AVISO - COVID-19: Estamos com atendimento segunda/terça/quinta/sexta/sábado. Maiores informações, entrar em contato via WhatsApp

O que é Neuralgia do trigêmeo? O que causa a Neuralgia do trigêmeo?

Neuralgia do Trigêmeo, também conhecida como tique doloroso ou nevralgia do trigêmeo, é um transtorno  que provoca eletrochoques  abruptos e lancinante como as dores faciais. Normalmente a dor envolve  a parte inferior da face e a mandíbula, mas os sintomas podem aparecer próximos ao nariz, ouvidos, olhos ou lábios. Muitos especialistas afirmam que a Neuralgia do Trigêmeo é uma das dores mais insuportáveis para um ser humano.

Infográfico sobre a Neuralgia do Trigêmeo

Introdução

Neuralgia é a dor severa ao longo do percurso do nervo. A dor ocorre por que uma mudança na estrutura ou função neurológica devido a alguma irritação ou machucado no nervo.

Estima-se que aproximadamente, 1 em cada 15,000 pessoas  sofram de  Nevralgia do Trigêmeo. Cerca de 45,000 pessoas sofrem de Nevralgia do Trigêmeo nos Estados Unidos.  É  sabido que a doença afeta cerca de  um milhão de pessoas no mundo.

Dois tipos principais de dor, nociceptiva e não nociceptiva

Um exemplo de dor nociceptiva é quando algo muito quente toca a pele e receptores específicos de dor sentem o calor.  Dor nociceptiva é quando os receptores de dor sentem a temperatura, vibração, alongamento e químicos sendo liberados das células danificadas.

A dor não Nociceptiva, ou dor neuropática, vem de dentro dos nervos do próprio sistema.   Este tipo de dor não é relacionada a ativação das células receptoras de dor em qualquer parte do corpo. As pessoas geralmente se referem a isso como nervo comprimido, ou nervo preso. O próprio nervo está mandando mensagens de dor por que o nervo está danificado ou irritado. Pessoas com Nevralgia têm dores neuropáticas, que significa a mesma coisa que dor não nociceptiva.

As pessoas com neuralgia descrevem esta dor como uma queima intensa ou dor aguda, que muitas vezes é sentida como um choque ou tiro ao longo do curso do nervo afetado. Existem dois tipos de neuralgia mais conhecidas – A neuralgia do trigêmeo e a neuralgia pós-herpética. Este artigo falará sobre Neuralgia do trigêmeo.

Descrição da Neuralgia do Trigêmeo, também conhecida como Tique doloroso

A Nevralgia do trigêmeo é duas vezes mais comum em mulheres do que em homens

Há uma súbita dor dos nervos da face. Os pacientes normalmente descrevem a dor facial como uma facada, tiro ou choque elétrico. A crise pode durar alguns minutos. 97% dos pacientes experimentam dor apenas de um lado da face, enquanto que 3% são afetados em ambos os lados.

A Nevralgia do trigêmeo é duas vezes mais comum em mulheres do que em homens. É extremamente raro pessoas abaixo dos 40 serem afetadas e se torna mais comum quando as pessoas vão ficando mais velhas. A neuralgia do trigêmeo é uma condição de longo prazo – uma doença crônica que geralmente vai piorando gradualmente.

O que causa a Neuralgia do Trigêmeo

A face humana tem dois nervos trigeminais, um em cada lado. Cada nervo se divide em três ramos que transmitem sensações de dor e tato da face, boca e dentes para o cérebro. Acredita-se que a maioria dos casos de neuralgia trigeminal seja causada por vasos sanguíneos prementes na raiz do nervo trigêmeo.

Isto é dito para fazer os sinais de transmissão de dor que são nervo experimentados como as pontadas de neuralgia trigeminal. No entanto, os especialistas não estão completamente certos da causa. A pressão sobre o nervo trigeminal pode também ser causada por um tumor ou esclerose múltipla.

Abaixo uma lista das causas, conhecidas ou suspeitas, da Neuralgia do Trigêmeo

  • Um vaso sanguíneo pressionado contra a raiz do nervo trigeminal .
  • Esclerose múltipla – devido à desmielinização do nervo. A neuralgia do trigêmeo normalmente aparece nos estágios avançado da esclerose múltipla.
  • Pressão de tumor contra o nervo trigêmeo. Esta é uma causa rara.
  • Os danos físicos ao nervo – o que pode ser o resultado de lesão, um procedimento odontológico ou cirúrgico, ou infecção.
  • Histórico familiar (genes, herdados) – 4,1% dos pacientes com neuralgia trigeminal unilateral (afeta apenas um lado da face) e 17% daqueles com trigeminal bilateral neuralgia (afeta ambos os lados da face) têm parentes com o transtorno. Em comparação com um 1 em 15.000 de risco na população em geral, 4,1% e 17% indicam que a herança é provavelmente um fator.

