CENTRO DE TRATAMENTO DE DOR: Dor, Acupuntura Médica, Ondas de Choque, Fisiatria e Fisioterapia.

Hérnia de Disco: O que é, Causas, Sintomas e Tratamentos

A hérnia de disco ocorre quando uma porção do disco intervertebral na coluna comprime um nervo, sendo uma das causas mais comuns de dor lombar e também de dor na perna (dor ciática ou ciatalgia).

Estudos de prevalência mostram que mais de 60% das hérnias de disco visualizadas em exames de imagem são assintomáticas3. Ou seja, não há correlação clínica com a imagem. Por exemplo, o paciente pode apresentar lesão extrusa ou protrusa e não sentir nada de dor ou formigamento!

Assim, é importante uma avaliação de um médico especialista caso você apresente dores lombares para o diagnóstico correto e tratamento adequado.

Dependendo da gravidade dos sintomas, os tratamentos para um disco de hérnia incluem fisioterapia, medicamentos para relaxamento muscular, medicação para dor, medicamentos anti-inflamatórios, infiltrações e bloqueios anestésicos, e em raríssimos casos, procedimentos cirúrgicos.

 Continue a leitura e entenda melhor o que é a hérnia de disco, como é feito o seu diagnóstico e como funcionam os tratamentos indicados.

Conheça a coluna vertebral

coluna vertebral

É importante entender que a coluna vertebral é formada por articulações compostas pelas vértebras, entre as quais existem os discos intervertebrais, eles são constituídos por um anel fibroso e um núcleo gelatinoso conhecido como núcleo pulposo.

Os discos são responsáveis pela sustentação do peso do próprio corpo e de todos os movimentos que você faz como inclinação e rotação da coluna. Sua função é de amortecimento, absorvendo os impactos que a coluna sofre diariamente2.

A coluna vertebral se divide em: 

  • Cervical
  • Torácica
  • Lombar
  • Sacral 
  • Coccígea

As porções cervical e lombar são as mais atingidas pela hérnia de disco.

Vídeo explicativo sobre Hérnia de disco

Tipos de hérnia de disco 

A hérnia de disco pode ser classificada em 3 tipos, conforme veremos abaixo. 

Protrusas

O disco sofre um alargamento, porém, o líquido gelatinoso permanece em seu local. Ainda assim, por causa do maior volume, a estrutura pode acabar tocando em regiões de grande sensibilidade nervosa.

Extrusas

Ocorre o rompimento do anel fibrose e o escape do seu conteúdo gelatinoso, que sai por uma fissura na membrana e acaba pressionando elementos próximos. 

Sequestradas

Nesse caso, há também o rompimento do anel fibroso e o escape do núcleo pulposo. Porém, o líquido acaba migrando através do canal medular para cima ou para baixo. 

Além da pressão na raiz nervosa, provoca inflamação e compressão contínua.

hernia de disco lombar scaled
Sintomas de Hérnia de Disco Lombar

Em suma, a dor é o sinal mais significativo do problema, porém há características e outros sintomas da hérnia de disco lombar, veja:

Dor irradiando para as pernas, quando o desgaste acontece na região lombar
Dor na região lombar, com piora à flexão da coluna vertebral (flexão anterior)
Sensação de formigamento, sensação de queimação irradiada (parestesias ou disestesias)
Sensação de fraqueza nas pernas, por atingir raízes dos nervos da musculatura das pernas
Dificuldade em elevar a parte anterior do pé (pé caído ou pé em gota)
Dor ao longo do trajeto do nervo ciático (coluna, nádega, coxa e perna)
Lesões e doenças podem fazer pressão na medula espinhal, causando dor nas costas, formigamento, fraqueza muscular e outros sintomas.
hernia de disco cervical sintomas
Sintomas de Hérnia de Disco Cervical

A diferença sintomática entre a hérnia na região cervical e lombar é justamente a localização da dor, de forma que a cervical apresenta uma variedade de sintomas na região do pescoço, ombros, braços, mãos e dedos.

O padrão de dor irá depender principalmente da localização do disco herniado.

A região cervical consiste de 7 vértebras cervicais, também chamadas de C1 a C7, com a numeração aumentando de cima para baixo. O nervo que é afetado pela herniação de disco é o nervo que sai na altura da vértebra. Por exemplo, no nível entre C5-C6, a raiz afetada é a do nervo C6.

