CENTRO DE TRATAMENTO DE DOR: Dor, Acupuntura Médica, Ondas de Choque, Fisiatria e Fisioterapia.

Dor constante no pulso: o que pode ser?

Nem sempre sentir dor constante no pulso quer dizer que você possui uma doença. Porém, é importante investigar a causa do sintoma. 

Fazer movimentos errados e repetitivos, mover objetos muito pesados ou até mesmo praticar esportes como o tênis, que exigem rápidas movimentações do punho, podem causar esse incômodo.

Se você vem enfrentando dores constantes no pulso e quer saber o que esta acontecendo, este artigo foi escrito para você.

Que tal aprender mais sobre essa situação desagradável?

Neste post você vai descobrir quais são as possíveis causas das dores, o que você não deve fazer ao senti-las e, de quebra, vai receber dicas e aprender exercícios que podem aliviá-las.

Se interessou? Então venha saber mais!

Normalmente essas dores são causadas por inflamações nos tendões ou pela compressão dos nervos no pulso, geralmente causadas por movimentos contínuos.

Como já foi dito, a dor constante no pulso nem sempre está ligada a fatores subjacentes. Mas, existem doenças e situações mais graves que podem causar esses incômodos.

Nesses casos, o pulso pode apresentar também mudanças no tom da cor, inchaço e até mesmo rigidez na articulação, sendo recomendados tratamentos mais sérios e cautelosos, que envolvem cirurgia, sessões com um fisioterapeuta e em situações mais simples a imobilização do punho.

Veja abaixo quais são as principais causas de dor constante no pulso:

Tendinite

A tendinite é uma doença causada pela inflamação de um tendão, ou seja, das fibras responsáveis pela ligação do osso com o músculo.

Essa lesão é mais frequente em pessoas que utilizam as mãos repetidamente para realizar diversos trabalhos do dia a dia, como digitar, por exemplo.

A doença é muito comum e afeta pessoas em diferentes faixas-etárias. Seus sintomas incluem:

  • Dor
  • Dormência
  • Formigamento
  • Rigidez.

O diagnóstico e o tratamento

O diagnóstico de tendinite pode ser feito por ortopedista ou fisioterapeuta, que podem solicitar um exame que dispõe uma imagem da área afetada, como o raio-x.

Com isso, o médico pode analisar vários detalhes da inflamação, como o grau de gravidade e outras possíveis causas da dor.

O tratamento da doença é feito através de repouso do pulso, o que geralmente exige a imobilização do mesmo, fisioterapia ou cirurgia.

Uma boa dica é passar gelo no local da dor, que pode ajudar bastante no alívio dela.

Doença de Kienbock

A doença de Kienbock, além de relativamente rara, não tem uma causa conhecida, mas está geralmente ligada ao trabalho manual pesado.

Ela ocorre quando um osso do punho, chamado de semilunar, começa a se deteriorar por não receber uma quantidade adequada de sangue.

Ela acomete, em sua maioria, os homens de 20 a 45 anos.

Entre os sintomas, estão:

  • Dor constante no pulso
  • Dificuldade na movimentação do pulso.

O diagnóstico e o tratamento

A doença de Kienbock é, muitas vezes, confundida com a síndrome do túnel do carpo e, por isso, é preciso grande cautela no seu diagnóstico.

Esse diagnóstico geralmente é feito com exames como o raio-x e a ressonância magnética, que facilitam a avaliação do problema.

Como a doença não tem cura, o tratamento tem o objetivo de aliviar as dores e ajudar a diminuir a dificuldade de movimentação do punho.

O tratamento pode envolver a imobilização do punho, o uso de anti-inflamatórios, fisioterapia e, em último caso, a cirurgia.

Dano Traumático

O dano traumático está, geralmente, associado a quedas ou pancadas que atingem a região do punho.

Essas quedas podem causar muito desconforto no pulso logo após o trauma, que pode ocorrer, por exemplo, durante uma atividade física como vôlei, ginástica, boxe e outros.

Os sintomas podem surgir de imediato ou não, e entre eles estão:

  • Dor constante
  • Inchaço
  • Alterações na cor da região afetada.

O diagnóstico e o tratamento

Para o diagnóstico da lesão é necessário que o paciente vá a um especialista que faça um exame de raio-x para verificar se há realmente uma fratura no osso.

Caso a lesão exista, o tratamento pode ser feito com a imobilização do punho do paciente, que normalmente é feita com gesso.

Artrite Reumatoide

A artrite reumatoide é uma doença com causa desconhecida que afeta as articulações do corpo, principalmente as dos membros inferiores e superiores.

