AVISO: NOVO LOCAL DE ATENDIMENTO - Rua Saint Hilaire 96 (a 5 minutos da clínica antiga), de segunda a sábado. Maiores informações, entrar em contato via WhatsApp

Neuroma de Morton: o que é, sintomas, tratamentos e mais sobre a dor no pé

Imagine andar e sentir uma dor perto da ponta do pé, como se houvesse uma pedrinha dentro do sapato. Essa é a sensação de quem convive com uma condição chamada neuroma de Morton.

O problema acontece quando o tecido ao redor do nervo dos dedos do pé fica espesso devido à irritação ou compressão. Embora seja mais comum em mulheres de meia idade, o neuroma de Morton pode afetar pessoas de quaisquer sexos e faixas etárias.

Continue lendo e saiba tudo sobre o quadro a seguir:

O que é Neuroma de Morton?

Inflamação nervo neuroma de morton

Neuroma de Morton, também chamado de neuroma interdigital, neuroma intermetatarsal ou neuroma do antepé, é uma inflamação que afeta o nervo que passa sob o ligamento que conecta os ossos dos dedos dos pés (metatarsos). A condição pode estar ligada a vários fatores, como compressão do ligamento pelos metatarsos, irritação ou traumas.

O problema se desenvolve com mais frequência entre os ossos do terceiro e do quarto dedo, mas também pode ocorrer entre o segundo e o terceiro. Outros locais são raros, assim como é difícil que o neuroma de Morton se desenvolva nos dois pés ao mesmo tempo.

Caso não seja tratado, o neuroma causa dor aguda, em queimação ou intensa, que piora com o tempo, ao caminhar, fica em pé ou usar sapatos de salto alto. Além do incômodo local, a dor pode se espalhar para os dedos próximos.

O inchaço é benigno (não canceroso) e muito mais comum em mulheres do que em homens, ocorrendo de oito a dez vezes mais no sexo feminino, provavelmente como resultado de dedos estreitos e do uso de sapatos de salto alto.

Fatores de risco

Qualquer pessoa pode desenvolver neuroma de Morton, porém algumas são mais propensas a ele, como aquelas com características anatômicas e deformidades que causam instabilidade nas articulações dos dedos dos pés, como:

  • Pés chatos
  • Arcos dos pés altos
  • Posição anormal dos dedos dos pés

Certas condições que se desenvolvem ao longo do tempo, como joanetes ou dedos do pé em martelo, também estão associadas ao neuroma de Morton.

Alguns esportes que envolvem corrida e forças elípticas aumentam a pressão na bola do pé e também podem levar ao desenvolvimento do problema.

Sapatos de salto alto tendem a deslocar os ossos dos pés para uma posição anormal, o que aumenta o risco de formação de um neuroma. Estar acima do peso também é um fator de risco.

Causas de neuroma de Morton

Não se sabe exatamente o que causa neuroma de Morton, mas irritação, pressão ou lesão nos nervos dos dedos parece ser um fator, especialmente no que tange o uso de calçados inadequados, como sapatos com salto alto ou bico fino. Por esse motivo, as mulheres têm até dez vezes mais chances de desenvolver o neuroma de Morton em comparação aos homens.

Outras causas potenciais são atividades que envolvem irritação repetitiva da bola do pé, como esportes de corrida ou de quadra, e lesões traumáticas.

Sintomas

É comum que pacientes com neuroma de Morton experimentem dormência e dor aguda e ardente na área logo abaixo dos dedos do pé, a qual é aliviada com remoção dos calçados e massagem.

A dor costuma ser intensa quando o pé suporta peso, como ao andar, correr ou ficar sob a ponta dos pés, e geralmente ocorre inesperadamente e piora com o tempo.

A maioria dos casos cursa com dor entre o terceiro e o quarto dedo. Sinais externos do problema, como nódulos, são extremamente raros.

