AVISO - COVID-19: Estamos com atendimento segunda/terça/quinta/sexta/sábado. Maiores informações, entrar em contato via WhatsApp

Fibromialgia: Mitos e verdades

A fibromialgia é uma condição comum que causa dor generalizada e sensibilidade no corpo. Cada pessoa com fibromialgia terá seu próprio conjunto de sintomas. Não há cura para a fibromialgia, mas os sintomas podem ser gerenciados. A pesquisa sobre fibromialgia está crescendo e estamos nos aproximando cada vez mais da compreensão dessa complexa doença.

O que é fibromialgia?

A fibromialgia é uma síndrome crônica, o indivíduo com o problema sente dores neuromusculares. A fibromialgia é uma dor crônica funcional que incomoda muito e não vem sozinha, geralmente o paciente também sente indisposição, fadiga e distúrbio do sono, além é claro, da dor.

A fibromialgia não é uma doença rara nem nova, existem registros dessa doença desde o século XIX, sendo que cerca de 8% da população adulta sofre de fibromialgia. Quer conhecer um pouco mais da doença e descobrir os mitos e verdades que são faladas sobre ela? Não deixe de acompanhar nosso artigo.

Para você conhecer um pouco mais sobre essa doença vamos falar um pouco sobre ela e depois mostrar alguns mitos e verdades. Não adianta nada você saber algumas verdades sobre a doença e não saber como ela aparece, os sintomas e outras coisas relacionadas. Não deixe de conhecer um pouco sobre a fibromialgia, até porque prevenir é sempre o melhor remédio.

A fibromialgia é uma forma de dor funcional, pois ela envolve músculos, ligamentos e tendões, ela pode prejudicar o desempenho de uma pessoa, como andar, por exemplo.

As mulheres estão mais suscetíveis de ter fibromialgia, principalmente as mulheres que tem idade entre 30 e 50 anos.

Outras pessoas que podem ter o problema são indivíduos que já têm problema nas articulações como lúpus, artrite reumatoide ou espondilite anquilosante.

Essas pessoas devem ficar atentas e se cuidar, principalmente fazendo exercício físico que ajudam a prevenir vários problemas de saúde. Os médicos ainda não sabem exatamente o que causa a doença, estudos mostram que ela está relacionada a forma que o corpo processa sinais de dor, quando ele não processa muito bem, acaba reagindo exageradamente a uma dor.

Muitas vezes ela é causada também por uma infecção, lesão ou até stress, ela também é uma doença herdada, ou seja, genética, pois tem tendência a aparecer em muitas pessoas da mesma família.

Especialistas acreditam que a fibromialgia primária pode estar relacionada com o sono não reparador ou a incapacidade de obter o suficiente de um estado de sono profundo. Resultados de pesquisas médicas recentes mostram que quantias anormais de atividade alfa tem sido relatadas em eletroencefalogramas dos pacientes fibromialgia durante o sono profundo.

Os sintomas da fibromialgia

Já citamos acima os principais sintomas, que são:

  • Dor – A dor é bem intensa dependendo da pessoa, ela afeta várias partes do corpo, mas em momentos diferentes. O paciente sente uma dor mais forte quando acorda, ele também sente os músculos e articulações latejando e queimando;
  • Sensibilidade – O paciente sente vários pontos sensíveis no corpo como os braços, pernas, pescoço, costas e outros; 
  • Fadiga – A fadiga também é um sintoma bem comum, o indivíduo sente exaustão e tem problemas para fazer tarefas simples do dia a dia; 
  • Distúrbio do sono – A fibromialgia faz o paciente ter problemas durante o sono, ele fica mais leve o por isso a pessoa não descansa como deveria.

Ela também causa outros sintomas como dores de cabeça, síndrome do intestino irritável, problemas para raciocinar bem, depressão, síndrome das pernas inquietas, ansiedade e até problemas de memória. Se você vem sentindo alguns desses sintomas em conjunto fique ligado e procure logo um médico, você precisa descobrir o seu problema e se o que está causando os sintomas é mesmo a fibromialgia.

