AVISO: Informamos que devido ao COVID-19, estamos fechados temporariamente a princípio até o dia 07/04. Para maiores informações, favor entrar em contato via WhatsApp

Estalos no pescoço: Causas e riscos

O estalo no pescoço é um recurso muito utilizado para o alívio de tensões. Além disso, podem surgir como sintomas de diversos tipos de distúrbios osteoarticulares.

Porém, a verdade é que poucas pessoas sabem quais são as causas desse barulhinho nas articulações, e principalmente, quais riscos ele oferece.

O jogador norte-americano Josh Hader é o caso mais falado. Aos 28 anos, ele sofreu um AVC (acidente vascular cerebral) depois de estalar o pescoço com fim de aliviar uma dor na região.

O movimento provocou a formação de um coágulo na região do estalo. Segundo ele, após um movimento de lateralização da cabeça ouviu um som de “pop”, instantaneamente sentiu todo o lado esquerdo de seu corpo ficar dormente.

Logo ele desconfiou de um possível derrame e buscou assistência médica. A esposa do americano conta que o marido teve perda da força muscular do rosto, ficando parcialmente desfigurado.

Embora sejam casos raros, conforme informações divulgadas pelo Queen’s Medical Center, estalos no pescoço associados a acidente vascular cerebral não é algo inédito.

Além dos derrames cerebrais, diversos casos relacionam estalos à fraturas vertebrais, podendo levar a perdas de força em braços e até paralisias.

Os estalos são hábitos muito comuns e apesar de todos os mitos espalhados sobre eles, pouco se sabe sobre suas verdadeiras causas e perigos.

É sobre isso que discorreremos ao longo deste artigo.

O que são os estalos?

Estalos no pescoço

Desde a chegada do século XX, cientistas do mundo inteiro tentam explicar a origem do som dos estalos articulares. Porém, mesmo com as várias conjecturas ainda não foi possível um consenso sobre o tema, já que as evidências experimentais são consideradas pouco convincentes. 

Todo o processo, desde o movimento a emissão sonora, dura aproximadamente 300 milissegundos. Por isso, visualizá-lo é um grande desafio. 

Um novo estudo publicado em 2018 pela Scientific Reports afirma que os estalos são originados das bolhas de cavitação em colapso no fluido sinovial presente nas articulações. 

Na prática, a ideia é que o som advém do estourar das pequenas bolhas de gases presentes na articulação. 

A teoria é mais antiga do que isso, a primeira vez que tal possibilidade veio à tona foi durante a década de 70, há 50 anos. Entretanto, nunca ninguém havia chegado tão perto de demonstrar tal processo de maneira analisável. 

Os experimentos mostraram que, quando em estresse, há formação de uma pressão que altera o fluido do líquido articular, o que acaba por provocar o estourar das bolhas e gerar o ruído. 

Apenas um colapso parcial das bolhas é suficiente para produzir os estalos, de maneira que mesmo após o som outras bolhas podem ser observadas na articulação em questão. 

Os estudos gravaram três ruídos diferentes, que se assemelham fortemente aos ruídos produzidos através das simulações computacionais. 

Atualmente esta é a representação mais correta das causas dos estalos. Porém, há ainda mais o que se falar, já que as consequências do processo aqui descrito vão além do que imaginamos.

25% dos casos de AVC em pessoas abaixo dos 40 anos de idade demonstram relação com estalos no pescoço. 

Estalos no pescoço podem causar AVC 

Um estudo inclusive encontrou que 25% dos casos de AVC em pessoas abaixo dos 40 anos de idade demonstram relação com estalos no pescoço. 

O grande problema é que a maioria das pessoas não sabe o que está fazendo quando busca o alívio de tensões através desse tipo de alongamento. 

Por não saberem realizar o movimento, acabam ao invés de corrigir o posicionamento da articulação, provocando algo ainda mais grave, como o caso com que abrimos este artigo. 

Durante a sessão de quiropraxia, por exemplo, o especialista trabalha o ajustamento articular através de um realinhamento adequado de suas estruturas, realizando a correção de maneira estritamente segura e benéfica. 

A relação entre os estalos no pescoço e os casos de AVC é explicada pela dissecção da artéria responsável pela irrigação cerebral. Quando uma das camadas dessa artéria é danificada, fala-se em dissecção. 

A partir daí o problema pode seguir dois caminhos: com rompimento da artéria ou com a formação de coágulos sanguíneos. 

Geralmente esses pacientes já possuem uma predisposição genética a este tipo de lesão. 

Estalos no pescoço podem provocar fraturas

Mesmo aliviando as dores, os estalos, sejam eles em qualquer parte do corpo, representam riscos de lesões. Tal problema se torna ainda mais grave quando se trata de uma articulação como a do pescoço. 

Poucas pessoas sabem, mas é possível até mesmo quebrar o pescoço em meio a um estalo. 

Pacientes que possuem o hábito de estalar o pescoço de maneira compulsiva geralmente apresentam significativas lesões nos processos espinhosos das vértebras cervicais. 

Para esses casos, além do tratamento da lesão, recomenda-se um acompanhamento psiquiátrico, pois enquanto o indivíduo não banir tal atitude, torna-se impossível reverter o trauma 

Quando buscar ajuda médica?

dor no pescoço

Quando os estalos no pescoço se tornam um hábito compulsivo, deve-se procurar auxílio médico. Entretanto, o principal sinal de preocupação é a dor. O edema articular também é uma forma de alerta.

Diante disso, o ideal é que se consulte um médico especialista, geralmente um ortopedista ou um fisiatra. Ambas as especialidades são responsáveis pelo trato do sistema músculo-esquelético. Enquanto o ortopedista realiza cirurgias, o fisiatra é o responsável pela reabilitação dos pacientes. 

Geralmente é a rigidez o principal motivo para as pessoas estalarem o pescoço.

Como parar de estalar o pescoço

Existem formas melhores de aliviar a tensão do que os estalos no pescoço. Separamos algumas dicas alternativas. 

 

acupuntura

Alongue os músculos do pescoço 

Geralmente é a rigidez o principal motivo para as pessoas estalarem o pescoço. Realmente tal ato acaba por produzir uma sensação de alívio. 

Porém, a melhor maneira de tratar esse tipo de desconforto seria alongar com cautela a musculatura dessa região através de movimentos cuidadosos e controlados. Apenas 30 segundos de exercícios em cerca de 5 sessões diárias é suficiente. 

Movimente o pescoço

Assim como no caso anterior, o ato de e a articulação através de movimentos completos pode ajudar. A ideia desobstruí-la através da automanipulação. Devem ser feitos movimentos lentos, sempre respeitando os limites articulares. 

Fortaleça os músculos do pescoço

O fortalecimento muscular é um fator importante para a proteção da saúde das articulações. Os exercícios de fortalecimento ajudam a estabilizar os ossos e assim equilibram a região. 

Quando a musculatura do pescoço se torna enfraquecida, ocorre instabilidade da coluna cervical, fazendo com que a pessoa sinta mais vontade de estalá-la. 

Faça Acupuntura

A acupuntura também é uma boa dica, através dos pontos de energia é possível reduzir tensões e desconfortos na região do cervical, o que naturalmente contribui para o controle do desejo dos estalos no pescoço. 

São medidas simples, mas que podem fazer a diferença, diante das consequências graves apresentadas aqui, fica fácil entendermos o seu valor. Previna-se. 

Send this to a friend