CENTRO DE TRATAMENTO DE DOR: Dor, Acupuntura Médica, Ondas de Choque, Fisiatria e Fisioterapia.

Cervicobraquialgia: O que é, causas e sintomas

Dor no pescoço que irradia para o braço é o sintoma que caracteriza a cervicobraquialgia. A condição pode ser unilateral ou bilateral e geralmente tem origem na compressão de algum nervo. 

A radiculopatia cervical, comumente chamada de “nervo comprimido“, ocorre quando um nervo no pescoço é comprimido ou irritado, onde se ramifica da medula espinhal. Isso pode causar dor que irradia para o ombro, além de fraqueza e dormência muscular que percorre o braço e a mão.

Leia mais sobre dor no pescoço, causas, sintomas e quando se preocupar. 

Vale ressaltar que esta condição clínica pode ser decorrente de diferentes causas e o melhor tratamento só é definido a partir de um diagnóstico completo e adequado.

Em todo caso, informar-se é um primeiro passo. Continue a leitura e entenda o que é cervicobraquialgia, o que pode estar por trás do problema, como se dá o seu diagnóstico e qual o tratamento.

Cervicobraquialgia - Dor irradiada do pescoço para os braços

O que é cervicobraquialgia?

A cervicobraquialgia é uma condição clínica que acomete a região da coluna, mais especificamente na área das vértebras cervicais, desde C1 até C7. Porém, diferente do que ocorre nas cervicalgias (dores no pescoço), as dores que caracterizam esse quadro são irradiadas também para os braços.

Logo, o desconforto é ainda maior e, inclusive, costuma ser constante.

Por isso, a cervicobraquialgia frequentemente impede o paciente de realizar eficazmente diversas atividades cotidianas básicas como: escovar os dentes, pentear os cabelos, trocar de roupas, amarrar sapatos, preparar alimentos, escrever e digitar, por exemplo.

Salientamos que, caso não ocorra um diagnóstico do quadro, seguido pelo tratamento adequado, as dores tornam-se cada vez mais debilitantes. Consequentemente, as esferas psicológica e social do paciente podem ficar comprometidas.

Diante disso, é essencial compreender o que é, assim como buscar suporte médico ao perceber os sinais iniciais que caracterizam o problema.

Sintomas

Quando uma raiz nervosa é comprimida, ela fica inflamada. O sintoma principal da cervicobraquialgia é a dor intensa iniciada na região posterior do pescoço, e essa deve, necessariamente, estar acompanhada de irradiação para membros superiores.

As partes doloridas podem ser ombros, braços, cotovelos, antebraços, punhos, mãos e até mesmo os dedos das mãos.

Os sintomas variam de acordo com o local, mas frequentemente incluem dor, fraqueza, dormência e formigamento. Dependendo do nível de progressão da cervicobraquialgia, atrofia muscular pode ser identificada também durante o exame físico.

Destacamos que, inclusive, as dores podem ser estimuladas por alguns movimentos específicos que envolvem as estruturas do membro superior. Nesse sentido, cabe ao paciente estar atento aos eventuais desconfortos que sente na sua rotina diária para poder relatá-los ao médico durante a consulta.

Como o desenvolvimento do quadro depende da individualidade do paciente, citamos outros sintomas associados:

  • Rigidez da musculatura da área acometida;
  • Limitação da mobilidade na região dolorida;
  • Redução da coordenação motora do membro superior afetado;
  • Dor nas costas;
  • Dor de cabeça;
  • Cefaleia cervicogênica;
  • Câimbras;
  • Tonturas;
  • Náuseas.

Finalmente, é preciso salientar que uma cervicobraquialgia não tratada pode ocasionar a recorrência frequente do quadro, ou seja, pode tornar-se crônica e reduzir o bem-estar e a qualidade de vida do paciente.

Seus sintomas específicos dependerão de onde na coluna a raiz nervosa é comprimida. No entanto, também é possível que você não sinta nenhum sintoma ou sofra crises periódicas de sintomas.

Seus sintomas específicos dependerão de onde na coluna a raiz nervosa é comprimida. No entanto, também é possível que você não sinta nenhum sintoma ou sofra crises periódicas de sintomas.

