CENTRO DE TRATAMENTO DE DOR: Dor, Acupuntura Médica, Ondas de Choque, Fisiatria e Fisioterapia.

O que é Fisiatria ou Medicina Física e Reabilitação?

Medicina Física e Reabilitação, também conhecida como Fisiatria, é uma especialidade médica que enfatiza a prevenção, diagnóstico, tratamento e reabilitação de pessoas incapacitadas por doenças, distúrbios ou lesões.

A Fisiatria presta cuidados integrados e multidisciplinares que visam a recuperação da pessoa como um todo, abordando as necessidades físicas, emocionais, médicas, vocacionais e sociais do indivíduo.

A Fisiatria é única entre as especialidades médicas, pois sua área de atuação é o funcionamento de todo o paciente

Os fisiatras fornecem um espectro completo de cuidados – do diagnóstico ao tratamento e reabilitação – para restaurar o máximo de saúde e qualidade de vida.

O fisiatra é o médico especializado em dor e reabilitação física.

dor na coluna por lordose

A Fisiatria ou Medicina Física e Reabilitação tem como foco a funcionalidade do organismo.

Esta especialidade médica dedica-se à prevenção, diagnóstico e tratamento não cirúrgico de distúrbios associados à deficiência física em geral. Portanto, esta especialidade atende os pacientes que necessitam de tratamento e reabilitação física, como:

Pacientes que possuem sequelas de patologias neurológicas

Pacientes com lesões, danos e outras disfuncionalidades musculoesqueléticas

Pacientes com lesões esportivas

Pacientes com quadro de dor crônica

Com a evolução da medicina, as pessoas estão vivendo mais.

A medicina é uma grande aliada no aumento da expectativa de vida, pois as pesquisas e avanços tecnológicos e científicos dos tratamentos permitem maior qualidade de vida e longevidade.

Isto incide diretamente no campo de atuação do fisiatra, que acaba se expandindo consideravelmente. A fisiatria preocupa-se como o indivíduo pode ser uma pessoa completa e os benefícios que sua medicina pode trazer.

Doenças que muitas vezes incapacitam, podem ser revertidas ou amenizadas com o trabalho de excelência dos fisiatras. É um cuidado físico e emocional.

Provavelmente é a especialidade médica que mais proporciona a integração biopsicossocial (relativo a fatores biológicos, psicológicos e sociais).

Os fisiatras atendem pacientes de todas as idades, que apresentam uma ampla gama de problemas – de ombros doloridos a grandes condições incapacitantes.

Os médicos especialistas em reabilitação são treinados para se concentrarem em todo o paciente e em como cada um dos principais sistemas orgânicos do corpo afeta a função. Eles ajudam os pacientes a atingir a máxima função e a mais alta qualidade de vida possível.

A prática do médico fisiatra baseia-se em uma abordagem de equipe interdisciplinar que aborda o bem-estar físico, emocional e psicossocial de um paciente por meio de uma combinação de tratamentos não cirúrgicos, incluindo medicação e injeções; terapias físicas, ocupacionais e complementares; e o uso de dispositivos auxiliares.

A Fisiatria é a área da medicina responsável pelo tratamento de uma ampla variedade de doenças que podem resultar em qualquer grau de incapacidade, como lombalgias até lesões mais graves como sequelas de uma lesão medular ou acidente vascular cerebral.

Doenças tratáveis pelo Fisiatra

Veja abaixo algumas das condições mais comuns abordadas pelo médico fisiatra:

Dores agudas e crônicas

Lombalgias, cervicalgias, tendinopatias, osteoartrite, fibromialgia, lesões do trabalho, dor neuropática

Reabilitação oncológica

Tratamento focado para sintomas associados ao câncer. Reabilitação de câncer, dor crônica, linfedema, mal-estar, fadiga

Grandes incapacitados

Lesão medular, paraplegia e tetraplegia, espasticidade, amputados. Recuperação funcional e de sequelas

Doenças neurológicas

Doenças cerebrais (reabilitação pós AVC, Parkinson), neuropatias periféricas, distúrbios do movimento

Lesões esportivas

Reabilitação do ombro de nadadores, lesões em corredores e outros atletas. Recovery, para atletas amadores e de alto rendimento.