Mitos e verdades da fibromialgia

Agora está na hora de você descobrir alguns mitos e verdades sobre a doença, se você está com o problema é bom ficar atento, assim você não perde tempo com os mitos e foca no que realmente importa. Lembramos que por mais que você entenda sobre a doença e descubra agora um pouco sobre os mitos e verdades é importante que consulte o médico e faça o tratamento como ele prescreveu. O acompanhamento médico é importante e você não pode deixar que nenhum artigo lido na internet interfira no tratamento.

O tratamento não é individualizado – MITO

Se você leu com atenção o artigo até esse momento já vai saber que isso é um grande mito, você não precisa de tratamento individualizado é quando está gripado, por exemplo, mas outras doenças mas graves não é bem assim. As pessoas podem ter a mesma doença e ter sintomas diferentes, reagir de forma diferente e até mesmo sentir dor mais intensa ou mais amena.

Com a fibromialgia, o tratamento dever ser direcionado de acordo com as queixas do paciente. O objetivo do seu médico não deve ser apenas de aliviar os sintomas, como dores e problemas na hora de dormir, mas controlar a doença para que o indivíduo tenha uma melhor qualidade de vida.

Exames não confirmam a doença – VERDADE

Esse é um grande problema enfrentado pelos médicos, eles podem fazer mil exames, mas nenhum vai detectar o problema. Nesse caso o que vale é a experiência do profissional e habilidade. Se você está com problemas de encontrar o diagnóstico nossa dica é procurar um médico especializado em fibromialgia, o seu problema pode ser esse, mas muitos médicos e médicos sem experiência podem ter dificuldade para descobrir.

Não sabemos por que a fibromialgia acontece – VERDADE

Como já falamos, os estudos ainda não mostraram como a doença acontece, existem suposições, como ela ser genética, mas o motivo dela surgir ainda é um mistério. Alguns estudos apontam que existem fatores que podem ser isolados ou combinados e que favorecem o problema como leões repetitivas, traumas emocionais e mudanças hormonais.

Outros problemas que podem favorecer incluem a depressão, ansiedade e sedentarismo, por isso que falamos que uma forma de prevenção é o exercício físico, se você se exercita fica mais disposto, não é sedentário e tem pequenas chances de ter depressão.

A fibromialgia é um tipo de artrite – MITO

A fibromialgia causa dor e não inflamação ou dano à articulação, órgãos, tecidos e músculos, por isso ela não é considerada como uma manifestação de artrite. Mas é claro que ela muitas vezes está associada a ela, como já mostramos, pessoas com artrite podem ter fibromialgia.

A sensação de dor não é sempre associada com articulações e músculos lesados — pode ser por causa de desequilíbrios neurológicos. O NIH (National Institutes of Health) relata que a fibromialgia pode estar presente quando o corpo tem uma resposta neurológica hipersensível a estímulos que normalmente não seria considerada dolorosa.

Uma dieta especial é necessária na fibromialgia – MITO

Comer uma dieta bem equilibrada é essencial para o bem-estar geral, mas não há uma dieta específica que tem sido provada eficaz para melhorar os sintomas de fibromialgia, de acordo com o NIH.

A fibromialgia é uma doença neurológica – VERDADE

Embora uma vez pensou-se que a fibromialgia poderia ser uma forma de artrite, pesquisas dos últimos 10 anos mostraram que essa afirmação parece ser falsa.

Artrite é definida como uma inflamação das articulações, mas não há nenhuma inflamação com fibromialgia, nem há qualquer dano para as articulações. Um paciente de fibromialgia pode ter um tipo de artrite (como osteoartrite ou artrite reumatóide), além de fibromialgia, mas é uma desordem completamente separada.

