CENTRO DE TRATAMENTO DE DOR: Dor, Acupuntura Médica, Ondas de Choque, Fisiatria e Fisioterapia.

Dor no pescoço: causas, tipos e quando se preocupar

A dor no pescoço de início súbito (agudo) é um tipo comum de dor. Na maioria dos casos, a dor não está relacionada a uma doença grave ou lesão do pescoço.

Entretanto, a causa exata para a dor nem sempre é clara, por isso é muitas vezes referida como cervicalgia inespecífica1.

Estudos mostram que duas entre três pessoas irão apresentar sintomas de dores cervicais em algum momento de suas vidas2.

As recomendações médicas habituais sugerem a atividade física, evitando repouso excessivo, pois a inércia e o sedentarismo podem intensificar as dores. Os analgésicos e relaxantes musculares são remédios úteis no alívio das dores na fase inicial.

É caracterizada dor crônica quando esta persiste por mais de 3 meses. Apesar de a lesão crônica no pescoço ser rara, é necessária uma avaliação realizada por médico especialista, o qual poderá diagnosticar e indicar o tratamento adequado.

O tratamento da dor crônica é diferente do tratamento da dor aguda, necessitando de intervenções multidisciplinares.

Quais são os sintomas da dor no pescoço (cervicalgia)?

Os sintomas mais comuns apresentados pela cervicalgia são a dor local e a limitação do movimento. 

Vamos entender as características dessa dor. Ela começa no pescoço e se espalha por um ou ambos os ombros (às vezes descendo para o braço) ou subindo para a parte de trás de sua cabeça.  Seu pescoço e ombros podem apresentar-se endurecidos, com contraturas musculares e/ou rigidez.

Sensação de alfinetadas e agulhadas são comuns. Geralmente, não se trata de um sinal preocupante, mas esses sintomas devem ser avaliados, pois podem  sugerir que um nervo que emerge de sua coluna está preso ou irritado (pinçamento nervoso).

A dor aguda geralmente melhora depois de alguns dias e desaparece em semanas.

Diferenças entre dor aguda no pescoço e dor crônica

Normalmente, a dor no pescoço é caracterizada em uma das duas categorias seguintes:

  • Dor aguda – geralmente começa como uma resposta imediata a uma lesão aguda, como uma contratura, torcicolo ou lesão esportiva. Dura menos de 4 semanas.
  • Dor crônica – geralmente começa gradualmente e pode ou não ter uma causa subjacente identificável. A dor é considerada crônica uma vez que tenha durado pelo menos 3 meses.

É importante a diferenciação no diagnóstico, pois as causas e tratamentos são diferentes.

A dor aguda no pescoço serve como um sinal protetor e como uma parte natural do processo inflamatório de cura. A dor fornece motivação para descansar e evitar mais danos enquanto o corpo está se curando.

Dor aguda no pescoço (cervicalgia aguda)

As causas da dor aguda podem ser várias e geralmente apresentam ligação com a postura ou lesão muscular, mas pode também estar ligada a algum tipo de inflamação ou irritação na região do pescoço. 

A dor miofascial é comum e responsável pela maioria dos casos. Lesões na fáscia, ligamentos ou músculos podem ocorrer.

No caso do torcicolo, o problema é facilmente identificado, pois além de causar a dor, geralmente enrijece o local impedindo o movimento natural. 

Algumas características permitem a identificação da dor aguda no pescoço: 

  • Início súbito

A dor aguda geralmente começa subitamente, após um pequeno traumatismo, ou ao acordar.

  • Limitação de movimento

Pode ser acompanhada por rigidez, o que torna difícil rodar a cabeça e/ou olhar para cima ou para baixo.

  • Alívio dos sintomas em poucos dias 

A maioria das pequenas lesões de ligamentos, tendões e músculos do pescoço cicatriza com o tempo (em poucos dias ou semanas), porque esses tecidos moles têm um suprimento bom de sangue para trazer os nutrientes e proteínas necessários para a cura e recuperação.

Tratamento da dor aguda 

O tratamento para alívio das dores causadas por tensão muscular ou lesões busca, principalmente, o alívio dos sintomas. 

Algumas maneiras de intervenção conservadora para tratar a dor aguda de pescoço são: 

Saiba mais sobre como aliviar dores no pescoço 

Para que o organismo recupere o local atingido é necessário também evitar grandes esforços para não sobrecarregar a musculatura local.

Dor crônica no pescoço (cervicalgia crônica)

Pode estar relacionada com uma condição médica subjacente, tal como síndrome dolorosa miofascial, doença degenerativa do disco cervical ou osteoartrite cervical.

