AVISO: NOVO LOCAL DE ATENDIMENTO - Rua Saint Hilaire 96 (a 5 minutos da clínica antiga), de segunda a sábado. Maiores informações, entrar em contato via WhatsApp

O uso do salto alto

O uso do salto alto parece uma coisa bastante inofensiva, você também acha? Falando mais claramente, é na verdade, motivo de orgulho para muitas mulheres. Há coisa mais charmosa e sensual do que um scarpin bico fino vermelho? Ou um sofisticado salto agulha preto? Te pergunto se há coisa mais elegante?

Já sei que sua resposta vai ser: Mas, é claro que o uso do salto alto garante à mulher sofisticação e elegância. Eu também concordo plenamente. Porém, seu uso tem sido apontado como responsável por inúmeros problemas. Desde simples dores no pé até mesmo dificuldades maiores e dores envolvendo a coluna vertebral.

Muitas mulheres fazem do salto alto um estilo de vida, ou seja não dão um passo sequer sem ele. E é justamente aí que mora o perigo! Andar constantemente sobre saltos altíssimos e desconfortáveis pode acarretar diversos malefícios.

O que desencadeia os problemas do uso do salto alto é a grande pressão que todo o corpo exerce sobre a parte da frente de nossos pés, em apenas uma pequena área, a dos metatarsos.

São os metatarsos os principais sustentáculos do corpo quando se usa salto alto. As consequências do uso regular surgem em forma de muitos malefícios.

Uso do salto alto – malefícios

salto-alto-e-maleficios-para-coluna

O salto alto é responsável por alguns probleminhas que acabam por afetar as mulheres que o usam com muita frequência. Neste caso pode causar:

  • Encurtamento dos músculos
  • Encurtamento dos tendões
  • Dores nos pés e nas pernas
  • Desconforto
  • Problemas de coluna (como lombalgias e dores miofasciais)
  • Joanetes
  • Bunionette
  • Torções ou quedas
  • Problemas nos joelhos (como osteoartrose)
  • Encurtamento da musculatura da panturrilha
  • Varizes
  • Tendinite (como tendinite do calcâneo)

 

Mas, nem por isto a mulherada vai abandonar seus saltos. Há alguns truques que podem ser usados para evitar o desconforto e para impedir que o uso do salto alto se transforme em uma tragédia em sua vida.

Dá só uma olhada. Trata-se de regrinhas básicas que irão ajudar a preservar sua coluna vertebral, suas pernas, joelho e pés. Vale a pena experimentar.

Doenças causadas pelo uso constante de salto alto

neuroma de morton hong jin pai acupuntura

O uso do salto alto tem sido responsável por muitas doenças graves. A questão é que a postura que a pessoa fica quando está de salto, muda o centro de gravidade do corpo. Esta posição transfere para a frente o peso que deveria se concentrar na parte de trás.

coluna, joelhos e membros inferiores tentam contrabalançar este desequilíbrio e acabam ficando sobrecarregados e desgastados. O resultado é o surgimento de várias patologias, como diversos tipos de dores. Entre as patologias mais comuns, estão:

  • Sesamoidite – Ocorre quando alguns ossinhos chamados sesamóides, localizados na extremidade do metatarso infeccionam. Estes ossinhos devido à sobrecarga do salto acabam suportando uma pressão muito maior do que o normal desencadeando a inflamação.

Os sintomas são dores, calosidade e inchação. O tratamento depende da extensão do problema e pode ser feito através de cirurgia ou fisioterapia.

  • Neuroma de Morton – Trata-se de uma lesão que afeta o nervo que passa entre o terceiro e o quarto dedo do pé. Este neuroma é resultado da alta pressão que sapatos altos e apertados exercem sobre estes dedos. A doença se caracteriza pela reação do nervo em resposta à pressões ou lesões sofridas.

