CENTRO DE TRATAMENTO DE DOR: Dor, Acupuntura Médica, Ondas de Choque, Fisiatria e Fisioterapia.

Falamos em rigidez articular quando há alguma redução da amplitude do movimento articular ou relutância em movimentar a articulação por causa de dores. Mesmo que você consiga mover a articulação, se isso exige força, deve ficar atento. 

Neste artigo falaremos mais sobre esta condição, suas causas, diagnóstico e principais tratamentos. Você irá saber quando é preciso se preocupar e procurar ajuda especializada.

A principal característica da rigidez articular é a dificuldade para mover uma articulação. Mas calma, rigidez é diferente de ser incapaz de mover porque você está muito fraco ou não quer mover uma articulação, por causa da dor provocada. 

Além disso, precisamos diferenciar rigidez articular de rigidez muscular. Músculos rígidos podem ser resultado do excesso de atividade física ou, em casos mais complexos, ter origem em doenças como a polimialgia reumática e a fibromialgia.

No caso aqui descrito, se trata de uma sensação de aumento de resistência e limitação da amplitude articular. 

Embora cause desconforto, geralmente se trata de uma condição fisiológica, explicada pelo processo de envelhecimento natural do corpo. 

A medida que envelhecemos as cartilagens articulares vão perdendo a sua hidratação e vitalidade, ainda, o líquido responsável por sua lubrificação torna-se menos viscoso e perde parcialmente a sua capacidade de lubrificar. 

Naturalmente, essas estruturas vão ficando desgastadas, o que acaba interferindo no funcionamento normal da articulação. 

Algumas patologias podem acelerar esse processo, dentre elas a osteoartrite (desgaste da cartilagem) e a artrite reumatóide (doença crônica, inflamatória, cuja principal característica é a inflamação das articulações).

Em geral, o sintoma tende a melhorar após 10 ou 15 minutos, quando os músculos vão aquecendo. Contudo, a rigidez ocasionada pela artrite reumatóide costuma ser mais intensa e permanecer por períodos mais longos.

Esses últimos são, portanto, sinais de preocupação e merecem atenção. 

Conheça as principais causas

Nem sempre a rigidez articular é sinal de patologia, contudo, é importante ficar de olho em suas possíveis causas. 

 

Sedentarismo

Sem dúvidas, a principal causa do problema é a falta de movimento. Vamos entender isso melhor. 

A maioria de nossas articulações são do tipo sinoviais, revestidas por cartilagens e uma membrana sinovial. Esta membrana é que produz o já citado líquido sinovial, responsável por lubrificar a articulação e por permitir uma movimentação sem atrito. 

O próprio movimento estimula a produção, a distribuição e a reabsorção dessa substância. Por outro lado, o sedentarismo impede que esse sistema funcione de maneira adequada, deixando o líquido distribuído de forma menos homogênea na articulação, causando sensação de rigidez.

Manter o corpo em movimento é ainda crucial para a saúde de todo o sistema musculoesquelético, essencial à sua saúde articular. 

 

Envelhecimento 

Como vimos, as mudanças estruturais causadas pelo envelhecimento também podem causar rigidez articular. As alterações são diversas, músculos, tendões, ligamentos e cápsulas articulares perdem a maleabilidade. 

É por isso que muitas pessoas, ao notar a rigidez, logo exclamam: “Estou ficando velho”.

Infelizmente, não há como reverter tais efeitos deletérios do tempo, embora alguns medicamentos possam sim contribuir para alívio dos sintomas.

Porém, é possível reduzir a severidade e a rigidez matinal mantendo o corpo mais ativo e estabelecendo uma rotina de exercícios capaz de  estimular o fortalecimento e elasticidade dos músculos, o que contribui para o bom funcionamento articular. 

 

 

Quadros patológicos

Muitas doenças, normalmente reumatológicas, causam como sintoma, rigidez muscular, principalmente devido à alteração da viscosidade e da quantidade do líquido sinovial. É muito importante o diagnóstico adequado e o tratamento médico para controle dessas condições. 

Veja alguns exemplos de patologias que podem estar por trás do quadro. 

 

Osteoartrite

A osteoartrite é a forma mais comum de artrite, se trata de uma doença marcada pela degeneração das cartilagens e alterações das estruturas ósseas vizinhas. Dentre as áreas do corpo mais atingidas, podemos citar as mãos, joelhos, coxofemurais e a coluna.

No mínimo 240 milhões de pessoas em todo o mundo sofrem com a condição, com causa multifatorial, como trauma, cirurgia, obesidade, desalinhamento articular, genética, envelhecimento e tabagismo.

