CENTRO DE TRATAMENTO DE DOR: Dor, Acupuntura Médica, Ondas de Choque, Fisiatria e Fisioterapia.

Cãibras musculares: O que são e como tratar

Só quem já sofreu com cãibras musculares sabe como a condição é desconfortável. As cãibras podem aparecer em pessoas saudáveis, geralmente de meia-idade ou mais velhas, mas também podem ocorrer em indivíduos mais jovens. 

Em geral, na maioria dos casos está relacionada a exercícios vigorosos, embora algumas pessoas sofram com o problema até mesmo durante o sono.

Ao longo deste artigo você irá descobrir o que são as cãibras musculares, quais são as suas principais causas, como se dá o tratamento e a prevenção. Acompanhe.

As cãibras musculares são contrações ou espasmos musculares involuntários, súbitos e dolorosos causados por um aumento da frequência de potenciais de ação motores.

Pelo menos em 80% dos casos elas acontecem no gastrocnêmio, popularmente conhecido como panturrilha, e duram de 8 a 9 minutos. Também, na maioria das vezes se caracterizam como idiopáticas.

Causas

Sem dúvidas, a principal causa de cãibras musculares é o esforço intenso, geralmente relacionado a prática esportiva ou a atividades profissionais. Contudo, a condição pode estar ainda associada à doenças sistêmicas, por isso, merece atenção. 

Vamos às possíveis causas:

Uso exagerado da musculatura: pode ser uma consequência do sobrecarregar da musculatura, afetando até mesmo as mãos quando a pessoa passa muito tempo escrevendo ou digitando.
Desidratação: a água é importante para que as contrações musculares ocorram de maneira adequada, assim como o relaxamento das fibras e dos tendões, por isso, a sua falta pode tornar o músculo mais sujeito a espasmos.
Baixas temperaturas: quando o clima está frio a musculatura fica mais tensa e contraída, o que também favorece o aparecimento de cãibra.
Má circulação: o estreitamento das artérias, geralmente causado por placas de aterosclerose, também tem relação com a condição, pois exige uma intensa atividade muscular.
Compressão de raízes nervosas: problemas que causem compressão de nervos podem causar cãibra. Nesses casos, a dor é mais forte a medida que o indivíduo caminha.
Carência de sais minerais: falta de potássio, cálcio ou magnésio na dieta alimentar pode ser a causa das suas cãibras musculares. Por causa disso, se trata de uma condição com alta prevalência entre os hipertensos, que acabam perdendo potássio por tomarem diuréticos.

Alguns fatores de risco também merecem ser citados: 

  • Diabetes
  • Anemia
  • Insuficiência renal
  • Doenças da tireoide
  • Degenerações neurológicas
  • Desequilíbrios hormonais 

Diagnóstico

Apesar de nem sempre requerer intervenção, é importante procurar o médico para que investigue a origem das suas cãibras musculares. Geralmente, a avaliação médica tem como objetivo reconhecer o que pode ser tratado para ser alcançado o alívio dos sintomas. 

O primeiro passo para o diagnóstico é o estudo da queixa do indivíduo. O médico irá pedir ao paciente que descreva as cãibras, incluindo sua duração, frequência, localização e gatilhos aparentes.

Em alguns casos são descritas outras manifestações clínicas concomitantes, como rigidez muscular, fraqueza, dor e perda de sensação. Não deixe de mencioná-las se esse for o seu caso. 

Em seguida, ao longo do exame físico, será realizada uma revisão dos sistemas, afinal, como vimos, uma série de causas pode estar relacionada à condição. 

O exame físico inclui ainda avaliação da pele a procura de edema não depressível ou perda de pelo nas sobrancelhas (sugerindo hipotiroidismo), alterações na hidratação da pele ou turgor, e um exame neurológico, que avalia os reflexos profundos do tendão

Realizar a palpação dos pulsos e a aferição da pressão arterial é importante, pois pulso fraco e pressão baixa nas extremidades podem indicar isquemia. 

Mediante resultados clínicos anormais podem ser requeridos exames complementares. 

