CENTRO DE TRATAMENTO DE DOR: Dor, Acupuntura Médica, Ondas de Choque, Fisiatria e Fisioterapia.

Alimentação na fibromialgia: 8 dicas para alívio dos sintomas

A alimentação pode produzir uma série de benefícios para os pacientes que sofrem com fibromialgia. 

De acordo com a nutricionista Hellin dos Santos, pós-graduada em Nutrição Clínica e mestre em Alimentação e Nutrição pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), “a alimentação pode estar relacionada direta ou indiretamente aos sintomas da fibromialgia.”

Ela continua explicando que, “a deficiência de alguns micronutrientes (vitamina B12, magnésio e selênio, por exemplo) pode gerar fadiga, irritabilidade, que são sintomas da condição, mas que também podem atingir a população em geral. O excesso de peso e obesidade também podem contribuir com a má qualidade do sono, outro sintoma bem clássico”.

Ainda são escassos os estudos sobre a terapia nutricional e o consumo de nutrientes específicos para a fibromialgia, até pela pouca compreensão a respeito da própria doença. 

Porém, não há dúvidas de que a alimentação pode ser aliada independente da manifestação clínica de saúde, e na fibromialgia, mais especificamente, ao que tudo indica, os benefícios têm relação com tornar a resposta inflamatória do corpo mais eficiente. 

Os efeitos resultam da modulação adequada de nutrientes e compostos bioativos oxidantes a partir do cardápio alimentar. Além disso, a prevenção contra excessos de macronutrientes e a inserção de micronutrientes em quantidades corretas faz com que o organismo como um todo desempenhe melhor suas atividades, principalmente neurológicas e musculares. 

Para compreender melhor esta condição, clique aqui e descubra o que é, quais são os sintomas e causas, e qual o tratamento indicado. 

Neste artigo, compartilharemos mais sobre a influência da alimentação na fibromialgia, especialmente sobre quais alimentos você deve incluir ou retirar da sua dieta. Acompanhe. 

alimentação na fibromialgia

1 – Mantenha uma dieta equilibrada

Uma dieta equilibrada é recomendada para toda pessoa que deseja uma vida mais saudável, o que está também diretamente relacionado à sua qualidade de vida. 

Se você deseja manter uma alimentação mais saudável deve, basicamente, incluir frutas, vegetais frescos, grãos integrais e gorduras boas aos seus hábitos alimentares, reduzindo o consumo excessivo de açúcares e gorduras saturadas.

Veja o que o paciente com fibromialgia deve incluir e o que é recomendado retirar da dieta. 

Bons alimentos para fibromialgia 

  • Banana: é uma fruta rica em magnésio, um mineral importante para o relaxamento muscular. Além disso, a fruta contribui para a manutenção dos tecidos de todo o corpo. 
  • Milho: também é fonte de magnésio, mas fornece ainda vitamina A e vitaminas do complexo B, ferro e substâncias que dão energia, sendo útil para combater o cansaço excessivo causado pela doença. 
  • Repolho: o repolho é rico em compostos sulfurados, essenciais para o metabolismos de toxinas, assim, mantêm a limpeza das células e ajuda no controle de inflamações. 
  • Gengibre: inibe a formação de substâncias inflamatórias responsáveis pelo aumento da dor no corpo. 
  • Alface: o vegetal é rico em vitaminas A, C e do complexo B, além de potássio, fósforo, magnésio e cálcio, auxiliando na regulação do intestino. 
  • Oleaginosas: são fontes de vitamina E, por isso servem como anti-inflamatórios e ajudam a combater as dores. 
  • Peixes: possuem magnésio e cálcio, por isso são importantes relaxantes musculares naturais. 
  • Frutas vermelhas: tem em sua composição flavonoides e carotenoides, que podem ajudar no combate da dor da fibromialgia. 

O que evitar 

Quando consumidos em excesso, os alimentos abaixo podem comprometer a saúde do paciente: 

  • Ricos em oxalatos, como espinafres, acelga ou beterraba.
  • Ricos em purinas, como vísceras, carnes vermelhas e mariscos.
  • Ricos em gorduras saturadas, como carnes vermelhas gordas, produtos de charcutaria e de salsicharia, manteiga e lacticínios gordos.
  • Alimentos vegetais da família das solanáceas, como tomate, batata e berinjela.
  • Álcool, café, chá, açúcares e sal.

2 – Prefira alimentos que dão energia

Ao pensar em sua dieta com a finalidade de produzir benefício em relação à fibromialgia, não se esqueça de incluir alimentos que dão energia ao corpo. Isso é importante por causa do constante cansaço e desgaste provocado pela doença. 

Certos alimentos podem melhorar a sua disposição, afetando positivamente a sua qualidade de vida. 

Veja abaixo alguns exemplos: 

  • Amêndoas e outras nozes e sementes
  • Brócolis
  • Feijões (feijão, lentilha, grão-de-bico, ervilha)
  • Tofu
  • Aveia
  • Folhas verdes escuras
  • Abacate
  • Açafrão
  • Quinoa
  • Azeite
  • Canela

Além disso, evite ingerir alimentos que causem um rápido aumento de glicose no sangue seguido de uma brusca queda. Ao invés disso, dê preferência a refeições que combinem proteínas com gorduras ou carboidratos, tornando o processo de digestão mais lento.