O tratamento pode ser realizado através de terapia física com ajuda de amortecedores e suportes próprios para reduzir a pressão sobre os dedos. Também pode ser feito tratamento medicamentoso através de injeções. Nos casos mais sérios é preciso recorrer à cirurgia de descompressão, onde o nervo é descomprimido, ficando livre das estruturas próximas. Ou pode ser necessário partir para a cirurgia de remoção do nervo, quando não se consegue de nenhuma forma alívio para a dor.

  • Tendinite – O uso frequente do salto alto pode prejudicar a musculatura da panturrilha levando ao surgimento de tendinite
  • Hiperlordose –Causada muitas vezes pela má postura proveniente do uso do salto alto.Os sintomas são dor lombar ao ficar muito tempo em pé. Não há especificamente um tratamento para a doença. O que se faz são atividades para correção da postura e alívio das dores. São realizados exercícios de alongamento, RPG- Reeducação Postural Global, uso de palmilhas posturais ou coletes.
  • Osteoartrite do joelho– Pode ser desencadeada pela força de compressão sobre a parte média interna do joelho. Para quem já tem osteoartrite a coisa fica pior pois com a permanente tensão sobre os joelhos pode levar à osteoartrose.
  • Síndrome dolorosa miofascial – É a dor musculo-esquelética mais comum, que muitas vezes pode ocorrer em mulheres que usam o salto alto por longos períodos. Os pontos-gatilhos, comuns dessa dor, podem então serem inativados com a acupuntura ou infiltração com anestésico (lidocaína). Outro tratamento possível seria a terapia por ondas de choque. O médico fisiatra é especialista no tratamento dessa dor.

Uso do salto alto – Dicas Legais

dicas-para-escolher-o-salto-alto

 

  • Procure alternar usando diferentes tipos de saltos no cotidiano. Faça um rodízio usando um dia um formato de salto, no outro dia o outro. E isto vai evitar um bocado de problema ortopédico. Ainda tem uma grande vantagem, você vai estar a cada dia com um look especial e diverso.

 

Já pensou que bacana! Um dia de salto agulha, outro dia de salto anabela, a variação é grande, existem boas opções. Você estará linda, elegante e com os looks da moda. Quem não quer? O quê? Você não conhece todas as opções? Ah! Não se preocupe, pois aqui, logo abaixo te damos todas as dicas. Você vai amar.

 

  • Saltos muito altos e que não dão total equilíbrio ao corpo, como o salto agulha, por exemplo, não devem ser usados todos os dias. Este tipo de salto levanta o calcanhar excessivamente. Por ser um salto muito fino, o peso do corpo vai ficar todo concentrado na ponta de seus pés. E isto causa desconforto, dor nas pernas e nos pés e prováveis doenças na coluna.

 

  • Mude o tamanho dos saltos. Isto quer dizer que o melhor é você variar os centímetros de seus saltos. Quando você varia os tamanhos seus músculos não serão forçados em excesso todos os dias e estarão experimentando diferentes estágios de contração.’

 

  • Procure evitar fazer longas caminhadas de salto alto. Se o lugar onde você precisa ir é longe e você não dispõe de condução, vá com uma sandália mais baixa até chegar mais próximo ao local. Estando perto, troque a sandália pelo salto alto. Sabe quem usa demais este truque? As modelos.

 

  • Cuide de seus pés e pernas. Prepare-os para aguentar o uso do salto alto. Veja como cuidar de seus pés sem abandonar o salto um pouco mais abaixo.

 

  • Outra dica bem legal e que até ajuda sua saúde é apostar sempre em uma boa alimentação. Alimentação balanceada e nutritiva fortalece a musculatura, ajuda a evitar cãibras e dores.

 

  • Uma coisa que você também pode fazer para dar mais vigor a seus músculos da perna são os exercícios e atividades físicas. Adote algum tipo que ajude sua musculatura. Quer exemplos? Você pode apostar na caminhada, natação, musculação, andar de bicicleta ao ar livre, Spinning e outros.

 

  • Saiba que pesquisas sobre o assunto apontam os saltos de 3 até 4 centímetros como sendo o melhor para o uso diário.

 

 

Uso do salto alto – Tipos que existem por aí

tipos-de-saltos-e-como-combinar

Para você que não quer abandonar o salto e deseja aproveitar nossa dica número 1, conheça os tipos de saltos que existem.

