AVISO: NOVO LOCAL DE ATENDIMENTO - Rua Saint Hilaire 96 (a 5 minutos da clínica antiga), de segunda a sábado. Maiores informações, entrar em contato via WhatsApp

Dor de cabeça constante: o que pode ser?

Os distúrbios da dor de cabeça estão entre os distúrbios mais comuns do sistema nervoso. Estima-se que quase metade da população adulta tenha apresentado pelo menos um episódio de dor de cabeça no último ano.

Conviver com dor de cabeça constante além de ser bastante incômodo é sinal de que o organismo necessita de uma maior atenção. Seja por causa de uma doença e seus sintomas ou pela falta de hábitos saudáveis. Por isso, diante de tais desconfortos, a melhor alternativa é buscar ajuda médica e realizar o tratamento adequado.

dor de cabeca constante

O que é dor de cabeça constante? Classificação e tipos

Dor de cabeça, também conhecida com cefaleia, é uma condição que pode ser desencadeada por diferentes causas e existe, ainda, uma ampla variedade de tipos comumente relatados na clínica médica.

Ao analisar um quadro de dor de cabeça constante é importante perceber algumas características como:

  • se elas ocorrem em um ponto específico ou se abrangem uma maior área;
  • qual a intensidade da mesma;
  • se o surgimento é gradual ou abrupto;
  • e qual a duração do quadro (dias, semanas, meses, etc.).

Vale salientar também que há duas classificações para as cefaleias: primárias e secundárias. A distinção entre as duas ocorre porque no caso das primárias não existe nenhuma patologia relacionada.

Já as cefaleias secundárias são sintomas de alguma doença prévia que podem ser decorrentes de uma infecção por vírus ou bactéria, bem como por uma alteração fisiológica como a fibromialgia, por exemplo.

Além disso, destacamos que uma dor de cabeça pode ser de três tipos: tensional, enxaqueca ou em salvas. Cada uma delas apresenta suas causas próprias, sintomas associados e manifestam-se de formas específicas como veremos a seguir.

 

Caracteristicas da Enxaqueca

Causas comuns

Os diagnósticos mais comuns para dores de cabeça recorrentes incluem a cefaleia tensional, cefaleia cervicogência, além de enxaqueca (que pode ser com ou sem aura).

Outros padrões de dor de cabeça recorrente são mais raras, tais como a cefaleia em salvas ou neuralgia do trigêmeo.

Inicialmente iremos abordar as causas mais comuns para uma dor de cabeça de origem primária. Alguns gatilhos comuns podem estar relacionados a:

Salientamos que cada tipo de cefaleia pode ser associada a alguma(s) dessas causas.

Algumas causas comuns de dores de cabeça

Enxaqueca

As enxaquecas geralmente começam à noite ou durante o sono. Em algumas pessoas, os ataques são precedidos por várias horas de fadiga, depressão e lentidão ou irritabilidade e inquietação. Como os sintomas da enxaqueca variam bastante, pelo menos metade de todos os que sofrem de enxaqueca acham que têm dores de cabeça nos seios da face (sinusite) ou tensão, e não enxaquecas.

Por exemplo, os quadros de enxaqueca são constantemente associados a ingestão de alimentos específicos, em excesso ou não, bem como à hipoglicemia ocasionada por jejum prolongado. Ainda, são comuns quando o paciente sente algum odor forte ou não consegue dormir adequadamente.

 

 

Cefaléia tensional

Dores de cabeça tensionais são o tipo mais comum de dor de cabeça. Estresse e tensão muscular são frequentemente fatores nessas dores de cabeça. Dores de cabeça tensionais normalmente não causam náusea, vômito ou sensibilidade à luz.

Eles causam uma dor constante, em vez de latejante, e tendem a afetar os dois lados da cabeça. As dores de cabeça tensionais podem ser crônicas, ocorrendo frequentemente ou todos os dias.

Em relação às cefaleias primárias tensionais, as causas muitas vezes têm relação com situações de estresse, baixa qualidade do sono, ansiedade e sobrecarga física e/ou intelectual. O resultado é uma maior contração da musculatura da face, pescoço, dorso, etc., bem como constrição de nervos e vasos cerebrais.

 

 

Cefaléia por abuso de analgésicos

Uma causa importante e comum da progressão da dor de cabeça é o uso excessivo de certos medicamentos para dor de cabeça. Quando tomados com frequência, os próprios medicamentos usados para tratar ataques de dor de cabeça do tipo tensão e enxaqueca podem fazer com que a dor de cabeça episódica evolua para uma condição de dor de cabeça crônica.

Alguns medicamentos que podem ter um papel neste processo incluem:

  • Analgésicos combinados com cafeína
  • Ergotamina
  • Opiáceos
  • Triptanos

Todos esses medicamentos podem ser eficazes no tratamento da dor de cabeça episódica quando usados ocasionalmente.

No entanto, quando usados mais de dois dias por semana, eles podem transformar e agravar a dor de cabeça. O resultado é chamado de dor de cabeça por uso excessivo de analgésicos.