Novos estudos científicos e técnicas de imagens cerebrais estão revelando que fibromialgia é melhor definida como uma desordem do sistema nervoso central que resulta em processamento anormal da dor.

A fibromialgia está mais presente em mulheres – VERDADE

Já citamos isso rapidamente aqui e também falamos que é comum aparecer em mulheres de 30 a 50 anos. Os médicos acreditam que 80% a 90% dos casos sejam de pessoas do sexo feminino, as mulheres que estão na meia idade são até três vezes mais vulneráveis do que os homens.

Muitas vezes uma mulher com fibromialgia que chega na menopausa piora suas queixas de dor e distúrbios do sono e de humor.

Estudos descobriram que as mulheres com fibromialgia tendem a ter uma baixa tolerância à dor e os sintomas mais do que os homens. Ambos os sexos, no entanto, responderam da mesma forma para o tratamento da fibromialgia, bem como outros tratamentos, nondrug como exercício.

Fibromialgia é também vista em todas as faixas etárias, desde adolescentes até idosos.

No entanto, os sintomas normalmente começam em 30 anos de uma pessoa. Fibromialgia ocorre ao redor do mundo, em todos os povos e etnias.

O tratamento em conjunto de várias terapias ajuda na fibromialgia – VERDADE

O problema é tratado com remédio como antidepressivos, analgésicos, anti-inflamatórios, neurolépticos, além de psicoterapia. É possível associar muitos outros tratamentos que funcionam bem como a acupuntura, pilates, hidroginástica e massagens.

Esses são só alguns mitos e verdades, mas agora você já sabe um pouco mais sobre o problema e já pode compartilhar com outras pessoas o que você descobriu. Não deixe de conversas sobre essas doenças, as pessoas precisam saber o que é fibromialgia, seus sintomas e como é feito o tratamento, além é claro, dos mitos e verdades.

A fibromialgia é rara – MITO

A fibromialgia é um dos tipos mais comuns de distúrbios de dor crônica. Estima-se que mais de 5 milhões de pessoas nos Estados Unidos tem fibromialgia.

A dor da fibromialgia vem “da cabeça” – MITO

A fibromialgia tem sido descrita por séculos. Mas foi em 1981 que o primeiro estudo científico confirma formalmente os sintomas da fibromialgia e pontos dolorosos no corpo.

Desde então, os pesquisadores testaram mais reações de dor em pessoas com fibromialgia.

Estudos de imagem mostram que os cérebros das pessoas com fibromialgia têm mais atividade em reação à dor.

Estudos também têm demonstrado que pessoas com fibromialgia sentem dor mais intensa em níveis mais baixos do que pessoas sem a condição.

Acredita-se que a hiperatividade de nervos causem a dor da fibromialgia. Embora a fibromialgia não seja apenas “na cabeça”, ainda é importante compreender que a condição é estressante — especialmente quando não é diagnosticada. Estresse também pode piorar fibromialgia.

Os médicos diagnosticam fibromialgia quando não conseguem encontrar um diagnóstico “real” – MITO

É verdade que o diagnóstico de fibromialgia muitas vezes leva tempo. Não há nenhum teste de laboratório específico para ele. Seu médico não pode vê-lo em um raio-x ou fazer um exame de sangue para confirmá-la. Em vez disso, ele ou ela se baseia em seus sintomas e um exame físico. Além do mais, os sintomas podem se sobrepor com sintomas de várias outras condições. Essas outras condições devem ser testadas para também.

Mas a fibromialgia é uma condição muito real. Em 1990, o Colégio Americano de Reumatologia desenvolveu diretrizes para o diagnóstico de fibromialgia. Hoje, essas diretrizes são aplicadas extensamente, e atualizadas recentemente.

Além do mais, agora existem milhares de estudos para validar esta forma de dor crônica generalizada. Em 1990, havia apenas cerca de 200 estudos publicados na fibromialgia. Hoje existem mais de 4.000 estudos publicados fibromialgia.

