AVISO: Retornaremos o atendimento parcialmente a partir de 07/04. Para maiores informações, favor entrar em contato via WhatsApp

Dor de cabeça na gravidez: o que pode ser e como aliviar 

Dores de cabeça são comuns na vida e na gestação. Embora a maioria delas seja benigna e se trate de, por exemplo, tensão, a grávida também tem chance de sofrer com cefaleias secundárias, ou seja, aquelas causadas por condições que oferecem risco de vida a ela ou ao bebê, como eclâmpsia e trombose venosa cerebral. Portanto, ignorar a dor de cabeça na gravidez é potencialmente devastador.

A maior parte das dores de cabeça em gestantes é descrita como um desconforto intenso ao redor da crânio e, às vezes, na parte de trás do pescoço, porém a sensação varia de pessoa para pessoa. Ainda há as enxaquecas, que despertam dores debilitantes e geralmente associadas à náusea ou sensibilidade à luz ou ao ruído.

Normalmente, cefaleias são combatidas com analgésicos de venda livre, porém grávidas têm diversas restrições quanto ao tipo de medicamento que pode ser tomado. É uma ironia, visto que algumas características e sintomas comuns da gravidez – como fadiga e alterações hormonais – podem resultar em dores de cabeça.

Portanto, o ideal é obter orientações médicas sobre qual remédio tomar nessa fase, além de tentar adotar métodos caseiros para diminuir o incômodo e passar o resto da gravidez de bem com seu corpo.

A seguir, saiba o que pode ser dor de cabeça na gravidez e como tratá-la de forma segura e eficaz.

Por que dor de cabeça surge?

As dores funcionam como um sinal de alerta que algo prejudicial ao organismo está acontecendo, de maneira que espera-se uma solução. A dor de cabeça se encaixa neste mesmo contexto.

Embora o cérebro tenha papel fundamental na percepção dos estímulos, ele não sente dor. Na verdade, o que dói são as estruturas que ficam próximas ao encéfalo, como as meninges – revestimento do cérebro –, os ossos, os vasos sanguíneos, a pele e os músculos.

O desconforto pode ser causado por diversas condições, como traumas, tensão, enxaqueca, fome, sensibilidade a alimentos, problemas de visão, cansaço, alterações hormonais e doenças.

Tipos de dor de cabeça na gravidez

Causas comuns de dor de cabeça incluem sinusite, enxaqueca e cefaléia tensional

A maioria das dores de cabeça na gravidez é primária, ou seja, não tem ligação com distúrbios ou complicações da gestação. Elas podem ser tensionais, enxaquecosas ou em salvas.

Já as cefaleias secundárias são causadas por complicações relacionadas à gravidez, como pressão alta e diabetes.

O que pode ser dor de cabeça na gravidez? 

Alterações naturais da gravidez

Dores de cabeça são comuns no primeiro trimestre e costumam ser fruto das diversas transformações que o corpo passa para gerar uma nova vida, como mudanças hormonais, aumento do volume de sangue e mudança de peso.

Desidratação

Ocorre quando a quantidade de água no corpo é inferior à necessária para as funções fisiológicas.

A gestante precisa de mais líquido do que uma pessoa comum, visto que ele é essencial para a formação do saco amniótico e da placenta, que é o órgão que protege e passa nutrientes para o feto. Portanto, desidratação nessa fase é grave e pode gerar complicações como parto prematuro, defeitos congênitos e baixa produção de leite. 

Além da dor de cabeça, a desidratação gera aumento de temperatura e baixa micção.

Estresse e ansiedade

Mulheres que lidam com estresse e ansiedade na gravidez também estão mais predispostas a sofrerem dor de cabeça, visto que os desconfortos emocionais podem ser interpretados pelo cérebro como físicos.

Privação de sono e cansaço

Falta de sono e cansaço são outras causas comuns de dor de cabeça na gravidez, explicadas pelo fato de esse período ser permeado por mudanças físicas que podem atrapalhar o repouso.

Alimentação

Algumas gestantes podem ter hipersensibilidade a determinados alimentos, de modo que sentem dor de cabeça após ingeri-los. Essa relação varia de pessoa para pessoa, ou seja, algumas mulheres podem ter enxaqueca após comer chocolate, enquanto outras não.