Dor nos braços ou ombros, quando o problema está na região da nuca (cervical)
Dor com padrão em choque, ou agulhada fina, na região cervical até os braços
Sensação de formigamento nos ombros, braços e mãos, dependendo da altura da hérnia
Sensação de fraqueza nos braços, por atingir raízes dos nervos do membro superior
Dor ao se mover o pescoço, como na flexão anterior ou rotação lateral do mesmo.
Sensações desagradáveis (disestesias) na região cervical ou membro superior

Quais são as causas de hérnia de disco?

A hérnia de disco tem sua causa relacionada ao aumento da força exercida no núcleo pulposo, fazendo com que ele se desloque rompendo o anel fibroso. O anel vai em direção ao canal medular ou em direção aos espaços por onde as raízes nervosas passam gerando compressão dessas estruturas.

Para entender melhor: De forma simplificada entendamos que o material gelatinoso do núcleo vaze para outros lugares devido ao rompimento do anel e ocupe espaços de outras estruturas, comprimindo-as e gerando dor.

Entretanto, há casos em que o núcleo pulposo não se rompe, ele apenas se descola empurrando contra as estruturas ao redor. Como vimos, seria um caso de hérnia protrusa.

Importante perceber que a hérnia de disco pode estar em qualquer região da coluna, sendo as mais comuns a lombar ou cervical.

Outra causa comum da hérnia de disco é o desgaste pelo tempo. Com o passar do tempo, com toda a força e o uso excessivo o núcleo pode enfraquecer e se romper. Por fim, também há causas externas, como acidentes ou traumas.

Fatores de risco para hérnia de disco

Diversas condições estão associadas à maior predisponibilidade de alguns indivíduos a desenvolver hérnia de disco1.

São elas:

Postura inadequada, movimentos inadequados

Levantamento repetitivos e postura inadequada devem ser evitados. Se o seu trabalho é fisicamente exigente, tente proteger suas costas usando técnicas físicas seguras para realizar atividades repetitivas.

Excesso de peso (sobrepeso ou obesidade)

O excesso de peso corporal causa estresse extra nos discos da parte inferior das costas.

Atividades de grande esforço físico

Levantamento inadequado com os músculos das costas também aumenta o risco de danos no disco. Levante objetos pesados com auxílio das pernas, não com os músculos das costas, e não torça as costas enquanto levanta.

Sedentarismo

Hábitos sedentários podem pressionar a coluna inferior. Se você se senta ou dirige por longos períodos de tempo, tente adicionar períodos regulares de exercício diariamente.

Fatores genéticos

Algumas pessoas herdam uma predisposição para desenvolver uma hérnia de disco.

Tabagismo

Acredita-se que fumar diminui o fornecimento de oxigênio para o disco, fazendo com que ele se quebre mais rapidamente.

Fases de formacao de Hernia de Disco e Abaulamento Discal

ATENÇÃO! Muitas vezes, a dor lombar pode ser apenas um dos sintomas de uma doença mais grave. Então, o tratamento com um profissional não qualificado pode apenas mascarar os sintomas de um problema mais sério, como infecções ou tumores2!

Evidências científicas mostram que existem inúmeras circunstâncias que contribuem para o desencadeamento da dor lombar, como insatisfação laboral, obesidade, hábito de fumar, sedentarismo, síndromes depressivas, fatores genéticos e antropológicos, alterações climáticas, modificação na pressão atmosférica e outros3.

Agendamento de Consulta Clinica de Dor

As causas são muitas, e os tratamentos também

Em muitos casos a hérnia de disco pode ser assintomática, por isso algumas pessoas possuem esta afecção e nem sabem. É comum encontrar  protrusões discais ou pequenas hérnias em exames de imagem como a ressonância magnética.

Quando o sintoma da dor da hérnia surge, este torna-se insuportável, podendo se irradiar na região lombar e cervical.

Diagnóstico de Hérnia de Disco

Na avaliação de um paciente com hérnia de disco, a anamnese (histórico médico) e o exame físico neurológico são essenciais.

É necessário afastar outras causas de dores cervicais ou lombares.

O exame neurológico, caso apresente alterações motoras ou sensitivas, associadas a dor em manobras ortopédicas especiais, pode indicar um sinal de radiculopatia.

Exames complementares podem ser solicitados para localização da lesão e exclusão de outras patologias, tais como:

Eletroneuromiografia

Identifica a raiz do nervo em questão. São feitos testes da velocidade de condução do nervo para avaliar se há alguma radiculopatia ou compressão nervosa.