Doenças reumatológicas

Reabilitação de osteoartrite, osteoporose, artrite reumatoide, e outras lesões degenerativas e reumáticas

Doenças ocupacionais

Lesões relacionadas ao trabalho, como tendinopatias, lesões musculoesqueléticas, e lesões por esforços repetitivos

Reabilitação geriátrica

Tratamento de dores no idoso, como lombalgias, fraturas, além de dificuldades na marcha, postura e prevenção de quedas

A reabilitação é essencial para restaurar a atividade do paciente, independentemente do tipo de doença ou condição em que se encontra, buscando ganho de força muscular, melhora no equilíbrio e coordenação, além de avaliação dos problemas de sono e de problemas psicológicos.
O médico fisiatra tem como objetivo restaurar a função dos órgãos ou membros afetados.

Possibilidades de casos e tratamentos.

reabilitacao lesao medular fisiatria

São diversos os casos que surgem na prática clínica, em que o fisiatra deve estar preparado tecnicamente, cientificamente e humanamente para conceber o melhor tratamento para todos os casos.

Um indivíduo, por exemplo, sofre uma lesão de medula espinhal em um acidente de carro e fica com paralisia das pernas. O médico fisiatra pode avaliar o paciente e a lesão e, junto de uma equipe multidisciplinar de profissionais da saúde, pode estabelecer e criar um programa de reabilitação individualizado.

Um bebê que apresenta diminuição de oxigenação (hipóxia) durante o parto e acaba por desenvolver paralisia cerebral, o médico fisiatra pode ser importante neste caso, para tentar prevenir sequelas que poderão ter importantes repercussões na qualidade de vida da criança, pelo resto de sua vida.

Outro exemplo uma pessoa idosa com quadro de fratura na bacia. Esta lesão pode limitar muito a deambulação e sua funcionalidade. Porém, com uma reabilitação intensiva, a pessoa idosa pode realizar exercícios de fortalecimento, alongamento e se locomover com ou sem auxílio de equipamentos auxiliares de marcha.

Tratamento multidisciplinar

tratamento-multidisciplinar-na-fisiatria

É muito importante para a melhor prática da medicina que haja trabalho multidisciplinar, designar tratamentos com uma equipe multidisciplinar possibilita o máximo de recuperação funcional do paciente. A composição desta equipe pode variar, dependendo de cada caso e pode incluir médicos de outras especialidades e profissionais de outras áreas, sendo ou não da saúde.

Os fisiatras podem exercer suas funções em centros de reabilitação, hospitais gerais, em clínicas e consultórios particulares. A maioria dos fisiatras tem formação ampla e geral, porém alguns destes médicos se dedicam à reabilitação em uma área específica como a geriatria, medicina esportiva, pediatria, neurologia.

Além disso, médicos fisiatras podem tratar pacientes diretamente, chefiar uma equipe multidisciplinar ou atuar como consultor. A fisiatria não se restringe a uma especialidade médica, é um trabalho integrado de reabilitação. Por esse motivo, a qualidade de vida dos pacientes submetidos ao tratamento fisiátrico, melhora significativamente.

YouTube Hong Jin Pai

Linha do tempo da Fisiatria no Brasil

Surgimento na década de 1930

A Medicina Física e Reabilitação se iniciou por volta da década de 1930, mas teve sua área de ação ampliada somente após a 2ª Guerra Mundial, quando combatentes retornaram aos Estados Unidos com lesões físicas importantes, como lesões medulares e amputações traumáticas.

O trabalho de reabilitação e reintegração destes veteranos deu novas direções à esta

Reconhecimento em 1947

Em 1947, a Medicina Física e Reabilitação foi reconhecida pelo Conselho Nacional de Especialidades Médicas Americano.

Desde 1954 no Brasil

Reconhecida como especialidade médica.

Fundação da Sociedade Brasileira de Medicina Física e Reabilitação.

Funcionalidade e reabilitação

esporte-adaptado-fisiatria

Portanto, o médico fisiatra, além de se preocupar com uma paralisia (paraplegia, tetraplegia), por exemplo, também procurar avaliar os danos e consequências que esta lesão pode prejudicar a qualidade de vida do paciente, fazendo correções, avaliando e prescrevendo meios auxiliares de locomoção.

A fisiatria vai mais longe, pois aborda a dor e a funcionalidade física, o que outras especialidades, possivelmente, acabam por dedicar-se de forma segregada apenas à dor ou apenas à função orgânica.

É um conceito inovador, pois é a oportunidade de exercer a medicina de uma forma mais humanizada, de oferecer uma abordagem diferente de todas pensando no estado físico, social, psíquico e emocional do indivíduo.