Além do cacau, os alimentos que costuma causar dor de cabeça incluem:

  • Leite e laticínios
  • Fermento
  • Tomates
  • Farinha de trigo
  • Pimenta
  • Café
  • Carnes processadas, como salame e presunto
  • Frutas cítricas, como limão e laranja
  • Temperos prontos
  • Bebidas alcoólicas

Abstinência de cafeína

Algumas gestantes podem optar por não tomar café ou outros derivados de cafeína, como chá mate e refrigerante de cola, já que a substância eleva a frequência cardíaca e o metabolismo corporal, podendo prejudicar o desenvolvimento da placenta e do feto.

Todavia, quem já estava acostumada com a cafeína pode ter sintomas pela interrupção do consumo, como fraqueza, tontura e dor de cabeça.

Para evitar as consequências da abstinência, vale diminuir aos poucos a ingestão de cafeína e não repentinamente.

Nutrição pobre

A deficiência de nutrientes, como as vitaminas D, B12 e B6, pode gerar dor de cabeça na gestação. Nesse caso, vale consultar um nutrólogo ou nutricionista para receber orientações sobre dieta e suplementação. 

Hipoglicemia

Apesar de a hipoglicemia, que é o baixo nível de açúcar no sangue, não prejudicar o desenvolvimento do bebê, pode haver prejuízos à mãe. Frequentemente relacionada à diabetes gestacional, esse quadro causa dor de cabeça, tremor, suor e sensação de desmaio.

Em geral, recomenda-se ingerir alimentos ricos em carboidratos para interromper o quadro rapidamente, porém essa medida não exclui a necessidade de investigar as causas da baixa glicêmica.

Postura

A dor de cabeça de origem cervical pode ser causada por má postura, comum em gestantes devido ao peso do feto na barriga. Além da cefaleia, há outros sintoma como náuseas e sensibilidade à luz.

Pressão alta (pré-eclâmpsia)

Dores de cabeça durante o segundo ou terceiro trimestre de gravidez podem ser indícios de pressão alta, condição grave também chamada de pré-eclâmpsia.

A doença tratável pode causar sérias complicações tanto para a mãe quanto para o bebê, como acidente vascular encefálico (AVC), pouco suprimento de oxigênio para o bebê, parto prematuro, descolamento da placenta e baixo peso ao nascer.

Causas menos comuns

Outras causas menos frequentes de dor de cabeça na gravidez englobam infecções comuns e doenças graves, como:

  • Sinusite
  • Coágulo sanguíneo
  • Anemia falciforme
  • Tumor 
  • Problemas de coração
  • Meningite
  • Encefalite

Sintomas associados

Tratamento para dor de cabeca ou cefaleia na gravidez

Os sintomas de dor de cabeça durante a gravidez podem se manifestar de diversas maneiras e variar de uma pessoa para outra. Em geral, a dor pode ser latejante, pulsante ou contínua, além de poder afetar tanto um lado do crânio como os dois.

O incômodo pode ocorrer nas partes frontal ou lateral da cabeça, assim como acometer a região atrás dos olhos.

A condição ainda pode ocorrer concomitantemente com os sintomas e sinais a seguir:

Quando é mais comum?

A dor de cabeça na gravidez é um quadro comum e que pode surgir em todos os trimestres.

A tensional é mais comum no primeiro trimestre de gestação, visto que nessa fase há diversas mudanças corporais – como alterações hormonais e aumento no volume de sangue – e de rotina em pouco tempo, além de ser comum a existência de preocupações sobre o futuro da família.

Já a cefaleia no segundo e no terceiro trimestres de gravidez costuma ocorrer por motivos mais preocupantes, como pressão alta e diabetes. Portanto, ao senti-la vale comunicar imediatamente seu médico para que o quadro seja investigado.

O desconforto durante o terceiro trimestre ainda pode estar relacionado à má postura e ao aumento de peso pela barriga.

Enxaqueca piora na gravidez?

Mulheres que sofrem de enxaqueca regularmente tendem a experimentar menos crises durante a gravidez. No entanto, há casos com a mesma regularidade e que até mesmo apresentam piora dos episódios de dor.

A enxaqueca também tem sido associada a episódios intensos de cefaleia no pós-parto.

Portanto, o ideal é conversar com seu médico sobre histórico de enxaqueca e quais medicamentos podem ser tomados na gestação.

