AVISO: Atendimento de segunda a sábado. Agendamentos: (11) 3284-2513 ou WhatsApp

Condromalácia patelar: O que é, causas, sintomas e tratamentos

Condromalácia patelar é um desgaste na cartilagem do joelho, numa região chamada côndilo femoral, que acaba ocasionando dor e inflamação no local. As mulheres são as mais atingidas pela condromalácia, que pode causar dores constantes ou crises agudas na região da frente do joelho. A condromalácia é a primeira etapa de um processo degenerativo que atinge a cartilagem da patela.

O que é condromalácia?

A condromalácia é considerada uma patologia crônica caracterizada pelo amolecimento de cartilagem da patela.

Esta característica é o que dá nome à patologia, pois o termo “condro” significa cartilagem e o termo “malácia” significa exatamente amolecimento.

É também conhecida como “joelho de corredor” e síndrome da dor patelo-femoral. Tem caráter degenerativo, devido ao amolecimento da cartilagem do joelho, mais precisamente a cartilagem presente entre a patela e os côndilos do fêmur.

Esta patologia é dividida de acordo com seu aspecto que indica quatro níveis de gravidade, a saber: o grau I é caracterizado pelo amolecimento; o grau II pelo início da fragmentação da cartilagem; o grau III pela fragmentação avançada da cartilagem e o grau IV pela lesão completa da cartilagem patelar, expondo o osso.

Acomete ambos os sexos, porém é mais frequente em mulheres do que em homens. A incidência da patologia é estimada em cerca de 15 a 30 por cento da população no Brasil. Há pesquisadores que afirmam que a doença é mais presente a partir de quarenta anos de idade, enquanto outros pesquisadores afirmam ser mais frequente entre jovens, no entanto, esta controvérsia e resolvida analisando a causa que desencadeia cada caso.

No mais, estima-se que a condromalácia faz referência a 25% dos casos de patologias do joelho.

Anatomia do joelho

A musculatura e a estrutura óssea do ser humano fazem parte da biomecânica do movimento, um dos tipos de tecido muscular são os músculos esqueléticos, ou seja, são fixados nos ossos, este é o caso do fêmur – o maior osso do corpo humano – é ligado no músculo quadríceps. É ligado também a outros ossos: a tíbia e a patela.

O fêmur é dividido em diversas partes na extremidade superior, no seu comprimento e na extremidade inferior. Esta última é a parte que interessa o presente artigo, uma vez que se refere à parte que se associa ao joelho. Trata-se da extremidade que se articula com a patela e com a tíbia, formando uma articulação complexa, nesta extremidade do fêmur, encontram-se as seguintes partes: o côndilo lateral, o côndilo medial e a face patelar.

A patela é um pequeno osso localizado entre o fêmur e a tíbia, sua função é proteger a articulação do joelho e, por isso, se apresenta na frente do mesmo.

Entre a extremidade do fêmur, a tíbia e a patela existem o tendão do quadríceps e o tendão patelar; os meniscos – localizados exatamente entre o fêmur e a tíbia –; a cartilagem articular – situada em torno da extremidade do fêmur – e a cartilagem patelar – localizada entre a patela e o fêmur.

Conhecer as estruturas citadas é importante para a compreensão da patologia da qual este artigo trata, ou seja, a condromalácia. Portanto, continue a leitura para saber o que é tal patologia, o que causa, quais os sintomas e as formas de tratamento.

Causas da condromalácia

De modo geral, considera-se como causa da condromalácia qualquer esforço excessivo sobre a articulação, seja este esforço gerado por uma tensão de corte (causada pela aplicação da força nos dois sentidos concomitantemente), ou por movimento de flexão e extensão repetitivo.

De forma mais específica, as causas envolvem:

-Alinhamento da patela: está relacionado ao ângulo correto ou incorreto do fêmur em relação à patela, chamado de ângulo Q, cujo valor normal é por volta de 15 graus;

Falta de flexibilidade muscular dos ísquios tibiais: este músculo é localizado na parte de trás da coxa e dá sustentação para a articulação do joelho;

-Falta de flexibilidade muscular do sóleo e do gastrocnêmio,: estes músculos, por sua vez, são localizados na panturrilha, eles amortecem a pisada protegendo a articulação do joelho;

– Anatomia da articulação: se o joelho é voltado para dentro ou para fora, isto é, valgo ou varo, estas anatomias podem contribuir com o maior desgaste da cartilagem;

-Esportes: este é um fator de risco muito observado, os principais esportes que apresentam maior incidência de condromalácia são o ciclismo, o remo, o futebol, a corrida, bem como musculação realizada de forma equivocada;

-Trauma: uma pancada ou queda sobre o joelho pode desencadear uma lesão de diversas estruturas, inclusive da cartilagem patelar;

-Peso ou obesidade: outro fator de risco é o peso da pessoa, pois os músculos devem ter força para sustentar o peso do próprio corpo, caso contrário pode haver sobrecarga na articulação;

Sedentarismo: a cartilagem patelar é capaz de suportar um peso de até sete vezes maior que o peso total do corpo, mas para isso, é preciso que os músculos adjacentes não estejam atrofiados, ou seja, enfraquecimento muscular devido à falta de uso. Por isso, o sedentarismo é um fator de risco.