Vale relacionar que para a Organização Mundial de Saúde (OMS), saúde é um estado de bem estar biopsicossocial, e não apenas a ausência de doença. A fisiatria resgata a pessoa abalada física e emocionalmente, por esse motivo demanda o interesse pelo ser humano à frente do profissional.

Pacientes que são tratados pelos fisiatras experimentam uma abordagem de tratamento único, eles são observados e orientados de uma forma humana e esse tratamento engloba a totalidade do ser humano.

Um organismo saudável é regido por um conjunto de fatores, todos interligados e agregados, fazem as engrenagens da máquina humana funcionarem perfeitamente.

Equilíbrio é a palavra! Para que tudo funcione bem, o organismo precisa estar bem por completo, o profissional da fisiatria sabe fazer com que todas as engrenagens entrem em harmonia.

Procedimentos

Fisiatras também estão aptos a realizar procedimentos complementares ao tratamento de reabilitação, como as infiltrações, agulhamentos e bloqueios. Anti-inflamatórios, anestésicos e a toxina botulínica também podem ser usados durante o tratamento.

A especialidade atende a todos os grupos etários e trata de problemas que afetam todo o sistema orgânico. Os meios de diagnóstico do fisiatras são os mesmos de outras áreas da medicina, acrescidos de técnicas especiais.

Qual a diferença de Fisiatra e Fisioterapia?

Fisiatras são médicos que passaram pela faculdade de medicina e concluíram o treinamento no campo de especialidade da Medicina Física e Reabilitação.

Os médicos Fisiatras diagnosticam doenças, elaboram protocolos de tratamento, realizam procedimentos minimamente invasivos e podem prescrever medicamentos.

Como saber quando consultar um fisiatra?

Você pode procurar tratamento de um fisiatra se:

  • Você sofreu uma lesão que causa dor e/ou impede o funcionamento físico.
  • Você tem uma doença, deficiência ou tratamento experiente para uma doença que o deixou com funcionamento físico limitado e dor.
  • Você está com dor crônica nas costas, dor no pescoço, dor de uma lesão por esforço repetitivo ou artrose / artrite.
  • Você sofreu um acidente vascular cerebral (“derrame”) ou outro dano nervoso que limita o funcionamento físico.
  • Você está se recuperando de uma cirurgia.
  • Você está avaliando possibilidade de uma cirurgia como um meio de diminuir a dor crônica.
Que tipo de pacientes os fisiatras atendem?

Os fisiatras tratam principalmente condições dos ossos, músculos, articulações e sistema nervoso central/periférico que afetam a capacidade de uma pessoa.

Um fisiatra é treinado para gerenciar uma variedade de distúrbios/doenças, mas os profissionais geralmente se especializam. Devido ao amplo espectro de condições tratadas e à natureza abrangente de seu treinamento, os fisiatras estão em uma posição única para se adaptar e projetar novas tecnologias, bem como mudar as tendências nos cuidados de saúde.

Clinica Hong Jin Pai Sao Paulo e1621991307344

RUA SAINT HILAIRE 96 – JARDIM PAULISTA – SÃO PAULO – SP

Clínica de Dor, Fisiatria e Acupuntura Médica

Clínica médica especializada localizada na região dos Jardins, próximo à Av. Paulista, em São Paulo — SP.

Centro de Dor, com médicos especialistas pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.

Tratamento por Ondas de Choque, Infiltrações, Bloqueios anestésicos e Acupuntura Médica

Infográfico: O que é Fisiatria?

 

5-fisiatria-marcus-yu-bin-pai

Como a Fisiatria se desenvolveu?

O campo da Medicina Física e Reabilitação começou na década de 1930 para resolver os problemas músculo-esqueléticos e neurológicos, mas ampliou seu alcance consideravelmente após a Segunda Guerra Mundial. Milhares de veteranos voltaram para os Estados Unidos com deficiência grave, a tarefa de ajudar a restaurá-los para a vida produtiva tornou-se uma nova direção para o campo. O Conselho Americano de Especialidades Médicas concedidas sua aprovação como uma especialidade da medicina em 1947. No Brasil, a Fisiatria é uma especialidade médica desde a década de 1950, com a fundação da Associação Brasileira de Medicina Física e Reabilitação, filiada à Associação Médica Brasileira (AMB)

Como fisiatras diagnosticam?

