AVISO: NOVO LOCAL DE ATENDIMENTO - Rua Saint Hilaire 96 (a 5 minutos da clínica antiga), de segunda a sábado. Maiores informações, entrar em contato via WhatsApp

Bursite: O que é? Causas, sintomas e tratamentos

Sobre a Bursite

A bursa é uma bolsa cheia de fluido que amortece uma área de fricção entre os tecidos, como o tendão e o osso. As bursas reduzem o atrito entre as partes móveis do corpo, como as que ficam em torno das articulações do ombro, cotovelo, quadril, joelho, e região adjacente ao tendão de Aquiles no calcanhar.

O número varia, mas a maioria das pessoas tem cerca de 160 bursas em todo o corpo. Elas são revestidas com células especiais, chamadas células sinoviais, que secretam um fluido rico em colágeno e proteínas. Este fluido sinovial atua como lubrificante quando o corpo se move. A inflamação de uma bursa é chamada de bursite.

Quais são as causas da bursite?

As causas mais comuns de bursite são movimentos repetitivos (por exemplo, arremessar uma bola repetidas vezes), traumas (ajoelhar por muito tempo ou bater o joelho em algum lugar), infecções e afecções reumatoides pré-existentes.

Trauma

Traumas causam bursite inflamatória devido a lesões repetitivas ou impacto direto.

  • Bursite crônica: A causa mais comum de bursite crônica é um pequeno trauma que pode ocorrer na bursa do ombro (subdeltoide) por causa de movimentos repetitivos, por exemplo, arremessar bolas. Outro exemplo é a bursite pré-patelar (na frente do joelho) de ajoelhar-se por longos períodos ou repetidas vezes em uma superfície dura, como para esfregar o chão ou instalar um carpete.
  • Bursite aguda: Um golpe direto (como bater sem querer o joelho em uma mesa) pode fazer com que sangue vaze para a bursa. Isto causa inflamação com dor, bem como inchaço.

Infeccões

As bursas mais próximas da superfície da pele são as mais propensas a serem infectadas por bactérias, uma afecção que é chamada de bursite séptica. As bactérias mais comuns a causar bursite séptica são Staphylococcus aureus ou Staphylococcus epidermis. Pessoas com diabetes, alcoólatras, com certas doenças renais, com sistema imunológico debilitado, às vezes causado por medicamentos à base de cortisona (tratamentos esteroides), e aqueles com feridas na pele logo acima de uma bursa têm maior risco de desenvolver bursite séptica. Cerca de 85% dos casos de bursite séptica ocorre em homens.

Doenças reumatoides

Pessoas com certas doenças reumatoides como gota e pseudogota podem desenvolver bursite por depósitos de cristal. Quando estes cristais se formam em uma bursa, causam uma inflamação que leva a bursite.

Outras causas para bursite incluem

  • Má postura ou maneira de caminhar
  • Estresse nos tecidos moles em decorrência de ossos ou articulações em posição precária (como diferenças de comprimento das pernas ou deformações das articulações)
  • Alguns tipos de artrite e patologias relacionadas (artrite reumatoide, osteoartrose e gota)
  • Doenças metabólicas como a diabetes
  • Efeitos colaterais a certos medicamentos

Como a dor ocorre perto de uma articulação, estas patologias são, às vezes, confundidas com artrite.

Quais são os fatores de risco para bursite?

Os fatores de risco para bursite incluem atividades repetitivas, gota, pseudogota, artrite reumatoide, trauma e infecções cutâneas.

Quais são os sintomas e sinais de bursite?

Esta afecção causa inflamação, sensibilidade e dor em áreas em torno da articulação, como nos tendões, ligamentos, bursas e músculos. Algumas delas podem ocorrer sem aviso prévio, duram dias ou mais e costumam ser resolvidas com repouso ou tratamento. Também podem voltar a ocorrer na mesma área do corpo.

Ombro

No ombro, a bursa subacromial (bursa subdeltoide) impede que o tendão supraespinhal se sobreponha ao osso e ao músculo deltoide.

A inflamação desta bursa costuma resultar de lesão nas estruturas circundantes, sendo o manguito rotador o mais comum. Limita a amplitude de movimento do ombro resultando na “Síndrome de Impacto”. A condição causa dor no lado ou na frente do ombro.

  • Atividades em que se é necessário elevar os braços acima da cabeça ou esticá-los são desconfortáveis.
  • A dor é muitas vezes pior à noite.
  • O ombro costumar apresentar menor amplitude de movimento e ser sensível em pontos específicos.

Cotovelo

Bursite da ponta do cotovelo, a bursite olecraniana, é a forma mais comum de bursite.