Outros sintomas incluem:

  • Dor em queimação, geralmente descrita como uma “agulhada quente” e que começa subitamente
  • Parestesia
  • Formigamento
  • Dormência em curto prazo
  • Sensação de que algo está dentro da bola do pé
  • Irradiação da dor para os dedos

Os sintomas podem ser contínuos e durar de dias a semanas, prejudicando gravemente a vida do indivíduo, o impedindo de caminhar ou pisar no chão. Em alguns casos, porém, o neuroma é assintomático, sendo percebido em exames de imagem, como a ressonância magnética, realizados para outros fins diagnósticos.

O neuroma de Morton causa intensas dores no pé afetado

A metatarsalgia é uma dor na parte frontal do pé, localizada na área dos ossos metatarsos, que são os ossos que articulam com as falanges

Quando procurar um médico?

É melhor não ignorar dores no pés, por mais que durem poucos dias. Consulte um médico se sentir queimação no pé que não melhora mesmo trocando de calçado e evitando atividades que estressam os membros inferiores.

Diagnóstico

O neuroma de Morton é curável, desde que seja tratado imediatamente, caso contrário, pode haver danos permanentes nos nervos.

O ideal é buscar um médico clínico geral ou ortopedista para investigar as causas do incômodo. Na consulta, ele fará uma série de perguntas, como:

  • Como e quando a dor começou?
  • Os sintomas começaram gradualmente ou de repente?
  • Que tipo de calçado você usa?
  • A dor é pior com certos pares de sapatos? Quais?
  • Algum tipo de atividade alivia a dor ou a agrava?
  • Você pratica esportes? Se sim, quais?
  • Quais medicamentos e suplementos você toma regularmente?
  • Você está com dor em qualquer outra parte do corpo?

Para não esquecer de nenhum detalhe e facilitar as respostas aos questionamentos, vale listar todos os sintomas e levá-los ao consultório.

Após a anamnese, o médico fará o exame físico. Ele consiste em tocar a ponta e os dedos dos pés para identificar pontos de dor.

Na maioria das vezes, o questionário e o exame físico são suficientes para diagnosticar o neuroma de Morton, porém há casos que necessitam de exames de imagem para descartar outras possíveis causas de sua dor, como artrite ou fratura por estresse.

Entre os testes solicitados, estão:

Raios-X

Radiografias do pé visam investigar outras causas da dor, como fratura por estresse e artrite.

 

Ultrassom

Ultrassonografia é uma tecnologia que usa ondas sonoras para criar imagens em tempo real das estruturas internas. Ela é particularmente boa para revelar anormalidades nos tecidos moles, inclusive o próprio neuroma.

 

Ressonância magnética

Por meio de ondas de rádio e um forte campo magnético, a ressonância magnética visualiza tecidos moles, sendo indicada para pessoas que não apresentam sintomas ou aquelas sem achados no ultrassom.

 

Eletromiografia
Se existir suspeita de uma condição nervosa, o paciente poderá ter de fazer a eletromiografia, teste que mede a atividade elétrica produzida pelos músculos, ajudando o médico a entender como os nervos estão funcionando.

Tratamento

Há diversas opções de tratamento, as quais dependem da gravidade dos sintomas e do estado de saúde do paciente. É de praxe que se comece com abordagens conservadoras e se passe para as mais agressivas caso a dor persista.

 

Tratamentos conservadores

Palmilhas

Palmilhas são pequenas almofadas que são encaixadas dentro dos sapatos, a fim de reduzir a dor e a pressão sobre os pés.

As farmácias vendem alguns tipos de palmilhas sem receita médica, mas o ideal é usar uma personalizada, ou seja, moldada para se ajustar aos contornos exatos do seu pé.

Fisioterapia

O neuroma de Morton responde bem ao repouso, mas, se os níveis de dor permitirem, alguns exercícios fisioterapêuticos de alongamento e fortalecimento podem ajudar no tratamento, especialmente aqueles que visam esticar os músculos da perna e panturrilha e o tendão de aquiles, além da fáscia plantar ao longo da parte inferior do pé.

O exercício deve começar devagar e com baixa intensidade, para impedir que o nervo fique inflamado novamente.