Ressonância magnética ou tomografia computadorizada

Avalia protrusões discais, abaulamentos e compressões por hérnia de disco, vendo o espaço foraminal e também se há outras lesões (como lesões facetárias).

Radiografia da coluna

Avalia e exclui outras doenças (como fraturas) que causam dor nas costas ou no pescoço.

Mielograma

Exame invasivo que determina o tamanho e a localização da hérnia, em casos de dúvida diagnóstica após a ressonância magnética.

alongamento

Tratamento de hérnia de disco

O tratamento não cirúrgico conservador é o primeiro passo para a recuperação e pode incluir medicação, repouso, fisioterapia, exercícios domésticos, hidroterapia, injeções, bloqueios anestésicos e acupuntura4.

Com uma abordagem multidisciplinar para o tratamento, a grande maioria dos casos melhoram em cerca de 6 semanas e retornam à atividade normal.

Se você não responder ao tratamento conservador, seu médico pode recomendar cirurgia5.

Saiba mais sobre os principais tratamentos recomendados.

Repouso na fase aguda

Caso contrário, mantenha-se ativo. Ficar na cama por mais de 1 ou 2 dias pode enfraquecer seus músculos e piorar o problema. Caminhar e outras atividades leves podem ajudar.

Meios físicos como bolsa de água quente

15 a 20 minutos a cada 2 ou 3 horas. O calor ajuda no relaxamento muscular e analgesia, podendo proporcionar um alívio temporário da dor

Exercícios e alongamento

Exercícios de alongamento da musculatura posterior das pernas, exercícios de extensão lombar e cervical podem trazer alívio da dor.

Fisioterapia Motora

Com objetivo de analgesia, relaxamento muscular, melhora da funcionalidade e evitar novas lesões ou cronificação da dor. Trabalha-se postura adequada, correção biomecânica, alongamentos, e exercícios de fortalecimento.

Hidroterapia

Tratamento complementar para alívio de dor, fortalecimento muscular, além de melhorar amplitude de movimento e flexibilidade.

Medicamentos analgésicos

Analgésicos simples, como dipirona e paracetamol, podem ser utilizados para casos de dor leve a moderada.

Medicamentos anti-inflamatórios

Anti-inflamatórios não esteroidais (ou seja, sem corticóide) podem ser utilizados na fase aguda, durante curtos períodos (5 a 10 dias) para diminuição da inflamação local e alívio de dor. O uso prolongado traz riscos cardíacos, hepáticos e renais.

Medicamentos relaxantes musculares

Para dores de leve a moderada intensidade. Efeitos adversos comuns incluem sonolência excessiva e boca seca.

Acupuntura

A acupuntura pode ser utilizada para alívio da dor. Tem efeitos analgésicos, anti-inflamatórios e relaxante muscular, sendo um tratamento complementar na reabilitação e analgesia do paciente.

Infiltrações e Bloqueios

Infiltrações guiadas, usadas em casos refratários ao tratamento conservador. Pode ser realizado para auxílio diagnóstico e tratamento

Rizotomia

Indicado em casos de ausência de sucesso no tratamento conservador. Procedimento intervencionistas, que consiste na introdução de uma fina agulha, em que se “queima” nervos sensitivos.

Cirurgia

Indicado apenas em último caso, quando há falha no tratamento à base de remédios e fisioterapia, ou quando há sinais neurológicos mais graves como perda de força ou limitação.

Cirurgias de hérnia de disco

A cirurgia mais tradicional de hérnia de disco é realizada através de um corte na pele do paciente. O procedimento é realizado sob anestesia geral e consiste em retirar parte do disco intervertebral, unindo duas vértebras ou colocando um material artificial. 

Diversos outros métodos podem ser utilizados, a maioria deles, minimamente invasivos: 

Artrodeses ou fusões 

São colocados parafusos e materiais metálicos ou não metálicos para estabilizar a coluna, por isso, são recomendadas para pessoas com problemas de desalinhamento ou perda da firmeza das vértebras ou articulações. 

Embora o tratamento tenha evoluído, o procedimento ainda requer muito cuidado, pois possui riscos maiores de lesões nervosas e infecções, assim como a técnica mais convencional. 

Microcirurgia

Como o próprio nome nos leva a pensar, a microcirurgia necessita de uma abertura bem menor da pele e é realizada através de microscópio cirúrgico. O objetivo é remover o disco e cauterizar os nervos próximos para aliviar a dor. 

Se trata de um método minimamente invasivo, preciso e de rápida recuperação. 

