AVISO: Retornaremos o atendimento parcialmente a partir de 07/04. Para maiores informações, favor entrar em contato via WhatsApp

Síndrome do intestino irritável: o que é, causas, sintomas e tratamento

A síndrome do intestino irritável (SII) provoca dor ou desconforto abdominal recorrente, constipação, diarreia e cãibras, mas que não correspondem necessariamente a uma lesão ou inflamação na mucosa do intestino. Frequentemente ela é confundida, em razão de suas manifestações, com a intolerância à lactose ou ao glúten. O diagnóstico deve ser diferencial, para descartar problemas como intolerâncias, infecções e diferentes tipos de colite. A causa é desconhecida.

 


O intestino humano é um dos principais órgãos do sistema digestivo, é dividido em duas partes: o intestino delgado e o intestino grosso, que juntos podem chegar a medir 9 metros, no entanto, a medida comum do intestino de um adulto entre 6 e 8 metros.

É no intestino delgado que são absorvidos e processados os nutrientes e no intestino grosso é onde a maior parte da água é absorvida, após ter sido utilizada no processo digestivo, é preciso que a água seja absorvida no final do processo, para que a excreção seja sólida e firme, de forma contrária ocorre diarreia.

Os hormônios que estão associados à digestão são a gastrina, a secretina e a colecistocinina (CCK). A gastrina tem como função produzir suco gástrico, essencial no revestimento das paredes intestinais; a secretina estimula todos os órgãos do sistema digestivo a produzirem suas secreções e enzimas; a CCK, por fim, também estimula outros órgãos a produzirem enzimas importantes na digestão.

Além destes hormônios, também se relacionam com o processo digestivo os neurotransmissores acetilcolina e a adrenalina, ambas são hormônios do sistema nervoso, a acetilcolina atua nos movimentos peristálticos que o intestino faz durante a digestão enquanto a adrenalina atua no relaxamento dos órgãos quando não há alimento a ser digerido ou excretado. O nível hormonal é alterado de acordo com as emoções.

Sabendo sobre a anatomia e o funcionamento do intestino, podemos compreender do que se trata a síndrome do intestino irritável, quais as causas, sintomas e tratamento, para tal, continue a leitura.

 

 

O que é síndrome do intestino irritável?

 

A síndrome do intestino irritável é um distúrbio gastrointestinal funcional caracterizado por dor abdominal e hábitos intestinais alterados na ausência de uma patologia orgânica específica e única, embora a inflamação microscópica tenha sido documentada em alguns pacientes.

Estudos baseados em população estimam a prevalência da síndrome do intestino irritável em 10-20% e a incidência da síndrome do intestino irritável em 1% a 2% ao ano.

 

 

Causas da síndrome do intestino irritável

A causa específica da síndrome do intestino irritável ainda não é conhecida, já que não há doença orgânica evidente. Nenhuma causa anatômica pode ser encontrada em exames laboratoriais, radiografias e biópsias.

Dessa forma, não se sabe exatamente os fatores que levam um indivíduo a desenvolver a síndrome e outros não, no entanto, supõe-se que o intestino dos pacientes acometidos seja mais sensível e suscetível a estímulos como estresse ou tipo de alimentos.

O que é observado nos casos clínicos é que os movimentos peristálticos não funcionam adequadamente. Vale lembrar que tais movimentos são controlados pelo sistema nervoso autonônomo através da acetilcolina. Sem que tais movimentos sejam realizados uniformemente e adequadamente, a digestão fica lenta e ineficaz.

Dessa forma, pode ocorrer o aumento ou a redução destes movimentos e com isso, as fezes são excretadas com excesso ou com escassez de água, ocasionando a diarreia ou constipação.

Quando a síndrome já está instalada, alguns alimentos podem agravar o quadro, a saber: leite e derivados, chocolate, álcool, cereais, aveia, cevada, pois podem aumentar a absorção de água e assim, aumentar a diarreia; consumir grande quantidade de comida também pode piorar os sintomas, bem como estar no período menstrual e a administração de alguns medicamentos.

Fatores emocionais, dieta, drogas ou hormônios podem precipitar ou agravar os sintomas gastrointestinais.

Está comprovada a relação que as emoções têm no organismo humano. E o sistema digestivo é um dos primeiros que sofrem interferência emocional, assim, a causa mais aceita e mais evidente da síndrome do intestino irritável é relacionada ao estresse, traumas ou outros distúrbios psicológicos.

