AVISO: Retornaremos o atendimento parcialmente a partir de 07/04. Para maiores informações, favor entrar em contato via WhatsApp

Qualidade de vida na terceira idade

A terceira idade é uma fase da vida que, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), inicia-se a partir dos 60 anos de idade em países em desenvolvimento e a partir dos 65 anos de idade em países desenvolvidos. Terceira idade é um termo criado por um gerontologista de origem francesa chamado Huet. É uma fase caracterizada por transformações físicas, psicológicas, emocionais e sociais.

A população mundial está envelhecendo e isso é fato. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), até o ano de 2017 a população idosa no Brasil representava um pouco mais de 13% da população total, sendo que o número de pessoas acima de 60 anos deve atingir mais de 25% da população brasileira até o ano de 2060. Isso significa que será mais de 58 milhões de pessoas com mais de 60 anos e já a partir de 2030, o número de crianças brasileiras superará o total de idosos. A média de pessoas que entram na terceira idade no Brasil, por ano, é de quase 1 milhão.

O crescente aumento do número da população mais velha é reflexos de alguns fatores como melhores condições de vida, bem como pela redução da participação das mulheres na fecundidade em todas as regiões do país.

À medida que a expectativa de vida aumenta, surgem também outras preocupações com o grupo populacional da terceira idade, visto que essa é uma fase com maior prevalência de problemas de saúde, dependência de outras pessoas, redução da capacidade produtiva, falta de trabalho, entre outros aspectos. Porém, embora existam essas situações, é possível que os idosos vivam com qualidade.

Por isso, veremos ao longo deste artigo o que deve ser feito para ter qualidade de vida na terceira idade.

 

Como ter qualidade de vida na terceira idade

Infelizmente, o que muitas pessoas pensam da terceira idade é que esta é uma fase onde as pessoas apenas se aposentam e vivem sozinhos ou rodeado de doenças. Porém, apesar das transformações físicas, psicológicas e sociais inevitáveis desse momento da vida, é possível que o idoso viva bem, com saúde e com qualidade de vida.

A qualidade de vida de uma pessoa deve estar presente desde o início até o fim de sua via e, na velhice, está ligada não somente com a saúde física, mas com todos os aspectos que envolvem a vida como a saúde física e mental, hábitos de vida saudáveis, convívio social, rotina de trabalho saudável, momentos de lazer, condições de moradia, autonomia, entre outros.

Segundo a Sociedade Brasileira de Gerontologia (SBGG), a qualidade de vida na terceira idade é um desafio para as próximas décadas, pois é preciso conciliar a expectativa de vida com o bem-estar, ou seja, não adianta o idoso apenas viver mais, mas é preciso aliar a sobrevida maior com uma boa qualidade de vida.

O primeiro passo para garantir uma vida com mais qualidade para essas pessoas é fazer com que se sintam bem psicológica e emocionalmente frente às mudanças que passam que, para muitos, não é algo fácil. Diante dessas mudanças, muitos idosos acabam sofrendo um impacto psicológico que podem gerar consequências negativas como isolamento social, tristeza, ansiedade e até depressão.

Com isso, o ponto chave para ter mais qualidade de vida na terceira idade é adaptar-se a essa nova realidade cheia de transformações próprias do envelhecimento. A partir daí, é possível inserir novos hábitos de vida saudáveis que ajudarão essas pessoas a viverem essa fase não somente com mais longevidade, mas com saúde, bem-estar e qualidade garantindo, assim, a felicidade, a satisfação e o prazer de viver.

Várias pesquisas que relacionam longevidade com satisfação e prazer de viver já foram realizadas e mostraram que pessoas mais satisfeitas com a vida vivem mais. Além disso, idosos que são felizes e que gostam e aproveitam melhor a vida, têm a tendência de viverem mais e com melhores condições físicas e mostram declínios mais lentos na capacidade física comparados às pessoas que são infelizes. Em virtude disso, é necessário que os idosos vivam bem e sentindo prazer em viver a fim de aliar a longevidade com qualidade de vida e felicidade.