Cirurgia Endoscópica

A cirurgia endoscópica é realizada através da infiltração de pequenos tubos com câmeras nas pontas, o que previne grandes cortes. 

O procedimentos é simples e seguro, durando em média uma hora. 

Laminectomia

Se trata de uma técnica cirúrgica semelhante à microcirurgia, porém, é realizada a olho nu. Por isso, tem sido considerada obsoleta e pouco segura. 

Rizotomias por radiofrequência

O médico realiza a cauterização de pequenos nervos que se localizam nas articulações da coluna através de agulhas em pontos estratégicos. É um método simples, seguro e capaz de trazer um considerável alívio da dor. A melhora é imediata. 

Prevenção da hérnia de disco

Será possível prevenir seu corpo contra hérnia de disco? Sim, confira diversas atitudes abaixo.

Mantenha a postura alinhada

Posturas inadequadas sobrecarregam a coluna e aumentam a carga nos discos intervertebrais.

Não abuse do salto

Apesar de poucos estudos científicos, usar sapato de salto muito alto aumenta a curvatura natural da região lombar. Assim, a musculatura local fica cansada e pode causar dores. Esta é uma predisposição para hérnia.

Controle seu peso corporal

Excessos poderão sobrecarregar a coluna, já que os músculos da barriga e das costas protegem-na. Quanto mais peso a pessoa tiver, maior será a quantidade de gordura (e menos de músculos), diminuindo a proteção. Desta forma, todo o peso do corpo será equilibrado pela coluna.

Não carregue peso excessivo

Se você precisar carregar vinte quilos em suas costas eventualmente, a sobrecarga provavelmente não acarretará danos. Porém, se esta atividade for frequente, como acontece em algumas funções de trabalho, poderão acontecer prejuízos aos discos invertebrais. O ideal é não carregar mais do que 10% do seu peso.

Pare de fumar

As substâncias presentes no cigarro diminuem a quantidade de vasos sanguíneos responsáveis pela nutrição dos discos. Se não forem nutridos adequadamente, ficarão enfraquecidos e mais suscetíveis a lesões, como a hérnia de disco.

Exercícios com orientação

O excesso e treinos inadequados podem sobrecarregar músculos e articulações, além de provar lesões na coluna. Sempre se alongue antes de começar uma atividade.

Abaixe-se corretamente

Ao pegar objetos que estão no chão, abaixe-se com os joelhos, em vez de curvar a coluna. Você deve se levantar da cadeira e dobrar os dois joelhos, mantendo a coluna reta.

Pratique ergonomia

Atente-se ao alinhamento correto de equipamentos eletrônicos e móveis. Coloque uma almofada no encosto da cadeira e levante-se a cada meia hora, fazendo pequenos alongamentos ao longo do dia.

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE DOR LOMBAR

O que é hérnia de disco?

A hérnia de disco ocorre quando um disco (um dos “amortecedores” da coluna) desenvolve uma rachadura ou fissura na sua casca exterior (anel fibroso), o que permite que o fluido interno do disco interna (o núcleo pulposo) possa escapar e comprimir a raiz de um nervo, resultando em dor.

 

O que faz com que os discos herniem?

A maioria das hérnias de disco são causadas por alterações degenerativas que ocorrem na coluna vertebral, como parte do processo natural de envelhecimento. Após facilitarem o movimento e suportarem o peso do corpo por anos, os discos podem tornar-se menos flexíveis, perder o conteúdo de água e endurecerem (degeneração discal), tornando-os propensos a herniarem.

 

Quais são os sintomas de uma hérnia de disco?

Surpreendentemente, alguns pacientes com hérnia de disco não apresentam sintomas.

Enquanto o rompimento no anel fibroso pode causar dor localizada e inflamação, sintomas graves normalmente só ocorrem quando o núcleo pulposo entra no canal espinhal e comprime um nervo espinhal, raiz do nervo ou a própria medula espinhal. Quando isso ocorre, os sintomas podem incluir dor, dormência, formigamento e fraqueza muscular que irradia para os membros.

 

Por que é importante avaliar com cuidado a irradiação da dor?

A dor lombar simples geralmente não irradia, mas quando ela irradia é importante analisar. quando ele vai até o joelho pode estar relacionada com estruturas da própria coluna, já quando irradia abaixo do joelho é radicular (pela lombociatalgia).

Analisando o trajeto da dor é possível diagnosticar a raiz da dor. Por isso é importante avaliar com cuidado a irradiação.

 

Por que a lombalgia mecânica comum pode virar crônica?

