AVISO - COVID-19: Estamos com atendimento segunda/terça/quinta/sexta/sábado. Maiores informações, entrar em contato via WhatsApp

Dicas úteis no combate das dores lombares

A lombalgia ocorre quando uma pessoa passa a sentir dor na região lombar. Essa região fica na parte mais baixa da coluna, perto da bacia. Em alguns casos a dor irradia para as pernas causando ou não dormência.

Ela também pode ser chamada de dor nas costas ou lumbago. A lombalgia não é exatamente uma doença, mas um tipo de dor que pode ter vários tipos diferentes de causas. Mesmo que essas causas sejam muitas vezes complexas, na maioria das vezes não se trata de um problema sério.

Em geral a lombalgia é um problema postural, cuja causa é uma má posição que fazemos para se abaixar, carregar peso, sentar, deitar. Ela também pode ser causada por outros problemas como artrose, infecção, inflamação, escorregamento de vértebra, hérnia de discos e até questões emocionais.

Existem dois tipos de lombalgia: a aguda e a crônica. A forma aguda também é conhecida por mau jeito. Quando ocorre, a dor é forte e aparece subitamente logo depois de um esforço físico como pegar um objeto pesado do chão e levantá-lo. Geralmente ocorre em pessoas mais jovens. Já o tipo crônico acontece mais em pessoas com mais idade. Se por um lado a dor não é tão intensa como no caso da aguda, por outro ela é praticamente permanente.

A lombalgia é um tipo de dor lombar bastante comum. Ela afeta cerca de 80% da população adulta do mundo todo. Segundos as pesquisas, ela é a segunda maior causa das consultas médicas – fica atrás apenas das gripes e viroses. O maior problema da lombalgia, além da dor, são os prejuízos que costumam causar. As atividades do cotidiano são todas prejudicadas e a pessoa fica sem energia e desanimada. Esse cansaço em algumas vezes pode levar até a depressão.

Geralmente, a primeira crise de dor lombar aparece depois dos 30 anos de idade – a lombalgia do tipo agudo.

Quem pode ter dores nas costas e como prevenir seu aparecimento

Quando mais avançada a idade da pessoa, maiores são as chances de ela apresentar ataques adicionais de dores lombares. Além disso, existem outros fatores que aumentam a chance de a lombalgia aparecer. 

Estar acima do seu peso normal é uma delas, pois o excesso de gordura faz com que o efeito da gravidade seja maior na região lombar, afetando-a ainda mais. Quem faz trabalhos pesados também deve ficar atento e usar acessórios adequados para fazer o seu serviço e poupar um pouco a região. Pessoas que mantem um estilo de vida sedentário também costumam apresentar o quadro de lombalgia.

A melhor forma de prevenir a lombalgia é cuidar de cada um desses fatores. Por isso é importante manter um peso saudável, comendo de forma equilibrada. Exercícios diários também são fundamentais. Ele vai ajudar a manter o seu peso e também fortalecer seu corpo como um todo, incluindo a região lombar. Prestar atenção na postura ao fazer certas atividades do dia-a-dia também é importante. 

Quando for abaixar, por exemplo, procure dobrar o joelho e não a coluna. Também procure não permanecer curvado por um longo tempo. Por último, invista em um bom colchão para sua cama.

Quem tem lombalgia deve em primeiro lugar procurar um médico especialista para confirmar o diagnóstico. Depois de analisar os sintomas, a saúde e o estilo de vida do paciente, o médico vai propor um tratamento e reabilitação. Além disso, existem alguns fatores que podem ajudar bastante. Você vai conhecer 10 dicas para lidar com a lombalgia de uma forma simples e que podem aliviar as dores lombares.

1 – Compensar os efeitos da gravidade

Você já notou como a maioria dos adultos passa o seu dia-a-dia sempre de pé, andando ou sentado? O que ninguém lembra é como a gravidade causa uma enorme sobrecarga tanto nos músculos como nos ligamentos e discos intervertebrais justamente da região lombar. Por isso, uma das maiores razões da lombalgia surgir é justamente essa compressão discal. Sempre que for possível, procure ficar na horizontal. Deitar em uma cama ou sofá pode ser uma ótima ideia para aliviar suas dores nas costas.

2 – Invista no aquecimento

Sabemos que antes de fazer algum tipo de atividade física, devemos aquecer nosso corpo para evitar problemas como lesões no músculo ou estiramento. Mas no caso de quem tem lombalgia, esse aquecimento deve ser feito sempre! 

Não importa se a atividade vai ser arrumar a casa, lavar roupa, cuidar do jardim, carregar objetos pesados ou empurrar o carrinho do bebê. 

São essas ações rotineiras que acabam por causar as dores lombares ou piorá-las. Fique atento e sempre que for fazer algum tipo de atividade com o seu corpo, faça algum tipo de aquecimento antes, como dar corridinhas rápidas, pular no mesmo lugar ou dançar.

3 – Alongue sua lombar

Essa região das costas precisa sempre ser alongada para compensar toda a estrutura que ela carrega. Por isso, acostume-se a alongar sua lombar antes de deitar e ir para cama e também assim que acordar e se levantar. Também faça isso quando for começar a trabalhar e no final do expediente. Alongar a lombar não precisa ser nada muito difícil. Você pode, por exemplo, abraçar suas pernas enquanto está deitado.