  • A dor pode aumentar se o cotovelo for dobrado porque a tensão aumenta sobre a bursa.
  • Esta bursa é propensa a sofrer traumas diretos (bater o braço) ou movimentos repetidos de dobrar e estender o cotovelo (pintura, por exemplo).
  • É comum acontecer uma infecção nesta bursa.

Joelho

  • Bursite na frente da rótula (pré-patelar): O inchaço na frente da rótula pode ser causado por trauma crônico (como de se ajoelhar) ou um golpe agudo no joelho. O inchaço pode ocorrer de sete a dez dias após um único impacto na área, geralmente a partir de uma queda. A bursite pré-patelar também foi chamada de joelho de carpete, joelho de empregada doméstica e joelho de clérigo.
  •  Bursite anserina: A bursa pes anserinus (pata de ganso) possui formato de leque e se encontra entre três dos maiores tendões do joelho interno.
    • Este tipo de bursite é mais comum em pessoas com artrite, em especial mulheres de meia idade com excesso de peso e osteoartrite.
    • A dor da bursite anserina costuma ocorrer quando o joelho é dobrado. Também costuma causar mais dor à noite. As pessoas muitas vezes procuram conforto dormindo com uma almofada entre as coxas.
    • A dor pode irradiar para o interior da coxa e meio da panturrilha e costuma aumentar ao subir escadas e em situações extremas de flexão e extensão.
    • A Bursite “Pata de Ganso” também ocorre em atletas como resultado de uso excessivo ou traumas, em particular com corredores de longa distância.
A bursite de tornozelo costuma ser causada por trauma local associado a um sapato de formato ruim ou andar por longos períodos.

Tornozelo

A bursite retrocalcânea ocorre quando a bursa sob o tendão de Aquiles, na parte de trás do calcanhar, torna-se inflamada. Costuma ser causada por trauma local associado a um sapato de formato ruim (em geral, saltos altos) ou andar por longos períodos. Também pode ocorrer junto da tendinite de Aquiles.

Bursite nesta parte do corpo, muitas vezes, ocorre como uma lesão por uso excessivo em jovens atletas, como patinadores, e com pessoas que estão começando programas de exercícios novos, como caminhar ou saltar. A dor costuma ser na parte de trás do calcanhar e aumenta com extensão passiva ou flexão resistida.

Glúteos

A Bursite isquioglútea causa inflamação da bursa isquial, que se encontra entre o fundo do osso pélvico e o músculo glúteo máximo (um lado das nádegas). A inflamação pode vir de sentar-se por um longo tempo em uma superfície dura ou de pedalar. A bursite isquioglútea também é chamada de “bumbum de tecelã” porque é comum de acontecer devido à posição usada nesta função.

  • A dor ocorre quando se está sentado ou andando.
  • Haverá sensibilidade na região do osso púbico, que pode ser agravada ao dobrar ou estender a perna.
  • A dor pode irradiar para a parte de trás da coxa.
  • Pressão direta na área causa dor aguda.
  • A pessoa pode ter a dor na nádega elevada quando sentada.
  • A dor é pior quando a pessoa está deitada, e o quadril está passivamente dobrado.
  • A pessoa pode ter dificuldade em ficar na ponta do pé do lado afetado.

Quadril

A bursa do iliopsoas é a maior do corpo. Localiza-se na frente e para dentro da articulação do quadril. Bursite aqui costuma ter associação com problemas no quadril como artrite ou lesões (especialmente em decorrência de correr).

  • A dor da bursite iliopsoas irradia para baixo das áreas frontal e média da coxa até o joelho, e é aumentada quando se estende ou rotaciona o quadril.
  • A extensão do quadril durante a caminhada causa dor, e a pessoa pode limitar a passada no lado afetado, optando por um passo mais curto.
  • Pode haver sensibilidade na zona da virilha.
  • Às vezes, uma massa pode ser sentida, e assemelha-se a uma hérnia. A pessoa também pode sentir dormência ou formigamento se os nervos adjacentes forem comprimidos pela bursa inflamada.

Coxa

A bursa trocantérica, na coxa exterior sobre o quadril, pode ficar inflamada e causar bursite trocantérica. A bursite trocantérica é muito comum e ocorre com mais frequência em mulheres com excesso de peso e meia-idade.

  • A bursite trocantérica causa dor profunda e dolorosa no quadril, comete toda a lateral e pode estender-se para as nádegas ou para a lateral do joelho.
  • A dor é agravada por atividade, pressão local ou alongamento.
  • A dor é muitas vezes pior à noite e pode tornar difícil que se durma sobre o lado acometido.

Quando é que alguém deve procurar cuidados médicos por causa de bursite?

Como a bursite pode ser infecciosa e precisa ser tratada com antibióticos, é melhor consultar um médico assim que se reconhece os sintomas.

