AVISO: Informamos que devido ao COVID-19, estamos fechados temporariamente a princípio até o dia 07/04. Para maiores informações, favor entrar em contato via WhatsApp

Osteoporose, muitas vezes silenciosa.

Osteoporose, muitas vezes silenciosa

osteoporose

Quando chegamos em uma certa idade na vida, trilhamos uma trajetória de muitas experiências que trazem ensinamentos, ou seja, cursamos a famosa escola da vida. Com a velhice vem a sabedoria, mas também um organismo já cansado dos anos que viveu. Muitas doenças podem surgir e uma que pode se apresentar, nesse momento da vida, é a osteoporose. Podemos dizer que essa doença é predominante na terceira idade, mas também pode se apresentar nos mais jovens. . É uma doença metabólica sistêmica, que acomete todos os ossos. Por si só não causa sintomas e é caracterizada por uma densidade mineral óssea diminuída e alterações da microarquitetura e da resistência óssea que causam aumento da fragilidade óssea e, consequentemente, aumento do risco de fraturas.

Como ocorre a osteoporose?

osso normal e osteoporose

Como qualquer outro tecido do nosso corpo, o osso é uma estrutura viva que precisa se manter saudável. A osteoporose pode se apresentar quando o corpo deixa de formar material ósseo novo suficiente, ou quando muito material dos ossos antigos é reabsorvido pelo corpo e em alguns casos, pode ocorrer as duas coisas. Nós temos no corpo células responsáveis pela formação óssea e outras pela reabsorção óssea. O tecido ósseo vai envelhecendo com o passar do tempo, assim como todas as outras células do nosso corpo. O tecido ósseo velho é destruído pelas células chamadas osteoclastos e criados pelas células reconstrutoras, os osteoblastos. Esse processo de destruição das células é chamado de reabsorção óssea, que fica comprometido na osteoporose, pois o corpo passa a absorver mais osso do que produzir ou então não produzir o suficiente. Se os ossos não estão se renovando como deveriam, ficam cada vez mais fracos e finos sujeitos a fraturas.

Cerca de 80% dos pacientes com osteoporose a tem associada ao envelhecimento ou menopausa. No caso do envelhecimento, é necessário entender que os ossos crescem somente até os 20 anos, e sua densidade aumenta até os 35 anos, começando a perder-se progressivamente a partir disso. Isso quer dizer que até os 35 há um equilíbrio entre processos de reabsorção e criação dos ossos, e a partir dessa idade a perda óssea aumenta gradativamente, como parte do processo natural de envelhecimento. Caso o indivíduo não tenha criado um “estoque” de densidade óssea suficiente para suprir esse aumento gradativo da reabsorção, os ossos vão ficando mais frágeis e quebradiços, podendo levar à osteoporose.

O que causa a osteoporose?

diferenca osso saudavel e osteoporose

A doença é causada por fatores nutricionais, metabólicos ou patológicos, gerando ossos pouco densos e frágeis, por diminuição do tecido que os formam e das proteínas que os constituem como os sais minerais e o cálcio. É mais comum em mulheres que em homens, e mais comum após os 50 anos. Três em cada quatro pacientes são do sexo feminino e afeta principalmente mulheres que estão na fase pós-menopausa. A fragilidade dos ossos nas mulheres é causada pela ausência do hormônio feminino, o estrogênio, que os tornam porosos como uma esponja. É a maior causa de fraturas e quedas em idosos. A doença progride lentamente e raramente apresenta sintomas antes que aconteçam fraturas espontâneas ou por trauma físico. Se não forem feitos exames diagnósticos preventivos a osteoporose pode passar despercebida, até que tenha gravidade maior.