As principais sensações que uma pessoa nervosa relata é a de frio na barriga e dor de barriga, o nervosismo ocorre frente a uma situação estressora, seja falar em público, uma entrevista de emprego, etc, este tipo de estresse passa conforme a situação passa. Porém o estresse propriamente dito pode causar sintomas mais duradouros, como ocorre com a síndrome em questão.

O estresse é a causa emocional que mais tem sido relatada entre os casos clínicos, entende-se por estresse a resposta fisiológica e mental a um estímulo estressor, tais respostas envolvem nervosismo, cansaço, preocupações, etc. Estas sensações não são apenas no nível psicológico, mas também no somático (corpo), ou seja, diarreia e constipação. Distúrbios do sono também coexistem. No entanto, o estresse e o conflito emocional nem sempre coincidem com o início e a recorrência dos sintomas.

Além do estresse, é comum a associação com a ansiedade, transtornos alimentares, traumas na infância e abuso sexual.

Historicamente, o distúrbio era frequentemente considerado puramente psicossomático. Embora fatores psicossociais estejam envolvidos, a síndrome do intestino irritável é melhor entendida como uma combinação de fatores fisiológicos e psicossociais.

 

 

Sintomas da síndrome do intestino irritável

Os principais sintomas da síndrome do intestino irritável são dor abdominal intermitente, alteração nas fezes – diarreia ou constipação –, sensação de inchaço, excesso de gases no intestino, cólicas e muco nas fezes. Outros sintomas que também podem ser apresentados em alguns casos são refluxo, náuseas e azia.

A diarreia é mais comum do que a constipação, porém, dependendo de cada indivíduo, pode ocorrer mais constipação ou mesmo que os dois sintomas ocorram intercalados.

Além dos sintomas fisiológicos, o indivíduo acometido pode perceber alteração no humor devido ao desconforto psicológico que a síndrome causa e, principalmente, por este indivíduo já se encontrar psicologicamente propenso; pode ainda observar perda ou aumento de apetite e do sono, devido às alterações hormonais.

É preciso analisar as situações em que os sintomas são agravados, para que seja feita uma a associação entre os estímulos estressores e o quadro, tornando possível a extinção de tais situações.

Os sintomas do intestino irritável variam para cada pessoa. Você pode ter alguns ou todos os sintomas listados acima. Você pode até ter evacuações normais em alguns dias. A maioria das pessoas tem sintomas leves, mas algumas podem ser graves o suficiente para afetar sua vida diária.

 

Tipos de intestino irritável

Existem três tipos principais de SII:

-SII com constipação (IBS-C)

Em dias com pelo menos um movimento intestinal anormal, você tem:

Fezes duras ou irregulares pelo menos 25% do tempo.
Fezes soltas ou aquosas menos de 25% do tempo.

-SII com diarreia (IBS-D)

Em dias com pelo menos um movimento intestinal anormal, você tem:

Fezes duras ou irregulares em menos de 25% do tempo.
Banquetas frouxas ou aquosas pelo menos 25% do tempo.

-SII Misto (IBS-M)

Em dias com pelo menos um movimento intestinal anormal, você tem:

Fezes duras ou irregulares pelo menos 25% do tempo.
Banquetas frouxas ou aquosas pelo menos 25% do tempo.

 

 

Diagnóstico do intestino irritável

Não há testes ou exames que detectem o intestino irritável.

No entanto, o seu médico pode procurar um padrão nos seus sintomas. Além disso, seu médico pode solicitar exames para descartar outros problemas. Esses testes podem incluir um exame de sangue, um teste de fezes, uma colonoscopia ou raio-X do trato gastrointestinal inferior (região abdominal).

Seu médico fará um exame do seu abdômen. Ele ou ela irá verificar se há inchaço, dor, sensibilidade ou sons incomuns. O seu médico irá perguntar-lhe:

-Se a sua dor melhorar ou piorar após um movimento intestinal.
-Quantas vezes você tem um movimento intestinal.
-Como são seus movimentos intestinais.

Você pode ser diagnosticado com intestino irritável se você tiver sintomas semanalmente por 3 meses e seus sintomas começaram pelo menos seis meses atrás.

 

 

Tratamento da síndrome do intestino irritável

O tratamento da síndrome do intestino irritável tem como objetivo básico amenizar os sintomas e tratar o contexto emocional do paciente. Tratar apenas os sintomas não irá curar o paciente, porém proporcionará maior qualidade de vida e com menos sofrimento somático, o paciente poderá se dedicar ao tratamento psicológico também.

