AVISO: Retornaremos o atendimento parcialmente a partir de 07/04. Para maiores informações, favor entrar em contato via WhatsApp

Dor nas mãos? Descubra o que pode ser

Sentir dor nas mãos é algo cada vez mais comum. Se a algum tempo as lesões tinham mais relação com os esforços repetitivos no trabalho, hoje temos um fator ainda mais preocupante. 

Em 2014 o The Lancet publicou o estudo que deu nome ao problema, WhatsAppinite. 

Nunca ouviu falar? 

Estima-se que 9 em cada 10 brasileiros tenham um smartphone, e que esses, passem em média 3 horas por dia utilizando o celular segundo dados da Millward Brown Brasil. O uso excessivo da tecnologia é sem dúvidas, o principal causador de dor nas mãos atualmente. 

Tais movimentos provocam inflamações nas articulações, levando a dor, ao inchaço e provocando os mais diversos tipos de distúrbios. Quando não tratado, o quadro pode se tornar ainda mais grave, danificando os tendões e até mesmo os músculos. 

As mãos e os punhos são regiões de pequenas articulações. Além disso, são capazes de realizar movimentos variados e minuciosos. Por isso estão vulneráveis aos mais diversos tipos de transtornos. 

Felizmente, fazendo o acompanhamento adequado, a maioria dos casos de dor nas mãos possui um bom prognóstico. 

 

 

Principais causas de dor nas mãos 

Causas de dor nas mãos incluem artrite, dor miofascial, síndrome do tunel do carpo e tendinites.

A mão humana se divide em três partes: falange, carpo e metacarpo. As disfunções podem acometer qualquer uma delas, além de afetarem ossos, músculos ou articulações. 

Sentir dor nas mãos é um problema muito antigo. Muitas pessoas sofrem com distúrbios como tendinite e artrite, por exemplo, devido a movimentos repetitivos no trabalho. No entanto, há um significativo crescimento da prevalência desses transtornos nos últimos anos. 

Além de dor, o quadro vem acompanhado de dificuldades para executar movimentos simples como segurar um copo ou pentear os cabelos. Edemas também são comuns. 

Vamos as principais causas. 

 


Artrite (osteoartrite ou osteoartrose)

Você provavelmente já ouviu falar em artrite. O distúrbio é caracterizado pela inflamação de uma ou mais articulações e é uma das principais causa de dor nas mãos. 

O problema pode ocorrer em qualquer articulação no corpo. No entanto, geralmente está relacionado ao excesso de esforço ou movimento, por isso, é bastante comum nas mãos e punhos. 

Existem diversos tipos de artrites, dentre os mais conhecidos devemos citar a osteoartrose e a artrite reumatóide. 

A osteoartrose é mais comum em pessoas com idade avançada, seus sintomas advêm do desgaste progressivo da cartilagem responsável por proteger os ossos de atrito. 

Já a artrite reumatóide é uma doença crônica, marcado por dor, rigidez articular e parestesia. Bem como outros tipos de artrite, é muito comum nas mãos. 

 

Tenossinovite estenosante

Também conhecida como dedo em mola ou em gatilho, a tenossinovite estenosante é um distúrbio que envolve os tendões e as polias dos flexores dos dedos das mãos. 

Quando movimentamos os dedos os tendões musculares deslizam dentro de túneis conhecidos como bainhas. O problema ocorre quando a algum fator provocando atrito na região, o que impede o deslocamento das fibras tendíneas. Muitos pacientes relatam sensação de ressalto quanto tentam esticar ou dobrar os dedos. 

Em alguns pacientes, o dedo torna-se rígido na posição fletida. Por isso os nomes populares do distúrbio.

Nesses casos a dor tende a se concentrar na região da base dos dedos. 

 

Síndrome do túnel do carpo

A síndrome do túnel do carpo ocorre devido a uma compressão do nervo mediano na região do punho

Em alguns casos, pode ser considerada uma doença ocupacional, ou seja, tem como causa alguma atividade relacionada ao trabalho. Algumas profissões exigem um uso constante das articulações do punho e da mão, o que acaba ocasionando o problema. 