Outros fatores que podem contribuir para o aparecimento da osteoporose são:

  • Falta de caminhadas, ou seja, os ossos das pernas em contato com o chão, submetendo-se à força da gravidade, irá evitar a saída de cálcio dos ossos;
  • Falta de exposição ao sol, que ativa a produção de vitamina D3, importante para a fixação do cálcio nos ossos;
  • Falta de proteínas qualitativas, que reduzem o nível dos hormônios sexuais, provocando perda de cálcio nos ossos;
  • Falta das vitaminas K, B6, B12 e ácido fólico, que ajudam na fixação do cálcio nos ossos, assim como o manganês e o boro;
  • Excesso de metais pesados e tóxicos como o alumínio, ferro, zinco, chumbo e bário, todos antagonistas do cálcio, que o expulsam dos ossos.

 

Há como prevenir a osteoporose?

acupuntura relaxante muscular

Quando falamos em osteoporose, não podemos deixar de citar o grande amigo nessas horas, que pode ajudar a prevenir a doença, o cálcio. O cálcio é um mineral essencial à formação normal dos ossos. Durante a juventude, o corpo usa o mineral para produzir o esqueleto. Além disso, o osso é o nosso principal reservatório de cálcio, e é ele quem fornece esse nutriente para outras funções do corpo, como o funcionamento cardíaco. Quando o metabolismo do osso está em equilíbrio, ele retira e repõe o cálcio dos ossos sem comprometer essa estrutura. Esses nutrientes são obtidos por meio da alimentação, por isso, se a ingestão de cálcio não é suficiente, ou então o organismo não está conseguindo absorver esse cálcio ingerido, a produção de ossos e tecidos ósseos pode ser afetada, não havendo nutrientes suficientes para produzir o esqueleto e suprir toda a demanda de cálcio do resto do corpo. Dessa forma, a ingestão insuficiente ou a má absorção do cálcio pode ser uma das causas da osteoporose. Para manter os ossos saudáveis, são recomendados a ingestão de 1.200mg por dia de cálcio.

Quando suspeitar de osteoporose?

 

osteoporose como saber

A osteoporose é uma doença silenciosa, que dificilmente apresenta qualquer tipo de sintoma e muitas vezes se expressa por fraturas com pouco ou nenhum trauma, mais frequentemente no punho, fêmur, colo de fêmur e coluna. Outros sintomas que podem surgir com o avanço da doença são:

  • Dor ou sensibilidade óssea;
  • Dor no pescoço devido a fraturas dos ossos da coluna vertebral;
  • Dor na região lombar, devido a fraturas dos ossos da coluna vertebra;
  • Postura encurvada ou cifótica;
  • Diminuição de estatura com o passar do tempo.

 

Como o médico faz o diagnóstico de osteoporose?

diagnostico de osteoporose

O diagnóstico é clínico e radiográfico, complementado através de densitometria óssea, exame que mede a densidade óssea. A avaliação da densidade óssea é feita em dois locais distintos, a coluna lombar e o quadril. A análise dos resultados se dá através da comparação entre o paciente testado com os padrões para adulto jovem do mesmo sexo e de indivíduos da mesma idade, representados nos resultados pelo T-score e Z-score. A quantidade de desvios padrão em relação aos valores de referência determinará o diagnóstico.

Curar a osteoporose é uma tarefa difícil. No entanto, pode-se fazer da primeira fratura a última, ou então evitar qualquer lesão. Se você tem uma perda óssea importante, o tratamento pode impedir o agravamento, mas não irá eliminar a doença. Os objetivos do tratamento da osteoporose são controlar a dor, retardar ou interromper a perda óssea e prevenir fraturas. A escolha do tratamento irá depender da causa da osteoporose, se por excesso de reabsorção óssea ou por criação de massa óssea deficiente e de outras doenças associadas. O tratamento irá depender da fase e grau da doença. Basicamente é composto por medidas de mudança de hábitos como alimentação e exercícios físicos, prevenção de fraturas, parar de fumar, complementação de cálcio e vitamina D e tratamentos medicamentosos. Identificar a doença e buscar um tratamento é fundamental para melhorar a qualidade de vida.

2 Comentários

Deixe o seu comentário.

    Deixe o seu comentário

    Send this to a friend