4 – Exercite sua lombar

Faça exercícios com a sua lombar. Isso aumentará sua força de sustentação e vai aliviar bastante as dores lombares. Para isso, você deve procurar ajuda de um especialista ou fisioterapeuta que irá orientá-los sobre os melhores movimentos. O treino inclui exercícios para o seu centro de força, que não mais são do que o diagrama, o períneo e o abdômen.

Os dois exercícios que mais podem ajudar no alívio da dor e beneficiar essa parte inferior das costas são os de flexão e extensão. No primeiro tipo de exercício, o paciente se inclina para a frente com o objetivo esticar os músculos que se encontram nas costas e no quadril. Já no segundo tipo de exercício, os de extensão, o paciente se inclina para trás com o objetivo de desenvolver os músculos que sustentam nossa coluna vertebral.

É importante que você seja orientado sempre por um especialista pois certos exercícios não devem ser feitos porque quem tem lombalgia. Exercícios impróprios podem até piorar o quadro.

5 –  Faça ioga

Existem vários exercícios físicos que ajudam a lidar com a lombalgia. E a ioga é considerado um dos melhores pelos especialistas e bastante recomendado. Em um estudo que eles fizeram, dois grupos que apresentavam dores lombares receberam dois tipos de tratamento durante 12 semanas: o primeiro realizou aulas diárias de ioga e o segundo foi orientado em tomar certos cuidados no dia-a-dia para evitar dores nas costas.

O primeiro grupo teve um resultado muito melhor, além de notarem os benefícios mesmo depois de meses que as aulas terminaram. O que esse estudo concluiu é que o ganho de alongamento corporal e o fortalecimento muscular que a ioga traz garantem uma melhora extraordinária na dor lombar.

6 – Adote massagem terapêutica

Diferente da massagem tradicional, a massagem terapêutica tem como foco exatamente aliviar a dor de uma determinada região.

No caso da lombalgia, ela diminui o desconforto, principalmente quando é combinada com alongamentos e exercícios.

Pesquisas já apontaram que pacientes que realizaram massagens terapêuticas, alongamentos e exercícios eram capazes de se mover muito facilmente do que os que não fizeram.

Além disso, apresentaram menos dores a curto e a longo prazo.

7 – Experimente a acupuntura

acupuntura

Os pontos acionados por agulhas, feitos por médicos especialistas em acupuntura, são capazes de trazerem um imenso alivio na dor lombar. Isso porque a acupuntura tem ação local e sistêmica, com efeitos analgésicos, relaxante muscular e anti-inflamatórios.

Pontos específicos da acupuntura ajudam a liberar neurotransmissores e opióides endógenos como a serotonina, que ajudam nos efeitos da acupuntura no alívio das lombalgias. Um estudo feito com mais de cem pessoas durante oito semanas mostrou que as que fizeram acupuntura, tiveram uma grande melhora em suas dores nas costas.

8 – Procure um fisioterapeuta

A ideia aqui é você fazer um programa de reabilitação. Esse profissional, com o seu conhecimento, pode ajudá-lo a voltar para suas atividades normais do cotidiano sem sentir tanto desconforto.

O fisioterapeuta vai propor exercícios de alongamento, de força e até cardíacos para conseguir os resultados, mas tudo isso sem forçar as suas costas.

9 – Se a dor persistir, procure um médico especialista

Exame de RX para cervicalgia

Você pode tentar várias ações para aliviar a dor lombar. Mas se achar que a dor não está diminuindo, procure um médico especialista em dor, como o médico fisiatra ou médico ortopedista para uma avaliação. Nada substitui uma boa consulta feita por um profissional especializado em lombalgia, que poderá detectar se você está fazendo algo errado em seu tratamento e a razão da dor e do problema não diminuir.

Pode ser necessário infiltrações diagnósticas e terapêuticas, como a infiltração de pontos gatilhos e o bloqueio paraespinhoso, que podem ser inclusive realizadas no consultório.

O médico especialista poderá também ser capaz de realizar um exame físico adequado e solicitar exames complementares como radiografias e ressonâncias magnéticas da coluna, para afastar outros diagnósticos diferenciais, como discopatia, espondiloartrose, hérnia de disco, síndrome do piriforme, ciatalgia, dentre outras. No entanto, a causa mais comum de dor segue sendo dores músculo-esqueléticas, ou Síndrome Dolorosa Miofascial.

10 – Não espere a dor aumentar

Muitas vezes sentimos dor nas costas, principalmente na região lombar e achamos que não é nada, que logo passa. Mas no caso da lombalgia, o melhor é logo procurar uma ajuda especializada.

Isso porque é muito mais fácil eliminar ou aliviar a dor lombar quando ela começa a ser tratada no seu estágio inicial.

Geralmente as pessoas aguardam até não conseguir mais se mover ou quando a dor já está irradiando para as pernas, para procurar um médico. Nesse estágio, é mais difícil e trabalhoso lidar com o desconforto.

2 Comentários

Deixe o seu comentário.

Deixe o seu comentário

Send this to a friend