Contudo, outras origens são possíveis, como o excesso do uso do celular. 

O quadro é caracterizado pela compressão do nervo que atravessa o punho e chega a palma da mão. As alterações produzem inflamação, o que ocasiona dores agudas e formigamento. 

Diante dos sintomas o médico deve ser consultado. O tratamento inclui o afastamento dos fatores de risco, além de exercícios, bloqueios analgésicos e infiltrações. A acupuntura é uma opção para casos com evolução lenta. A cirurgia pode ser recomendada em casos mais graves. 

 

Tenossinovite de De Quervain

A tenossinovite de De Querbain é a perturbação mais comum relacionada ao excesso de uso das articulações do punho. O problema é muito frequente em tenistas e sua prevalência é mais alta em pessoas com 50 e 60 anos de idade. 

O quadro tem origem na inflamação da bainha protetora que cobre algum dos tendões próximos ao dedo polegar, ocasionando dor na região do punho próximo ao primeiro dedo. 

A resposta inflamatória dificulta o deslizar do tendão em seu túnel, o que além de provocar limitação dos movimentos, gera dor, edema e dificuldades para fazer força com o polegar. 

 

Neuropatia periférica

A neuropatia periférica também é causa comum de dor nas mãos. Acompanhando a dor, o distúrbio produz como sintoma dormência e fraqueza. 

Todo o quadro é resultado de disfunções dos nervos periféricos, o que pode ter diferentes origens, desde infecções, a diabetes, lesões e problemas metabólicos. 

O transtorno pode afetar um ou mais nervos nas diferentes partes do corpo. Pode ainda lesar um nervo sensitivo ou motor. Sendo assim, variam também o tipo e a localização da dor.

  

Fenômeno de Raynaud

Você provavelmente já ouviu falar sobre o fenômeno de Raynaud.

Indivíduos acometidos apresentam dedos escurecidos e adormecidos. 

O quadro acontece após exposição excessiva ao frio ou após uma situação intensamente estressante. 

De maneira geral o problema é resultado de uma resposta exagerada do organismo. Pequenos vasos das mãos se fecham mais rápido do que o normal, gerando os sintomas.

 

Lesões traumáticas

Os traumas sem dúvidas estão entre as principais causas de dor nas mãos. Essas lesões são extremamente frequentes, já que as mãos estão constantemente expostas a quedas, fraturas, cortes, seja durante atividades esportivas, trabalho ou mesmo no dia a dia. 

A região possui uma complexa anatomia ligamentar e miotendinosa, além de 27 pequenos ossos que podem ser sede de diferentes lesões. 

Diante disso, há uma diversidade de desencadeadores de dor: lesões tendíneas ou ligamentares, desequilíbrios musculares, cortes, inflamações, descompensações, etc. 

 

Gota

A Gota é ocasionada pelo acúmulo de ácido úrico no sangue, o que leva a inflamação e, consequentemente, pode causar dor nas mãos. Além do considerável incômodo, pode ocorrer ainda inchaço e dificuldades na movimentação. 

O diagnóstico da doença é feito pela reumatologista, que provavelmente irá solicitar uma série de exames para confirmar o problema. 

Após o diagnóstico, o mesmo especialista prescreverá o tratamento, geralmente composto por medicamentos e algumas sessões de ginástica holística, ambos em busca do controle da dor. 

 

Lúpus

Apesar do sintoma mais conhecido do Lúpus serem as alterações cutâneas, a doença pode provocar dor nas mãos e nos dedos. 

Por ser uma patologia autoimune, o problema atinge as mais diversas partes do corpo. 

Bem como no caso anterior, o diagnóstico e tratamento do Lúpus é responsabilidade do reumatologista. A terapia também é bastante similar, comumente constituída por fármacos e pela ginástica holística. 

 

Contratura de Dupuytren 

Quem sofre com contratura de Dupuytren tem dificuldades para abrir completamente a mão. A dor é descrita como sensação de uma corda que prende os dedos, e localiza-se predominantemente na palma das mãos. 

