AVISO: A partir de 13/07, estamos atendendo na Rua Saint Hilaire 96 (a 5 minutos da clínica antiga), de segunda a sábado. Maiores informações, entrar em contato via WhatsApp

Dores mais comuns da gravidez

A gravidez é um período em que ocorrem diversas modificações físicas, sociais e emocionais, isto é, o corpo da mulher sofre inúmeras transformações, a vida social e a rotina mudam em muitos aspectos e o humor, preocupações e emoções também se alteram muito.

Uma das mais frequentes modificações físicas relatadas pela maioria das gestantes é em relação às dores, algumas mulheres sentem mais dores do que outras e em locais diferentes.

É preciso estar atento a estas dores, pois algumas podem ser inofensivas, naturais e passageiras, porém algumas dores na gravidez merecem maior atenção, pois podem ser sinal de alguma agravante.

Sendo dores inofensivas ou preocupantes, toda dor incomoda, por isso buscamos sempre alternativas para o alívio da mesma.

Na gravidez, as forma como lidar com a dor deve ser mais cautelosa, pois muitos medicamentos podem ser prejudiciais à mãe ou ao feto ou bebê.

Este texto se propõe, portanto, em apresentar as principais dores da gravidez, explicando quais as causas, sintomas e tratamento para cada uma delas. Acompanhe.

Dor pélvica na gravidez

dor pélvica

Mais da metade das gestantes costumam sentir este tipo de dor, localizada na pelve, ou seja, na região da bacia e na virilha. A pélvis da mulher é anatomicamente estruturada para a concepção de um bebê.

A causa desta dor está relacionada ao fato de que durante a gestação, a pélvis passa a se preparar com mais especialidade, ela precisa se dilatar gradualmente para a chegada do bebê, para isso é produzido um hormônio chamado relaxina, responsável por tornar os ligamentos púbicos mais flexíveis para a passagem do bebê, porém o relaxamento causa mais movimento das articulações e, por isso, é comum que as grávidas sintam esta dor na gravidez.

O sintoma principal é a dor na pélvis com sensação de atrito nas articulações, dificuldade em afastar as pernas para subir escadas e sair do carro, por exemplo. O tratamento, por sua vez, consiste no alívio da dor através de massagens e hidroginástica, através do uso de calçado ortopédico e evitando apoiar-se em apenas uma perna ou empurra objetos pesados.

Os seios são uma das partes do corpo feminino que mais sofre alteração com a gravidez.

Dor nas mamas

Obviamente, os seios são uma das partes do corpo feminino que mais sofre alteração com a gravidez, pois durante a gestação as mamas já iniciam o processo adaptativo para a amamentação, elas crescem mesmo antes de tal período.

O hormônio responsável pelo crescimento das mamas durante a gestação é a prolactina, o que contribui com o aumento da sensibilidade e com o surgimento das dores nas mamas principalmente durante os primeiros três meses de gestação.

Para evitar ou amenizar esta dor, recomenda-se o uso de sutiã cujo modelo ofereça maior sustentação às mamas, isto é, com maior área de abrangência, com alças mais largas e laterais maiores.

A dor pode interferir na qualidade do sono, por isso, muitas mães utilizam travesseiro para apoiar as mamas durante a noite, evitando que o peso das mesmas aumente a dor.

Dor lombar na gravidez

Dor Lombar

A dor lombar gestacional é a dor mais comum, afetando cerca de 80% das gestantes, consiste em uma dor nas costas, especificamente na região lombar, justamente na parte posterior da região do ventre, onde – portanto – fica concentrado o peso adquirido na gestação, isto é, o peso do bebê, do líquido amniótico, da placenta, do ganho de gordura, enfim.

Dessa forma, quanto mais peso é adquirido durante a gravidez, mais intensa será a dor lombar. Por isso, é importante que a mulher adote medidas preventivas antes de engravidar e logo no início da gestação, estas medidas consistem no controle alimentar, no hábito de realizar atividade física, manter a postura correta, sem sobrecarregar a lombar.

Vale destacar que a atividade física pode ser realizada durante a gravidez, porém com acompanhamento profissional e apenas quando não se trata de gravidez de risco.

Além das medidas preventivas, é possível tratar a lombalgia na gravidez através de tratamentos simples, como massagem, compressas mornas, acupuntura. A administração de analgésicos na gravidez só é permitida com indicação médica.

Dores de cabeça na gravidez

Dor de cabeça

Como já foi mencionado, todo o corpo da mulher é alterado na gravidez, cada detalhe sofre uma mutação para que o organismo se adapte em favor da gestação, a coluna vertebral da mulher também sofre alteração para dar espaço ao crescimento do bebê, dessa forma, todos os órgãos internos e grupos musculo-esqueléticos se comprimem.

A cervical da mulher é prejudicada e ela é a estrtura que dá sustentação à cabeça, contribuindo, portanto, com as dores de cabeça. Outras causas de dor de cabeça na gestação estão relacionadas ao aumento dos níveis hormonais, à questão emocional e à alteração do sono.