 

Artrite Reumatóide

A artrite reumatoide é uma doença inflamatória crônica que pode atingir diferentes órgãos e tecidos do corpo, principalmente as articulações dos membros superiores e inferiores. 

Neste caso, o sistema imunológico ataca o próprio corpo, causando sintomas como dor, vermelhidão, inchaço, e dificuldades para movimentar as articulações afetadas, principalmente na primeira hora após acordar. 

Esta doença não tem cura, por isso o tratamento deve ser mantido por toda a vida da pessoa. A terapia inclui uso de remédios, dieta e fisioterapia.

Quando procurar ajuda médica?

3 2

Muitas vezes a rigidez muscular não é motivo para preocupações, se tratando apenas de um quadro fisiológico, presente principalmente em indivíduos idosos. 

Em todo caso, é importante descobrir as causas, o que ficará mais fácil agora que você conhece melhor a condição. 

Se o problema for persistente, em especial se vier acompanhado de outros sinais e sintomas, deve-se procurar pela avaliação de um profissional capacitado.

Diagnóstico

Os médicos podem diagnosticar a rigidez articular simplesmente pelos sintomas descritos pelo paciente durante a consulta com complemento de um exame físico completo da área afetada. 

Alguns aspectos importantes dão pistas de quais condições podem estar envolvidas. Tipos diferentes de artrite podem afetar articulações diferentes, por exemplo. Além disso, o tempo que a rigidez dura pode ser um indício importante. 

O profissional examinará o paciente para verificar se existem ainda outros sintomas que possam apontar para determinadas causas, como dor e fraqueza articular. 

Quanto mais completa a análise clínica, melhor. É necessário ainda investigar lesões musculares e distúrbios neurológicos como Parkinson, acidentes vasculares cerebrais e doenças da medula espinhal.

 

O que acontecerá na minha consulta com o médico?

O primeiro momento da consulta é a anamnese, que nada mais é do que uma breve entrevista, onde o médico perguntará sobre seus sintomas, fatores de melhora ou piora, hábitos e vícios, histórico clínico e familiar, dentre outras questões que considerar importantes para o estudo do seu caso. 

Em seguida será feito um exame físico completo, focado nas áreas do corpo afetadas pela rigidez. Esta etapa consiste em alguns procedimentos simples como   inspeção, palpação, ausculta e percussão.

Se necessário, o médico irá solicitar alguns exames, geralmente hemogramas e radioterapias.

Qual o tratamento para rigidez articular?

1 2

É possível reduzir a sensação simplesmente tornado-se mais ativo, ou seja, estabelecendo uma rotina de exercícios para estimular o melhor funcionamento articular e do sistema musculoesquelético de maneira geral. 

O controle do peso, realizado pela combinação de rotina de atividade física com uma alimentação saudável e balanceada, também é muito importante. 

Praticar alongamentos diários também costuma ajudar, recomendamos ainda criar o hábito de se espreguiçar toda manha. 

Casos mais complexos podem ser tratados com fisioterapia, e se houver alguma condição subjacente, ela deve ser tratada especificamente pelo médico.

Clinica Hong Jin Pai Sao Paulo e1621991307344

RUA SAINT HILAIRE 96 – JARDIM PAULISTA – SÃO PAULO – SP

Clínica de Dor, Fisiatria e Acupuntura Médica

Clínica médica especializada localizada na região dos Jardins, próximo à Av. Paulista, em São Paulo — SP.

Centro de Dor, com médicos especialistas pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.

Tratamento por Ondas de Choque, Infiltrações, Bloqueios anestésicos e Acupuntura Médica

Dr. Marcus Yu Bin Pai

CRM-SP: 158074 / RQE: 65523 - 65524 | Médico especialista em Fisiatria e Acupuntura. Área de Atuação em Dor pela AMB. Doutorado em Ciências pela USP. Pesquisador e Colaborador do Grupo de Dor do Departamento de Neurologia do HC-FMUSP. Diretor de Marketing do Colégio Médico de Acupuntura do Estado de São Paulo (CMAeSP). Integrante da Câmara Técnica de Acupuntura do Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (CREMESP). Secretário do Comitê de Acupuntura da Sociedade Brasileira para Estudo da Dor (SBED). Presidente do Comitê de Acupuntura da Sociedade Brasileira de Regeneração Tecidual (SBRET). Professor convidado do Curso de Pós-Graduação em Dor da Universidade de São Paulo (USP). Membro do Conselho Revisor - Medicina Física e Reabilitação da Journal of the Brazilian Medical Association (AMB).  

Deixe o seu comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Send this to a friend