Quais são os sintomas da Neuralgia do Trigêmeo

Normalmente o paciente apresenta um ou mais dos seguintes sintomas:

  • Pontadas intermitentes de dor leve.
  • Episódios graves de dor lancinante, como um tiro, que os pacientes afirmam sentir como um choque elétrico.
  • Ataques repentinos de dor, que são acionados por tocar o rosto, mastigar, falar ou escovar os dentes.
  • Espasmos de dor que duram de alguns segundos a alguns minutos.
  • Os episódios de ataques de aglomeração que podem durar dias, semanas, meses, e em alguns casos, mais tempo. Pode haver períodos sem qualquer dor.
  • Dor onde quer que o nervo trigêmeo e seus ramos alcancem, incluindo a testa, olhos, lábios, gengivas, dentes, mandíbula e bochecha.
  • Dor que afeta um lado da face.
  • Dor em ambos os lados da face (muito menos comum).
  • Dor que está focada em um ponto ou se espalha em um padrão mais amplo.
  • Ataques de dor que ocorrem mais regularmente e intensamente com o tempo.
  • Formigamento ou dormência na face antes da dor se desenvolver. Alguns pacientes podem apresentar crises de dor regularmente durante dias, semanas ou meses. Ataques de dor podem ocorrer centenas de vezes por dia em casos graves. Alguns pacientes podem ter períodos sem quaisquer sintomas que duram meses ou mesmo anos.

Alguns pacientes terão pontos específicos na face que, se tocados, podem acionar ataques de dor.  Não é incomum para muitos pacientes evitarem atividades que acionem a dor como comer, escovar os dentes, se barbear e até mesmo falar.

Área da dor

A área da dor pode ser dividida em três ramos do nervo trigêmeo. Na medicina nervo trigêmeo é conhecido como o quinto nervo craniano.  Normalmente é o utilizado o número romano V para representar este nervo.  A seguir estão os três ramos quebrados. – ‘V’ refere-se ao nervo trigêmeo:

V1, oftálmica – Primeiro ramo do nervo trigêmeo. Afeta a testa, nariz e olhos.

V2, maxilar – Segundo ramo do nervo trigêmeo. Afeta a pálpebra inferior, lateral do nariz, bochecha, gengiva, lábios e dentes superiores.

V3, mandibular – Terceiro ramo do nervo trigêmeo. Afeta a mandíbula, dentes inferiores, gengiva e lábio inferior.

Algumas pessoas com nevralgia do trigêmeo podem ter apenas um ramo afetado, enquanto outros são afetados por mais ramos.

A dor sentida pelas pessoas com Nevralgia do Trigêmeo típica difere das pessoas com  Nevralgia do Trigêmeo atípica.

Dor da Nevralgia do Trigêmeo Típica (Dor facial Típica)

A dor é extremamente aguda, latejante e parecida com um choque elétrico.

Não há fraqueza facial ou dormência.

Dor da Nevralgia do Trigêmeo Atípica (Dor facial  Atípica)

A dor facial é comumente descrita como queimação, dor ou cólicas.

Assim como a dor extremamente aguda, latejante e como um choque elétrico, pacientes podem sofrer outros tipos de dores. A condição desses pacientes não possui apenas os sintomas característicos da doença clássica.  A dor facial é comumente descrita como queimação, dor ou cólicas.

A dor pode ocorrer em um lado da face, ocorrendo normalmente na região do nervo trigeminal e pode se estender da parte superior do pescoço ou em volta do couro cabeludo. A dor pode variar em intensidade de leve a uma sensação de esmagamento ou ardor.

É muito mais difícil diagnosticar pacientes com Nevralgia do Trigêmeo Atípica.

Como é diagnosticada a Neuralgia do Trigêmeo

Se o médico acreditar que os sintomas indicam neuralgia do trigêmeo, o paciente será examinado com mais cuidado para determinar exatamente quais as partes estão afetadas. O médico também irá tentar eliminar outras condições que, por vezes, têm sintomas semelhantes, tais como a cárie dentária, um tumor, ou sinusite.