Para esticar a fáscia plantar, fique sentado e tente pegar o calcanhar com uma mão, mantendo os joelhos esticados. Puxe cuidadosamente a frente do pé e os dedos em direção à canela. Caso você não alcance os pés, use um elástico para envolvê-los e puxá-los.

Você também pode fazer esse exercício em pé, com uma perna mais a frente e apenas com o calcanhar no chão. Aproxime-se da perna na frente, mantendo o joelho dela esticado, e puxe os dedos para trás, em direção à canela, com a mão. A perna de base pode permanecer flexionada.

Ainda é possível colocar a ponta do pé contra uma parede e o calcanhar no chão. Então, em pé, aproxime seu corpo da parede até sentir os músculos se alongarem.

Para esticar o pé, role-o para frente e para trás sobre uma garrafa ou bola de tênis no chão.

Para fortalecer o pé, faça oito contrações com (de esticado para flexionado), liderando com o dedão.

 

Caminhada

Um exercício fisioterapêutico comumente aplicado para neuroma de Morton consiste em caminhar por 4 minutos e correr por 2 minutos, repetindo quatro vezes. O ideal é realizar esse treino em dias alternados.

 

Massagem

Massagens nos pés podem ajudar. Em um estudo de 2012, um pesquisador relatou que um paciente experimentou alívio da dor após realizar sessões semanais de massagem terapêutica por seis semanas, com duração média de uma hora cada.

Antes mesmo do final do tratamento, na terceira semana, o indivíduo relatou melhora da dor de ardente e esfaqueada para opaca e pulsante.

O participante também realizou diariamente exercícios, como os descrito acima, para alongar a fáscia plantar em casa.

Compressas

A aplicação de temperaturas extremamente baixas, por meio de compressas com gelo, no nervo irritado é capaz de desinflama-lo. Essa tática reduz a probabilidade de ter neuroma de Morton de novo.

 

Perda de peso

Pessoas que estão acima do peso podem ser orientadas a emagrecer para reduzir a pressão sobre os pés.

 

 

Medicamentos

O médico também deve prescrever analgésicos sem receita (tópicos ou orais) ou anti-inflamatórios não esteróides, como ibuprofeno aspirina. Todavia, esses remédios visam amenizar a dor e a inflamação e dificilmente sanam o problema definitivamente.

Há ainda medicamentos mais efetivos, mas que não devem ser usados por longos períodos devido aos efeitos colaterais.

Entre eles, há injeções de corticosteróide e anti-inflamatórios diretamente na área dolorida.

 

 

Acupuntura

O tratamento de neuroma de Morton com medicina chinesa começa abordando a inflamação no tecido, amolecendo-o e restabelecendo o fluxo saudável de sangue e oxigênio para a área. Para isso, são usadas várias táticas, como a acupuntura.

As agulhas de acupuntura não vão necessariamente nos pés, mas nas áreas do corpo ligadas a inflamações e aos membros inferiores.

O tratamento com agulhas finas pode combinar estimulação elétrica, massagem e terapia de calor, a depender do nível de dor do paciente.

Para apoiar os tratamentos de acupuntura para neuroma de Morton, é recomendável fazer uma pausa nas atividades agravam a dor no pé.

 

 

Cirurgia

A cirurgia é considerada para pacientes que não responderam adequadamente aos tratamentos conservadores e não cirúrgicos.

Geralmente feita por um cirurgião de pé e tornozelo, a operação mais comum para o tratamento do neuroma de Morton é uma neurectomia, na qual parte do tecido nervoso é removida.

Ainda é possível realizar a terapia de neuroablação criogênica. No procedimento, temperaturas extremamente baixas (-50 graus a -70 graus Celsius) são aplicadas nos nervos para destruir as células nervosas e seu revestimento, o que também reduz o risco de recidiva.

Há também a cirurgia de descompressão, onde a pressão sobre o nervo é aliviada pelo corte dos ligamentos e de outras estruturas ao redor.