A dor no joelho é o sintoma principal da condromalácia, esta dor é situada na porção lateral ou atrás da patela.

Sintomas e diagnóstico da condromalácia

A dor no joelho é o sintoma principal da condromalácia, esta dor é situada na porção  lateral ou atrás da patela, a qual pode piorar conforme os movimentos de flexão e extensão, como subir ou descer escadas, agachar, pedalar, caminhar por tempo prolongado e levantar de um assento após ter permanecido sentado.

 

Outros sintomas que podem ser apresentados são inchaço em torno da patela, crepitação no joelho, ou seja, estalos ou rangidos no joelho ao estender ou dobrar a perna.

O diagnóstico de condromalácia é baseado no exame clínico, exame físico e exame de imagem, isto é, na sintomatologia relatada pelo paciente, nos exames realizados pelo médico, que envolvem a inspeção, a palpação e a movimentação e, por fim, nos exames de radiografia e tomografia.

A inspeção consiste na identificação do formato da patela, observando clinicamente se o paciente possui um joelho valgo ou varo; a palpação consiste no toque à superfície do joelho a fim de investigar a sensibilidade à dor; a movimentação consiste na manipulação da patela nos sentidos contrários, ou seja, para cima e para baixo e para um lado e outro, com isso é possível identificar rangidos atrás da patela e se há um desgaste na cartilagem.

Outro exame físico também muito utilizado é o teste de Zoher, que é realizado em consultório com o paciente posicionado em decúbito, ou seja, deitado na horizontal, esta posição possibilita a manipulação da patela, assim, o médico move a patela para baixo e solicita que o paciente contraia o quadríceps, se houver dor o exame é positivo para condromalácia.

A radiografia ou a tomografia, por sua vez, são realizadas não somente do joelho, também podem ser solicitadas imagens dos pés, da tíbia e do fêmur, uma vez que as anatomias destas estruturas influenciam a patela.

Tratamento da condromalácia

O tratamento é direcionado de forma individual, de acordo com as distinções de cada quadro e do nível de gravidade, por isso é essencial um diagnóstico apropriado, para que o tratamento seja eficaz e certeiro.

Portanto, há diversas formas de tratamento da condromalácia, verifique abaixo quais são:

-Repouso: quando as dores tiverem início, é importante repousar, para que o excesso de esforço seja cortado, além disso, no repouso inclui-se também a aplicação de compressa de gelo, usar uma faixa para proteger o movimento;

-Extinção das atividades prejudiciais: evitar a realização de esportes até que seja possível o retorno, substituindo por uma atividade de menos impacto, mas que contribua com o fortalecimento e alongamento dos músculos adjacentes;

-Adoção de novos hábitos: melhorar a postura, pois esta influencia no alinhamento do fêmur, da patela e da tíbia; evitar dormir pressionando a patela; perder peso se necessário; praticar atividade física sem impactar a articulação; optar por sapatos confortáveis e evitar saltos;

-Condroprotetores: é um suplemento muito recomendado para o tratamento desta patologia, pois contribui com o retardo da degeneração, impedindo que o quadro evolua para os graus mais avançados. A ação deste medicamento incide sobre os condrócitos (células de cartilagem).

-Outros medicamentos: podem ser indicados anestésicos, analgésicos ou anti-inflamatórios tanto sob via oral ou tópica, durante cerca de 7 dias logo no início do quadro de condromalácia.

-Ácido Hialurônico: é utilizado como método de viscossuplementação, ou seja, um tratamento que visa à reposição do líquido sinovial (presente nas articulações para protegê-las de desgaste), assim, o ácido hialurônico funciona como um lubrificante, promovendo alívio da dor;

Acupuntura: por seus efeitos analgésicos e anti-inflamatórios, a acupuntura é um tratamento interessante para a reabilitação de pacientes com dores na região anterior do joelho.

-Fisioterapia: as técnicas de fortalecimento, alongamento, eletroterapia, fototerapia e termoterapia auxiliam no alívio da dor e no restabelecimento das funcionalidades musculares e articulares;

Tratamento por ondas de choque: pode ser um importante complemento no alívio da dor e inflamação patelar.

-Artroscopia: em alguns casos, a cirurgia é indicada e a artroscopia é, hoje em dia, o procedimento cirúrgico de articulação mais realizado, consiste na introdução de um instrumento equipado com micro-câmera, através de dois pequenos furos, que permite a remoção ou correção da estrutura afetada.

Logo ao sentir dores no joelho, procure ajuda médica e assim o diagnóstico ser realizado o mais cedo possível.

Conclusão

A condromalácia, ou amolecimento da cartilagem patelar é uma patologia relativamente comum, muito observada entre pessoas que praticam esportes caracterizados pelo impacto sob o joelho, como futebol, corrida e ciclismo, mas também observada em indivíduos com sobrepeso, sedentários e mulheres.

Vale lembrar que esta patologia se divide em quatro graus classificados de acordo com a gravidade da lesão na cartilagem, por isso é essencial que a pessoa logo ao sentir dores no joelho, procure ajuda médica e assim o diagnóstico ser realizado logo, o que contribui com o sucesso do tratamento e melhor recuperação.

Enfim, sempre é sempre recomendada a adoção de hábitos melhores e a procura precoce ao médico, para que a saúde como um todo seja conservada.

Send this to a friend