A dor da fibromialgia é suave – MITO

Algumas pessoas experimentam apenas sintomas leves, especialmente quando eles estão sendo devidamente tratados. Para outros, a dor pode ser severa. A dor da fibromialgia pode ter um impacto significativo na qualidade de vida.

Coisas simples, como trabalhar, ir para uma caminhada, realizar tarefas domésticas e cuidar de suas famílias podem se tornar difíceis. Também muitas vezes, é comum os sintomas se agravarem após episódios de estresse ou mesmo sob determinadas condições atmosféricas (como o frio).

Não há nada que possa ser feito para tratar a fibromialgia – MITO

Embora a fibromialgia não pode ser curada, para muitas pessoas um diagnóstico correto ajuda no tratamento e melhora dos sintomas.

Ele pode marcar o início de uma nova jornada para alívio de alguns sintomas. Muitas pessoas com fibromialgia são capazes de reduzir seus sintomas através de tratamentos e mudanças de estilo de vida. Vale repetir a importância de uma avaliação e tratamento multidisciplinar.

A fibromialgia afeta os músculos, articulações e tecido conjuntivo – MITO

Não há danos para os músculos, articulações ou tecido conjuntivo das pessoas com fibromialgia.

Por muitos anos a fibromialgia foi descrita como um distúrbio osteomuscular, porque grande parte do povo de dor experiência com fibromialgia parece que vem de músculos, articulações e tecidos conjuntivos.

No entanto, anos de testes não revelam qualquer dano real ao sistema músculo-esquelético. O que a pesquisa tem descoberto é que uma avaria no sistema nervoso central dos pacientes FM causa desordenado processamento sensorial que leva a amplificação da dor. Em outras palavras, um estímulo que não seria sequer notado pela maioria das pessoas pode ser extremamente doloroso para alguém com fibromialgia.

A fibromialgia é um problema psicológico – MITO

A fibromialgia é uma doença física com anormalidades biológicas reais, mensuráveis.

Este mito provavelmente faz com que a frustração da maioria dos pacientes com fibromialgia. Depois de anos sendo dito “É tudo na sua cabeça”, pacientes finalmente podem provar que a fibromialgia é uma doença muito real, física. Estudos têm revelado um número de anomalias biológicas, incluindo:

Diminuição do fluxo sanguíneo para áreas específicas do cérebro, particularmente a região do tálamo, que pode ajudar a explicar a sensibilidade de dor e problemas de funcionamento cognitivos experimentados por pacientes com fibromialgia.

Níveis elevados de substância P, um neurotransmissor do sistema nervoso central envolvido no processamento da dor.

Baixos níveis de fator de crescimento do nervo. Baixos níveis de somatomedina C, um hormônio que promove o crescimento ósseo e muscular. Níveis baixos de vários neuroquímicos: serotonina, noradrenalina, dopamina e cortisol. Baixos níveis de fosfocreatina e adenosina, produtos químicos da célula muscular.

Apesar das evidências científicas, alguns profissionais médicos continuam a rejeitar a fibromialgia como um problema psicológico, insistindo que os sintomas são causados pela depressão. O fato é que a porcentagem de pacientes com fibromialgia que sofrem de depressão não é superior para qualquer outra doença crônica.

Tratamentos complementares e alternativos são inúteis – MITO

Terapias de meditativas ou de movimento, tais como ioga, tai chi e qi-gong, parecem melhorar os sintomas da fibromialgia, segundo uma revisão publicada na revista International Reumatology em 2013. Neste estudo, pesquisadores encontraram melhoras para distúrbios do sono, fadiga e depressão.

