AVISO: Informamos que devido ao COVID-19, estamos fechados temporariamente a princípio até o dia 07/04. Para maiores informações, favor entrar em contato via WhatsApp

Síndrome do Pronador Redondo

A síndrome do pronador redondo é uma neuropatia compressiva do nervo mediano, com sintomas parecidos com a síndrome do túnel do carpo.

O antebraço é a parte inferior do braço, que realiza movimentos de supinação e pronação. Por isso, os músculos presentes no antebraço têm como função estes movimentos, bem como os de flexão e extensão em direção ao braço. As articulações relacionadas ao antebraço são o cotovelo e o pulso.

São vinte músculos presentes no antebraço. Um deles é o pronador redondo, localizado na parte anterior superficial e faz parte de um grupo de oito músculos. O pronador redondo é o músculo responsável pelo movimento de pronação, ou seja, virar a palma da mão para baixo e colocar uma posição contrária à anatômica.

O músculo pronador redondo possui duas cabeças, a ulnar e a umeral, ou seja, uma cabeça na ulna, o maior osso do antebraço e uma cabeça no úmero, o maior osso da parte superior do braço.

Outra informação necessária é sobre a inervação do antebraço, que é feita pelo nervo mediano, cuja raiz se encontra na cervical. A partir desta e das informações anteriores, é possível agora compreender do que se trata a síndrome do pronador redondo, bem como quais são as causas relacionadas, os sintomas apresentados e os possíveis tratamentos.

O que é a síndrome do pronador redondo?

sindrome-do-pronador-redondo

A síndrome do pronador redondo é uma neuropatia compressiva, isto é, caracteriza-se pela compressão do nervo mediano, que ocorre próximo ao cotovelo.

É considerada uma síndrome porque ocorre uma disfunção do nervo mediano, de forma que a sensibilidade e o aspecto motor sejam alterados devido à dificuldade da passagem dos impulsos nervosos.

Vale ressaltar a diferença entre outras compressões do nervo medial, ou seja, além da síndrome do pronador redondo, outras localidades de compressão no nevo mediano podem surgir e assim caracterizar outra neuropatia, como a síndrome do túnel do carpo, que deve fazer parte da hipótese diagnóstica e poder identificar se realmente trata-se da síndrome do pronador redondo.

Causas da síndrome do pronador redondo

O principal fator que tem sido associado ao desenvolvimento da síndrome do pronador redondo é a questão das condições de trabalho. Dessa forma, esta neuropatia é considerada uma doença ocupacional.

Dessa forma, tarefas repetitivas que esforçam o músculo pronador redondo se tornam fortes fatores para que o trabalhador desenvolva a síndrome. Tarefas como carregamento de peso, apertar parafuso, rosquear ferramentas, martelar, entre outras.

Além do trabalho, como causa necessária, outras causas possíveis são a prática de esportes que também exigem o movimento de pronação, como basquete, tênis, baseball, entre outros, bem como prática de musculação, que causa maior tonicidade do músculo.

O que leva à compressão do nervo mediano pode ser o superdesenvolvimento fibroso do músculo, que ao aumentar o volume comprime o nervo, além disso, o ligamento de Struthers também pode comprimir o nervo.

Sintomas da síndrome do pronador redondo

sindrome do pronador redondo

Sabemos que o nervo mediano é responsável pela sensibilidade e pelo aspecto motor. A área inervada por este nervo inclui o antebraço, parte da palma da mão e parte do dedo polegar, todo o dedo indicador e médio e metade do anelar, assim os sintomas envolvem estes aspectos, confira abaixo os principais sintomas:

-Formigamento no antebraço;

-Formigamento na palma da mão;

-Formigamento nos dedos;

-Dor na lateral interna do antebraço;

-Dificuldade em movimentar os dedos;

-Restrição do movimento de pinça entre o polegar e o indicador;

-Rigidez nos dedos.

É devido à semelhança dos sintomas, que há confusão no diagnóstico da síndrome do pronador redondo e a síndrome do túnel do carpo, estima-se que a maioria dos casos diagnosticados com síndrome do túnel do carpo seja na verdade síndrome do pronador redondo. Dessa forma, o exame clínico para ambas as síndromes não é suficiente.

São feitos também exames de imagem, especificamente o eletromiograma e o artrotomografia com reconstrução 3D para uma verificação do local de compressão mais adequadamente.

No entanto, o diagnóstico adequado só é possível com o conjunto destes exames, ou seja, a avaliação clínica, os exames de imagem e o exame físico, para que assim seja possível um tratamento eficaz e com menores chances de erro.

Tratamento para a síndrome do pronador redondo

O tratamento inicialmente visa à descompressão do nervo mediano através de técnicas conservadoras, ou seja, não invasivas. Dentre estas técnicas estão a acupuntura, alongamento, fisioterapia, massagens e medicação.

A acupuntura age por meio de estímulos neurohumorais, ajudando a estimular o músculo pronador redondo a realizar micro-contrações, interferindo, portanto, na movimentação deste músculo, o que faz com que ele ceda espaço ao nervo mediano. Além disso, a acupuntura apresenta efeitos analgésicos, anti-inflamatórios e relaxante muscular que podem ajudar no controle dos sintomas e dador.