RNM (ressonância magnética) – este dispositivo utiliza um campo de rádio e ondas magnéticas para criar imagens de dentro do cérebro do paciente e do nervo trigêmeo – Este exame pode ajudar o médico a determinar se a nevralgia é causada por outra condição, tal como esclerose múltipla ou um tumor. A menos que a cause seja um tumor ou a esclerose múltipla, a RM raramente revela porque o nervo está sendo irritado. É muito difícil ver o vaso sanguíneo ao lado da raiz do nervo, mesmo com uma ressonância magnética de alta qualidade.

Qual é o tratamento para a Nevralgia do trigêmeo

Raramente a cirurgia é necessária.

Os medicamentos são normalmente o primeiro tratamento para a doença e a maioria dos pacientes respondem bem e não requerem cirurgia subsequente.

No entanto, alguns podem achar que o seus medicamentos se tornaram menos eficazes ao longo do tempo, ou eles experimentam efeitos colaterais indesejáveis. Nesse caso, as injeções e/ou cirurgias  podem ser necessárias.

Medicação

O medicamento mais comumente utilizado para a neuralgia do trigêmeo é a classe de anticonvulsivantes. Estes medicamentos diminuem ou bloqueiam os sinais de dor enviados para o cérebro.

Os anticonvulsivantes – analgésicos normais, tais como Tylenol (Paracetamol) não aliviam a dor da Nevralgia do Trigêmeo, por isso os médicos prescrevem medicação anticonvulsivante. Embora estes medicamentos sejam utilizados para prevenir convulsões (epilepsia), eles são eficazes em acalmar impulsos nervosos, o que ajuda as pessoas com nevralgia.

Os anticonvulsivantes mais comumente utilizados para a nevralgia do trigêmeo são carbamazepina, fenitoína e oxcarbazepina. Os médicos às vezes prescrevem lamotrigina ou gabapentina.

Às vezes, os anticonvulsivantes começam a perder a eficácia com o tempo. Caso isso ocorra, o médico pode ou aumentar a dosagem ou trocar para outro anticonvulsivante.

Efeitos colaterais dos anticonvulsivantes incluem:

  • Tontura
  • Confusão
  • Sonolência
  • Problemas de visão
  • Náuseas e vômitos
  • Pensamentos suicidas – Alguns estudos indicam que os anticonvulsivantes, em alguns casos, podem estar ligados a pensamentos suicidas. Paciente e médico devem monitorar o humor de perto.
  • Alergia a carbamazepina – alguns pacientes, especialmente aqueles com ascendência asiática, podem ter uma reação medicamentosa grave à carbamazepina. O teste genético pode ser recomendado antes do paciente começar a utilizar o remédio.[/su_note]

Outros tratamentos

  • Agentes anti espasticidade – Baclofen é um relaxante muscular que é por vezes prescrito sozinho ou juntamente com carbamazepina ou fenitoína. Alguns dos pacientes podem sentir náuseas, sonolência e confusão como efeitos colaterais.

Injeção de álcool – Entorpece as áreas afetadas e proporciona alívio temporário da dor. O médico Introduz álcool na parte da face onde o ramo do nervo trigêmeo está causando a dor. Como o alivio é apenas temporário, o paciente poderá precisar de mais injeções ou uma mudança de tratamento mais tarde.

Cirurgia para a Nevralgia do trigêmeo

As cirurgias do nervo trigêmeo possuem dois objetivos:

  1. Parar uma veia ou artéria que está pressionada contra o nervo trigêmeo.
  2. Danificar o nervo trigeminal de modo que os sinais de dores descontroladas (aleatória, caótica) parem.

Cirurgia que danifica o nervo pode causar dormência facial temporária ou mesmo permanente.

Em muitos casos, a cirurgia ajuda, mas os sintomas podem retornar meses ou até mesmo anos depois.

Prevenção

Não há orientações para a prevenção do desenvolvimento da neuralgia do trigêmeo.

No entanto, os seguintes passos podem ajudar a prevenir ataques:

  • Coma alimentos moles.
  • Certifique-se de suas bebidas e alimentos não estejam muito frios ou quentes quando você for consumi-los.
  • Lave o rosto com água morna (temperatura corporal).
  • Use chumaços de algodão quando lavar o rosto.
  • Lave a boca com água morna depois de comer se a escovação desencadeia um ataque
  • Evitar gatilhos da dor conhecidos, tanto quanto possível.

 

11 Comentários

Deixe o seu comentário.
  • Quero agradecer muito por essas orientações. Estou sofrendo desse tipo de mal; estas explicações foram de muita utilidade para mim. Espero que outros possam lê-las, para não ficar padecendo tanto, e confundindo essas dores com dores de sinusite ou renite. Com certeza, esses males acionam gatilhos para a dor do trigêmeos, mas, se não cuidarmos dele, parece que a sinusite ou a renite se agravam. Obrigado. Que o Senhor do Saber ilumine os cientistas para se aprofundarem mais nesse assunto, para o bem da humanidade sofredora.