Geralmente, o paciente tem de usar sapato especial temporariamente após a cirurgia, até que a ferida se cure.

Embora a cirurgia geralmente seja bem sucedida, há riscos – como em qualquer operação. Por exemplo, uma infecção na ferida. Apesar disso, as complicações são muito raras.

O tempo de recuperação varia de acordo com o procedimento realizado, sendo mais rápido no caso da descompressão nervosa e mais longo na neurectomia – variando de uma a seis semanas, dependendo de onde o corte foi realizado.

Em ambos os casos, é recomendado limitar suas atividades e sentar-se com o pé elevado acima do nível do coração pelo maior período possível.

Prognóstico

Um terço das pessoas com neuroma de Morton melhoram apenas com a troca de calçados e o uso de palmilhas, já a taxa de sucesso da cirurgia é de três em cada quatro casos.

Apesar disso, um em cada quatro pacientes apresentam sintomas recorrentes ou crônicos mesmo após o tratamento, seja por descompressão do nervo incompleta, inflamação do restante do ligamento ou falta de cuidado preventivos.

Portanto, independentemente de você ter sido submetido ao tratamento cirúrgico ou conservador, o médico especialista recomendará medidas em longo prazo para impedir que o neuroma intermetatarsal retorne, como usar calçados adequados e evitar ações que gerem pressão repetitiva no pé.

Como prevenir neuroma de Morton?

  • Não use sapatos apertados ou salto alto por longos períodos.
  • Use sapatos com uma caixa larga para que os dedos não fiquem apertados ou amassados.
  • Use calçados esportivos com um bom sistema de amortecimento para praticar esportes.

 

 

Referências

https://orthoinfo.aaos.org/en/diseases–conditions/mortons-neuroma

https://www.health.harvard.edu/a_to_z/mortons-neuroma-a-to-z

https://www.mayoclinic.org/diseases-conditions/mortons-neuroma/diagnosis-treatment/drc-20351939

https://my.clevelandclinic.org/health/diseases/15118-mortons-neuroma

https://www.foothealthfacts.org/conditions/morton-s-neuroma-(intermetatarsal-neuroma)

https://www.foothealthfacts.org/conditions/morton-s-neuroma-(intermetatarsal-neuroma)

https://patient.info/foot-care/heel-and-foot-pain-plantar-fasciitis/mortons-neuroma

3 Comentários

Deixe o seu comentário.
  • Boa noite. Tenho um neuronal de 1,3 cm no pé esquerdo que me incomoda muito. Nem fisioterapia consigo fazer mais, pois tudo que faço com o pé esquerdo me causa muita dor no dia seguinte. Quando inflama, tenho queimação na sola e nompeito do pé próximo ao tornozelo, na parte de fora. Essa queimação por vezes sabe pela perna e chego a sentir desconforto até mesmo na lombar. É possível que o neuronal causa esses efeitos para cima, afetando até a lombar? Com esse tamanho e esses sintomas, a solução pra mim seria somente a cirurgia?
    Agradeço a resposta, pois pretendo marcar consulta assim que possível, já que não aguento mais essas dores recorrentes que estão dificultando muito minha vida.

  • Tenho 12 anos e sinto isso.tenho pé chato. meu pé estava crescendo muito. Fui ao ortopedistas fiz exames e ele não passou palmilha nada apenas recomendou usar sapatos apertados para o pé parar de crescer muito. Comecei a usar não ajudou em nada meu pé continua crescendo. Minha mãe comprou uma palmilha pelo mercado livre e usei alguns dias e meu pé esmagou ela. Agora recente ela comprou outra de silicone e estou vendo resultados mas o sapato que uso é apertado como o médico orientou e os meus dedos doem muito entre o dedão e o indicador pesquisei e diz que é isso sinto muito dor. Qual a orientação?

  • Meu pé esquerdo quando pisava dava choque.fiz a cirurgia ,dois dedos ficaram dormentes e agora o pé queima, dói e
    Fica dormente, e está passando para o pé direito.

Deixe o seu comentário

Send this to a friend