CENTRO DE TRATAMENTO DE DOR: Dor, Acupuntura Médica, Ondas de Choque, Fisiatria e Fisioterapia.

Distensão na virilha- Sintomas e tratamentos

Tudo sobre a distensão na virilha

Um estiramento na virilha, ou uma distensão da virilha, é uma lesão nos músculos da parte interna da coxa. Os músculos da virilha, chamados grupo muscular adutor, consistem de seis músculos que se estendem a partir da pélvis interior para a parte interior do fémur (osso da coxa). Estes músculos juntam as pernas e também ajudam com outros movimentos da articulação do quadril.

Os músculos adutores são importantes para muitos tipos de atletas, incluindo velocistas, nadadores e jogadores de futebol. Uma distensão na virilha é uma lesão nos músculos adutores chamada distensão muscular.

Quando um músculo está tensionado, o músculo é esticado demais. Distensões menos graves puxam o músculo além de sua extensão normal. Já nas distensões mais graves, fibras musculares são rompidas e até mesmo podem causar uma ruptura completa do músculo.

Com frequência, a distensão da virilha ocorre com pequenas rupturas de algumas fibras musculares, mas a maior parte do tecido muscular permanece intacta.

distensao virilha

Sintomas da distensão na virilha

Uma distensão aguda da virilha pode ser bem dolorosa, dependendo da gravidade da lesão. O estiramento na virilha é geralmente classificado como:

Distensão da virilha de Grau I

: Leve desconforto, muitas vezes sem limitação dos movimentos. Normalmente não limita a atividade.

Distensão da virilha de Grau II

Desconforto moderado, pode limitar a capacidade de realizar atividades como correr e pular. Pode apresentar inchaço moderado e hematomas associados.

Distensão da virilha de Grau III

Lesão grave que pode causar dor ao caminhar. Muitas vezes os pacientes apresentam espasmos musculares, inchaço e hematomas significativos.

A distensão na virilha ocorre na maioria dos casos em atletas que participam de esportes como futebol.

A lesão parece estar relacionada a fatores incluindo a força dos músculos dos quadris, o condicionamento antes da temporada e alguma lesão anterior. Por causa disso, o condicionamento adequado é de extrema importância para evitar a ocorrência de uma lesão na virilha.

Atletas, especialmente de hóquei e jogadores de futebol, devem incorporar fortalecimento dos adutores, estabilização pélvica e exercícios de fortalecimento em seus treinos para evitar lesões.

A distensão na virilha é geralmente um diagnóstico claro. A maioria dos atletas sabe qual é a lesão antes de procurar atendimento médico. No entanto, outras condições podem imitar os sintomas de uma lesão na virilha. Uma condição que anteriormente não era bem reconhecida é chamado hérnia do esporte.

Hérnias do esporte têm sido encontrada em pacientes diagnosticados com distensão crônica da virilha. A hérnia do esporte é uma condição semelhante a uma hérnia inguinal regular, e ocorre devido a um enfraquecimento dos músculos que formam a parede abdominal. Os sintomas de uma hérnia esportiva são muitas vezes quase idênticos às de uma distensão da virilha.

Outras condições que podem imitar os sintomas de uma lesão na virilha incluem osteíte púbica (inflamação do osso da púbis), problemas nas articulações da anca (incluindo artrite precoce, rupturas labral e outras condições) e problemas lombares (nervos comprimidos).

 

Aprenda a diferença entre distensão ou tensão e uma hérnia

Dor na virilha é frequentemente o resultado de uma distensão na virilha (músculo adutor). Esta lesão é semelhante a qualquer outro tipo de estiramento ou distensão muscular, mas ocorre quando os adutores (músculos na parte interna da coxa) são esticados para além dos seus limites. Isto pode resultar em pequenas rupturas musculares que causam dor e inchaço. Os músculos da virilha incluem o adutor magno, adutor longo, adutor brevis, pectíneo e grácil.

Os adutores são músculos como leques na parte superior da coxa que juntam as pernas quando elas se contraem. Estes músculos também ajudam a estabilizar a articulação do quadril. Os adutores se anexam da pelve ao fêmur (osso da coxa).

A causa mais comum de dor na virilha é uma distensão muscular que causa dor localizada na parte interna da coxa ou na virilha. Uma ruptura grave pode causar uma dor súbita, aguda e pode ser acompanhada de inchaço e hematomas. O local pode ficar dolorido ao toque, e dor aumenta com movimentos de resistência e alongamento da parte interna da coxa e isquiotibiais.