  • Maria das Graças Mendes da S ilva

    Descobri essa semana que tenho síndrome do trigêmeo,desde de adolescente que tenho dor de cabeça,mas sempre fui medicada como uma cefaléia,sinusite,enxaqueca,porem essas ultimas semanas a dor ficou insuportável,estava eu dia sim e dia não nos hospitais realizavam um coquetel e me liberavam ,até que uma médica plantonista me orientou a procurar um Neurocirurgião,pediu para que eu conversasse e falasse detalhadamente como era a dor,então em consulta relatei que já não suportava mais viver com dor e que dipirona,paracetamol,nimesulida,,tramal e tantos outro não estava mais resolvendo foi então que descobri que tenho essa síndrome do trigêmeo,hoje além da dor ela queima,é como se eu tivesse com uma parte dentro da minha cabeça sofrendo uma compressão,estou medicada e aguardando o dia do exame que irei realizar,mas ter que fazer uso de anticonvulsivantes não é legal ainda mais todos os dias.

  • muito bom o artigo.
    a dor é descrita de modo impressionantemente assertivo: é exatamente assim.
    tempos, recorrência, tudo, também.
    parabéns pela síntese perfeita.
    abs

  • Boa tarde,
    Em 2010 eu fui diagnosticado com insônia e na polissonografia acusou: bruxismo, briquismo e síndrome das pernas inquietas.Deste ano em diante, estou tomando medicamentos hipnóticos para me ajudar a dormir.
    Em 2012 eu tive os primeiros sintomas da Neuralgia do Trigêmeo e o diagnóstico foi de causa idiopática. Fiz tratamento com Tegretol CR, mas infelizmente a dor não amenizou e fui submetido a uma cirurgia com o balão, no final de 2016 os sintomas voltaram e estou tomando Tegretol novamente para controlar.
    Gostaria de saber se existe algum estudo que fale da relação entre: a neuralgia do Trigêmeo, stress e medicamentos para tratar insônia?
    Desde já, eu agradeço a atenção.
    Salomão Soares

    • – Olá, Salomão Soares…
      Creio que já tenha tal resposta, mas vou dar minha opinião…
      Já adianto que não sou profissional na área da saúde…
      Enfim…
      O estresse faz aumentar os batimentos cardíacos, bombeando com mais força e velocidade, o sangue…
      Se a pessoa estiver com as veias/ artérias da cabeça sensíveis, inflamadas…
      Logo isso vai incomodar, provocando dor…
      Então, creio que o estresse e tal problema citado posem ser ligados de alguma maneira…
      O medicamento p/ tratar insônia, tente à nos deixar mais calmos (os batimentos diminuem), relaxando mais a musculatura e os vasos do local afetado…
      Essa é a minha linha de pensamento…
      Não sei se está correta…
      Valeu! Saúde!

  • insuficiencia renal causa neralgia do trigemeo porque

  • Boa noite!
    Aqui estou eu, em fevereiro de 2018 as 02:27 sofrendo com espasmos dessa terrível dor. Eu vim pesquisar pq nao aguento mais tomar nimisulida ou dipirora, ou ainda Amato para enxaqueca e a dor só progredi. Tenho enxaqueca, diagnosticado por um neuro, mas também sinto essa dor insuportável há anos, sendo qie começou somente na gengiva e agora do lado direito do rosto todo, da cabeça ao maxilar… e parece que quando deito, a dor piora… tá insuportável… e pra completar estou numa viagem de férias, mas amanha eatou indo pra casa procurar dentista e neuro urgente!! To sentindo muito mal e nao consigo dormir…

  • Gostaria de saber por que ao deitar a dor intensifica?

  • He ledo los comentarios de los lectores, realmente siento que el tema esta bien explicado y felicito a Dr. Hong y sus Asociados por su difusiòn, pero como Odontologo me preocupa “la poca importancia” (por no ser comentada en rel escrito) que le dan a la articulaciòn temporomandibular (ATM) y a la degluciòn como posibles causantes de esta neuralgia.

  • Tenho uma dor muito intensa atrás do olho esquerdo,que se desencadeia com troca brusca de temperatura(quente pro frio). Já fiz tomografia e não apareceu nada. Faz anos que sinto essa dor.Poderia ser neuralgia do trigêmeo?

Deixe o seu comentário

Send this to a friend