CENTRO DE TRATAMENTO DE DOR: Dor, Acupuntura Médica, Ondas de Choque, Fisiatria e Fisioterapia.

Dor crônica: O que é Neuropatia Diabética?

Neuropatia diabética é uma doença que afeta os nervos periféricos do corpo.

Os danos ocorrem especificamente nos nervos dos gânglios, fora do o crânio, a medula espinhal, e alguns outros nervos que ajudam o corpo na assistência a órgãos fundamentais, tais como o coração, bexiga, intestino e estômago.

Pode resultar em dor crônica incapacitante.

Neuropatia Diabética se refere apenas a indivíduos que sofrem de diabetes

neuropatia diabetica infografico

Diferentes nervos são afetados de diferentes maneiras.  Condições familiares que podem ser associadas com a neuropatia diabética incluem:

 

  • Paralisia do terceiro nervo craniano: Quando o indivíduo não pode mover seu olho normalmente devido a lesão de um nervo craniano.

 

  • Mononeuropatia: Quando apenas um único nervo é afetado – o nervo é fisicamente comprimido, resultando em uma falta de irrigação sanguínea.

 

  • Amiotrofia: dor muscular devido a resíduos e progressivo enfraquecimento dos tecidos musculares.

 

  • Mononeuropatia múltipla: Dor profunda regularmente sentida na parte inferior das costas, quadris ou pernas, resultando em acentuada perda da função sensorial.

 

  • Polineuropatia: Normalmente este distúrbio causa enfraquecimento das mãos e pés, assim como perda de sensibilidade nas áreas afetadas. Alguns pacientes se queixam de uma dor aguda como agulhadas. Este distúrbio ocorre quando muitos nervos em todo o corpo simultaneamente estão machucados. O paciente pode pisar em algo que deve doer, mas não sentir nada.

 

  • Neuropatia autonômica: O nervo visceral é afetado, o que causa impacto sobre o ritmo cardíaco, a digestão, a respiração, salivação, transpiração, vasos sanguíneos, e a excitação sexual. Isto ocorre quando existe um fracasso das artérias do coração para ajustar a frequência cardíaca e tônus vascular para manter o sangue que flui continuamente para o cérebro. Tonturas ou desmaios quando o paciente se levanta rapidamente são comuns.

 

  • Neuropatia motora sensorial: Quando a perda de nervo sensorial afeta a face; em alguns casos podem espalhar-se para os braços superiores.

 

De acordo com estudos recentes, aproximadamente metade de todos os pacientes com diabetes desenvolvem neuropatia diabética. No entanto, os sinais e sintomas podem nem aparecer entre  uma ou duas décadas depois do diagnóstico de diabetes.

A maioria das pessoas  com sintomas  neuropatia diabética nem percebem que foram afetadas até que as complicações sejam severas ou permanentes.

Abaixo há alguns dos sinais e sintomas associados com a neuropatia diabética:

padrao de dor neuropatia diabetica

 

 

  • Dormência, dor aguda, formigamento e sensações de queimadura a partir das extremidades e continuando até as pernas ou braços
  • Azia e inchaço
  • Náuseas, obstipação ou diarreia
  • Problemas de deglutição
  • Sentir-se cheio quando comer pequenas quantidades de comida
  • Vômito após algumas horas de ter comido
  • Hipotensão ortostática (sensação de tontura e vertigem ao levantar)
  • Ritmo cardíaco mais rápido do que o normal
  • Dores no peito, que por vezes podem ser um aviso de um iminente ataque cardíaco
  • Sudorese excessiva, mesmo quando a temperatura está fria ou o indivíduo está em repouso
  • Problemas de bexiga – dificuldade em esvaziar completamente a bexiga quando vai ao banheiro, levando a incontinência
  • Disfunção sexual em homens
  • Problemas sexuais em mulheres como secura vaginal e falta de orgasmos
  • Disestesia – sentido do tato do paciente é distorcida
  • Movimentos significativos das pálpebras e cílios
  • Visão pode ser afetada
  • Fraqueza muscular
  • Comprometimento da fala
  • Contrações musculares.

 

 

Diagnosticando Neuropatia diabética

eletroneuromiografia para polineuropatia diabetica

Se algum dos sintomas e sinais acima forem mencionados, o médico pode recomendar alguns exames antes de dar um diagnóstico. O médico pode solicitar um eletromiograma (EMG) que examina a atividade elétrica nos músculos.

O médico pode também requisitar um Exame de Velocidade de Condução Nervosa (NCV), que analisa a velocidade com que os sinais induzidos passam pelos nervos.

Durante o exame físico o médico irá analisar:

  • Reflexos, como os do joelho e do tornozelo
  • Qualquer perda de sensibilidade nos pés do paciente
  • Alterações na textura da pele
  • Alterações na cor da pele
  • Uma queda repentina na pressão arterial quando o paciente se levanta

Quais são as opções de tratamento para a Neuropatia diabética?

diabetes e polineuropatia tratamento

Ainda  que a causa metabólica da neuropatia diabética  seja bem compreendida e documentada, os tratamentos para o transtorno ainda continuam limitados.  A maioria dos tratamentos descritos abaixo apenas irá ajudar a reduzir a dor e controlar a maioria dos sintomas.