É possível uma dor lombar mecânica torna-se crônica em alguns casos, mas os estudos ainda não estão totalmente esclarecidos.

Não é possível identificar com certeza a causa de evolução, mas sabemos que os fatores de risco para dor lombar crônica diferem dos fatores de risco da lombalgia aguda e mecânica.

 

É comum médicos errarem no diagnóstico? Qual a principal causa do erro?

Muitos pacientes com lombalgia não sabem definir exatamente onde está sua dor, além disso, existe uma super valorização dos exames de imagens.

Essa é a principal fonte de erro nos diagnósticos, o exame de imagem é importante para verificar infecções e neoplasias, mas vários aspectos da coluna são inespecíficos nesse exame. Alguns médicos também deixam de fazer exame físico e anamnese que são importantes para definir um diagnóstico correto.

 

Clinica Hong Jin Pai Sao Paulo e1621991307344

RUA SAINT HILAIRE 96 – JARDIM PAULISTA – SÃO PAULO – SP

Clínica de Dor, Fisiatria e Acupuntura Médica

Clínica médica especializada localizada na região dos Jardins, próximo à Av. Paulista, em São Paulo — SP.

Centro de Dor, com médicos especialistas pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.

Tratamento por Ondas de Choque, Infiltrações, Bloqueios anestésicos e Acupuntura Médica

Referências Bibliográficas

  1. Koes BW, Van Tulder M, Thomas S. Diagnosis and treatment of low back pain. Bmj. 2006 Jun 15;332(7555):1430-4. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC1479671/?_escaped_fragment_=po=96.8750
  2. Buchbinder R, van Tulder M, Öberg B, Costa LM, Woolf A, Schoene M, Croft P, Hartvigsen J, Cherkin D, Foster NE, Maher CG. Low back pain: a call for action. The Lancet. 2018 Jun 9;391(10137):2384-8. Disponível em: http://eprints.keele.ac.uk/4714/1/P%20Croft%20-%20Low%20back%20pain%20-%20a%20call%20for%20action.pdf
  3. Negrelli WF. Hérnia discal: procedimentos de tratamento. Acta ortopédica brasileira. 2001 Dec;9(4):39-45. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-78522001000400005
  4. O’Sullivan P, Caneiro JP, O’Keeffe M, O’Sullivan K. Unraveling the complexity of low back pain. Journal of Orthopaedic & Sports Physical Therapy. 2016 Nov;46(11):932-7. Disponível em: https://www.jospt.org/doi/pdfplus/10.2519/jospt.2016.0609
  5. Jacobs WC, Arts MP, van Tulder MW, Rubinstein SM, van Middelkoop M, Ostelo RW, Verhagen AP, Koes BW, Peul WC. Surgical techniques for sciatica due to herniated disc, a systematic review. European Spine Journal. 2012 Nov 1;21(11):2232-51. Disponível em: https://link.springer.com/article/10.1007/s00586-012-2422-9

Dr. Marcus Yu Bin Pai

CRM-SP: 158074 / RQE: 65523 - 65524 | Médico especialista em Fisiatria e Acupuntura. Área de Atuação em Dor pela AMB. Doutorando em Ciências pela USP. Pesquisador e Colaborador do Grupo de Dor do Departamento de Neurologia do HC-FMUSP. Diretor de Marketing do Colégio Médico de Acupuntura do Estado de São Paulo (CMAeSP). Integrante da Câmara Técnica de Acupuntura do Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (CREMESP). Secretário do Comitê de Acupuntura da Sociedade Brasileira para Estudo da Dor (SBED). Presidente do Comitê de Acupuntura da Sociedade Brasileira de Regeneração Tecidual (SBRET). Professor convidado do Curso de Pós-Graduação em Dor da Universidade de São Paulo (USP). Membro do Conselho Revisor - Medicina Física e Reabilitação da Journal of the Brazilian Medical Association (AMB).  

4 Comentários

Deixe o seu comentário.
  • Tenho muitas dores na região lombar irradiando para bolsa escrotal e dormência na perna esquerda devido uma hérnia de disco lombar, já fui ao ortopedista fui medicado com cortisona mas nada adiantou, ainda continuo sentindo muitas dores e gostaria de saber que tipo de analgésico posso tomar para me livrar de dores tão intensa.

  • Jacqueline Martins Godinho

    Estou com dor na lombar e dormência no braço esquerdo e com dor de cabeça no lado esquerdo tbm tenho lombalgia o que devo fazer

Deixe o seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Artigos relacionados

Send this to a friend