Estas lesões ocorrem frequentemente durante uma súbita mudança de direção durante uma corrida e partidas ou paradas bruscas. São especialmente comuns no campo ou na quadra de esportes.

A dor pode ser local ou irradiada para o quadril

locais de dor do adutor distensao virilha
É uma distensão ou uma Hérnia?

Os sintomas da hérnia de esportes são, por vezes, confundidos com um estiramento na virilha ou distensão.

A dor surda que se intensifica com o exercício pode ser o único sintoma de uma hérnia de esportes. Uma hérnia inguinal, no entanto, normalmente cria uma saliência abaulada na virilha ou abdômen superior e inferior que é difícil não ser notada.

Se você suspeitar de uma hérnia, uma visita ao seu médico é o próximo passo.

Procuro um médico?

Se você tiver sintomas de um estiramento na virilha grave, você deve ser avaliado para um tratamento adequado. Alguns sinais de uma distensão grave na virilha incluem:

  • Dificuldade de caminhar
  • Dor enquanto está sentado ou em repouso
  • Dor durante a noite

O estiramento na virilha grave deve ser avaliado porque em algumas raras situações onde há a ruptura muscular completa, a cirurgia pode ser necessária para recolocar as extremidades rompidas do músculo. Isso raramente é necessário, mesmo em pacientes com distensão de grau III na virilha, uma vez que estes pacientes geralmente respondem bem ao tratamento não-cirúrgico.

Se você não tem certeza de ter sofrido um estiramento na virilha ou os sintomas não se resolverem rapidamente, então você deve procurar um médico. Como descrito acima, outras condições podem ser confundidas com um estiramento na virilha, e estas devem ser consideradas se os seus sintomas não passarem.

Diagnóstico diferencial: bursite

dor no quadril bursa

Tratamento de uma lesão na virilha

Para alívio imediato de um estiramento na virilha, use o método R.I.C.E de tratamento.

Repouso, gelo, compressão e elevação são os melhores tratamentos imediatos para puxões e distensões.

Evite atividades que possam agravar a condição durante as primeiras duas semanas e retorne ao esporte gradualmente.

5 passos para tratar a dor na virilha em Atletas

O Tratamento certo para sua dor na virilha pode acelerar sua recuperação

A dor é um sinal de que algo está errado. Se você sentir dor durante algum exercício, pare. Na maioria dos casos, um estiramento ou distensão na virilha é bem obvio e pode ser debilitante, mas em algumas pessoas, há sinais sutis levando a uma lesão completa na virilha.

Se sentir um incômodo ou dor na virilha durante o exercício, pare e deixe-a descansar. Se você tiver qualquer dor aguda, pare toda a atividade, sente-se e siga as etapas de tratamento R.I.C.E de ferimentos. Repouso, gelo, compressão e elevação são os melhores tratamentos imediatos para puxões ou distensões.

Você deve procurar um médico para uma lesão na virilha se não puder andar ou suportar peso, sente dor ao descansar ou acorda durante a noite devido a dor.

Aplique gelo se preciso

A aplicação de gelo em uma lesão na virilha irá reduzir o inchaço e evitar mais danos. Logo que possível, aplique gelo na área. Use um saco de ervilhas congeladas, uma bolsa fria ou embale ou gelo em um saquinho plástico e aplique sobre a área lesada (Apenas enrole o que quer que você use no tecido ou toalhas de papel – não se aplica plástico frio diretamente sobre a pele).

O gelo proporciona alívio da dor em curto prazo e reduz o fluxo sanguíneo para a área lesionada o que limita o inchaço. Não deixe o gelo em uma lesão por mais de 15-20 minutos por vez, e não aplique diretamente sobre a pele ou você pode acabar com queimaduras. Uma regra de ouro é manter o gelo na área lesada durante 15 minutos a cada hora durante o primeiro dia. Depois disso, use o gelo conforme necessário para controlar o inchaço. Se você ainda tiver inchaço após três dias, é hora de consultar um médico para determinar a extensão da sua lesão.

 

Use um envoltório de compressão

Aplicar um envoltório de compressão elástica na virilha pode reduzir a dor de uma inflamação e o inchaço. Após a aplicação do gelo na área ferida, enrole a coxa para mantê-la comprimida durante a aplicação de gelo. Envoltórios de compressão também ajudam a reduzir a dor e o retorno de lesões quando você voltar à atividade em uma ou duas semanas (quando a dor diminuir o suficiente para permitir um retorno à atividade).