 

envelhecimento idoso bem sucedido com acupuntura

 

Alguns hábitos de vida já podem até fazer parte da vida do idoso, outros talvez não. Por isso, é importante que ele faça as adaptações necessárias e insira todos os hábitos indicados para uma qualidade de vida na terceira idade que ainda não são realidade na sua vida. Listamos os principais abaixo:

 

  1. Hábitos de vida saudáveis

Os principais hábitos saudáveis que a população idosa deve seguir são os seguintes:

1.1 Alimentação saudável

Ter uma alimentação saudável e balanceada na terceira idade é fundamental para a manutenção da saúde e da qualidade de vida nessa fase final da vida.

Por isso, é importante seguir uma alimentação saudável rica em alimentos nas versões naturais, integrais e magros e que seja fonte de nutrientes como:

  • Frutas, verduras e legumes
  • Cereis integrais como aveia, trigo, arroz, quinoa, amaranto, etc.
  • Carnes magras como bovina, suína, aves, peixes, ovos, etc.
  • Sementes como chia, linhaça, gergelim, girassol, etc.
  • Oleaginosas como castanhas, nozes, amêndoas, amendoins, pistache e macadâmia
  • Gorduras saudáveis como azeite de oliva extravirgem, óleo de coco extravirgem e manteiga

Esses alimentos, e os demais considerados saudáveis, vão fornecer todos os nutrientes para manter o organismo em perfeito funcionamento e prevenir quadros de desnutrição muito comum na velhice.

Em contrapartida, para uma alimentação saudável deve-se evitar os seguintes alimentos e produtos:

  • Excesso de sal e de açúcar
  • Gorduras prejudiciais como os óleos refinados de soja, milho, girassol e canola
  • Excesso de produtos industrializados
  • Frituras
  • Doces
  • Fast foods
  • Excesso de alimentos ricos em calorias e em carboidratos
  • Demais alimentos e preparações considerados não saudáveis

Evitar esses produtos e preparações não saudáveis ajuda a prevenir o surgimento ou agravamento de condições como hipertensão, diabetes, alteração do colesterol e triglicerídeos, problemas cardiovasculares e vários outros.

É importante ter o acompanhamento de um profissional nutricionista para que este possa ajudar o idoso a ter uma rotina alimentar de qualidade a fim de evitar o aparecimento de problemas de saúde.

 

1.2 Atividade física

Na terceira idade, é comum a pessoa se sentir incapacitada fisicamente, principalmente acerca da mobilidade, e a atividade física é um hábito saudável que pode ajudar nessa questão.

A prática de atividade física diária é fundamental na terceira idade, assim como em outras fases da vida. Sabemos que a os exercícios físicos promovem muitos benefícios, tanto físicos quanto mentais, e, na terceira idade, eles são fundamentais para combater o sedentarismo tão presente nessa fase.

Os benefícios da atividade física para os idosos são muitos e alguns são, por exemplo, melhorar a mobilidade e a postura, evitar quedas e fraturas, evitar doenças crônicas, manter o peso adequado, melhorar o convívio social, aumentar a expectativa de vida e vários outros.

As pessoas idosas podem praticar exercícios como caminhada, hidroginástica, ciclismo e até musculação. O tipo de exercício pode variar para cada pessoa e é importante ter o acompanhamento de um profissional da área da educação física para que as atividades sejam feitas após a indicação certa e realizadas da forma correta para que o idoso possa obter todos os benefícios que elas oferecem.

 

1.3 Saúde psicológica e mental

Ter a saúde psicológica e mental em dias é muito importante para a qualidade de vida na terceira idade. São muitos os idosos que sofrem com problemas psicológicos e emocionais como ansiedade e depressão decorrentes das mudanças que passam nessa fase da vida e até em decorrência de abandonos por parte da família ou amigos. Por isso, o amparo da família e dos amigos é necessário e, em alguns casos, o acompanhamento psicológico é indicado.

Além disso, a saúde mental nessa fase pode ficar prejudicada por causa de perdas da memória. Por isso, a memória pode ser estimulada através de treinos para a mente como jogos para a terceira idade, por exemplo, que ajudam a estimular o funcionamento do cérebro.

 

1.4 Outros hábitos saudáveis

Não somente cuidar da alimentação, do psicológico e praticar atividade física é necessário, mas seguir outros hábitos saudáveis para evitar consequências prejudiciais também é importante. Alguns deles são, principalmente, evitar o consumo de bebida alcoólica e o tabagismo, pois são hábitos totalmente prejudiciais para a saúde.