Para dores de cabeça por uso excessivo de medicamentos, a dor geralmente melhora quando o medicamento é diminuído e, em seguida, descontinuado.

 

 

Dores de cabeça secundárias

Mas quando a dor de cabeça constante é secundária os motivos que geram o seu surgimento têm conexão com a patologia pré-existente. A seguir elencamos algumas doenças que apresentam a cefaleia como um dos sintomas:

  • gripes e resfriados;
  • sinusite;
  • meningite;
  • toxoplasmose;
  • trauma na região;
  • aneurisma cerebral;
  • disfunções hormonais;
  • fibromialgia;
  • tumores cerebrais.

Nestes casos, é de extrema importância perceber os vários sintomas que acompanham o quadro da dor, pois durante o diagnóstico eles são essenciais para a identificação da causa inicial da cefaleia.

Por exemplo, uma sinusite aguda pode causar dor na testa, no nariz e nos olhos, nas bochechas ou nos dentes superiores. Inclinar-se para a frente aumenta a dor. Corrimento nasal espesso, congestão e febre apontam o problema para os seios. Quando a infecção aguda desaparece, a dor desaparece. A sinusite não é uma causa comum de dores de cabeça crônicas ou recorrentes.

Fatores de risco para dor de cabeça constante

Os principais riscos para a progressão de dores de cabeça para dor de cabeça crônica constante incluem:

Abuso de analgésicos e anti-inflamatórios

Geralmente, uso maior que 2 vezes na semana durante meses , pois pode modificar as características da dor.

Estresse e burnout

As comorbidades psiquiátricas são mais frequentes em pessoas que sofrem de dor de cabeça

Sono ruim (insônia)

Distúrbios de cefaléia e enxaqueca e do sono são condições complexas que frequentemente estão entrelaçadas em um ciclo vicioso, com um desencadeando o outro.

Obesidade

O risco de enxaqueca aumenta com o aumento da obesidade – do peso normal ao excesso de peso e ao obeso. Além disso, a obesidade aumenta o risco de alguém com um padrão episódico de dores de cabeça se transformar em um padrão crônico

Cafeína

Pode desencadear o que é conhecido como rebote de cafeína. O exagero e, posteriormente, a abstência da cafeína pode resultar em efeitos colaterais graves, às vezes piores do que uma dor de cabeça ou enxaqueca típica

Ansiedade e depressão

Cerca de 20% das pessoas com enxaqueca episódica têm ansiedade e entre 30% e 50% das pessoas com enxaqueca crônica também têm ansiedade.

Diagnóstico de dor de cabeça constante

Durante a consulta o médico busca informações relativas ao histórico clínico do paciente, hábitos de vida e possíveis condições hereditárias existentes. Junto, alguns questionamentos são mais recorrentes e visam identificar:

  • se houve ingestão de algum alimento específico;
  • qual o local da dor (laterais da cabeça, nuca, testa, etc.);
  • quando começaram as dores (dias, semanas, etc.);
  • qual a duração (minutos, horas, etc.) e a intensidade da dor;
  • se existe algum fator que alivia o desconforto;
  • se há alguma relação com a prática de atividade física;
  • como está a qualidade do sono ultimamente.

Enfim, a partir de informações como estas o clínico consegue ampliar sua perspectiva e verificar quais os exames complementares necessários.

Estes são, em geral, de sangue, de imagem e neurológicos. Juntos possibilitam verificar como está a anatomia da cabeça, assim como detectar a presença de indicadores para alterações fisiológicas e bioquímicas no organismo do paciente.

Na grande maioria dos casos, exames de imagem como tomografias computadorizadas, ressonâncias magnéticas são desnecessárias, com resultado normais em cefaleias tensionais, enxaquecas e outras dores de cabeça comuns.

Obter um diagnóstico específico da dor de cabeça que seja preciso é muito importante, pois terá uma grande influência na correspondência do seu plano de tratamento com o tipo de dor de cabeça e a gravidade da doença.

O diagnóstico influencia o plano de tratamento, direcionando o tipo de exames médicos executados, o tipo de medicamentos recomendados e os objetivos de gerenciamento de longo prazo que você e seu médico selecionam.

Sintomas

Nas cefaleias primárias é necessário distinguir os sinais das dores de cabeça em salvas, tensionais ou enxaqueca.

  • Cefaleias em salvas têm como sintomas principais: dor intensa em apenas um dos lados da cabeça; vermelhidão, inchaço e lacrimejamento do olho; e corrimento nasal. Além disso, costumam acontecer em momentos específicos do dia, ciclicamente.
  • A dor de cabeça tensional possui sintomas como: dor com intensidade de leve a moderada que surge gradualmente, nos dois lados da face; cansaço físico; e dores musculares associadas.
  • Já a enxaqueca é identificada por meio de: dor de moderada a intensa em apenas um ou em ambos os lados da cabeça; enjoos; tontura; sensibilidade à luz e ao som; e fadiga geral do corpo.

Porém, quando a dor de cabeça constante decorre de uma doença prévia, os sintomas podem ser muito variados, pois dependem da patologia em questão.

