AVISO - COVID-19: Estamos com atendimento segunda/terça/quinta/sexta/sábado. Maiores informações, entrar em contato via WhatsApp

Efeitos dos exercícios de alongamento muscular no tratamento da fibromialgia

Uma revisão sistemática publicada na Revista Brasileira de Reumatologia de março de 2015 encontrou uma melhora significativa da dor crônica nos pacientes avaliados, além de encontrar melhoras na qualidade de vida e condição física em pacientes com fibromialgia.

Tratamento de fibromialgia com exercícios

Tratamento de fibromialgia com exercícios

O Estudo sobre fibromialgia foi realizado por pesquisadores da Universidade Federal de Pernambuco – Recife, sendo realizado uma revisão sistemática da literatura a partir de consulta retrospectiva, sem limites de data ou língua, em diversas bases de dados, incluindo-se: Medical Literature Analysis and Retrieval System Online (MedLine), Literatura Latino‐Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (LILACS), Scientific Electronic Library Online (SciELO) ePhysiotherapy Evidence Database (PEDro), além da ferramenta de busca PubMed.

Quatro artigos de fibromialgia foram analisados. Um estudo canadense que comparou exercícios gerais de flexibilidade e exercícios de treinamento cardiovascular encontrou melhora de todos os aspectos avaliados (dor, qualidade de vida), sendo obtidos maiores ganhos no grupo de treinamento cardiovascular.

Um segundo estudo americano, de 2002, comparou pacientes que foram submetidos a exercícios de fortalecimento e exercícios de alongamento muscular. Os autores encontraram que o grupo de fortalecimento apresentou melhora em 12 medidas avaliadas (escore total do limiar de dor, escore da dor na Escala Visual Analógica, contração voluntária máxima de flexão e extensão de joelho e rotações de ombro, testes funcionais de flexibilidade, melhora no Questionário de Impacto da Fibromialgia, melhora na Escala de Depressão de Beck, e Escala de Autoeficácia). Já o grupo de alongamento, apresentou melhora em 6 das medidas avaliadas nas pacientes com fibromialgia.

Um terceiro estudo brasileiro de 2007 encontrou também melhora em todos os aspectos avaliados nos pacientes que foram submetidos à alongamento muscular associado ou não a laserterapia para tratamento de dor. Por fim, um último estudo brasileiro de 2010 encontrou também melhoras diversas nos pacientes com fibromialgia que foram submetidos a tratamentos de cinesioterapia com alongamento e/ou fortalecimento muscular, com melhora na qualidade de vida, melhora na fadiga, sono, rigidez, e capacidade funcional, além de melhora na dor.

Infográfico Fibromialgia

Sintomas, tratamento de fibromialgia

Segundo os autores:

A fibromialgia (FM) é uma síndrome reumática de etiologia desconhecida, que ocorre predominantemente em mulheres na faixa etária de 30‐55 anos.É caracterizada por dor musculoesquelética crônica e generalizada, com duração maior que três meses, ocasionando problemas físicos e emocionais que interferem diretamente na capacidade funcional e na qualidade de vida. O diagnóstico é baseado na condição clínica, e o tratamento preconiza o controle do quadro álgico por meio de estratégias globais de abordagem interdisciplinar, com intervenções nos âmbitos físico, farmacológico, cognitivo‐comportamental e educacional.

Atuando diretamente no domínio físico dos pacientes com FM, merece destaque a fisioterapia, modalidade profissional composta por um arsenal de técnicas responsáveis pela quebra do ciclo vicioso de sintomas característicos de doentes crônicos. Evidências científicas revelam que exercícios cinesioterapêuticos minimizam a dor, a fadiga e a tensão muscular, melhorando níveis de estresse, ansiedade e depressão nos indivíduos portadores de fibromialgia, quando executados de maneira regular e monitorada.

Os exercícios de alongamento na fibromialgia, por sua vez, permitem a recuperação do comprimento muscular funcional, possibilitando alívio de tensões, realinhamento da postura e melhora na amplitude, além de liberdade e consciência de movimento. Porém, embora bastante empregados na rotina clínica fisioterapêutica, por serem de fácil execução e tolerabilidade, parece não existir um consenso sobre o tipo, a frequência e a intensidade de alongamentos mais adequados para o tratamento de pacientes com FM.

Quanto aos resultados encontrados, observou‐se melhora estatisticamente significativa em praticamente todos os parâmetros avaliados pelos estudos trazidos por esta revisão sistemática. Quando os exercícios de alongamento foram comparados aos exercícios de fortalecimento, nas pesquisas de Jones et al. (2002) e Berssaneti & Marques (2010), ou ao recurso fototerapêutico laser, na pesquisa de Matsutani et al. (2007), não houve superioridade de benefícios entre as técnicas, ratificando que o paciente com FM necessita, não só de um tratamento interdisciplinar, mas também de uma abordagem que englobe diferentes recursos durante o atendimento.

A conclusão dos autores foi de que é importante um tratamento multidisciplinar na fibromialgia. O tratamento medicamentoso por si só não é o suficiente, e destacam-se a importância da realização de exercícios terapêuticos para melhora física e mental dos pacientes com fibromialgia.

Outros estudos

Outras pesquisas científicas mostram que exercícios variados como o Tai Chi Chuan também servem para aliviar as dores e melhorar a qualidade do sono em pacientes com Fibromialgia. Um estudo publicado na conceituada revista científica New England Journal of Medicine encontrou que a prática do Tai Chi Chuan alivia dores nas articulações e outros sintomas da Fibromialgia.