Você deve evitar o exercício na fibromialgia – MITO

Os sintomas da fibromialgia podem dificultar a atividade física, mas é crucial encontrar uma maneira de fazer exercícios uma parte de sua rotina diária. O exercício é um dos tratamentos mais eficazes para a fibromialgia, de acordo com as últimas pesquisas médicas

Comece onde você pode. Se a dor e a fadiga impedem-no de um exercício vigoroso, comece com uma caminhada, ou tente tai chi e evolua gradualmente a partir daí. Um estudo publicado nos Annals of Rheumatic Diseases em 2014 encontrou que exercícios de resistência resultaram na melhoria da função física e menos dor.

A pessoa com fibromialgia está apenas cansada – MITO

Uma revisão sistemática publicada na Arthitis Research & Therapies em 2013 identificou a fadiga como um sintoma incapacitante, persistente e teimoso do paciente com fibromialgia. O trabalho concluiu que a fadiga não ocorre isoladamente, mas está entrelaçada com outros sintomas — e que os sintomas influenciam-se mutuamente.

Não há nada que se possa fazer para os sintomas da fibromialgia – MITO

Fato: Não há cura para a fibromialgia, mas a condição não é progressiva ou fatal. Os sintomas podem ser gerenciados com êxito. Existe a possibilidade de alívio importante com a otimização do tratamento acompanhado de um especialista.

O primeiro passo no sentido de obter esse alívio é encontrar um médico familiarizado com a fibromialgia. Isto pode ser um reumatologista, clínico geral ou médico fisiatra.

Opções de tratamento incluem medicação, abordagens alternativas, terapia comportamental e fisioterapia.

Fibromialgia é o mesmo que depressão – MITO

Fibromialgia e depressão são duas condições diferentes. Enquanto a depressão pode ser um sintoma da fibromialgia e alguns pacientes com depressão desenvolvem fibromialgia, estas condições não são as mesmas.

Dores no corpo podem ocorrer na depressão, mas isso também não é fibromialgia. Muitos pacientes com fibromialgia não sofrem com depressão e não teve depressão antes do início da condição.A dor e a fadiga da fibromialgia compreensivelmente podem levar a depressão como tem um efeito generalizado sobre a qualidade de vida.

Estresse e trauma emocional faz com que a fibromialgia surja – TALVEZ

Post, transtorno de estresse pós-traumático (TEPT) tem sido associado a fibromialgia. Se é uma causa directa ainda tem que ser estabelecido. Da mesma forma, o trauma emocional tem sido associado a fibromialgia. Mas estas são causas não definitivas. No entanto, a fibromialgia pode ocorrer mesmo sem histórico de trauma físico e emocional.

Fatores genéticos também tem sido visto um papel possível. Da mesma forma, infecções podem desencadear ou exacerbar a fibromialgia. Mas nenhum desses fatores tem sido provado para ser uma causa conclusiva da condição. A causa exata da fibromialgia ainda é desconhecida.

A dor é o único sintoma da fibromialgia – MITO

A dor é o principal sintoma da fibromialgia, mas não é o único sintoma. Os pacientes também experimentam fadiga e problemas de sono. Ansiedade e depressão também podem ocorrer.

Algumas pessoas também podem sofrer com dores de cabeça, síndrome do intestino irritável (SII) e as mulheres podem ter endometriose simultaneamente. No entanto, a característica definidora da fibromialgia é a dor, particularmente em certos pontos dolorosos no corpo.

De acordo com os antigos critérios do Colégio Americano de Reumatologia, existem 18 pontos dolorosos, identificados na fibromialgia, e você deve experimentar dor quando pressão é aplicada a pelo menos 11 desses pontos, a fim de confirmar o diagnóstico. Atualmente, não se usam mais estes pontos, mas pode ser interessante para o auxílio diagnóstico.

Mudar a sua dieta pode curar a fibromialgia – IMPROVÁVEL

Tem havido muita conversa sobre o papel da dieta na gestão de fibromialgia. Algumas pessoas afirmam experimentar vários graus de melhora nos sintomas, eliminando alimentos específicos da dieta.

