AVISO: NOVO LOCAL DE ATENDIMENTO - Rua Saint Hilaire 96 (a 5 minutos da clínica antiga), de segunda a sábado. Maiores informações, entrar em contato via WhatsApp

Qual é a diferença entre tendinite, tendinose e tendinopatia? 

As pessoas costumam confundir os termos tendinite, tendinose e tendinopatia. Estes termos, ao lado de paratendinite, ruptura de tendão e ruptura parcial de tendão, descrevem diversas condições envolvendo os tendões, incluindo inflamação, degeneração e lesão.

Os tendões são os tecidos fibrosos que conectam o músculo ao osso. Existem centenas de tendões em todo o corpo.

Alguns tendões são mais propensos do que outros ao desenvolvimento de problemas. Exemplificando, muitas pessoas sofrem distensão do tendão de Aquiles em um ponto ou outro. Além disso, um único tendão pode ter mais de um problema ao mesmo tempo. Um indivíduo com tendinite também pode ter tendinose, por exemplo.

A seguir, são esclarecidos os termos usados para descrever as condições tendinosas comuns.

 

Tendinite

Já usado para descrever quase todas as dores de tendão, o termo “tendinite” é hoje usado pelos médicos para descrever a inflamação do tendão (o sufixo “ite” indica inflamação). Os pacientes podem apresentar achados localizados de dor, inchaço, aquecimento e vermelhidão.

Os tratamentos recomendados para minimizar a inflamação podem incluir o descanso da articulação afetada e o uso sem prescrição de AINEs, como ibuprofeno ou naproxeno. Pacientes com tendinite tipicamente se recuperam em várias semanas. A tendinite é menos frequente do que a tendinose. A tendinite crônica pode levar à tendinose.

 

Tendinose

Os especialistas diferenciam a tendinite da tendinose, que é a degeneração não inflamatória de um tendão. Esta degeneração pode incluir alterações na estrutura ou na constituição do tendão. Estas alterações muitas vezes resultam de microtraumatismos repetitivos ou da falha do tecido em cicatrizar após a ruptura de um tendão.

As principais diferenças entre tendinite e tendinose são:

  • Diferente da tendinite, que muitas vezes pode ser tratada com êxito em algumas semanas, a tendinose pode requerer vários meses de tratamento.
  • Os diferentes métodos de tratamento para tendinose e tendinite podem variar. Exemplificando, alguns especialistas afirmam que a tendinose não deve ser tratada com AINEs, porque estes fármacos inibem o crescimento de colágeno, necessário à cicatrização do tendão.

 

Alguns profissionais usam os termos “tendinose”  e “tendinopatia” (definido a seguir) de modo intercambiável.

 

Paratendinite

No corpo, alguns tendões (p. ex.,  tendão de Aquiles) têm uma fina bainha de tecido chamada paratendão. Quando este tecido se torna inflamado, a condição é chamada paratendinite e somente pode ser diagnosticada de modo definitivo por biópsia, sendo por isso diagnosticada com pouca frequência. Em adição, alguns profissionais não acreditam que a paratendinite seja um diagnóstico à parte.

Como os tratamentos de paratendinite e de tendinite envolvem minimizar a inflamação, esta distinção pode não ser essencial para fins de tratamento.

 

Rupturas parciais e totais de tendão 

Quando o tendão é rompido, a condição é chamada ruptura de tendão. Se um tendão é partido em dois pedaços, a condição é chamada ruptura total, mas quando uma parte do tendão permanece intacta, a condição é chamada ruptura parcial.

Na medicina de reabilitação, existe distinção entre rupturas de tendão agudas e crônicas.

  • Uma ruptura de tendão aguda é um evento único que pode resultar em dor imediata e diminuição da função na articulação afetada, que podem ser seguidas de inchaço ou contusão. Uma ruptura aguda tipicamente é reconhecida e tratada dentro de uma semana após a lesão.

 

  • As rupturas de tendão crônicas podem resultar de:
    • Ruptura parcial que piora lentamente no decorrer de um período prolongado OU
    • Ruptura aguda que permanece sem tratamento por várias semanas (muitos especialistas acreditam que este intervalo de tempo varia entre 4 e 6 semanas, dependendo do tendão).3

Dependendo do paciente, da articulação afetada, da gravidade da ruptura e da duração dos sintomas, um médico pode recomendar cirurgia ou descanso por determinado período para tratamento da ruptura do tendão.

 

Tendinopatia

O sufixo “patia” deriva do grego e indica doença ou distúrbio. Portanto, a tendinopatia literalmente significa uma doença ou distúrbio de um tendão. A tendinopatia (por vezes pronunciada “tendonopatia”) tipicamente é usada para descrever qualquer problema envolvendo um tendão.

Embora a maioria dos especialistas defina a tendinopatia como um termo “guarda-chuva” para se referir a todas as condições envolvendo tendão, há quem use o termo para descrever uma condição crônica de tendão com falha da cicatrização. Um exemplo é o corredor que sofreu uma ruptura do tendão do jarrete que falha em cicatrizar adequadamente e que pode ser diagnosticada como tendinopatia.

 

Send this to a friend