Se a dor não melhorar com os cuidados em casa, o seu médico poderá oferecer algumas alternativas, como injeções de cortisona.

Febre é um sinal definitivo para se procurar cuidados médicos imediatos, porque pode significar infecção. Tenha atenção a outros sinais de aviso de infecção, como calor constante ou vermelhidão em torno da articulação ou sensibilidade severa. Infecções na pele em torno da área (celulite) podem significar que a bursa também está infectada.

Que especialistas diagnosticam e tratam uma bursite?

A bursite é tratada por médicos de cuidados primários, inclusive médicos da medicina da família, clínicos gerais, e outros profissionais como ortopedistas, fisiatras e reumatologistas.

Que exames os profissionais de saúde podem pedir para diagnosticar bursite?

  • Histórico: O médico costuma iniciar a investigação por pedir um histórico detalhado do início dos sintomas e vai querer saber que movimentos ou atividades faz você sentir mais ou menos dor. Você precisará comunicar outros problemas médicos que possa ter.
  • Remoção de fluidos: O médico pode retirar líquido da bursa com uma agulha e enviar para análises laboratoriais. Esta análise ajudará a determinar se a bursite é devido a uma infecção, patologia reumatológica ou trauma. Bursite no joelho e no cotovelo são mais propensas a infecções. A remoção do fluido pode aliviar parte da dor.
  • Raios X: Não costumam ser úteis, mas o médico pode realizá-las caso outras afecções estejam sob suspeita como fraturas ou deslocamentos. IRM e Tomografias costumam ser requeridas caso haja a necessidade de excluir mais causas.
  • Exames de Sangue: O médico pode pedir um hemograma para excluir infecção ou outras condições, como artrite reumatoide.
Quando tratadas da maneira adequada, a maioria destas condições não resultam em danos permanentes nas articulações, nem em invalidez.

Quais são os tratamentos para bursite?

Bursites e tendinites podem desaparecer com o tempo. Em caso negativo, o médico irá concentrar-se na redução da dor e inflamação e na preservação da mobilidade para prevenir a deficiência e reincidência. Ele ou ela pode encaminhá-lo para um reumatologista, um cirurgião ortopédico ou um fisioterapeuta para tratamento especializado, se necessário. Quando tratadas da maneira adequada, a maioria destas condições não resultam em danos permanentes nas articulações, nem em invalidez.

O tratamento da bursite pode ser decorado com o seguinte anagrama: P-R-I-C-E-M.

  • Proteção (Protection): proteger a bursa com invólucros acolchoados, em especial as mais próximas da superfície da pele como cotovelos e joelhos.
  • Repouso (Rest): caso seja possível,  repousar, descansar  a área afetada pode ser útil. Escolha tipos alternativos de atividades físicas. Opte por algo que elimine os movimentos dolorosos. Nadar pode ajudar em vez de machucar.
  • Gelo (Ice): o gelo é muito eficaz na redução da inflamação e da dor. Pequenas compressas de gelo, até mesmo embalagens de alimentos congelados, quando aplicadas na área durante 10 minutos, por pelo menos duas vezes ao dia podem ajudar a diminuir a inflamação.
  • Compressão (Compression) e Elevação (Elevation): são úteis quando é possível comprimir a área. Uma bandagem elástica pode ser utilizada (em especial nos joelhos e cotovelos). Manter a área elevada acima do coração para evitar que o sangue se acumule lá.
  • Medicação (Medication): anti-inflamatórios podem ser úteis para reduzir a inflamação e dor. Consulte um médico antes de tomar estes medicamentos caso faça uso de anticoagulantes, ou se tiver antecedentes de úlceras gástricas ou doenças renais.

Fisioterapia para bursite 

Um fisioterapeuta pode realizar tratamentos de meios físicos ou cinesioterapia para bursite. Em resumo, algumas das possibilidades:

  • Tratamentos com calor/frio, ultrassons, terapia com laser e com água
  • Mobilização dos tecidos moles ou das articulações (terapia manual)
  • Órteses ou aparelhos para alívio da pressão em braços e pernas.
  • Um programa de exercícios personalizado
  • Análise da postura e da marcha
  • Educação sobre atividades apropriadas para permitir que a cura ocorra

Qual é o tratamento médico para bursite?

Se a bursite não for infecciosa, o médico pode injetar um corticosteroide na bursa para reduzir a inflamação. Acupuntura e agulhamento seco podem ser utilizadas para alívio de dor.

Se a bursite for infecciosa, a bursa será drenada com uma agulha. O médico irá prescrever antibióticos por via oral. Se a infecção for muito grave, não responder a antibióticos orais, ou se o seu sistema imunológico estiver enfraquecido por outra razão, você pode precisar ser internado para receber antibióticos. A maioria das causas de bursite infecciosa, no entanto, pode ser controlada, com segurança, em casa. Em alguns casos será necessário a remoção cirúrgica da bursa.