Para identificar a causa da dor crônica é necessária uma análise mais criteriosa avaliando o local em que ela aparece, por quanto tempo permanece, etc. 

A dor crônica no pescoço pode surgir como sintoma secundário de outra doença, é comum que quadro relacionados a problemas de coluna causem dor crônica no pescoço, alguns exemplos são: 

  • Espondilose cervical
  • Artrose
  • Hérnia de disco 
  • Câncer

Saiba mais sobre problemas de coluna relacionados à dor crônica cervical. 

Em outros casos a dor crônica pode ser proveniente de dores não tratadas corretamente, chamamos esse quadro de cronificação da dor aguda, e para aliviar os sintomas é necessário encontrar a lesão inicial e tratá-la.

A dor crônica é facilmente confundida com a dor aguda, uma vez que pode ser constante e recorrente, ou vir e ir intermitentemente e progredir gradualmente ao longo do tempo. 

Por isso, o  diagnóstico nem sempre é fácil,  não existindo, muitas vezes, uma correlação entre achados em exames de imagens e os sintomas percebidos pela pessoa.

Dor e depressão

A dor crônica dificulta a participação nas atividades da vida cotidiana, tais como encontros sociais, trabalho produtivo ou estudo e participação esportiva. Com o tempo, essas perdas podem levar a sentimentos de isolamento social e de qualidade de vida diminuída.

A coluna vertebral é composta pela coluna cervical, torácica e lombar

Divisões e curvaturas da coluna vertebral

A cervical é responsável pelos movimentos do pescoço, permitindo a movimentação da cabeça em todas as direções, além disso, são as vértebras cervicais que dão suporte ao crânio e protegem os nervos vitais que conectam nosso cérebro com o resto do corpo4.

Os 7 ossos vertebrais da coluna cervical são conectados por discos esponjosos intervertebrais que absorvem impactos e choques mínimos do dia a dia, e são suportados por uma rede de músculos e ligamentos.

A medula espinhal passa através de uma espécie de tubo formado pelos ossos Assim, danos ou deformação em qualquer uma dessas estruturas podem causar dor.

Alguns tipos comuns de dores cervicais

Dor cervical inespecífica

Este é o tipo mais comum, sendo também conhecida como cervicalgia simples ou mecânica5. Muitas vezes a origem da dor ou causa exata não é conhecida, podendo incluir pequenas tensões e distensões de músculos ou ligamentos no pescoço. A má postura também pode ser um fator contribuinte em alguns casos. Por exemplo, dor cervical é mais comum em pessoas que passam muito do seu dia de trabalho em uma mesa, com uma postura inadequada de flexão cervical.

Síndrome Dolorosa Miofascial

A Síndrome Dolorosa Miofascial é uma causa comum de dor na região cervical, devido à sobrecargas ou desuso da musculatura cervical e ao redor do pescoço, como a cintura escapular 6. Nesta patologia, são formados bandas tensas musculares, onde pontos gatilhos miofasciais (nós musculares) podem gerar dor ao toque, ou mesmo dor espontânea que pode até irradiar para os braços. Casos mais raros, podem até resultar em dor irradiada para a cabeça, mimetizando uma cefaleia cervicogênica (cefaléia tensional).

Whiplash (efeito chicote)

O efeito chicote pode gerar rigidez importante, principalmente quando decorre de um acidente envolvendo um veículo. Pode causar dor crônica no pescoço dependendo do grau da lesão e impacto.

Torcicolo

É também conhecido como pescoço travado ou pescoço dolorido. Pode surgir subitamente, após uma noite mal dormida, pequenos traumatismos agudos, ou espasmos musculares. O torcicolo é uma condição na qual a cabeça fica torta para um lado, e é muito doloroso mover a cabeça lateralmente. Muitas vezes não se sabe a causa do torcicolo primário aguda. No entanto, pode ser devido a uma menor tensão, ou aumento da contratura, ou espasmo de um músculo ou ligamento na região cervical (como os esternocleidomastóideo e os esplênios da cabeça e pescoço). Alguns casos podem ser devido a determinados músculos do pescoço serem expostos ao frio por períodos excessivos, gerando um micro espasmo muscular local. É comum as pessoas irem para a cama se sentindo bem e acordarem na manhã seguinte com uma crise de torcicolo aguda. A dor geralmente melhora, sem qualquer tratamento, após alguns dias. É importante procurar o médico em casos de limitações de movimento importantes, ou em casos que a dor persista por semanas.