  • Salto agulha – Com este é preciso ter cuidado. Apesar de lindo, sensual e charmoso, ele sobrecarrega a ponta dos pés, impede que o calcanhar ajude na sustentação e deixa os dedos apertados e desconfortáveis. Pode causar torções, dores e problemas na planta dos pés.

 

  • Salto Robusto– Ele é um salto quadrado e grosso. O calcanhar fica bem apoiado e o corpo bem equilibrado.

 

  • Salto Plataforma – É um dos melhores. Porque possibilita melhor distribuição do peso. Evita muita pressão sobre um só ponto e ainda conta com a vantagem da ponta angular que favorece a impulsão do corpo.

 

  • Anabela– É bem confortável e não causa dores porque favorece uma boa distribuição da pressão do corpo sobre a planta dos pés.

 

  • Salto em cone – É um salto que tem uma forma parecida com a casquinha do sorvete. O salto é um cone invertido. É mais confortável e bem elegante. Sai do meio do calcanhar e possibilita maior sustentação do corpo.

 

  • Salto Carretel ou Sabrina– Este salto é meio cinturado. É discreto e elegante, ele termina em um bico mais fino. Costuma ter tamanho de médio a pequeno, não são saltos altos demais. Ele não é cansativo. É confortável.

 

  • Salto em vírgula– Este é um salto meio curvilíneo. Apesar de muito charmoso, costuma ser alto e um tanto desconfortável.

 

Mas, ninguém precisa se desesperar e jogar fora seus lindos sapatos de salto é preciso saber usar e preparar-se para usar. Aqui vão dicas de como você pode cuidar de seus pés e pernas.

Uso do salto alto – Cuide de pés e pernas.

cuidar dos pes

 

  • Faça sempre uma boa massagem nos pés ao fim do dia – Isto relaxa e diminui as dores.

 

  • Faça alongamentos na parte posterior da perna. Este procedimento relaxa e descansa a musculatura.

 

  • Cuide da saúde de seus pés e pernas fazendo hidratação e usando calçados confortáveis. A hidratação é boa pois evita ressecamento e prováveis rachaduras que acabam em feridas. Além disso as células hidratadas ficam mais saudáveis.

 

  • Se puder ande um pouco descalço. Andar descalço preserva os músculos mantendo-os ativos. Faz com que as articulações se movimentem. É bom para a saúde de seus pés.

 

O uso do salto alto sem causar problemas é possível, viu? E agora que tal deixar aqui seu comentário sobre tudo isto?

 

 

 

Por Equipe Clínica Dr. Hong Jin Pai

Como nossos pés tendem a inchar durante o dia, o ideal é experimentar e comprar sapatos no final da tarde, para garantir que eles ficarão confortáveis em qualquer momento.
Se a dor e o formigamento persistirem, é indicado procurar um médico.
Procure revezar seus sapatos durante a semana, alternando entre os saltos mais altos, mais baixos e os modelos sem salto.
Ao experimentar um novo calçado, observe a pisada. Se o sapato não se adequar perfeitamente ao seu pé e você sentir que está pisando mais com a parte de dentro ou de fora, use palmilhas e adaptadores para ajustá-lo.
Adesivos de silicone também ajudam a reduzir a dor, pois absorvem o impacto do peso na planta do pé.
Quando a dor estiver muito aguda durante o uso, procure jogar um pouco de água gelada para aliviar a dor e o inchaço. Se for possível, mantenha as pernas elevadas por alguns minutos.
Antes de sair e depois de chegar, faça exercícios e alongamentos. Sentada e com uma das pernas esticadas, alongue o pé, empurrando a ponta para baixo. Despois, flexione-o, empurrando o calcanhar para fora e a ponta para cima
O jeito como você caminha faz diferença. O correto é apoiar no chão primeiro o calcanhar, depois a borda e, por último, os dedos, e não o contrário. Se você não souber andar de salto, pratique um pouco em casa para evitar lesões