Infelizmente, a neuropatia diabética é normalmente progressiva: os sintomas tendem a piorar com o tempo.

Segundo estudos, o melhor tratamento para a neuropatia diabética é a prevenção, ou seja, ter a diabetes bem controlada. Isso significa manter o índice de glicose no sangue em um nível saudável durante o dia.

A polineuropatia diabética pode ser evitada quando o paciente aprender os passos simples para controlar a diabetes.

Estes são alguns medicamentos e opções de fisioterapia para controlar a dor causada pela neuropatia diabética.

Opções de remédios

  • Medicamentos anticonvulsivantes: alguns anticonvulsivantes (com uso offlabel) estão se tornando comum para evitar as dores causadas pela Neuropatia diabética. Eles  tem efeitos colaterais importantes, como a sedação e o ganho de peso.
  • Os analgésicos clássicos: para aqueles com uma condição de dor crônica debilitante, estas drogas podem oferecer alívio imediato.
  • Antidepressivos tricíclicos: muito eficazes na diminuição da dor, mas uma vez que altas dosagens são necessárias para que sejam eficazes, o indivíduo pode tornar-se viciado.  Paradas cardíacas são comuns quando há  ingestão destas drogas.
  • Inibidores da receptação de noradrenalina: estes são comumente usadas para segmentar sintomas dolorosos da diabetes neuropática. Eles também podem ajudar pacientes depressivos.

 

Consulte seu médico especialista. Ele poderá indicar outros tratamentos, calçados adequados, e um programa de reabilitação e prevenção de lesões.

Fisioterapia

reabilitacao dor femoropatelar

Fisioterapia, em conjunto com os medicamentos, pode ajudar a aliviar a dor, assim reduzir os riscos da dependência dos remédios. Certas terapias podem ajudar a aliviar as dores, sensações de formigamento nas pernas e pés. Além disso, a fisioterapia também pode ajudar os pacientes  com câimbras, fraquezas musculares, e até mesmo disfunções sexuais.

A estimulação elétrica do nervo, que não é dolorosa, pode ajudar aqueles pacientes que estão sofrendo de rigidez. A estimulação elétrica também pode auxiliar na cura das ulceras do pé.

Treino de marcha, que é reaprender a andar, ajuda a prevenir e  a estabilizar as complicações do pé, tais como úlceras. O  treino de marcha também é crucial para o melhor desenvolvimento de indivíduos que perderam membros devido a neuropatia diabética e estão utilizando próteses.

Massagens regulares ou terapias manuais que envolvem alongamento dos músculos realizadas irão inibir contrações musculares, espasmos e atrofia por má circulação. Alongamento muscular com exercícios específicos, como natação ou até mesmo exercícios aeróbicos irão ajudar a manter o músculo alongado e reduzir a perda de massa muscular.

Um bom fisioterapeuta irá certificar-se que os exercícios  dados aos pacientes com polineuropatia diabética não machuquem  os pés, que estão geralmente sensíveis.

Ultrassom terapêutico é um método de estimular o tecido debaixo da superfície da pele usando ondas sonoras de frequência muito altas que podem ajudar alguns pacientes a recuperarem a sensibilidade em seus pés.

 

Complicações ligadas a Neuropatia diabética

Alguns efeitos colaterais ou complicações podem ocorrer durante o tratamento da diabete neuropática.

Pacientes devem estar cientes das seguintes complicações:

  • Falta de sensação nos pés significa que há um risco muito maior de infecção, que pode crescer de forma incontrolável. Em alguns casos, os pacientes podem precisar de amputações.
  • Infecções da bexiga e nos rins.
  • Lesões musculares ou diminuição da massa (hipotrofia muscular).
  • Náuseas e vômitos frequentes irão resultar em um controle pobre de açúcar no sangue

Dr. Marcus Yu Bin Pai

CRM-SP: 158074 / RQE: 65523 - 65524 | Médico especialista em Fisiatria e Acupuntura. Área de Atuação em Dor pela AMB. Doutorado em Ciências pela USP. Pesquisador e Colaborador do Grupo de Dor do Departamento de Neurologia do HC-FMUSP. Diretor de Marketing do Colégio Médico de Acupuntura do Estado de São Paulo (CMAeSP). Integrante da Câmara Técnica de Acupuntura do Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (CREMESP). Secretário do Comitê de Acupuntura da Sociedade Brasileira para Estudo da Dor (SBED). Presidente do Comitê de Acupuntura da Sociedade Brasileira de Regeneração Tecidual (SBRET). Professor convidado do Curso de Pós-Graduação em Dor da Universidade de São Paulo (USP). Membro do Conselho Revisor - Medicina Física e Reabilitação da Journal of the Brazilian Medical Association (AMB).  

1 Comente

Deixe o seu comentário.

Deixe o seu comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Send this to a friend