Ferramentas de diagnóstico dos fisiatras são os mesmos que os utilizados por outros médicos, com a adição de alguns testes especializados. Fisiatras têm extensa formação em anatomia músculo-esquelética e exame físico. Eles também podem solicitar exames complementares de imagem, incluindo raios-x, Ressonância Magnética, Tomografias Computadorizadas, ultrassonografias, e também eletroneuromiografia (ENMG) caso necessário. Além disso, também podem solicitar exames laboratoriais, dentre outros, para afastar patologias reumatológicas ou ósseas, além de avaliar o paciente como um todo. Estes exames podem ajudar os médicos a diagnosticar as condições que causam dor, fraqueza, dormência e função prejudicada.

Como você sabe quando deve ver uma fisiatra?

Você deve procurar tratamento de um médico fisiatra, se:
  • Você experimentou uma lesão que provoca dor e/ou impede o funcionamento físico.
  • Você tem uma doença, deficiência ou experiente tratamento para uma doença que te deixou com funcionamento físico limitado e dor.
  • Você está experimentando a dor crônica nas costas, dor cervical, dor de uma lesão por esforço repetitivo ou dor crônica da artrite.
  • Teve um acidente vascular cerebral ou outros danos nos nervos que limita o funcionamento físico.
  • Você está se recuperando de uma cirurgia.
  • Você está contemplando alguma cirurgia como um meio para diminuir a dor crônica.

Como é a atuação prática do médico fisiatra?

O médico fisiatra é frequentemente conhecido como médico da qualidade de vida porque o seu objetivo é melhorar o desempenho e funcionalidade do paciente. Estes especialistas tratam qualquer incapacidade resultantes de doença ou lesão que envolvam qualquer sistema do órgão. O foco não é em uma parte do corpo, mas em vez disso sobre o desenvolvimento de um programa abrangente para colocar os pedaços da vida de uma pessoa de volta juntos – medicamente, socialmente, emocionalmente e vocacionalmente – após a lesão ou doença. Médicos fisiatras gerenciam questões que abrangem todo o espectro, do complicado trauma múltiplo para prevenção de lesões para os atletas. Alguns fisiatras têm práticas amplas que abrangem muitos tipos diferentes de pacientes. Outros prosseguem interesses especiais e se concentrar em grupos específicos ou problemas. Alguns médicos fisiatras também tem um enfoque maior em lesões musculares ou esportivas, desenvolvendo programas de reabilitação para ajudar os atletas a evitar lesões, e também fazem o tratamento destas lesões musculoesqueléticas.

Como é o tratamento com o Médico Fisiatra?

Os médicos especialistas em Medicina Física e Reabilitação diagnosticam e tratam condições médicas associadas com deficiência. Estas podem incluir: problemas cognitivos, anomalias ortopédicas, preocupações de mobilidade, problemas intestinais e da bexiga, distúrbios da marcha, problemas de alimentação e deglutição, dificuldades de comunicação, dor e rigidez muscular ou hipotonia. Médicos fisiatras podem trabalhar colaborativamente com neurologistas, ortopedistas, neurocirurgiões, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais e fonoaudiólogos para melhorar a funcionalidade, dor e qualidade de vida de pacientes com múltiplas comorbidades.. Médicos fisiatras prescrevem medicamentos para problemas musculares e nervosos, atenção e problemas de memória, comportamento, sono, dor, intestino e preocupações de bexiga, problemas respiratórios ou gastrointestinais e muitos outros problemas médicos. Alguns fisiatras se especializam na gestão de espasticidade. Isso inclui a prescrição de medicamentos especializados e procedimentos invasivos. Os fisiatras também prescrevem órteses/talas para melhorar a posição ou função do braço ou perna, e também próteses pela perda de membro (como na amputação). Podemos prescrever equipamentos como cadeiras de rodas, andadores, cadeiras de banho, e outros meios auxiliares que permitem que os cuidadores e pacientes movam ou sejem cuidados com maior segurança. Médicos fisiatras também orientam sobre programação de escola profissional e questões comportamentais e cognitivos ou de aprendizagem infantil.

Existem parâmetros fisiológicos que podem ser usados como indicadores de dor em um paciente?

A frequência cardíaca, inicialmente, aumenta com a dor aguda, cortante. Depois, pode diminuir. A tensão arterial de oxigênio se reduz durante procedimentos dolorosos, e hormônios relacionados ao estresse são liberados. Todavia, o medo, isoladamente, produz alterações na tensão de oxigênio, e os níveis hormonais, no sangue, dependem de vários fatores como idade, ritmo diurno, emoções e valores basais.

Potenciais evocados, registrados no escalpe, demonstram estar ligados à intensidade do estímulo. Todavia, nenhum parâmetro isolado distingue, claramente, um estímulo doloroso de outro não doloroso.

