AVISO: Informamos que devido ao COVID-19, estamos fechados temporariamente a princípio até o dia 07/04. Para maiores informações, favor entrar em contato via WhatsApp

Mitos e verdades sobre ansiedade

A ansiedade é considerada a condição de saúde mais marcante do século, pois seus sintomas e suas causas estão intimamente relacionadas com o modo de vida contemporâneo. No entanto, muitas pessoas confundem o significado de ansiedade, aumentando assim os relatos e os diagnósticos.

É preciso diferenciar a ansiedade enquanto um problema de saúde, com a ansiedade natural. É comum que as pessoas se considerem ansiosas quando se dizem inquietas e impacientes, mas adiante veremos que não é somente isso que configura a ansiedade.

O termo ansiedade remete a um estado de antecipação de algo, dessa forma, é natural sentir-se ansioso perante um fato que está para acontecer, por exemplo, ficar ansioso antes de uma prova importante, ficar ansioso antes de encontrar alguém especial, ficar ansioso ao esperar uma viagem dos sonhos, enfim, o estado de ansiedade natural é aquele que depois que o evento passa, a pessoa retorna a seu estado de origem, sem ansiedade.

Continue a leitura para entender a diferença deste estado ansioso com a ansiedade enquanto problema de saúde, descubra também neste artigo os mitos e verdades sobre ansiedade.

 

 

O que é ansiedade?

ansiedade sao paulo

A ansiedade é um sentimento de vazio, de angústia, tensão, medo ou desconforto cuja origem é uma determinada situação de perigo, risco ou indesejada, esta situação pode ou não ser real.

Como já foi mencionado, a ansiedade em certo nível é saudável, desde que após a ocorrência da situação temida, o estado ansioso desapareça e a pessoa volte ao seu estado normal. No entanto, quando mesmo após o acontecimento temido, a pessoa continua apresentando os sintomas de ansiedade, então pode ser um caso patológico, denominado transtorno de ansiedade.

 

 

Os transtornos de ansiedade podem acometer indivíduos de qualquer idade, sexo, classe social e nacionalidade.

 

O código internacional de doenças apresenta uma variedade de tipos de transtornos ansiosos, a saber: ansiedade generalizada, transtorno de pânico, transtorno misto ansioso e depressivo, transtornos fóbico-ansiosos. Além disso, pode haver diversas comorbidades relacionadas a estes transtornos, como depressão, estresse pós-traumático, transtornos alimentares, transtorno obsessivo-compulsivo, entre outros.

 

 

Quais os sintomas da ansiedade?

sobre ansiedade

São diversos os sintomas do transtorno de ansiedade, podem variar de acordo com o tipo de transtorno. Veja abaixo quais sintomas podem estar incluídos:

Preocupação constante: preocupações com a saúde, com criminalidade, com dinheiro, trabalho ou qualquer outro objeto que o paciente eleja como principal preocupação;

Pensamentos desagradáveis: podem surgir pensamentos automáticos e invasivos com conteúdo de perigo;

Sensações físicas: “frio” na barriga, problemas gastrointestinais (diarreia, prisão de ventre, úlceras, gastrite), palpitação (este sintoma assusta, pois leva a crença de que há um problema cardíaco), sudorese, formigamento, tensão muscular, tremores, etc.

Comportamentos evitativos: devido ao medo e preocupação constantes, o paciente passa a evitar locais e situações que trazem desconforto;

Inquietação: este, talvez, é o sintoma que mais acusa quem é ansioso, ou seja, a movimentação das pernas, a dificuldade em esperar, dificuldade de permanecer parado por muito tempo, etc.

 

 

Mitos e verdades sobre ansiedade

aprenda mais sobre ansiedadeAgora que já fora apresentado um esboço sobre a ansiedade e o transtorno de ansiedade, é possível discorrer sobre o que é mito e o que é verdade sobre a ansiedade:

 

  1. O transtorno ansioso é inato: MITO!

Muita gente acredita que a característica de ser ansioso é genética, que é de sua natureza ser uma pessoa ansiosa, porém, a ansiedade quando é persistente trata-se de uma psicopatologia e, portanto, não é uma característica de personalidade, mas um problema que deve ser tratado para que o paciente retome a qualidade de vida. Em outras palavras, as causas do transtorno de ansiedade estão relacionadas às experiências na vida.

 

  1. O Transtorno de ansiedade é passageiro: MITO!

Como vimos, a ansiedade enquanto um fenômeno natural é passageira, isto é, os sintomas percebidos cessam após a situação ocorrer. Já o transtorno de ansiedade não se cura sozinho, é preciso tratamento com psicólogo e psiquiatra, além da ajuda da família e de amigos.

 

  1. Transtorno de ansiedade é frescura: MITO!

A afirmação de que pessoas com transtorno de ansiedade é fresca ou fraca é, além de mito, um preconceito que é – infelizmente – muito comum. Pessoas que não compreendem o quadro ansioso e outros transtornos, comumente julgam e cobram de quem enfrenta a ansiedade atitudes que não conseguem ter. Este julgamento negligencia cuidados e acentua os sintomas, principalmente quando vem de algum familiar, amigo, colega de trabalho ou chefe. É preciso compreensão e apoio social para ajudar no tratamento do transtorno de ansiedade.