Glicose no sangue, testes de função renal e níveis de eletrólitos, incluindo cálcio e magnésio, são geralmente medidos quando o paciente apresenta cãibras difusas acompanhadas por hiper-reflexia. 

Níveis de cálcio ionizados e BRAs (para confirmar alcalose respiratória) são medidos se o indivíduo tem tetania, e a eletromiografia é feita se os músculos contraídos estiverem fracos.

Procure um médico para investigação das causas das suas cãibras.

Cãibras musculares? Reconheça os sinais de alerta

Nem sempre as cãibras são motivos para se preocupar, embora sempre valha a pena passar por uma avaliação. Você deve, entretanto, ficar atento aos sinais de gravidade: 

  • Envolvimento da extremidade superior ou do tronco
  • Hiper-reflexia
  • Fraqueza muscular
  • Fasciculações
  • Sinais de alcoolismo
  • Hipovolemia
  • Dor ou perda de sensibilidade em um nervo periférico, plexo ou distribuição de raiz nervosa

Distúrbios que causam sintomas semelhantes

Existem algumas doenças que causam sintomas que se confundem com cãibras musculares. É essencial estar atento a elas. O médico realizará uma avaliação detalhada do caso para obter o diagnóstico diferencial. 

Veja alguns exemplos: 

Distonias: são contrações involuntárias do músculo que duram mais que as cãibras. Também acontecem com maior frequência. Geralmente afetam os músculos dos membros, das costas, do pescoço e da voz.

Tetania: são espasmos contínuos ou periódicos por todo o corpo. Costumam ser mais longos e mais esparsos que as cãibras. 

Cãibras musculares ilusórias: acontecem quando apesar da sensação, nenhuma contração muscular está presente. 

Endurecimento das artérias nas pernas (doença arterial periférica): interfere no fluxo sanguíneo dos músculos, causando sintomas similares aos da cãibra sem haver contração. 

Qual o tratamento para cãibras musculares?

cãibras musculares

Pelo menos na maioria dos casos os episódios de dor são ocasionais e desaparecem espontaneamente. Assim, nem sempre é necessária uma intervenção. 

Alongar levemente o músculo e massagear a área com movimentos circulares são algumas das técnicas recomendadas para relaxar a musculatura e aliviar a dor. 

Se as cãibras forem nas pernas, por exemplo, a região mais acometida, a pessoa deve tentar ficar de pé e colocar o peso sobre a perna afetada. Caso não consiga, deve sentar-se e esticar o membro puxando os pés para trás com uma das mãos. 

A aplicação de calor no local também pode ajudar, já que promove o relaxamento muscular. 

Deve-se ainda se atentar ao tratamento da causa das cãibras para prevenir novos episódios de dor. 

Como prevenir as cãibras musculares

A melhor forma de lidar com as cãibras é prevenindo-as, e isso é possível através de medidas simples como: 

  • Não fazer exercícios logo após uma refeição;
  • Alongar os músculos antes de se exercitar ou dormir;
  • Beber muitos líquidos (principalmente bebidas que contenham potássio) após o exercício;
  • Não consumir cafeína 
  • Não fumar
  • Evitar drogas que sejam estimulantes, como efedrina ou pseudoefedrina

Dr. Marcus Yu Bin Pai

CRM-SP: 158074 / RQE: 65523 - 65524 | Médico especialista em Fisiatria e Acupuntura. Área de Atuação em Dor pela AMB. Doutorado em Ciências pela USP. Pesquisador e Colaborador do Grupo de Dor do Departamento de Neurologia do HC-FMUSP. Diretor de Marketing do Colégio Médico de Acupuntura do Estado de São Paulo (CMAeSP). Integrante da Câmara Técnica de Acupuntura do Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (CREMESP). Secretário do Comitê de Acupuntura da Sociedade Brasileira para Estudo da Dor (SBED). Presidente do Comitê de Acupuntura da Sociedade Brasileira de Regeneração Tecidual (SBRET). Professor convidado do Curso de Pós-Graduação em Dor da Universidade de São Paulo (USP). Membro do Conselho Revisor - Medicina Física e Reabilitação da Journal of the Brazilian Medical Association (AMB).  

2 Comentários

Deixe o seu comentário.

Deixe o seu comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.