O alongamento auxilia no tratamento, pois ao alongar o músculo e os ligamentos, a estrutura que estiver comprimindo o nervo, poderá ceder devido à elasticidade que esta prática proporciona, além disso, o alongamento traz benefícios para a saúde muscular. Esta prática é recomendada também para fins preventivos, ou seja, realizar alongamentos diariamente evita vários problemas musculares, esqueléticos e nervosos.

A síndrome do pronador redondo enquanto uma doença ocupacional deve ser prevenida no ambiente de trabalho, a prática de alongamento antes do início da jornada diária, durante os intervalos e ao final da jornada é essencial, além disso, a empresa que oferece ginástica laboral e ergonomia também contribui com a prevenção desta neuropatia e outras patologias.

Em relação ao esporte como causador da síndrome, a forma de prevenção também inclui o alongamento que os atletas devem fazer antes dos treinos e ao final, bem como nos dias em que não houver treino ou competições.

Da mesma forma, a pessoa praticante de musculação deve alongar-se diariamente, mesmo nos dias que não realizar a atividade. Neste caso, muitos alunos de academia costumam ser leigos em relação à importância do alongamento e é comum que muitas academias não dêem a devida atenção a esta prática, dessa forma, recomenda-se que os donos de academias e instrutores de musculação adquiram a cultura de inserir o alongamento aos alunos, contribuindo então, com a prevenção da síndrome do pronador redondo e outras agravantes, como lesões.

Em relação à fisioterapia, esta é interessante no tratamento da síndrome, pois a mesma contribui com o alívio da dor, auxilia no fortalecimento e alongamento do músculo, ajuda a movimentar o pronador redondo de forma adequada, bem como auxilia na reabilitação e recuperação dos movimentos dos dedos.

As massagens, por sua vez, são indicadas no tratamento da síndrome, pois além de promover alívio da dor, contribuem com o manuseio das estruturas (fáscias e músculos) do antebraço, podendo promover movimentação interna e assim descomprimir o nervo mediano, mesmo que temporariamente.

As intervenções medicamentosas podem ser indicadas para o controle da dor através da administração de analgésicos, como paracetamol, ou através de anti-inflamatórios não esteróides, como o diclofenaco ou o ibuprofeno. No entanto, estes medicamentos podem causar efeitos adversos, como dor no estômago, diarreia, úlcera, etc.

Para evitar tais efeitos adversos, pode ser recomendada a administração tópica de analgésicos e anti-inflamatorios, ou seja, através de géis, pomadas, sprays ou adesivos. É comum, ainda, a medicação injetável de cortisona.

Ainda em relação aos medicamentos, existe a opção fitoterápica, que consiste no uso de remédios naturais para aliviar a dor, como o gel de arnica, muito conhecido entre os atletas, mas além de aplicar, é preciso envolver o antebraço com uma faixa ou uma órtese.

Por fim, os casos em que o tratamento conservador não solucionar a descompressão ou que apresentar sintomas muito intensos, recomenda-se a cirurgia, que consiste na liberação do nervo mediano, realizada com anestesia local e com incisão na região onde se encontra a compressão – por isso, é imprescindível que o diagnóstico consiga indicar exatamente o local da compressão. Após a cirurgia, os sintomas desaparecem totalmente na maioria dos casos ou regridem consideravelmente.

Conclusão

A síndrome do pronador redondo é uma das neuropatias compressivas menos estudadas, existem mais pesquisas e intervenções direcionadas à síndrome do túnel do carpo, o que dificulta muito o diagnóstico e o tratamento da síndrome do pronador redondo, de forma que muitos casos recebem diagnóstico equivocado, causando piora significativa do quadro.

É importante sintetizar sobre a importância da prevenção, seja no ambiente de trabalho, no esporte, nas academias de musculação ou mesmo em casa, é sempre recomendado realizar alongamento, atividade física orientada e manter a postura adequada na realização das tarefas que exigem o movimento de pronação.

Além disso, é de suma relevância procurar o médico logo no início dos sintomas, pois quanto mais cedo for realizado o diagnóstico, mais eficaz é o tratamento e assim, o paciente consegue retornar à rotina normalmente, afinal, a síndrome do pronador redondo é uma patologia relativamente incapacitante, já que afeta o movimento das mãos, impossibilitando a pessoa de realizar inúmeras funções da rotina, principalmente se o lado afetado for o lado prevalente da lateralidade, e isso é o que geralmente ocorre.

Percebe-se que a compressão do nervo mediano pode causar muita dor e sensações incômodas, atrapalhar a rotina, mas se trata de uma agravante relativamente simples de ser solucionada, mesmo nos casos cirúrgicos, pois o procedimento é simplificado, local e de rápida recuperação. Vale lembrar que o pós-cirúrgico geralmente inclui a indicação de várias sessões de fisioterapia e adoção de hábitos mais adequados.

 

Send this to a friend