Dor de cabeça oferece risco ao bebê?

A dor de cabeça por si só não oferece risco ao feto, mas sabe-se que mulheres com enxaqueca têm risco ligeiramente maior de desenvolver pré-eclâmpsia. Apesar disso, a probabilidade é baixa e a maioria das pacientes com enxaqueca não tem pressão alta.

Quando procurar um médico?

Mulheres que sentem dor de cabeça na gravidez frequente e que não melhora com o uso de medicamentos devem buscar um médico o quanto antes, visto que esse é um indício de pré-eclâmpsia, quadro que oferece riscos sérios para a mãe e o bebê. 

Também vale consultar imediatamente um médico se tiver febre, dificuldade de enxergar, sudorese, cefaleia intensa ou comum, dor abaixo das costelas e desmaio. 

No consultório, podem ser recomendados testes e exames para descobrir a causa da dor de cabeça na gravidez, como:

  • Exame de pressão
  • Hemograma
  • Teste de açúcar no sangue
  • Teste de visão
  • Ultrassom da cabeça e/ou pescoço
  • Ecocardiograma e eletrocardiograma

Independente de o atendimento ser emergencial ou de rotina, é recomendado informar ao médico a presença de antecedentes pessoais ou familiares de enxaqueca, pressão alta, convulsões ou diabetes.

O que fazer

A maioria das causas de dor de cabeça na gravidez é tratável ou evitável com os cuidados certos. Para isso, é importante que a gestante tome os medicamentos e faça todos os tratamento exatamente como orientados pelo médico, além de seguir as recomendações de dieta e exercício.

Remédios para dor de cabeça na gravidez 

A maioria das gestantes pode tomar com segurança paracetamol (cujo nome comercial mais conhecido é Tylenol) para tratar dores de cabeça ocasionais, porém é importante conversar com o profissional da saúde responsável antes de fazer uso de remédios sem prescrição médica.

Vale lembrar que aspirina e ibuprofeno não são recomendados na maioria dos casos.

Anti-hipertensivos

Pressão alta é uma causa séria de dor de cabeça na gravidez. Por nem sempre gerar sintomas, é recomendado medir a pressão arterial pelo menos uma vez ao dia em casa.

Medicamentos para hipertensão arterial devem ser receitados pelo médico, assim como uma dieta com pouco sal e mais fibras. Praticar atividades físicas também pode fazer a diferença.

Acupuntura

A acupuntura trata a dor de cabeça do tipo tensional na gravidez, já que estimula neurotransmissores essenciais para promoção do bem-estar e o alívio da dor. 

Embora o tratamento seja conhecido pela aplicação de agulhas finas em pontos específicos do corpo, engloba também outras técnicas da Medicina Chinesa, recomendações alimentares, exercícios e terapias complementares.

Apesar de ter abordagem integrativa, a acupuntura não exclui tratamento médico e muito menos descarta a necessidade de pré-natal, sendo indicado associar as técnicas da Medicina tradicional com a chinesa, a fim de gerenciar os sintomas com segurança e eficácia. 

Medidas caseiras

Ainda é possível tentar aliviar a dor de cabeça na gravidez com algumas medidas naturais e caseiras.

Por exemplo, se o incômodo for fruto de sinusite, pode-se aplicar uma compressa quente ao redor dos olhos e nariz. Já a cefaleia por tensão é aliviada por compressa fria ou bolsa de gelo no pescoço.

Receber uma massagem nos ombros e pescoço também ajuda a aliviar a dor, assim como descansar em um quarto escuro e silencioso. Vale ainda tomar um banho quente e relaxante no chuveiro ou na banheira.

Como prevenir?

A maneira mais eficaz de evitar o surgimento de dor de cabeça na gestação é adotar bons hábitos, como:

  • Manter boa postura (principalmente no terceiro trimestre);
  • Praticar exercícios leves, como caminhada e pilates;
  • Evitar gatilhos de dor de cabeça, como certos alimentos ou odores ;
  • Gerenciar o estresse;
  • Praticar técnicas de relaxamento, como mindfulness, ioga e massagem.;
  • Coma regularmente de modo equilibrado.;
  • Beber bastante líquido.;
  • Ter um horário regular de sono.
Send this to a friend