Desgaste (doença degenerativa)

Desgaste dos discos entre as vértebras e os ossos da coluna vertebral é uma causa comum para dores cervicais persistentes ou recorrentes nas pessoas idosas. Isso é também conhecido como espondilose cervical. No entanto, estudos de ressonância magnética mostram que a maioria das pessoas acima de 50 anos têm algum grau de degeneração (espondilose) sem necessariamente apresentarem dor.

Radiculopatia cervical

Quando a raiz de um nervo cervical é pressionada ou danificada7. Assim como a cervicalgia, existem sintomas específicos tais como perda de sensação (dormência), dor em padrão de alfinetada ou agulhada, dor em choque e fraqueza em partes de um braço (como dificuldade para levantar o braço, ou perda de agilidade e destreza nas mãos e dedos). Esses outros sintomas podem inclusive serem as queixas principais em vez de dor. As causas mais comuns de uma radiculopatia são espondilose cervical e um prolapso discal. Um prolapso discal é às vezes chamado de uma hérnia de disco, o que acontece é que parte da área mais macia interna do disco projeta-se para fora (prolapsos) através da parte mais externa do disco, pressionando o nervo que passa fora da vértebra, resultando nos sintomas de parestesias e dor. A maioria dos casos necessita de tratamento clínico, com recuperação completa em até poucas semanas. O tratamento conservador inclui medicamentos sintomáticos, fisioterapia e exercícios.

Diagnóstico de cervicalgia: quais exames preciso fazer

Os exames são complementares, devendo ser solicitados em casos de dúvidas diagnósticas, sinais de bandeira vermelha ou em caso de dor recorrente ou persistente.

Nesses casos, é importante a avaliação de um médico especializado em dor.

 

Raio-X

Pode ser útil na avaliação de alinhamento vertebral, para avaliação de osteófitos e lesões degenerativas como osteoartrose

Tomografia computadorizada

A tomografia combina diversas imagens radiográficas para produzir imagens de estruturas internas cervicais. Como faz uso de radiação ionizante (a mesma do raio-x, não é recomendada para gestantes. Avalia traumas, tumores e cistos cervicais.

Ressonância magnética

Exame não invasivo, que se utiliza do eletromagnetismo para obter imagens em alta definição de estruturas internas, gerando imagens tridimensionais. Pode ser utilizado para avaliação de estenoses, degeneração discal, hérnia de disco e outras causas de compressão como tumores. Utilizado em casos agudos ou dores crônicas

Eletroneuromiografia

Exame diagnóstico de transtornos neuromusculares, estudando o nervo, desde a saída da medula ou cérebro, e seu caminho até chegar nos músculos. Útil no diagnóstico diferencial de cervicobraquialgias, ou seja, em situações em que a dor cervical gera dor irradiada nos braços. Avalia neurônios sensitivos e motores

Exames laboratoriais

Podem ser solicitados para avaliação e excluir outras causas de dores recorrentes no pescoço, como doenças inflamatórias e doenças infecciosas.

Dor no pescoço – Quando eu deveria me preocupar?

As bandeiras vermelhas são alertas para uma avaliação mais detalhada. Existem casos em que a dor no pescoço pode estar relacionada com outras doenças como, por exemplo, o infarto. Portanto, é preciso ter atenção quando:

01. Os sintomas envolvem dormência, fraqueza ou sensação de agulhadas e alfinetadas persistentes no braço;
02.Há mal-estar, perda de peso ou febre;
03.Há piora da dor, ao invés de melhorar em alguns dias ou semanas;
04.Os ossos do pescoço (em vez de músculos de cada lado) estão muito sensíveis;
05.Há outros problemas médicos, como um histórico de um acidente recente, câncer ou artrite reumatoide.
06.A dor surge após um trauma ou queda, com batida na cabeça
07.Há perda de força ou coordenação nos braços ou pernas
08. A dor cervical evolui para uma dor de cabeça aguda.

Como tratar a dor no pescoço

Consulte seu médico para que ele indique o melhor tratamento para a sua dor.

A maioria das causas da dor no pescoço não são de risco de vida e se resolvem com o tempo e tratamento médico conservador8.

Determinar uma estratégia de tratamento depende principalmente da identificação da localização e da causa da dor.

Embora a dor no pescoço possa ser bastante debilitante e dolorosa, o tratamento clínico geralmente é suficiente e alivia os sintomas.

Mexa seu pescoço gentilmente em todas as direções

De poucas em poucas horas, tentando aumentar a variação de movimentos gradualmente.