Você pode tentar uma fita especial pré-cortada na virilha, como Scrip SpiderTech Groin Tape(Compare Preços), ou Kinesio Tape (Compare Preços) para comprimir facilmente a virilha, ajudando a prevenir lesões adicionais e protege contra a inflamação durante o exercício.

Faça alongamentos suaves na virilha

Alongamentos suaves podem ser iniciados uma vez que o inchaço tenha diminuído e a dor esteja controlada. Inicie devagar e suavemente aumente a amplitude de movimentos no quadril e na parte interna da coxa.

Seja cuidadoso nos estágios iniciais para evitar um alongamento forçado, ou você corre o risco de machucar novamente a área. Tenha em mente que um alongamento não deve nunca causar dor.

Siga essas séries de alongamentos da virilha na medida em que for progredindo.

Retorne a prática esportiva lentamente

Depois de uma lesão na virilha, é importante levar o seu tempo para retornar ao esporte. Iniciar a volta cedo demais pode aumentar o risco de uma nova lesão ou o desenvolvimento de uma dor crônica na virilha. Visitar um especialista em lesão esportiva é a maneira mais segura de avaliar o seu retorno ao esporte.

Algumas diretrizes gerais incluem:

  • Você deve estar livre de dor, não ter nenhum inchaço, e ter plena gama de movimentos no quadril.
  • Você está com sua total ou quase total força e é capaz de suportar totalmente peso sem mancar.
  • Mesmo que se sinta 100% você pode ter déficits na força, estabilidade, flexibilidade ou habilidade das articulações.
  • Tome cuidado extra com a parte lesada por vários meses.

Alongamentos recomendados para a virilha e quadris

  • Exercícios de alongamento para virilha
  • Alongamento permanente da virilha
  • Alongamento sentado da virilha e da parte interna da coxa
  • Alongamento e flexão dos quadris

 

Além disso, aumentar gradualmente o tempo e a intensidade da atividade pode evitar o uso excessivo e o trauma do trabalho dos músculos.

Força muscular e biomecânica adequada durante a atividade também podem reduzir o risco de tensões musculares.

Lesão do músculo adutor da coxa

distensao virilha

Reabilitação de distensão na virilha

Alguns atletas acreditam que colocar bandagens na virilha pode reduzir a dor e ajudar a proteger contra novas lesões. Quando você começa a aumentar sua atividade você pode achar útil congelar a área após o exercício para controlar qualquer inchaço.

Após aplicar o gelo, enrole a coxa para mantê-la comprimida por 15-20 minutos. Um anti-inflamatório também pode ser útil para reduzir a dor e a inflamação por até uma semana após a lesão.

Quando a inflamação desaparece, você pode começar um alongamento suave na virilha e progredir para um programa de exercícios de fortalecimento de baixa intensidade.

A corrida pode ser iniciada durante a recuperação, mas deve ser suave, gradual e não incluir colina ou arrancadas. Preste atenção aos sinais de dor ou aumento da sensibilidade e reduza o exercício se houver desenvolvimento da dor.

Alongue suavemente e nunca force um estiramento. Um retorno à atividade deve ser possível em duas ou três semanas.

Clinica Hong Jin Pai Sao Paulo e1621991307344

RUA SAINT HILAIRE 96 – JARDIM PAULISTA – SÃO PAULO – SP

Clínica de Dor, Fisiatria e Acupuntura Médica

Clínica médica especializada localizada na região dos Jardins, próximo à Av. Paulista, em São Paulo — SP.

Centro de Dor, com médicos especialistas pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.

Tratamento por Ondas de Choque, Infiltrações, Bloqueios anestésicos e Acupuntura Médica

Dr. Marcus Yu Bin Pai

CRM-SP: 158074 / RQE: 65523 - 65524 | Médico especialista em Fisiatria e Acupuntura. Área de Atuação em Dor pela AMB. Doutorado em Ciências pela USP. Pesquisador e Colaborador do Grupo de Dor do Departamento de Neurologia do HC-FMUSP. Diretor de Marketing do Colégio Médico de Acupuntura do Estado de São Paulo (CMAeSP). Integrante da Câmara Técnica de Acupuntura do Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (CREMESP). Secretário do Comitê de Acupuntura da Sociedade Brasileira para Estudo da Dor (SBED). Presidente do Comitê de Acupuntura da Sociedade Brasileira de Regeneração Tecidual (SBRET). Professor convidado do Curso de Pós-Graduação em Dor da Universidade de São Paulo (USP). Membro do Conselho Revisor - Medicina Física e Reabilitação da Journal of the Brazilian Medical Association (AMB).  

Deixe o seu comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Artigos relacionados