CENTRO DE TRATAMENTO DE DOR: Dor, Acupuntura Médica, Ondas de Choque, Fisiatria e Fisioterapia.

Bursite isquiática

A bursite isquiática é uma condição que causa dor nas nádegas e é caracterizada por uma lesão nos tecidos e inflamação da Bursa isquioglútea.

A Bursa isquioglútea é um pequeno saco cheio fluidos lubrificantes designado para reduzir o atrito entre as camadas adjacentes de tecidos leves. A Bursa isquiática está localizada na base da pélvis, no nível de uma proeminência óssea conhecida como tuberosidade isquiática.

Os músculos isquiotibiais são originários da pelve (tuberosidade isquiática) e inserem-se acima dos ossos inferiores da perna. Os músculos isquiotibiais se anexam à pelve através do tendão isquiotibial. A bursa isquiotibial situa-se entre o tendão e o osso pélvico (tuberosidade isquiática).

Os músculos isquiotibiais são responsáveis pela flexão do joelho, endireitar o quadril durante a atividade e são particularmente ativos durante corridas, saltos e chutes. Durante a contração dos isquiotibiais, a tensão é colocada através do tendão que por sua vez coloca atrito sobre a bursa isquiática. A pressão pode também ser colocada na bursa isquiática ao se sentar.

Quando estas forças são excessivas devido à repetição ou força, pode ocorrer a irritação e a inflamação da bursa isquioglútea. Esta condição é conhecida como um bursite isquiática.

 

Causas da bursite Isquioglútea

A bursite isquiática ocorre geralmente devido a atividades repetitivas ou uma tensão prolongada sobre a bursa isquioglúteal.

Normalmente, isso ocorre ao ficar sentado muito tempo (em particular sobre superfícies duras) ou devido a corridas, saltos, chutes (colocando pressão sobre a bursa isquioglútea via tendão dos isquiotibiais).

Ocasionalmente, os pacientes podem desenvolver esta condição de repente, na sequência de um golpe direto na bursa isquioglúteal. Isto pode ocorrer devido a uma queda em alguma superfície dura.

Sinais e sintomas da bursite isquiática

Pacientes com bursite isquiática normalmente apresentam a dor na nádega inferior. Em casos menos graves, os pacientes podem apresentar apenas uma dor ou rigidez na nádega que aumenta com o repouso seguido de atividades que colocam pressão sobre a bolsa isquioglúteal.

Estas atividades incluem tipicamente ficar sentando por muito tempo (especialmente em superfícies duras), andar, correr, saltar, chutar ou subir escadas. A dor associada com bursite isquiática também pode ser aliviada com exercícios durante as fases iniciais da doença.

Conforme a doença progride, os pacientes podem apresentar sintomas mais nítidos ou mais graves que aumentam durante a prática de esporte ou alguma atividade, afetando o desempenho.

Os pacientes com frequência têm uma dor na bursa isquiática e tendão dos isquiotibiais. Ocasionalmente, uma sensação de fraqueza nas pernas também pode estar presente, particularmente quando se tenta acelerar durante uma corrida.

dor no quadril bursa
Diagnostico da Bursite Isquiática

Um exame subjetivo e objetivo cuidadoso realizado por um médico especialista pode ser suficiente para diagnosticar bursite isquiática.

Investigações adicionais, como exames de ultrassom, raios-X, tomografia computadorizada ou ressonância magnética são muitas vezes necessários para auxiliar no diagnóstico e avaliação da gravidade da patologia.

Prognóstico de bursite isquioglútea

A maioria dos pacientes com esta condição se cura com fisioterapia adequada e volta a suas atividades normais em questão de semanas. Ocasionalmente, a reabilitação pode demorar muito mais e pode levar meses naqueles que já sofrem com a condição por um longo período.

Iniciar o tratamento cedo é vital para acelerar a recuperação em todos os pacientes com bursite isquiática.

Fatores que contribuem para o desenvolvimento de bursite isquiática

Rigidez articular (principalmente do quadril)
Rigidez muscular (particularmente os isquiotibiais e glúteos)
Treinamento inadequado ou excessivo
Fraqueza muscular (especialmente os isquiotibiais e glúteos)
Aquecimento inadequado
Biomecânica ruim (por exemplo, comprimento do passo excessivo)
Estabilidade interior ruim
Tensão neural
Discrepância no comprimento da perna
Reabilitação inadequada após uma lesão da nádega anterior
Bursite Trocantérica scaled

Fisioterapia para a bursite isquiática

Massagem de tecidos moles (liberação miofascial)
Eletroterapia (por exemplo, ultrassom)
Alongamento
Mobilização das articulações
Uso de muletas
Gelo ou tratamento térmico
Exercícios para melhorar a força, flexibilidade e estabilidade do core
Correção da biomecânica anormal
Retorno gradual a um programa de atividades

Outras intervenções para a bursite isquiática

Apesar do tratamento de fisioterápico adequado, alguns pacientes com esta condição não se recuperam adequadamente. Quando isto ocorre, o fisioterapeuta ou médico irá aconselhar o paciente sobre o melhor curso de tratamento.

Isso pode incluir novos exames, tais como raios-X, ultrassom, Ressonância magnética ou tomografia computadorizada, a intervenção farmacêutica, injeção de corticoide, drenagem da bursa ou encaminhamento para as autoridades médicas apropriadas que irão aconselhar sobre quaisquer intervenções que podem ser apropriadas para melhorar a condição.

Exercícios para a bursite isquiática

Os seguintes exercícios são comumente prescritos para pacientes com esta patologia.

Você deve discutir a adequação destes exercícios com seu fisioterapeuta antes de iniciar as atividades. Em geral, devem ser realizados 2 – 3 vezes por dia, apenas se não causarem ou aumentarem os sintomas.

Seu médico pode aconselhar quando é apropriado começar os exercícios iniciais e eventualmente, progredir para os exercícios intermediários e avançados. Como regra geral, a adição de exercícios ou progressão para mais exercícios avançados deve ocorrer desde que não haja aumento dos sintomas.

Clinica Hong Jin Pai Sao Paulo e1621991307344

RUA SAINT HILAIRE 96 – JARDIM PAULISTA – SÃO PAULO – SP

Clínica de Dor, Fisiatria e Acupuntura Médica

Clínica médica especializada localizada na região dos Jardins, próximo à Av. Paulista, em São Paulo — SP.

Centro de Dor, com médicos especialistas pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.

Tratamento por Ondas de Choque, Infiltrações, Bloqueios anestésicos e Acupuntura Médica

Dr. Marcus Yu Bin Pai

CRM-SP: 158074 / RQE: 65523 - 65524 | Médico especialista em Fisiatria e Acupuntura. Área de Atuação em Dor pela AMB. Doutorado em Ciências pela USP. Pesquisador e Colaborador do Grupo de Dor do Departamento de Neurologia do HC-FMUSP. Diretor de Marketing do Colégio Médico de Acupuntura do Estado de São Paulo (CMAeSP). Integrante da Câmara Técnica de Acupuntura do Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (CREMESP). Secretário do Comitê de Acupuntura da Sociedade Brasileira para Estudo da Dor (SBED). Presidente do Comitê de Acupuntura da Sociedade Brasileira de Regeneração Tecidual (SBRET). Professor convidado do Curso de Pós-Graduação em Dor da Universidade de São Paulo (USP). Membro do Conselho Revisor - Medicina Física e Reabilitação da Journal of the Brazilian Medical Association (AMB).  

Deixe o seu comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.