Além disso, é importante que o idoso tome sol todos os dias com exposição ao sol de 15 a 20 minutos diários, tenha uma boa hidratação e uma boa rotina de sono. Hábitos como esses garantem a manutenção de um corpo saudável e mais qualidade de vida.

 

  1. Vida social

O idoso precisa ter uma vida social para garantir uma vida com mais qualidade, tendo em vista que muitos deles se isolam nessa fase podendo gerar sérios problemas psicológicos e de saúde. Por isso, listamos abaixo algumas dicas de como essas pessoas podem melhorar sua vida social.

 

2.1 Atividade em grupo

Realizar atividade em grupo como atividade física, caminhadas, passeios, novos hobbies, entre outras, também ajuda o idoso a ter mais qualidade de vida ao passo que estimula a mobilidade, a saúde física e mental e o convívio social.

 

2.2 Família

Na terceira idade, é comum que a pessoa não tenha mais tanto contato com a família como antes, principalmente com os filhos. Isso é algo comum tendo em vista que essa é a tendência natural da vida, ou seja, que os filhos saiam de casa.

Mesmo assim, é importante manter um contato periódico com a família mesmo que não seja pessoalmente, mas por telefone também. Isso é fundamental para que o idoso não se sinta abandonado, mas continue se sentindo acolhido e amado por toda a família.

 

2.3 Lazer

Momentos de lazer também são fundamentais na vida do idoso, principalmente se forem momentos junto com a família ou com os amigos. Isso é fundamental para a saúde psicológica dessas pessoas. Portanto, atividades de lazer como passeios, atividades ao ar livres, convivência familiar e outras são bastante indicadas.

 

2.4 Novo trabalho

Muitos idosos chegam na fase da aposentadoria e acabam se achando incapazes de continuarem produzindo. Porém, continuar trabalhando ou descobrir um novo trabalho, mesmo que não seja remunerado, mas apenas como um hobby ou distração, pode ser útil para que o idoso não se sinta incapaz. Isso ajuda a manter a saúde física e mental.

 

2.5 Centros e associações para a terceira idade

Hoje já existem centros, instituições e associações com atividades voltadas para a terceira idade como centros de convivência, clubes, paróquias e outras. Essa é uma boa alternativa para os idosos melhorarem o relacionamento social.

 

  1. Cuidados médicos

Na terceira idade, é importante que a pessoa faça visitas rotineiras ao médico, pois essa é uma fase mais vulnerável da vida, principalmente para os idosos que possuem algum problema de saúde comum nessa fase da vida como diabetes, alterações do colesterol, hipertensão, doenças cardiovasculares, doenças reumáticas, doenças ósseas como a osteoporose, doenças respiratórias, desvios de postura, alterações visuais e auditivas, entre outros.

Por isso, o acompanhamento médico se faz necessário com uma rotina de consultas e exames para prevenir ou controlar doenças já presentes, não devendo o idoso ir ao médico somente quando surgir algum problema ou quando o problema já instalado piorar. Essa rotina médica garante que qualquer condição adversa identificada no início pode ser logo tratada minimizando, assim, maiores prejuízos.

Outro ponto também importante é que o idoso não deve e automedicar, algo muito comum entre esse grupo populacional. Nesse momento da vida, o organismo é um pouco mais frágil e a saúde pode ficar debilitada com mais facilidade e a automedicação pode piorar ainda mais o quadro e gerar graves consequências. Além disso, o idoso geralmente toma algum medicamento e se inserir outro sem orientação médica por gerar interações medicamentosas tanto entre fármacos quanto entre alimentos. Isso pode anular ou potencializar o efeito dos medicamentos tomados, o que pode ser um risco para a saúde. Portanto, toda medicação só deve ser feita após prescrição médica.

 

Considerações finais

Portanto, vemos que apesar das mudanças que geralmente ocorrem no período de transição para a terceira idade, o idoso pode sim viver melhor. Para isso, é preciso que as pessoas entendam que ele ainda é um ser produtivo e que nessa fase da vida merece mais atenção. Além disso, ele deve seguir as orientações certas e ter acompanhamento com os profissionais adequados. Só assim é possível ter qualidade de vida na terceira idade.

Send this to a friend