Ao contrário da dor aguda, existem poucos indicadores fisiológicos úteis na avaliação da dor duradoura, persistente. Alguns estudos novos com ressonância magnética funcional, que mede o fluxo sanguíneo cerebral, indicam que alguns pacientes com certos tipos de dor crônica como a fibromialgia podem ter alterações de áreas ativas e hipoativas cerebrais.

O que é dor?

Segundo a definição da IASP (International Association for the Study of Pain), a dor é uma “experiência sensorial e emocional desagradável, associada a dano tecidual presente ou potencial, ou descrita em termos de tal dano”. Esta definição de dor pode conter certica circularidade, mas ela coloca explicitamente que a dor, além de um componente físico, sempre tem um componente subjetivo. Outra definição funcional de dor é “qualquer coisa que o paciente diz que o machuca”.

Por que devo passar por exames para diagnosticar minha lombalgia?

Seu médico pode conseguir diagnosticar a causa da sua dor nas costas, apenas obtendo um histórico médico detalhado e realizando alguns exames físicos. O médico pode questionar sobre seu modo de vida, ocupação, avaliar o seu padrão de movimento e postura, e determinar o que você estava fazendo quando a dor surgiu .

Para a dor lombar aguda, raios-x e estudos de diagnósticos geralmente não são úteis a não ser que um acidente sério ou um problema neurológico tenha ocorrido.  Caso haja uma suspeita de lesão no disco, seu médico pode solicitar uma imagem por ressonância magnética (RNM) se sua dor não estiver melhorando como o esperado.

Quais os tipos de tratamento para lombalgias?

Seu médico fisiatra pode recomendar que você consulte fisioterapeuta, ou um personal trainer qualificado, que inicie um regime de exercícios que acelere a recuperação e previna futuras lesões. Assim que a dor aguda diminuir, um regime de exercícios de  alongamento, fortalecimento e estabelecimento são fundamentais para evitar lesões futuras.

Aqueles com dores persistentes podem encontrar alivio com injeções epidurais de cortisona ou bloqueios anestésicos como bloqueios facetários e infiltrações paraespinhosas. A acupuntura associada a exercícios é uma ótima maneira de diminuir as dores e as crises lombares. Uma pequena porcentagem dos problemas nas costas requerem cirurgias.

Com o tratamento para a dor aguda, você deve notar alguma melhorar após duas semanas.  Caso não haja melhora, modifique seu plano de tratamento ou considere outra terapia. Depois de 4 semanas sem progressos, exames são indicados. Mantenha em mente que lesões nas costas requerem tempo  e dedicação para se curarem completamente.  A chave para um tratamento de sucesso é a boa comunicação entre paciente, médico, terapeuta e qualquer  outro profissional envolvido.

Quais são as causas mais comuns de lombalgia aguda?

Em muitos casos de lombalgia aguda, nenhum mecanismo fisiopatológico está claramente definido e os pacientes são diagnosticados como tendo “deslocamento dorsal”. Os episódios são geralmente, precedidos por traumas menores, levantamento de pesos ou quedas da própria altura.

Trauma direto é uma causa rara. Uma pequena minoria de pacientes apresenta uma doença ca aguda como causa da lombalgia. A primeira questão urgente, no diagnóstico de lombalgia é decidir se o paciente apresenta uma condição médica emergente (tumor, infecção ou trauma) ou uma lombalgia benigna. Os sinais e sintomas que poderiam alertar o clínico, a fim de impedir desastres, são sensibilidade focal vertebral/ febre, perda de peso ou disfunção intestinal ou vesical

Dr. Marcus Yu Bin Pai

CRM-SP: 158074 / RQE: 65523 - 65524 | Médico especialista em Fisiatria e Acupuntura. Área de Atuação em Dor pela AMB. Doutorado em Ciências pela USP. Pesquisador e Colaborador do Grupo de Dor do Departamento de Neurologia do HC-FMUSP. Diretor de Marketing do Colégio Médico de Acupuntura do Estado de São Paulo (CMAeSP). Integrante da Câmara Técnica de Acupuntura do Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (CREMESP). Secretário do Comitê de Acupuntura da Sociedade Brasileira para Estudo da Dor (SBED). Presidente do Comitê de Acupuntura da Sociedade Brasileira de Regeneração Tecidual (SBRET). Professor convidado do Curso de Pós-Graduação em Dor da Universidade de São Paulo (USP). Membro do Conselho Revisor - Medicina Física e Reabilitação da Journal of the Brazilian Medical Association (AMB).