3 – Uma dieta predominantemente vegetariana pode ajudar

A influência da alimentação na fibromialgia ainda esta sendo estudada, contudo, alguns estudos demonstraram vantagens significativas em manter uma dieta vegetariana ou vegana. 

Ou seja, há evidências de que alimentos ricos em proteínas vegetal são melhores para os pacientes com a doença do que aqueles ricos em proteína animal. 

De acordo com um estudo em Medicina Alternativa e Complementar, as pessoas que seguem uma dieta vegetariana, principalmente crua, sentem menos dor.

4 – Evite laticínios

Muitos dos produtos lácteos contêm gordura saturada e esse é o principal motivo da recomendação de evita-los. Optar por outras alternativas, como o leite de soja, pode ajudar a aliviar os sintomas da condição.

5 – Sensibilidade ao glúten

De acordo com uma pesquisa publicada pelo BMC Gastroenterology, uma dieta livre de glúten pode levar a melhora do quadro apresentado por mulheres diagnosticadas com fibromialgia. 

Embora não se tenha tanta clareza a respeito da síndrome e suas causas, o estudo sugere que o processo inflamatório causado pelo glúten no trato intestinal possa ter relação tanto com o desenvolvimento da doença como com o aumento da sensibilidade do sistema nervoso central, responsável pela dor. 

Portanto, evite estes alimentos: 

  • Pão, torrada, bolacha, biscoito, bolos, macarrão, croissant, donuts, tortilla de trigo;
  • Pizza, salgadinhos, hambúrguer, cachorro quente;
  • Salsicha e outros embutidos;
  • Cerveja;
  • Gérmen de trigo, cuscuz, triguilho, bulgur, sêmola de trigo;
  • Alguns queijos;
  • Molhos como, ketchup, molho branco, maionese, shoyu e outros molhos industrializados;
  • Levedura de cerveja;
  • Temperos prontos e sopas desidratadas;
  • Cereais e barrinha de cereais;
  • Suplementos nutricionais.

6 – Excitotoxinas

As excitoxinas são um exemplo de aditivos alimentares que podem agravar os sintomas da fibromialgia. Como exemplos, podemos citar o glutamato monossódico e o aspartame, um intensificador de sabor e um adoçante artificial, respectivamente.

Ambas as substâncias foram estudadas em uma pesquisa publicada pela revista Pain Management, que demonstrou uma redução de 30% dos sintomas com a retirada dos aditivos da dieta. Além disso, os sintomas retornaram quando começaram a consumir esses aditivos novamente.

7 – Consuma alimentos anti-inflamatórios

Como pudemos perceber ao falar sobre alimentação saudável logo no início deste artigo, os alimentos anti-inflamatórios são aliados quando o assunto é fibromialgia. Eles são úteis ainda no alívio dos mais diversos tipos de dores crônicas. 

Não se trata de um plano alimentar específico, mas sim de fazer escolhas adequadas. Veja abaixo os alimentos campeões no combate a inflamação segundo estudo realizado no laboratório da Universidade Federal de Santa Maria, no Rio Grande do Sul:

Frutas

– Uva

– Abacate

– Limão

– Maçã

– Abacaxi

– Coco

– Manga

– Caju

– Açaí

– Guaraná

Temperos

– Alho

– Gengibre

– Pimenta vermelha

– Alecrim

– Açafrão-da-terra

– Sálvia

– Orégano

– Cravo

– Canela

– Louro

Verduras e legumes

– Brócolis

– Pimentão vermelho 

– Cebola

– Tomate

– Abóbora

– Beterraba

– Espinafre

– Rúcula

– Batata doce roxa

– Manjericão

Cereais

– Lentilha

– Ervilha

– Feijão

– Aveia

– Cevada

– Centeio

– Cereais de milho

– Amendoim

– Arroz – o preto, o vermelho e o integral

– Soja

8 – Evite os FODMAPs

Os FODMAPs são alimentos que contêm frutose, lactose, fructo e galacto-oligossacarídeos e álcoois de açúcar.

Por ser mal absorvido pelo intestino delgado, esse grupo de alimentos é altamente fermentado por bactérias presentes na flora intestinal, além de se tratar de moléculas osmoticamente ativas, levando à má digestão, excesso de gases e diarreia.

Cerca de 70% dos pacientes com fibromialgia apresentam sintomas das doenças inflamatórias intestinais como os citados, por isso, uma dieta pobre em FODMAPs pode melhorar a qualidade de vida dessas pessoas.

2 4

Dr. Marcus Yu Bin Pai

CRM-SP: 158074 / RQE: 65523 - 65524 | Médico especialista em Fisiatria e Acupuntura. Área de Atuação em Dor pela AMB. Doutorado em Ciências pela USP. Pesquisador e Colaborador do Grupo de Dor do Departamento de Neurologia do HC-FMUSP. Diretor de Marketing do Colégio Médico de Acupuntura do Estado de São Paulo (CMAeSP). Integrante da Câmara Técnica de Acupuntura do Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (CREMESP). Secretário do Comitê de Acupuntura da Sociedade Brasileira para Estudo da Dor (SBED). Presidente do Comitê de Acupuntura da Sociedade Brasileira de Regeneração Tecidual (SBRET). Professor convidado do Curso de Pós-Graduação em Dor da Universidade de São Paulo (USP). Membro do Conselho Revisor - Medicina Física e Reabilitação da Journal of the Brazilian Medical Association (AMB).  

Deixe o seu comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Artigos relacionados

Send this to a friend