Quando se preocupar com dores de cabeça constantes?

Aqui estão alguns sinais de alerta para quando você deve se preocupar com dores de cabeça:

  • Dores de cabeça que se desenvolvem após os 50 anos
  • Uma grande mudança no padrão de suas dores de cabeça
  • Uma dor de cabeça incomumente severa
  • Dor na cabeça que aumenta com tosse ou movimento
  • Dores de cabeça que pioram constantemente
  • Dores de cabeça acompanhadas de febre, rigidez do pescoço, confusão, diminuição da atenção ou memória ou sintomas neurológicos, como distúrbios visuais, fala arrastada, fraqueza, dormência ou convulsões
  • Mudanças na personalidade ou função mental
  • Dores de cabeça que são acompanhadas de dor e sensibilidade perto das têmporas
  • Dores de cabeça após um traumatismo (“pancada”) na cabeça
  • Dores de cabeça que impedem atividades diárias normais
  • Dores de cabeça que aparecem subitamente, especialmente se você acordar
  • Dores de cabeça em pacientes com câncer ou sistema imunológico comprometido

Na presença dos sinais acima indicados, o ideal é recorrer a um médico o quanto antes, pois nestes casos uma intervenção precoce é a melhor estratégia para controlar a evolução da doença e prevenir uma dor de cabeça recorrente.

Tratamento

Os tratamentos para as cefaleias dependem da causa, mas têm entre seus objetivos o alívio dos desconfortos e a melhora da qualidade de vida do paciente. Afinal, conviver com a dor de cabeça constante afeta diretamente as atividades diárias essenciais.

Portanto, para minimizar a dor podem ser utilizados fármacos como analgésicos, anti-inflamatórios, relaxantes musculares e/ou antidepressivos. A escolha feita pelo médico depende da causa, da intensidade e da duração da dor.

Além disso, mudanças no estilo de vida costumam ser abordagens escolhidas para o tratamento das cefaleias. E citamos, nesse sentido, algumas medidas que além de minimizar as dores também previnem a recorrência das mesmas:

  • relaxar diariamente por meio de alongamento, meditação, yoga, etc.;
  • incorporar a prática de atividades físicas à rotina;
  • manter uma alimentação saudável e equilibrada em nutrientes;
  • evitar o consumo excessivo de álcool;
  • não fumar e nem fazer uso de outras drogas;
  • dormir cerca de oito horas por dia.

Enfim, por meio de tais medidas, consegue-se uma melhor adaptação aos vários fatores de estresses ao qual estamos expostos diariamente. Consequentemente, previne-se tanto uma dor de cabeça constante de origem primária como uma série de patologias que apresentam cefaleias como um dos sintomas.

Aprenda a reconhecer sinais de alerta que exigem atendimento médico imediato. Converse com seu médico para desenvolver um programa para prevenir e tratar enxaquecas e outras dores de cabeça graves.

Dr. Marcus Yu Bin Pai

CRM-SP: 158074 / RQE: 65523 - 65524 | Médico especialista em Fisiatria e Acupuntura. Área de Atuação em Dor pela AMB. Doutorando em Ciências pela USP. Pesquisador e Colaborador do Grupo de Dor do Departamento de Neurologia do HC-FMUSP. Diretor de Marketing do Colégio Médico de Acupuntura do Estado de São Paulo (CMAeSP). Integrante da Câmara Técnica de Acupuntura do Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (CREMESP). Secretário do Comitê de Acupuntura da Sociedade Brasileira para Estudo da Dor (SBED). Professor convidado do Curso de Pós-Graduação em Dor da Universidade de São Paulo (USP). Membro do Conselho Revisor - Medicina Física e Reabilitação da Journal of the Brazilian Medical Association (AMB).

6 Comentários

Deixe o seu comentário.
  • Edson Pereira Da Silva

    Boa noite Dr Hong??
    Estou com uma dor de cabeça a dois dias oque pode ser ,e qual remédio devo tomar.
    Ou pode ser um avc.

  • Jefferson jangada da Rosa

    Boa tarde doutor . Estou com dor no corpo e dores de cabeça a vários dias. O que pode ser e qual medicamento devo tomar ?

  • Estou com dores de cabeça já á uma semana.
    Tenho tomado todas as dias medicamentos mais na tem resultados.
    O que posso mais fazer?

  • Há 4 anos fiz uma ressonância e mostrou em vaso cruzando sobre um par de nervos… fui no neurologista sem sucesso algum com os medicamentos q ele receitou um deles foi gabapentina.
    Junto da dor constante de cabeça tem dores horríveis na orelha não sei mais o que tomar .tem alguma orientação? Por favor .

  • Dalva aparecida da Silva nome

    Bom dia doutor estou com uma dor de cabeça a uns sete dias só de um lado da cabeça e nuca tenho tomado analgésico melhora mas volta oque fazer

  • Boa noite Dr estou sentindo forte dores de cabeça e febre já tem 6 dias o que pode ser ?

Deixe o seu comentário

Send this to a friend