Evite permanecer sentado por tempo prolongado

Procure manter as atividades diárias normais conforme for possível

Medicamentos analgésicos e anti-inflamatórios

Analgésicos como o paracetamol ou anti-inflamatórios analgésicos como o ibuprofeno (que também estão disponíveis em formulação tópica) podem ajudar. Além disso, seu médico pode recomendar relaxantes musculares se houver frequentes espasmos musculares

Compressa quente (bolsa de água quente ou elétrica):

Feita sobre os músculos da região também pode ajudar no relaxamento da musculatura cervical, facilitando alongamentos e diminuindo a inflamação local. O movimento fica facilitado e o calor ajuda na analgesia local.

Reduza atividade física inicialmente

Reduzir as atividades físicas ou usar um colar cervical na fase aguda pode ajudar a fornecer apoio para a coluna vertebral, reduzir a mobilidade e diminuir a dor e irritação. O colar cervical não deve ser utilizado por longos períodos

Liberação miofascial e massagem

Em casos de torcicolo ou dor miofascial, técnicas de liberação miofascial e massagem aliviam a mobilizar o tecido conjuntivo e muscular local, diminuindo a banda tensa e dor local.

Evitando a dor no pescoço: o que fazer e o que não fazer

Tensão cervical e angulos no disco

A flexão do pescoço durante o uso de celular e tablet pode afetar a coluna cervical e causar lesões no disco intervertebral cervical.

Você não pode sempre evitar a dor no pescoço, mas simples precauções no dia-a-dia podem reduzir o risco do sofrimento.

 O que fazer:

  • Vire a cadeira diretamente para o computador e ajuste a sua cadeira para que a tela esteja ao nível dos olhos9;
  • Alongue-se regularmente, principalmente quando o posto de trabalho é apenas mesa e cadeira;
  • Ao dirigir longas distâncias, recomenda-se parar e alongar-se, diminuindo a tensão na cervical e músculos relacionados;
  • Mantenha sua cabeça para trás sobre sua coluna, em vez de debruçado para a frente;
  • Considere praticar Pilates, yoga ou a técnica Alexander (muitos conselhos têm listas de classes locais para todas as idades e habilidades), essas modalidades promovem equilíbrio e melhora postural10

Veja aqui uma lista de exercícios e alongamentos ideais para aliviar a dor no pescoço. 

O que NÃO fazer:

  • Dormir de barriga para baixo. Se possível, durma de costas. 
  • Usar travesseiro muito firme ou alto – Ele deverá apoiar a curva natural do seu pescoço ombros para cima. Aprenda aqui como escolher a posição correta para dormir e qual o melhor travesseiro para evitar a cervicalgia. 
  • Manusear dispositivos eletrônicos (telefone, tablets) com a cabeça para baixo. Utilize, portanto, seu telefone sob o queixo levantando seus ombros para cima. A inclinação exagerada e sustentada, principalmente se houver desequilíbrio muscular (por sedentarismo) pode predispor a lesões cervicais11.

Ouça sempre os sinais do corpo 

Apesar da dor no pescoço na maioria das vezes não apresentar nenhum risco à saúde e geralmente estar ligada a contraturas ou espasmos musculares, má postura, ou uso inadequado de tablets e smartphones, é preciso estar atento aos sinais do corpo e sempre buscar acompanhamento médico.

Clinica Hong Jin Pai Sao Paulo e1621991307344

RUA SAINT HILAIRE 96 – JARDIM PAULISTA – SÃO PAULO – SP

Clínica de Dor, Fisiatria e Acupuntura Médica

Clínica médica especializada localizada na região dos Jardins, próximo à Av. Paulista, em São Paulo — SP.

Centro de Dor, com médicos especialistas pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.

Tratamento por Ondas de Choque, Infiltrações, Bloqueios anestésicos e Acupuntura Médica

Dr. Marcus Yu Bin Pai

CRM-SP: 158074 / RQE: 65523 - 65524 | Médico especialista em Fisiatria e Acupuntura. Área de Atuação em Dor pela AMB. Doutorado em Ciências pela USP. Pesquisador e Colaborador do Grupo de Dor do Departamento de Neurologia do HC-FMUSP. Diretor de Marketing do Colégio Médico de Acupuntura do Estado de São Paulo (CMAeSP). Integrante da Câmara Técnica de Acupuntura do Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (CREMESP). Secretário do Comitê de Acupuntura da Sociedade Brasileira para Estudo da Dor (SBED). Presidente do Comitê de Acupuntura da Sociedade Brasileira de Regeneração Tecidual (SBRET). Professor convidado do Curso de Pós-Graduação em Dor da Universidade de São Paulo (USP). Membro do Conselho Revisor - Medicina Física e Reabilitação da Journal of the Brazilian Medical Association (AMB).  

Deixe o seu comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Send this to a friend