Sua prevalência é maior entre os homens, especialmente após os 50 anos de idade. 

Geralmente é a dor a queixa principal e o motivo pela procura do médico. O tratamento é indispensável e evita complicações. A medida que o caso se agrava, fica cada vez mais difícil conseguir abrir a mão. 

 

Artrite reumatóide

A artrite reumatóide pode afetar qualquer articulação do corpo, incluindo as das mãos e dedos. Nas mãos, pode resultar em dor nas mãos e nos dedos, associado a inchaço (edema) e rigidez (principalmente matinal, ou seja, de manhã ao acordar). As articulações das mãos e dedos podem ficar mais quentes e sensíveis ao toque. Geralmente, acomete as duas mãos ao mesmo tempo.

Sem tratamento adequado, pode evoluir com deformidades nos dedos e dificuldade nos movimentos. Atividades rotineiras do dia-a-dia podem ficar difíceis, como digitar no computador, abrir uma garrafa ou mesmo se vestir. A rigidez pode durar até uma hora após acordar.

 

Síndrome dolorosa miofascial

A dor miofascial é uma causa primária ou secundária comum de dor nas mãos e dedos. Pode ser originada por uma dor local muscular, ou então uma dor irradiada (referida) vindo de músculos do antebraço, braço ou até da região cervical, como o esternocleidomastoideo ou escalenos.

A dor miofascial tem origem por alterações posturais, sobrecarga ou overtraining. Pode surgir também pelo desuso e desequilíbrio muscular. É uma dor de origem predominantemente muscular, mas que requer avaliação e acompanhamento médico especializado.

 

Sobrecarga ou tendinopatias (tendinites) em atletas ou músicos

Músicos (de instrumentos diversos, como piano, corda), esportistas (como ciclistas, atletas de arte marcial) apresentam com frequência dor e lesão nas mãos e dedos. Movimentos inadequados e repetitivos podem gerar sobrecarga mecânica em tendões dos dedos e das mãos, resultando em maior atrito, levando à inflamação local e dor principalmente durante a atividade.

Deve ser avaliado a biomecânica do movimento, para se fazer uma prevenção e tratamento adequado.

 

 


Dor nas mãos em gestantes

A síndrome do túnel do carpo ocorre devido a compressão do nervo mediano no punho, sendo uma dor comum na gravidez. A síndrome do túnel do carpo ocorre em 4% da população em geral, mas ocorre em 31 a 62% das mulheres grávidas, segundo um estudo de 2015.

Não se sabe ainda exatamente o que torna a síndrome do túnel do carpo tão comum durante a gravidez, mas acredita-se que o inchaço relacionado à alterações hormonais possa ser o culpado. Assim como a retenção de líquidos na gravidez pode causar inchaço nos tornozelos e dedos, também pode causar inchaço que leva à compressão do nervo mediano e dor nas mãos.

Uma ou ambas as mãos podem ser afetadas. Um estudo de 2012 descobriu que quase 50% das participantes grávidas com dor no túnel do carpo apresentavam dor e formigamento nas duas mãos.

Os sintomas podem piorar à medida que a gravidez avança. Um estudo descobriu que 40% das participantes relataram o início dos sintomas da síndrome do túnel do carpo após 30 semanas de gravidez. É quando ocorre o maior ganho de peso e retenção de líquidos.

Alguns fatores de risco para gestantes apresentarem essa dor nas mãos inclui diabetes ou hipertensão gestacional, ou sobrepeso ou obesidade antes da gestação. O diagnóstico é feito pelo exame clínico, podendo ser confirmado pela eletroneuromiografia.

 

 


Fatores de risco para dores nas mãos

A dor na mão e no punho pode acontecer com qualquer pessoa – seja você muito sedentário ou ativo. No entanto, o risco de dor e lesões pode ser aumentado por:

– Lesões esportivas. As lesões no pulso são comuns em muitos esportes, tanto os que envolvem impacto quanto os que envolvem estresse repetitivo no pulso. Isso pode incluir futebol, boliche, golfe, ginástica, snowboard e tênis.

