONG 33
exercises low back pain 1024x682 1
HONG 34

HONG 34HONG 34

HONG 34
HONG 34
HONG 34HONG 34HONG 34HONG 34

HONG 35HONG 35HONG 35HONG 35HONG 35HONG 35

HONG 35HONG 35

HONG 35HONG 35

HONG 35

HONG 36

A acupuntura é indicada como anestesia?

O nome correto é hipoalgesia, que corresponde à diminuição de dor, ao invés de anestesia por acupuntura. A analgesia pela acupuntura pode ser empregada em pequenas cirurgias, principalmente as realizadas na cabeça, no pescoço e nos membros, permitindo sua realização com boa tolerabilidade em cerca de 80% dos pacientes, e em alguns procedimentos ginecológicos. Há várias vantagens, tais como: menor sangramento, manutenção do estado imunológico, estabilização da pressão arterial, aceleração do processo cicatricial e diminuição do tempo de recuperação.

Em casos de cirurgias torácicas e abdominais, de grande porte, devido à complexidade das inervações, costuma-se associar anestésicos em menor quantidade do que o habitual – algo em torno de 50%.

Entretanto, a acupuntura não relaxa o espasmo muscular e o efeito disso no paciente pode ser imprevisível, causando reação vagal, isto é, provocando náuseas, vômitos e distensão intestinal. Outra inconveniência é o fato de o paciente dever ser internado uma semana antes para treinar com a equipe médica a fim de familiarizar-se com o procedimento cirúrgico.

A acupuntura pode tratar pacientes viciados em álcool, fumo ou drogas?

O efeito da acupuntura em pacientes acometidos desses vícios é semelhante ao descrito no tratamento da obesidade. Atua, principalmente, na redução da ansiedade, o que ajuda no controle da compulsão e do uso de drogas. Essas condições exigem um tratamento com equipe multidisciplinar, sobretudo em casos de dependência de álcool e de tóxicos.

A Acupuntura tem algum efeito colateral desagradável?

A Acupuntura tem virtualmente nenhum efeito colateral importante. Após uma sessão de acupuntura, pode haver o surgimento de pequenos hematomas devido a punção de pele em alguns pontos, que se resolvem espontaneamente em poucas horas a dias.

Pode também haver uma pequena dor local após a estimulação de alguns pontos mais profundos. O uso de meios físicos como uma bolsa de água quente ou gelo local já é o suficiente para o alívio dessa pequena dor.

A ciática requer cirurgia?

A dor ciática exige intervenção cirúrgica apenas nos casos mais avançados ou extremos. A maioria dos pacientes pode obter o alívio que procuram através de métodos de tratamento não invasivos, como o tratamento de reabilitação com fisioterapia motora.

As agulhas de acupuntura contêm medicamentos?

As agulhas de acupuntura não contêm medicamentos. A ação terapêutica deve-se ao estímulo de agulhas em determinados pontos, fazendo com que o próprio organismo libere várias substâncias neurotransmissoras, que exercem ações analgésica, relaxante e antiinflamatória, entre outras, aliviando a dor e gerando sensação de bem-estar.

HONG 41 – STEPS (TIMELINE) – COM OU SEM STEP NUMBER

CONSULTA
CONSULTA
SESSAO
SESSAO
DIAGNOSTICO
DIAGNOSTICO

SLIDER 42

PODE SER IMAGEM OU TEXTO

ciatica
Send this to a friend