Síndrome Dolorosa Miofascial pode gerar dor irradiada para os braços

A dor miofascial pode dar dor irradiada para os braços

Causas comuns de cervicobraquialgia

Se trata de uma condição multifatorial, ou seja, diversas causas podem estar associadas à origem do problema. 

Características genéticas, idade, prática de atividades físicas, sedentarismo, bem como a presença de outras patologias associadas estão relacionadas ao surgimento da cervicobraquialgia.

Por isso, há que se considerar a individualidade de cada paciente para a obtenção de um diagnóstico adequado e, consequentemente, para definição de tratamentos condizentes com as necessidades da pessoa.

Porém, mesmo que as causas sejam bastante variadas, o fator fisiológico que desencadeia a dor pode ser uma inflamação na região. Como a área cervical é composta por diversos componentes anatômicos, a lesão de qualquer um deles pode incitar o processo inflamatório, como é o caso de traumas e infecções. 

Abaixo, listamos ainda outras condições que podem levar a dor no pescoço que irradia para o braço. 

Compressões nervosas

Os nervos dos membros inferiores, assim como os inferiores, tem origem na coluna, e cada nervo específico confere sensibilidade e força a região inervada. Em casos de dor no pescoço que irradia para o braço, algum desses nervos podem estar comprimidos, o que pode acontecer tanto na altura da coluna como do membro.

Ombro doloroso

Dores no ombro estão geralmente associadas a processos inflamatórios, que podem acometer os tendões, como no caso das tendinites, ou na bursa, o que chamamos de bursite. Outras situações também podem estar relacionadas, como a degeneração articular, causada naturalmente pelo processo de envelhecimento ou por um quadro de artrose.

Síndrome do desfiladeiro cervicotorácico

A síndrome do desfiladeiro cervicotorácico tem origem na compressão de vasos sanguíneos ou nervos na região do canal cervicotorácico, uma comunicação entre a raiz do pescoço e a axila para passagem do plexo braquial e dos grandes vasos da região cervical ao tórax. Esse excesso de pressão pode ter diversas causas, dentre as mais comuns podemos citar costela cervical e síndrome dos escalenos, onde há aumento do volume desses músculos.

Neuropatia periférica

Na neuropatia periférica estão presentes danos graves em vários nervos periféricos. Os sintomas comuns da doença são dor, formigamentos e fraqueza muscular nos braços e nas pernas. O problema acomete tanto homem como mulheres e é mais comum após os 40 anos de idade. Pode estar associado a diabetes mellitus ou ao uso de medicações crônicas.

Síndrome dolorosa miofascial

AA síndrome dolorosa miofascial é uma condição de dor crônica que afeta o sistema musculoesquelético. As suas causas estão associadas a doenças psicológicas, como ansiedade e depressão, mas também a diabetes, problemas na tireoide, anemia e problemas reumáticos. Seu principal sintoma é a dor, que pode piorar com atividade ou estresse.

Infarto agudo do miocárdio

Ao sentir dor no pescoço que irradia para o braço muitas pessoas acabam suspeitando de infarto agudo do miocárdio, nesse caso, também estão presentes sintomas como dor no peito, sudorese, falta de ar, taquicardia, azia e náusea. Diante de um quadro como esse, é essencial buscar ajuda médica o mais rápido possível.

Herpes Zoster

Embora seja uma causa menos frequente, a Herpes Zoster também pode levar a cervicobraquialgia. Essa doença é marcada pelo aparecimento de uma erupção cutânea que segue o trajeto do nervo, causando dor.

A primeira etapa do diagnóstico é a avaliação no próprio consultório.

Diagnóstico

A realização de um diagnóstico completo – que detecte inclusive outras patologias relacionadas aos quadros de cervicobraquialgias – é obtido a partir de um exame clínico associado a exames complementares, como eletroneuromiografia e exames de imagem como ressonância magnética.

Na consulta, cabe ao médico realizar a anamnese completa e verificar o histórico de patologias do paciente e de seus familiares. Em seguida, um exame físico ortopédico e neurológico deve também ser realizado ainda no consultório.

A partir dos achados dessa primeira etapa, são pedidos exames de imagem como radiografias, ressonâncias magnéticas e tomografias.