– Trabalho repetitivo. Praticamente qualquer atividade que envolva suas mãos e pulsos – até tricotar e cortar cabelos – se executada com força suficiente e com frequência suficiente pode levar à incapacidade da dor no pulso.

– Certas doenças ou condições. Gravidez, diabetes, obesidade, artrite reumatóide e gota podem aumentar o risco de desenvolver a síndrome do túnel do carpo.

 

 

Diagnóstico de dores nas mãos

A dor nas mãos pode ser causada por doença ou lesão que afeta qualquer uma das estruturas da mão, incluindo ossos, músculos, articulações, tendões, vasos sanguíneos ou tecidos conjuntivos.

Assim, após uma avaliação médica especializada, na qual se avalia os sintomas, padrão de dor, antecedentes pessoais e familiares, pode-se realizar uma hipótese diagnóstica e avaliação de exames para confirmação e exclusão de patologias, direcionando para um tratamento e reabilitação precoce.

Exames como raio-x das mãos e punhos podem ser utilizados para se afastar fraturas ou fraturas de estresse, além de avaliar sinais inflamatórios presentes na artrite reumatóide (para avaliar se houve ou não erosão óssea). A ultrassonografia é uma ferramenta poderosa, na qual se realizam testes dinâmicos para avaliar tendinopatias e tendinites, vendo se há edema ou atrito nos tendões. A tomografia computadorizada e ressonância magnética são também exames que mostram com boa resolução estruturas internas da mão, para se afastar lesões reumatológicas ou ortopédicas.

Outros exames, como a eletroneuromiografia, servem para diagnóstico diferencial e excluir algumas neuropatias, como a síndrome do túnel do carpo. Neste exame, ocorre inserção de pequenas agulhas em determinados pontos das mãos e braços, para se avaliar lesões musculares e lesões de nervo.

 

Como tratar dor nas mãos

Dores nas mãos e punhos

Assim como existem diversas causas possíveis para dor nas mãos, há uma diversidade de tratamentos disponíveis. 

Quando não tratado o problema pode aumentar gradativamente. Em casos mais graves, a intervenção cirúrgica se faz necessária. 

A medida que o caso progride a qualidade de vida do paciente passa a ficar comprometida, as dores podem ser mais intensas e a dificuldade de movimentação cada vez maior. 

 

Medicamentos

Conforme vimos ao longo deste artigo, o uso de medicamentos é bastante comum no controle das principais causas de dor nas mãos. Dois tipos de fármacos são os mais utilizados. 

 

Analgésicos e anti-inflamatórios 

Medicamentos analgésicos podem ser utilizados como primeira opção para dar alívio na dor e sintomas associados. Pode ser necessário um tratamento prolongado para se obter efeitos adequados, sendo medicamentos na maioria das vezes bem tolerados.

Os anti-inflamatórios agem diretamente sobre a inflamação, controlando a dor e o inchaço nas articulações. O tratamento farmacológico deve ser feito exclusivamente sob prescrição médica. O acompanhamento médico evita complicações e efeitos colaterais. 

 

Antirreumáticos 

Esses medicamentos são muito eficazes no trato da artrite, especialmente quando comparados aos anti-inflamatórios não esteroides. 

Além de agir no controle dos sintomas, ajudam a interromper o desgaste articular, melhorando o funcionamento da articulação. 

Dentre as opções, o mais usado é o Metrotrexato, que pode ser combinado a outros tipos de medicamentos. 

Mais uma vez vale ressaltar a importância do acompanhamento adequado. 

 

Esteroides (corticóides)

Os esteroides ajudam a combater a inflamação, muitas vezes relacionada a dor nas mãos. Enquanto controlam o processo inflamatório, ajudam a restaurar os movimentos e a controlar o desconforto. 

Em alguns casos o tratamento é realizado de forma sistêmica. Se o problema for mais simples, pode ser indicada a injeção direta na articulação. 

 

 

Proteção, repouso, gelo

Na fase aguda, orienta-se em muitos casos diminuir e evitar forçar a mão, para que a articulação possa repousar. Se houver inchaço ou dor local, pode-se aplicar gelo para alívio paliativo agudo da dor.

