AVISO: NOVO LOCAL DE ATENDIMENTO - Rua Saint Hilaire 96 (a 5 minutos da clínica antiga), de segunda a sábado. Maiores informações, entrar em contato via WhatsApp

Revista Viva Saúde: 3 formas de tratar a conjuntivite

3 FORMAS DE TRATAR A CONJUNTIVITE

Publicado em 05 de Sep de 2013 por Ingrid Tanii

De origem viral ou bacteriana, a conjuntivite pode ainda ter como causa alergia ou intoxicação. O rápido diagnóstico alivia os sintomas e, nos casos virais, evita sua disseminação. Confira a opinião de especialistas

Tratamento de conjuntivite alergica por acupuntura

“A inflamação afeta a parte branca do olho (conjuntiva) e a parte interna da pálpebras. Em somente 5% a 10% dos casos ela será em um olho só. Os sintomas mais comuns são coloração avermelhada, inchaço e lacrimejamento locais. Nas formas alérgicas, há coceira; nas bacterianas, secreções. Para as formas virais, o oftalmologista indicará o uso de compressas, colírios lubrificantes e, às vezes, anti-inflamatórios. Em alguns casos, usam-se antialérgicos e lágrimas artificiais. Outra orientação é ahigiene palpebral e suplementação alimentar (ômega-3). Cuidados como lavar as mãos com frequência, usar álcool-gel e evitar esfregar os olhos podem prevenir o problema” – Sergio Kandelman, médico especializado em córnea e mestre em oftalmologia pela Escola Paulista de Medicina – Universidade Federal de São Paulo (EPM-Unifesp)


Outra causa do problema pode ser o olho seco, típico do envelhecimento, além de algumas doenças reumatológicas. A acupuntura pode ser utilizada no tratamento sintomático (alívio da dor, ardência, redução da secreção), e atua no processo inflamatório, bem como no fraco estímulo lacrimal em qualquer situação clínica. O uso da agulha induz alterações em todos os tecidos próximos, melhorando suas funções por meio de uma vasodilatação local. A liberação da endorfina tem efeito analgésico de curto prazo, enquanto outros pontos ativam efeitos anti-inflamatórios por meio do estímulo de neurotransmissores” – Hong Jin Pai, médico especializado em acupuntura e atua no Centro de Dor do Departamento de Neurologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HC-FMUSP).

 

“No caso da homeopatia, o tratamento não se direciona à destruição do vírus ou da bactéria, embora os cuidados higiênicos sejam idênticas à terapia convencional. A abordagem visa sempre cuidar do paciente de forma integral. Assim, a seleção do medicamento atenderá a esse princípio e serão selecionados por meio da pesquisa da causa, sensações e modalidade das queixas. O objetivo da homeopatia não é somente tratar a conjuntivite, mas atingir a causa subjacente e a susceptibilidade individual. Os remédios comumente utilizados são a Pulsatilla, o Argentumnitricum, a Belladona ou o Sulphur. Fica evidente que não é necessário saber que tipo de conjuntivite se trata, ou o tipo da vermelhidão ocular, pois serão as características de cada medicamento homeopático que indicarão o melhor tratamento, para os sintomas do paciente, independentemente de seu diagnóstico em especial” – Lech Michal Szymanski, médico especialista em oftalmologia e ex-presidente do Departamento de Homeopatia da Associação Paulista de Homeopatia (APH)

A acupuntura pode ser utilizada no tratamento sintomático (alívio da dor, ardência, redução da secreção), e atua no processo inflamatório, bem como no fraco estímulo lacrimal em qualquer situação clínica. O uso da agulha induz alterações em todos os tecidos próximos, melhorando suas funções por meio de uma vasodilatação local. A liberação da endorfina tem efeito analgésico de curto prazo, enquanto outros pontos ativam efeitos anti-inflamatórios por meio do estímulo de neurotransmissores


Sobre a conjuntivite alérgica

A conjuntivite alérgica é comum na época da primavera por causa da maior quantidade de pólen no ar. O tempo mais seco também aumenta a quantidade de pó e ácaros do ar, que não só podem desenvolver a conjuntivite alérgica como também outras reações alérgicas como a rinite.

Uma vez que não acomete a córnea, é considerada benigna. O alérgeno mais comum envolvido nesses casos de conjuntivite é o pólen.

 


Sintomas da conjuntivite alérgica

 

 

  • Coceira e dor nos olhos
  • Aumento da secreção dos olhos/lacrimejar constante
  • Sensação de areia nos olhos
  • Hipersensibilidade à luz
  • A porção branca dos olhos pode tornar-se vermelha.

 


Prevenção e medidas para melhorar da conjuntivite alérgica

 

 

  • Evitar o acúmulo de pó, em cortinas, carpetes, bichos de pelúcia
  • Varrer a casa com auxílio de pano úmido, para não levantar a poeira, entre outras medidas preventivas
  • Não coçar o olho é mandatório
  • Fazer compressas geladas que aliviam muito os sintomas alérgicos.