Em casos de suspeitas de lesões neuropáticas, a eletroneuromiografia é um exame que pode ser realizado para avaliação muscular e nervosa.

Por meio dele é possível identificar o estado anatômico em que se encontra a área acometida, bem como verificar sinais de doenças como hérnia de disco e artrose, por exemplo.

Vale ressaltar, mais uma vez, que a primeira etapa do diagnóstico é a avaliação no próprio consultório e durante esse momento os sintomas relatados pelo paciente, assim como os observados pelo médico, são fatores essenciais.

Tratamento

Um tratamento multidisciplinar, envolvendo reabilitação física, analgesia, medicamentos e outras terapias como acupuntura pode ser utilizado para o alívio e recuperação do paciente. Raramente são necessários procedimentos mais invasivos ou cirúrgicos.

De modo a reduzir os desconfortos ocasionados pelas dores intensas e constantes é comumente indicado o uso de fármacos anti-inflamatórios e/ou relaxantes musculares. Além disso, repouso em uma fase aguda inicial pode ser essencial.

Ainda, a fisioterapia pode ser indicada em casos em que é preciso recuperar a força muscular perdida, bem como aumentar a massa muscular quando já foi consideravelmente reduzida.

Vale destacar também que a fisioterapia utiliza uma série de técnicas que visam minimizar dores como termoterapia, massagens, osteopatia, eletroterapia, entre outras.

A acupuntura pode ser um tratamento complementar importante para relaxamento muscular e alívio da dor.

Em geral, quando não se trata de um quadro crônico, a duração do tratamento pode ser de um a dois meses. Porém, se for situação recorrente, ou seja, se a cervicobraquialgia já se encontra em um nível mais avançado, é necessário um maior tempo para a recuperação.

 

Como prevenir?

A prevenção da cervicobraquialgia é a melhor estratégia e, por isso, destacamos algumas medidas como:

  • Prática diária de alongamentos e exercícios de fortalecimento muscular;
  • Realização de exercícios físicos orientados por profissionais capacitados;
  • Ter consciência sobre os limites do próprio corpo;
  • Evitar a sobrecarga da região cervical;
  • Manter-se atento às posturas adequadas para realização de atividades cotidianas.
Uma última indicação é minimizar as situações de estresse e de ansiedade que tendem a surgir no dia a dia. Isso pode ser feito a partir de práticas de relaxamento, autoconhecimento e controle emocional, por exemplo. Consequentemente, condições clínicas como a cervicobraquialgia são minimizadas.

Diante dos sinais descritos ao longo deste artigo, procure ajuda médica. Apenas um profissional poderá te ajudar a identificar as causas da sua dor e recomendar qual o melhor tratamento para o caso. 

Leia mais sobre dor no pescoço, causas, sintomas e quando se preocupar.

Clinica Hong Jin Pai Sao Paulo e1621991307344

RUA SAINT HILAIRE 96 – JARDIM PAULISTA – SÃO PAULO – SP

Clínica de Dor, Fisiatria e Acupuntura Médica

Clínica médica especializada localizada na região dos Jardins, próximo à Av. Paulista, em São Paulo — SP.

Centro de Dor, com médicos especialistas pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.

Tratamento por Ondas de Choque, Infiltrações, Bloqueios anestésicos e Acupuntura Médica

Dr. Marcus Yu Bin Pai

CRM-SP: 158074 / RQE: 65523 - 65524 | Médico especialista em Fisiatria e Acupuntura. Área de Atuação em Dor pela AMB. Doutorado em Ciências pela USP. Pesquisador e Colaborador do Grupo de Dor do Departamento de Neurologia do HC-FMUSP. Diretor de Marketing do Colégio Médico de Acupuntura do Estado de São Paulo (CMAeSP). Integrante da Câmara Técnica de Acupuntura do Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (CREMESP). Secretário do Comitê de Acupuntura da Sociedade Brasileira para Estudo da Dor (SBED). Presidente do Comitê de Acupuntura da Sociedade Brasileira de Regeneração Tecidual (SBRET). Professor convidado do Curso de Pós-Graduação em Dor da Universidade de São Paulo (USP). Membro do Conselho Revisor - Medicina Física e Reabilitação da Journal of the Brazilian Medical Association (AMB).  

Artigos relacionados

Send this to a friend