Não há nenhuma evidência científica para provar que a mudança dietética é eficaz na gestão de fibromialgia e definitivamente não é uma cura. Entretanto, você pode experimentar estas mudanças dietéticas como evitar amidos refinados e assim por diante, porém, é improvável que traga para você alívio duradouro dos sintomas da fibromialgia.

Meditação pode ajudar com o controle da dor – VERDADE

É sabido que a mente tem amplo controle sobre o corpo. O papel da mente em influenciar certos sistemas do corpo, como o sistema imunológico, deu origem a novas disciplinas como psiconeuroimunologia.

Da mesma forma, a mente pode ser capaz de alterar a percepção de certas sensações como dor. A meditação é uma maneira de controlar a mente para ajudar a aliviar a dor percebida na fibromialgia.

Outras técnicas mentais utilizadas em medicina integrativa podem também ser úteis para a fibromialgia.

Exercício deve ser evitado na fibromialgia – MITO

Enquanto as pessoas com fibromialgia não podem sentir como exercício devido à dor e a fadiga, o exercício é realmente recomendado. Pode melhorar os sintomas da fibromialgia, como dor e problemas de sono.

Algumas pessoas acharão que a dor pode piorar quando eles começam primeiro em um programa de exercícios. Mas ao longo do tempo, a maioria dos pacientes com fibromialgia realmente beneficiam deexercício.

Portanto, deve ser parte da gestão de fibromialgia. Pacientes devem trabalhar com seu médico e outros profissionais de saúde como fisioterapeuta no desenvolvimento de um programa de exercícios.

Dr. Marcus Yu Bin Pai

CRM-SP: 158074 / RQE: 65523 - 65524 | Médico especialista em Fisiatria e Acupuntura. Área de Atuação em Dor pela AMB. Doutorando em Ciências pela USP. Pesquisador e Colaborador do Grupo de Dor do Departamento de Neurologia do HC-FMUSP. Diretor de Marketing do Colégio Médico de Acupuntura do Estado de São Paulo (CMAeSP). Integrante da Câmara Técnica de Acupuntura do Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (CREMESP). Secretário do Comitê de Acupuntura da Sociedade Brasileira para Estudo da Dor (SBED). Professor convidado do Curso de Pós-Graduação em Dor da Universidade de São Paulo (USP)

6 Comentários

Deixe o seu comentário.
  • Estou com muita dor no corpo todo cansaco sonolencia nao estou aguentando mais me ajude por favorazões

  • Descubri recentemente q tenho fibromialgia e gostaria d saber se é tipo de câncer ….

  • Descobri a dois anos que tenho fibromialgia mas não consigo fazer exercício físico pos me doi muito e no outro dia nem consigo pisar no chão só consigo fazer caminhada e engordei de mas tô com 100 kl e gostaria de saber pq guando a dor bate de repente eu não consigo ficar em pé no começo eu caia muito agora eu me jogo. Em um canto pra não me machucar não tô indo mas ao rematologista pos aqui e difícil de mas pra tá marcando a consulta e também ele passa remédio muito caro não consigo compra pos também não tô conseguindo trabalhar mas eu trabalhava de cuidadora de idoso o médico disse pra parar por conta do peso

  • Zélia Maria Romeiro Silva

    To muito preocupada porque to sem remédio não posso compra e muito caro quem mim dar e minha psiquiatra. Eu tomo duloxcetina de60gmde manhã e duloxcetina de 30gm a noite e clonazelam 3 vezes ao dia dia.to despencando sem so Deus na minha vida.

  • Adiles Francisca De Campos pinto

    Eu descobri que tenho fibromialgia a quase dois anos ate entao muito sofrimento dores intensas nao consigo dormi bem a noite passo quase sempre sentada sem poder deita estou me tratando com reumatologista e um psiquiatra e estou na fila do SUS esperando um medico de dor confiante no alívio das dores

Deixe o seu comentário

Send this to a friend