Depois de sair do consultório médico, tente modificar as atividades que causaram a bursite:

– Use sapatos diferentes. Use joelheiras quando se ajoelhar para fazer exercícios ou trabalhar.

– Descanse a área e aplique gelo pelo menos duas vezes por dia, mantendo a área elevada quando possível.

Marque o retorno ao médico para a semana seguinte. Se a bursite for infecciosa, o retorno pode ser preciso em 3 ou 4 dias ara uma reavaliação adequada, e talvez, retirada de fluido.

Um terapeuta ocupacional pode recomendar modificações nas atividades diárias e nos hábitos de trabalho para prevenir a reincidência da lesão. Também pode criar imobilizações de mão e pulso e sugerir dispositivos auxiliares para ajudar a facilitar as atividades diárias.

Há alguma forma de prevenir bursite?

Uma das melhores maneiras de cuidar de uma bursite ou da tendinite é assumir um papel proativo em seu próprio tratamento – um processo chamado autocuidado. Como estas afecções são causadas principalmente pelo uso excessivo, a melhor maneira de impedi-las de voltar a acontecer é evitar ou modificar atividades que causam o problema.

É preciso assumir um papel proativo em seu próprio tratamento – um processo chamado autocuidado

Se uma determinada atividade o fez desenvolver bursite, então limite-a ou use medidas de proteção. Use joelheiras ou almofadas para se apoiar durante a jardinagem ou a limpeza do chão. Trabalhadores como encanadores devem usar proteção no joelho. Escolha sapatos mais apropriados ou amorteça os tornozelos com proteção.

Um médico, um fisioterapeuta ou um terapeuta ocupacional podem fornecer sugestões sobre a modificação das atividades diárias. 

Manter um peso saudável pode ajudar a tirar a pressão das articulações dolorosas e inchadas. Os exercícios para aumentar a amplitude de movimento podem ajudar a melhorar a flexibilidade e reduzir a rigidez.

Tenha atenção ao tônus muscular se sua bursite costuma voltar. Um programa de reabilitação física pode guiá-lo com exercícios adequados para fortalecer os músculos enfraquecidos.

Qual é o prognóstico da bursite?

A maioria das pessoas responde ao tratamento em três a quatro dias, e a consulta de retorno pode ser marcada para uma semana. No entanto, se a bursite for infecciosa, a área pode precisar ser drenada a cada três a cinco dias até o fluido infeccioso desaparecer de vez.

Dr. Marcus Yu Bin Pai

CRM-SP: 158074 / RQE: 65523 - 65524 | Médico especialista em Fisiatria e Acupuntura. Área de Atuação em Dor pela AMB. Doutorando em Ciências pela USP. Pesquisador e Colaborador do Grupo de Dor do Departamento de Neurologia do HC-FMUSP. Diretor de Marketing do Colégio Médico de Acupuntura do Estado de São Paulo (CMAeSP). Integrante da Câmara Técnica de Acupuntura do Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (CREMESP). Secretário do Comitê de Acupuntura da Sociedade Brasileira para Estudo da Dor (SBED). Professor convidado do Curso de Pós-Graduação em Dor da Universidade de São Paulo (USP). Membro do Conselho Revisor - Medicina Física e Reabilitação da Journal of the Brazilian Medical Association (AMB).

7 Comentários

Deixe o seu comentário.
  • Gostei muito da página consegui alcançar quase todos meus objetivos

  • Não sei se tenho bursite, dói o ombro mas a dor eradia para o pescoço e vai até a nuca, isso pode ser bursite???
    Agradeceria muito se me orientasse.
    Grata pela atenção
    Teresinha

  • Gostei desse comentário
    Estou com muita dor no ombro esquerdo e cotovelo esq tbm.
    Pó causa dessa pandemia não passei pelo médico ainda.

  • Uma das melhores matérias que já li sobre os sintomas e como tratar a bursite. Muito esclarecedor!

  • Minha dor é no ombro, e, qual é o melhor remédio para parar a dor?

  • Sinto muita dor no corpo todo,mais nos Ombros,mãos,lombar,Quadril,joelhos,pes,nas nadigas,em fim.meu pescoço range o tempo todo,Eu gostaria de saber, que tipo de medicamentos ou atividade física é indicado para aliviar minhas dores,tenho tireoide e osteoporose,mais faço tratamento de ambos,desde já eu agradeço..

  • Nunca senti uma dor tão desconfortável. É bursite. Não consigo dormir. Tomei um ante inflamatório. Parece que não vai passar. É tanta dor que meu braço esquerdo parece dormente. Mas gostei dos esclarecimentos. Obrigada

Deixe o seu comentário

Send this to a friend