Para prevenir e tratar as dores de cabeça durante a gestação, recomenda-se técnicas de relaxamento, acupuntura, respiração diafragmática, hábitos saudáveis e evitar situações estressantes.

Já em relação ao uso de analgésicos na gravidez, é sempre fundamental que seja por indicação médica e jamais automedicar-se, pois há inúmeras substâncias encontradas em fármacos que podem prejudicar a formação do bebê ou mesmo estimular contrações e provocar aborto.

Cólicas gestacionais

Cólica durante a gravidez

Antes de engravidar, a maioria das mulheres sofre com cólicas menstruais e já são motivos de preocupação e de consultas com o ginecologista. Porém, também é comum a ocorrência de cólicas na gravidez, principalmente nos primeiros meses.

A cólica durante a gestação pode assustar, pois se trata de uma dor localizada no útero, ou seja, exatamente onde o bebê está sendo gerado. Pode ser uma dor natural, uma vez que é ocasionada devido ao crescimento do útero.

Outra causa muito comum da cólica é a presença de gases, na gestação a mulher produz mais gases intestinais, ocasionando em pontadas e em confusão quanto ao local da dor.

O tratamento da cólica se baseia em compressas mornas ou um banho morno, em massagens leves. Em casos de gases, recomenda-se verificar o funcionamento gastrointestinal e a alimentação. A acupuntura pode ajudar nas náuseas, vômitos e mal-estar gestacionais, segundo diversos estudos médicos.

Por mais natural que a cólica seja, dependendo do período da gestação, a conduta deve ser relatar a dor ao médico e investigá-la adequadamente, pois pode significar alguma agravante ou mesmo indício de aborto.

As dores nas pernas e nos pés já são esperadas pelas gestantes.

Dor nas pernas durante a gravidez

Tanto a dor nas pernas como na dor nos pés são, sem dúvida, as dores mais esperadas pelas gestantes, afinal, são as pernas e os pés que sustentam o peso de todo o corpo. Ao modificar a postura e o peso, a mulher modifica o modo de andar e de se posicionar, assim, as pernas ficam mais doloridas.

Os músculos da perna estão preparados para sustentar o peso do corpo, com a gravidez, a mulher ganha peso rapidamente e os músculos passam a se esforçar mais para sustentar o novo peso.

Por isso, quanto mais peso a mulher ganhar, mais intensa será a dor nas pernas. Dessa forma, é importante que a mulher mantenha bons hábitos antes, durante e depois da gravidez, preservando assim, a saúde do bebê e dela mesma.

Outra causa está associada à circulação sanguínea da gestante, que também sofre alterações, podendo causar inchaço e edemas, o que resulta em dores. Há mulheres que têm predisposição genética para esta questão do inchaço e edemas. Neste caso, indica-se repousar as pernas posicionando-as em um local mais alto que o restante do corpo.

Para aliviar as dores na perna e nos pés, indica-se realizar massagem, compressas mornas e colocar os pés de molho em uma bacia com água morna.

Câimbras na gravidez

Câimbras são espasmos involuntários do músculo que causa uma dor intensa e que têm diversas causas relacionas, as câimbras na gravidez são causadas pela sobrecarga que os músculos passam a ter devido ao aumento de peso, à alteração da postura e à alteração do nível de cálcio e magnésio.

Vale explicar que a sobrecarga dos músculos pode causar encurtamento das fibras musculares, principalmente das coxas e panturrilhas, este encurtamento torna o músculo mais predisposto a sofrer espasmos, ou seja, câimbras.

O nível de minerais, por sua vez, está relacionado à dinâmica da câimbra, pois estes minerais são responsáveis pela contração muscular, estes minerais são o cálcio, o magnésio, o potássio e o sódio, cujas quantidades podem sofrer alteração durante a gravidez, alterando consequentemente, a dinâmica normal da contração muscular.

Para tratar e evitar as câimbras, é recomendada adoção de uma alimentação balanceada, que ofereça a quantidade adequada de minerais e nutrientes, além disso, realizar alongamentos antes de dormir e aquecer as pernas contribui evitando câimbras na gravidez.

Conclusão

O processo adaptativo do organismo feminino durante a gravidez é bastante complexo e abrange todos os sistemas orgânicos, por isso, é comum que haja estas dores na maioria das mulheres durante pelo menos um período da gestação.

Como foi apresentado, há como prevenir e aliviar algumas dores da gravidez com procedimentos simples e caseiros. Entretanto, quando houver necessidade de recorrer aos fármacos, é imprescindível que se consulte o médico, relatando detalhadamente a dor e assim, somente utilizar o medicamento que for indicado pelo medico e isto inclui a dosagem, a fórmula e a duração.

O perigo da automedicação durante a gravidez está nas consequências que algumas substâncias podem causar à mulher e ao bebê.

Send this to a friend