A atividade combina meditação com movimentos lentos, suaves, respiração profunda e relaxamento. Pode melhorar a força muscular, o equilíbrio, o sono, a coordenação e, de acordo com evidências, a fibromialgia. 

O estudo liderado por Wang Chenchen, da Tufts University School of Medicine, em Boston, envolveu 66 pacientes com fibromialgia que experimentaram o tai chi chuan ou exercícios de bem-estar e alongamento duas vezes por semana, durante 12 semanas.

Os sintomas melhoraram de forma significativa para o grupo de tai chi chuan e pouco para os outros. Os pesquisadores notaram melhorias na dor, humor, qualidade de vida, sono e capacidade de exercício, que se mantiveram por 24 semanas após o início do estudo.

E a Acupuntura?

Diversos estudos também mostram evidências da eficácia da Acupuntura no tratamento e controle das crises da Fibromialgia. Um estudo recente de dezembro de 2014, publicado também na Revista Brasileira de Fibromialgia encontrou que a Acupuntura mostrou ser eficaz na redução imediata da dor em pacientes portadores de fibromialgia, com um tamanho de efeito (effect size) bastante significativo.

O estudo foi realizado no ambulatório de Reumatologia da Santa Casa de Misericórdia de Ponta Grossa, PR. O estudo foi randomizado, controlado e duplo-cego, e incluiu 36 pacientes. Vinte e um pacientes foram submetidos a uma sessão de acupuntura, nos moldes da Medicina Tradicional Chinesa, e 15 pacientes foram submetidos a um procedimento placebo (acupuntura sham). Para avaliação da dor, os indivíduos preencheram uma Escala Visual Analógica (VAS) antes e imediatamente após o procedimento proposto. As médias na variação da VAS foram comparadas entre os grupos.

Pontos de Acupuntura para Fibromialgia

Pontos de Acupuntura para Fibromialgia

Imediatamente antes e logo após a intervenção, os pacientes responderam a escala visual analógica de dor (VAS), a qual consiste em uma régua com uma escala de 0 a 10 cm, sendo que o número zero traduz ausência de dor e o número 10, a pior dor já experimentada pelo indivíduo. Dentro do protocolo proposto (estudo duplo‐cego), os profissionais que coletaram as respostas da VAS de dor desconheciam o status de randomização de cada indivíduo. Apenas o acupunturista conhecia os grupos de intervenção.

Efeito da Acupuntura na Fibromialgia

Acupuntura apresentou efeitos estatisticamente significativos na melhora da dor em pacientes com Fibromialgia

Segundo os autores:

Sabe‐se que a acupuntura pode promover mudanças fisiológicas no organismo, como mudanças na pressão sanguínea, alterações nas atividades elétricas cerebrais e no tálamo. Há várias teorias para explicar a analgesia consequente do tratamento com acupuntura. A teoria de Mackenzie preconiza que a estimulação sensorial por agulha provoca reações funcionais aos músculos, vasos e ligamentos inervados pelo mesmo mielótomo. A estimulação de áreas cutâneas pode influenciar funcionalmente órgãos, por estarem conectados pelo mesmo neurótomo.

Alguns estudos demonstram que a acupuntura estimula a liberação de endorfinas e encefalinas, o que leva a uma resposta moduladora da dor, resultando em analgesia. Outros estudos demonstram que a acupuntura pode bloquear a aferência dolorosa por dois mecanismos: o primeiro por inibição da atividade de neurônios transmissores da dor em nível medular; o segundo por inibição da aferência nociceptiva por meio da ativação de sistemas supressores de dor segmentares e suprassegmentares.

O conceito de pontos sensíveis ou dolorosos, embora hoje controversos dentro do diagnóstico da fibromialgia, tem uma relação estreita com o conceito dos pontos de acupuntura. A estimulação desses pontos com agulha pode promover o controle da dor. Os efeitos da acupuntura sobre atividade cerebral têm sido demonstrados por meio de exames de imagens, os quais evidenciaram que, após o agulhamento por acupuntura, há intensificação do fluxo cerebral. Desse modo, muitos pacientes portadores de dor crônica recorrem ao tratamento por essa técnica. Em um estudo randomizado uni‐cego, Deluze et al.19 avaliaram a eficácia da eletroacupuntura em pacientes portadores da fibromialgia. Dentro de um grupo de 70 pacientes, 36 receberam eletroacupuntura nos pontos preconizados pela Medicina Tradicional Chinesa e 34 receberam acupuntura sham (o agulhamento foi feito 20 mm distante dos pontos verdadeiros e com estimulação elétrica reduzida). No grupo de eletroacupuntura houve uma melhora significativa dos sintomas. Em cinco dos oito parâmetros analisados, a melhora nos pacientes de eletroacupuntura foi mais significativa que no grupo de controle.

Martin et al.10 realizaram um estudo randomizado, controlado, parcialmente cego, em que 50 pacientes portadores de fibromialgia foram submetidos a seis sessões de tratamento dentro de dois grupos: acupuntura vs. acupuntura simulada (estimulação da pele por meio de agulha, mas sem a perfuração da pele). Os autores concluíram que a acupuntura é eficaz no tratamento dos sintomas da fibromialgia, principalmente no que diz respeito à ansiedade e à fadiga.

Concluiu-se que:

O presente estudo, realizado através de um desenho duplo‐cego e randomizado, favorece a acupuntura na melhora imediata da dor dos pacientes portadores de fibromialgia. Conclusão obtida através da diferença na variação da VAS significativamente robusta observada nos pacientes submetidos ao procedimento.

Send this to a friend