Dessa forma, o tratamento inclui a remissão dos sintomas através de medicamentos gastrointestinais, reposição hormonal, laxantes – nos casos de constipação –, remédios que controlam diarreia, antiespasmódicos – para o controle dos espasmos e melhora dos movimentos peristálticos, analgésicos e antidepressivos ou ansiolíticos.

Os antidepressivos ou ansiolíticos são administrados com a finalidade de controlar os neurotransmissores, a fim de melhorar o humor e demais conteúdos emocionais do paciente, no entanto, os psicofármacos não são suficientes no tratamento das psicopatologias, é necessário o tratamento psicológico.

A acupuntura é uma terapia alternativa popular para intestino irritável e outras condições. É comprovadamente eficaz no tratamento da dor crônica, de acordo com pesquisadores do National Institutes of Health (NIH). No entanto, os estudos são contraditórios sobre se este tratamento realmente funciona para o intestino irritável. Alguns pequenos estudos mostram que a acupuntura pode ajudar com o inchaço abdominal e outros sintomas da SII.

A psicoterapia é essencial para identificar as situações estressoras que podem ter desencadeado a síndrome do intestino irritável e assim trabalhar na remissão destas situações; para investigar a causa inicial, ou seja, a presença de algum trauma infantil ou na idade adulta, bem como trabalhar esta questão para que seja resolvida; para auxiliar no controle emocional, através do autoconhecimento; para realizar exercícios de respiração diafragmática e de relaxamento gradual, etc. A psicoterapia é fundamental para que o tratamento psicofarmacológico tenha seu efeito mais eficaz.

Pode haver indicação do médico para um nutricionista ou nutrólogo, a fim de que uma alimentação adequada seja elaborada, ou seja, que contenha alimentos que auxiliam no funcionamento apropriado do intestino.

Vale adiantar alguns hábitos alimentares que podem começar a ser inseridos no dia-a-dia:

-Líquidos: ingerir sucos naturais de limão, maçã, caju e goiaba para controlar a diarreia e vitaminas ou sucos de mamão e beterraba podem ajudar na constipação, alguns chás (sem cafeína) e água de coco também podem ajudar na digestão;

-2 litros de água por dia: nos casos de diarreia é importante repor a água perdida, nos casos de constipação é preciso hidratar o intestino para que as fezes contenham mais água;

-Refeições de 3 em 3 horas: este é um lema muito comum, cujo benefício é manter o organismo com um bom intervalo metabólico;

-Legumes: chuchu, abobrinha, batata, inhame, cenoura, mandioca são ótimos alimentos para os casos de diarreia;

-Carboidratos simples: pão branco, bolachas de água e sal, macarrão, arroz e torradas são carboidratos de cadeia simples, ou seja, de rápida absorção, ideal para casos de diarreia, mas devem ser evitados nos casos de constipação.

 

 

Conclusão

A síndrome do intestino irritável não é considerada uma patologia orgânica, mas pode ser entendida como uma condição psicossomática, uma vez que a maioria dos pacientes apresenta uma questão emocional ligada ao desenvolvimento da síndrome. Vimos que a alteração hormonal gera a disfunção dos intestinos, decorrente de estresse, ansiedade, traumas, ou seja, quadros psicológicos que afetam quase diretamente ao sistema digestivo.

Dessa forma, o tratamento para a síndrome deve incluir a remissão dos sintomas através de medicamentos específicos e a psicoterapia, para o tratamento da raiz do problema. Foi visto que a psicoterapia tem sua importância na investigação das situações estressoras e na contribuição da remissão dos sintomas, através do controle do nervosismo com as técnicas de respiração e relaxamento.

Vale destacar a importância de ambos os tratamentos, não basta tratar apenas o emocional ou apenas tratar os sintomas fisiológicos, o ideal é o tratamento combinado.

Conviver com a síndrome do intestino irritável proporciona baixa qualidade de vida, por isso, é fundamental que o paciente procure um gastroenterologista ou um clínico geral e um psicólogo e que tenha uma boa adesão em ambos os tratamentos, para que então, possa ter de volta uma vida com mais qualidade e bem-estar.

 

 

Referências Bibliográficas

Irritable bowel syndrome – Mayo Clinic

Irritable bowel syndrome – Medscape

Irritable bowel syndrome – MedicineNet

 

Send this to a friend