A doença afeta duas vezes mais as mulheres do que os homens, em idades entre 40 e 70 anos.

O que se sabe desse distúrbio é que ele é uma doença inflamatória crônica, autoimune e que prejudica as membranas sinoviais de várias articulações e órgãos internos.

Entre os sintomas, estão inclusos:

  • Muita dor
  • Vermelhidão
  • Alta temperatura no local
  • Inchaço.

O diagnóstico e o tratamento

De acordo com o Colégio Americano de Reumatologia, alguns dos critérios necessários para ajudar a diagnosticar a artrite reumatoide são:

  • Rigidez matinal
  • Artrite em três ou mais áreas, simultaneamente, com sinais de inflamação
  • Artrite de articulação nas mãos ou punho
  • Artrite simétrica
  • Nódulos subcutâneos
  • Fator reumatoide sérico positivo nos exames de sangue
  • Alterações radiográficas.

Para o diagnóstico exato da doença, o paciente deve estar com pelo menos os 4 primeiros sintomas durante 6 semanas.

O tratamento não tem como objetivo a cura da doença, já que ainda não há forma de combatê-la definitivamente.

Mas, seguindo as recomendações dos médicos, fazendo alguns exercícios, e tomando os medicamentos necessários, os sintomas podem ser controlados.

Esforço Repetitivo

A LER, ou lesão por esforço repetitivo, é a expressão usada para se referir à doenças que atingem os membros superiores e os dedos, causando sintomas como dor constante no pulso.

Essa síndrome pode causar diversos tipos de doença, incluindo tenossinovite ou tendinite, síndrome do túnel do carpo e outras.

Entre os sintomas estão:

  • Dor 
  • Inflamação
  • Formigamento
  • Dificuldades na movimentação.

O diagnóstico e o tratamento

O diagnóstico da lesão por esforço repetitivo é clínico e envolve diretamente o que o paciente diz ao médico, além dos exames físicos.

Pode ser solicitado, por exemplo, exames que tenham imagens mais detalhadas do local, como o raio-x.

O especialista irá analisar a região onde se concentram os sintomas e assim poderá concluir se o caso é de uma LER.

O tratamento pode incluir repouso e anti-inflamatórios, porém, isso se aplica aos casos menos graves.

Por outro lado, os casos mais avançados podem necessitar de imobilização, sessões de fisioterapia e até mesmo uma cirurgia.

Síndrome do Túnel do Carpo

A síndrome do túnel do carpo é uma doença causada pela compressão do nervo mediano no canal do carpo.

O carpo é um túnel rígido do corpo humano que fica entre a mão e o antebraço, por onde passam, além do nervo mediano, alguns tendões flexores revestidos por tecido sinovial.

O esforço repetitivo é a causa mais comum da doença, e os sintomas envolvem:

  • Dor constante no pulso
  • Formigamento
  • Dormência.

O diagnóstico e o tratamento

Para diagnosticar esse problema são necessários dois testes, chamados de teste de Phalen e teste de Tinel

A manobra de Phalen consiste em dobrar o punho e mantê-lo nessa posição por um minuto. Se for a doença, os sintomas pioram.

Já no teste de Tinel é necessário fazer os pulsos se chocarem. Trata-se da síndrome do túnel cárpo se a sensação for de choque ou formigamento.

O tratamento da síndrome está de acordo com o grau de gravidade. Se o caso não for grave recomenda-se a imobilização do punho e o uso de anti-inflamatório.

Não resolvido, será aplicado, dentro do canal do carpo, um remédio chamado cortisona. 

Já a cirurgia se aplica quando os sintomas persistem mesmo após a aplicação dos outros métodos.

Síndrome de Quervain

A síndrome de Quervain é um distúrbio causado pela inflamação ou inchaço dos tendões do punho que ficam do lado do polegar.

Os sintomas normalmente apresentados são:

  • Dor latejante
  • Inchaço

 

O diagnóstico e o tratamento

Normalmente o diagnóstico de síndrome de Quervain se estabelece quando o médico detecta sensibilidade nos tendões do pulso, do lado do polegar.

Para a detecção dessa sensibilidade, o especialista pede para o paciente que mova seu polegar em direção à palma da mão e dobre seus outros dedos sobre ele.

Depois, o paciente deve afastar o punho do polegar, flexionando-o. Se nesse movimento o paciente sentir dor no pulso e no polegar, simultaneamente, então ele possui a doença.

O tratamento pode ser feito com uma injeção de corticosteróide, com o uso de uma tala para o polegar e, em último caso, uma cirurgia.