 

  1. Toda pessoa tímida é ansiosa: MITO!

Este mito nasceu porque muitas pessoas possuem ansiedade de público, isto é, medo de falar em público, medo de apresentar trabalhos, medo de conhecer pessoas novas, etc.

Mas é preciso diferenciar a timidez do medo de estar diante das pessoas, ser tímido nem sempre impede que a pessoa se apresente, nem causa sintomas insuportáveis, mas pessoas ansiosas que têm medo de estar diante de um público podem não conseguir fazê-lo. Portanto, nem toda pessoa tímida é ansiosa.

 

  1. Ansiedade só afeta adultos: MITO!

Muitas vezes negligencia-se o cuidado à criança ansiosa, pois é comum acreditar que somente adultos desenvolvem transtorno de ansiedade, além disso, não são todas as crianças que conseguem descrever seus medos ou mesmo que consigam, muitas vezes os pais não conseguem distinguir o que é real e o que fantasiado pela criança e, ao acreditar que se trata de fantasias, imaginação, os medos e sintomas das crianças ansiosas acabam sendo negligenciados e não tratados.

 

  1. Ansiedade é doença, assim como mau humor: VERDADE!

Como vimos, a ansiedade quando persistente pode indicar várias psicopatologias relacionadas e vários transtornos ansiosos. O mesmo vale para o mau humor, isto é, pessoas constantemente mal-humoradas, impacientes, nervosas, tristes podem estar enfrentando uma psicopatologia, como depressão ou ansiedade. Por isso é importante estar atento às pessoas queridas.

 

  1. Existem medicamentos para o tratamento de ansiedade: VERDADE!

O tratamento do transtorno de ansiedade inclui tanto a psicoterapia, como a intervenção psicofarmacológica, que deve ser prescrita por um médico, por exemplo, um psiquiatra ou um neurologista.

 

  1. A ansiedade prejudica a qualidade de vida: VERDADE!

Viver com medo e preocupações e conviver com sintomas desagradáveis é algo que prejudica a qualidade de vida nos seguintes aspectos:

Aspecto social: pessoas ansiosas costumam evitar situações, o que a tira do convívio social. Além disso, quando está em um relacionamento, a pessoa ansiosa costuma agir com medo e preocupação, o que afeta a qualidade do relacionamento;

Aspecto psicológico: a ansiedade é, por si só, uma agravante psicológica, mas além disso, lidar com os sintomas e as consequências do transtorno desencadeia emoções desagradáveis, altera o humor, altera a qualidade do sono, afeta o apetite, a vida sexual, além de que pode desencadear outras psicopatologias;

Aspecto físico: como vimos, são vários os sintomas físicos decorrentes da ansiedade, assim, a qualidade de vida fica afetada, já que é alterado o funcionamento normal e agradável do organismo.

 

  1. Ansiedade é um mau contemporâneo: VERDADE!

Antigamente, percebia-se a prevalência de outras doenças e condições, as doenças se apresentam de acordo com as características de cada época.

Por isso, é clinicamente possível afirmar que a ansiedade tem sido uma marca dos últimos tempos, isto é, a forma de se comunicar, os meios de informação, a aceleração dos acontecimentos, a forma de relacionar-se com o outro, tudo isso mudou e tornou-se mais fluído e rápido, por isso, os riscos e perigos tanto reais como imaginários aumentaram.

 

  1. É possível tratar os transtornos ansiosos: VERDADE!

Como já foi brevemente mencionado, há tratamento para a ansiedade. Primeiramente, é preciso diagnosticar qual a causa do transtorno e especificá-lo, para que o tratamento psicoterápico siga o caminho correto. A psicoterapia consegue trabalhar formas de relaxamento, que reduzem a intensidade dos sintomas físicos, técnicas de respiração, que auxiliam o autocontrole, evitando ataques de pânico quando for o caso. Além disso, a psicoterapia consegue identificar o fator desencadeante e elaborá-lo na clínica.

Os psicofármacos administrados no tratamento de ansiedade são, geralmente, os ansiolíticos, como diazepam, clonazepam e alprazolam, além destes, podem ser prescritos também antidepressivos, a depender do quadro clínico.

O apoio social é de extrema importância, tanto no trabalho, no ambiente familiar, na vizinhança, no círculo de amigos, instituições de ensino, é sempre importante que as pessoas deem o suporte necessário.

 

 

Conclusão

aprenda ansiedade

Ansiedade é uma condição comum, principalmente nos dias atuais.

No entanto, ainda é pouco compreendida pela sociedade. Por este motivo, é preciso saber o que é verdade e o que é mito e a partir disso, é possível ajudar as pessoas que possuem um transtorno de ansiedade e, consequentemente, os julgamentos e preconceitos diminuem, facilitando o tratamento e o convívio social.

Saber como tratar e como enfrentar é de igual importância, por isso, deve-se estar atento aos sintomas.

Vale ressaltar a relevância de observar as crianças, elas nem sempre conseguem descrever suas sensações, medos e sintomas.

Vale acrescentar também que médicos e equipes de saúde devem estar atentas aos sintomas de ansiedade, pois muitas pessoas acometidas com o transtorno procuram médicos gastroenterologistas ou médicos cardiologistas, já que os problemas de digestão e as palpitações são sintomas muito comuns.

Send this to a friend