 

 

Talas

Muitas vezes o médico indica o uso de uma tala de pulso. A tala ajuda a sustentar a articulação, o que alivia a dor e evita complicações. 

Devido a grande demanda de movimento relacionada a mão, é desafiador ao paciente mantê-la em repouso. Por isso o uso de tala é tão importante. 

 

Exercícios 

Alongamentos dor nos punhos e mãos

Os exercícios são parte integrante de praticamente todos os tratamentos para dor nas mãos. Isso porque exercitar os pulsos, dedos e a palma da mão fortalece os músculos que protegem as juntas, facilitando as tarefas do dia a dia e prevenindo lesões. 

Além disso, manter a região sempre ativa torna os tendões mais flexíveis, o que estimula a produção de líquido sinovial e mantém as articulações mais saudáveis. 

Você conhece algum exercício para as mãos? Preparamos algumas dicas.

– Abrir e fechar as mãos

Sente-se e repouse o braço sobre uma superfície. O movimento é simples. Abra bem os dedos e feche-os vagarosamente.

Faça uma série de 10 repetições, duas sessões já são suficientes. 

 

– Abrir e fechar os dedos

Da mesma maneira que no exercício anterior, para este você deverá estar sentado com o braço em repouso. 

Abra bem a mão e mantenha os dedos esticados. Agora dobre os dedos até que suas pontas alcancem a palma. Feito isso, estique-os novamente até a posição inicial. 

Mais uma vez, faça duas vezes uma série de 10 repetições. 

 

-Desvio ulnar e desvio radial do punho

Para realizar o exercício você deverá estar sentado. Mantenha o antebraço e o punho apoiados sobre uma superfície, de maneira que a mão e a palma estejam livres. Posicione a mão lateralmente, deixando a palma na vertical.

O movimento é simples. 

Mova todos os dedos para baixo e para cima dobrando o punho lateralmente. Faça movimentos leves e controlados protegendo suas articulações. 

Você pode manter a média de repetições sugerida, duas séries de 10. 

 

– Prono-supinação do antebraço.

A posição inicial para realização deste exercício é similar a descrita no item anterior. Apoie o braço sobre uma mesa, mantendo o cotovelo dobrado a 90 graus. 

Com a palma da mão voltada para cima, aponte para baixo e depois retorne. A ideia é fazer movimentos de supinação e pronação sucessivas vezes. 

Mantenha o padrão de série. 

 

-Flexão e extensão do polegar

O polegar também deve ser exercitado. Um dos dedos mais utilizados, ele é vítima de cada vez mais distúrbios devido ao intenso uso de smartphones. 

Mais uma vez sente-se apoiando o antebraço em uma superfície. Abra bem os dedos e mantenha o polegar esticado para fora. Agora deslize o polegar sobre a palma da mão até alcançar a base do dedo mindinho. 

Faça o movimento e após isso retorne a posição original. 

2 séries com 10 repetições é mais uma vez uma ótima meta. 

-Flexão e extensão dos dedos

Com os dois cotovelos apoiados sobre uma mesa, mantenha as mãos em frente ao rosto, com as palmas encostadas uma sobre a outra. 

Empurre os dedos de uma mão contra a outra. A mão empurrada faz força para não se mover, cedendo parcialmente para que o movimento ocorra. 

Após isso inversa os papéis, alternando entre a mão que realiza o movimento e aquela que produz a resistência. 

Faça isso 10 vezes com cada mão e repita em duas séries. 

 

 


Existem muitas opções de exercícios para as mãos. Você pode escolher algumas delas ou mesmo produzir uma combinação, o que seria mais indicado, afinal é preciso trabalhar os mais diversos músculos. 

Se você anda sofrendo com dor nas mãos não deixe de agendar uma consulta. O primeiro passo para o tratamento é o diagnóstico da causa do problema. 

De maneira geral, a melhor dica é a prevenção. Faça os exercícios e evite movimentos repetitivos. 

 

Send this to a friend