Outros fatores importantes:

Existem outras causas importantes de dor constante no pulso, entre elas:

  • Gota
  • Osteoartrose
  • Entorse
  • Lupus
  • Tumores
  • Cisto sinovial
  • Lesão da fibrocartilagem triangular
  • Síndrome do canal de Guyon.

Os tipos de tratamento para a dor constante no pulso

3 1

O tratamento desse tipo de problema não é único, variando de acordo com a causa e também com a situação do paciente.

Entre os métodos de tratamento mais comumente utilizados para resolver esse tipo de problema, estão:

  • Fisioterapia
  • Alongamentos
  • Talas e protetores 
  • Compressa fria.

Quando procurar um especialista para aliviar a dor constante no pulso?

2 1

O mais indicado é que, em qualquer situação, você procure um especialista no dia em que for melhor para a sua agenda.

É importante procurar um médico, mesmo quando você acha que já sabe qual é o problema. A opinião de um especialista nunca é demais, e o medo de ir ao médico não pode ser um empecilho.

Então fique tranquilo, pois, de início, você fará apenas alguns exames físicos bem detalhados, levando em conta o seu histórico clínico e as atividades que você pratica.

Técnicas, e os 5 melhores exercícios para aliviar a dor no pulso

Em alguns casos, a prática de alguns exercícios e a utilização de técnicas podem ajudar a reduzir a dor constante no pulso e a diminuir a dificuldade de movimentação.

Confira abaixo cinco desses exercícios:

  1. Punho fechado

  • Estique seus braços até ficarem bem retos
  • Feche a mão, deixando o polegar para fora, por dez vezes
  • Repita o processo com a outra mão
  1. Extensão do punho e flexão

  • Coloque uma toalha enrolada sobre a borda de uma mesa 
  • Coloque seu antebraço sobre a toalha, deixando a palma da mão virada para baixo, na borda da mesa
  • Mova a sua mão para cima lentamente, até sentir um suave alongamento
  • Repita o processo com a palma da mão virada para cima.
  1. Extensão e flexão do polegar

  • Mova lentamente o polegar para fora e para dentro da palma da mão, entendendo e flexionando o dedo.
  1. Dedos dobrados

  • Repita os movimentos do exercício anterior, porém, com um dedo de cada vez, deixando-os flexionados por alguns segundos.
  1. Alongamento do pulso

  • Estique o braço com a palma da mão para baixo.
  • Utilizando a outra mão, pressione-a até sentir que os tendões estão bem esticados
  • Realize o movimento por dez vez
  • Repita o processo com a outra mão.

Dicas para quem sente dor constante no pulso

  1. Vá ao médico, ele tem a melhor solução para o seu problema
  2. Aplique gelo na área dolorosa, isso pode ajudar
  3. Siga as recomendações do especialista
  4. Faça repouso contínuo enquanto a inflamação não for aliviada
  5. Assim que estiver bem, se exercite e alongue, isso vai te ajudar a prevenir as dores e inflamações.
Clinica Hong Jin Pai Sao Paulo e1621991307344

RUA SAINT HILAIRE 96 – JARDIM PAULISTA – SÃO PAULO – SP

Clínica de Dor, Fisiatria e Acupuntura Médica

Clínica médica especializada localizada na região dos Jardins, próximo à Av. Paulista, em São Paulo — SP.

Centro de Dor, com médicos especialistas pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.

Tratamento por Ondas de Choque, Infiltrações, Bloqueios anestésicos e Acupuntura Médica

Dr. Marcus Yu Bin Pai

CRM-SP: 158074 / RQE: 65523 - 65524 | Médico especialista em Fisiatria e Acupuntura. Área de Atuação em Dor pela AMB. Doutorado em Ciências pela USP. Pesquisador e Colaborador do Grupo de Dor do Departamento de Neurologia do HC-FMUSP. Diretor de Marketing do Colégio Médico de Acupuntura do Estado de São Paulo (CMAeSP). Integrante da Câmara Técnica de Acupuntura do Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (CREMESP). Secretário do Comitê de Acupuntura da Sociedade Brasileira para Estudo da Dor (SBED). Presidente do Comitê de Acupuntura da Sociedade Brasileira de Regeneração Tecidual (SBRET). Professor convidado do Curso de Pós-Graduação em Dor da Universidade de São Paulo (USP). Membro do Conselho Revisor - Medicina Física e Reabilitação da Journal of the Brazilian Medical Association (AMB).  

Deixe o seu comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Send this to a friend