AVISO - COVID-19: Estamos com atendimento segunda/terça/quinta/sexta/sábado. Maiores informações, entrar em contato via WhatsApp

Coluna na Revista Pense Mais: Ventosas, a terapia milenar

Por Dr. Hong Jin Pai

Quem nunca teve dor nas costas que atire a primeira pedra. Pois é, esse parece um mal que acomete todas as pessoas, independentemente de sexo, cor, idade ou religião. Especialmente nos tempos modernos, em que muitos indivíduos passam longas horas trabalhando sentados em seus escritórios, parece ser inevitável que, ao fim do expediente, aflorem a dor e a sensação de peso no corpo.

Via de regra, a dor nas costas se deve à imobilização prolongada, que impede os fluxos de sangue de circularem nos músculos, provocando o acúmulo de toxinas e fraqueza muscular. Paralelamente, esse quadro clínico pode ser agravado pela tensão emocional, que gera desânimo, opressão no peito, insônia, dentre outros males. Para esse tipo de situação, a ventosaterapia é bem indicada, e pode ser usada sem agulhas.

Essa técnica consiste na fixação sobre a pele de um recipiente semelhante a um copo, que pode ser de vidro ou de plástico, ou mesmo de um pedaço oco de bambu, no interior do qual é produzido vácuo por meio da queima de algodão ou por meio de aparatos pneumáticos.

Ventosa Medicina Chinesa

Esse estímulo é indolor, podendo, em alguns casos, gerar um pequeno desconforto, mas ativa as terminações nervosas, fazendo o organismo liberar vários tipos de substâncias neurotransmissoras e endorfinas com a finalidade de promover a circulação sanguínea no local, bem como de produzir analgesia e relaxamento nas áreas afetadas. Seus mecanismos de ação são semelhantes aos da Acupuntura.

A ventosaterapia pode ser de dois tipos:

FIXA – aplica-se um número variável de ventosas nos pontos escolhidos, as quais ali permanecem por cerca de 10 a 30 minutos;

MÓVEL – nessa modalidade, promove-se o deslizamento da ventosa sobre a pele, previamente untada com óleo, ampliando-se, desse modo, sua área de ação.

E acreditem: essa técnica simples e não invasiva provoca um alívio imediato e eficaz de dores musculares, de artrites, de lombalgia, e facilita também os movimentos articulares. A terapia por ventosas também melhora o processo de cicatrização, possuindo efeito relaxante, anti-inflamatório e auxilia no combate do stress e outros sintomas.

Assim, não é à toa que a ventosa vem sendo amplamente utilizada ao longo dos séculos. Apenas lembre-se: esse procedimento deve ser feito por médico habilitado, e o uso de medicamentos e de outras terapias pode ser necessário.

Ventosa na Acupuntura e Medicina Chinesa