AVISO: Informamos que devido ao COVID-19, estamos fechados temporariamente a princípio até o dia 07/04. Para maiores informações, favor entrar em contato via WhatsApp

Sacroileíte: o que é, quais as causas, sintomas e tratamento

sacroileíte é uma patologia causada pela inflamação das articulações sacroilíacas, que unem o osso sacro ao nosso quadril.

O sacro é um osso originado pela fusão de cinco vértebras, o qual se associa à bacia, ao cóccix e à quinta vértebra lombar, situado na pelve e cuja anatomia é piramidal. Este osso apresenta quatro faces, pois sua estrutura é quandrangular, sendo elas duas laterais ou auriculares, uma posterior ou dorsal e uma inferior ou ilíaca.

As faces auriculares se articulam com os ossos do quadril; a dorsal tem formato convexo e possui diversos acidentes ósseos, dentre eles os forames, os tubérculos, as cristas e os hiatos; a ilíaca, por fim, é a face pela qual o presente artigo se direciona, seu formato é côncavo, apresenta quatro forames sacrais e quatro cristas, as quais correspondem ao que já fora os discos invertebrais.

É importante enfatizar que o sacro se articula com o osso do quadril, ou seja, o osso ilíaco, este é formado pela fusão de três ossos – o ílio, o ísquio e a púbis. A articulação entre o ilíaco e o sacro recebe o nome de articulação sacroilíaca, a qual participa do movimento de rotação e deslizamento.

Os ligamentos que unem os dois ossos são: o sacroilíaco anterior, sacroilíaco posterior e sacroilíaco interósseo. Os ligamentos sacroilíacos são densos, promovem estabilidade para a articulação e fixação para outros ligamentos adjacentes.

Participam da articulação sacroilíaca, os músculos glúteo médio, glúteo maior, piriforme, gêmeo superior e obturador interno.

Sabendo os ossos, os ligamentos e os músculos envolvidos na articulação sacroilíaca, é possível entender do que se trata a patologia sacroileite, suas causas, sintomas e tratamento.

 

sacroileite onde doi

 

O que é sacroileíte?

Sacroileíte é uma doença articular, isto é, é considerada uma espondiloartropatia, cujo significado é patologia articular das vértebras, já que o termo “spondylos” significa vértebra. A relação entre sacroileíte e espondilite é de que a primeira se insere no espectro da segunda, uma vez que o sacro seja uma união de vértebras, a sacroileíte pode ser considerada uma patologia articular de vértebras.

A sacroileíte consiste em uma inflamação na articulação sacroilíaca, ou seja, entre o osso sacro e o ilíaco, condição que causa desconforto e dor durante movimento ou mesmo quando a pessoa acometida se encontra parada, pode ser uni ou bilateral, isto é, quando apenas uma articulação sofre inflamação ou quando ambas apresentem a inflamação.

É uma patologia que afeta mais aos homens do que às mulheres, um exemplo de pessoa acometida pela sacroileíte é o jurista brasileiro Joaquim Barbosa, que se afastou do cargo devido à doença.

 

Causas da sacroileíte

A sacroileíte pode estar relacionada a diversos fatores causais, como a variados processos infecciosos, sobrecarga da articulação sacroilíaca, diversas doenças, traumatismo e outras condições.

Para entender melhor como cada uma destas condições podem desencadear a sacroileíte, confira abaixo as descrições:

Processos infecciosos: é bastante comum ocorrer infecções na região pélvica, o microorganismo mais recorrente é o estafilococo;

Sobrecarga: a prática de atividades ou esportes que configurem em sobrecarga na articulação sacroilíaca pode comprometer a saúde da mesma, os esportes mais comuns são os que exigem que o atleta corra muito e a própria corrida;

Obesidade ou sobrepeso: o excesso de peso do corpo sempre esta associado às patologias nas articulações, pois também ocorre sobrecarga com o peso que incide sobre as articulações;

Idade: o envelhecimento é um fator de risco e não causal necessariamente, pois pessoas idosas apresentam articulações mais frágeis, redução da força, da flexibilidade e da elasticidade dos ligamentos, tecido ósseo menos denso, presença de doenças reumáticas, degeneração de diversas estruturas, etc;

Fatores genéticos: envolvem tanto a predisposição hereditária como a estrutura anatômica das estruturas ósseas, como as da coluna, das pernas, que podem afetar a postura e ocasionar inflamações nas articulações devido ao descompensamento;

Doenças: a artrite, a gota, a sarcoidose, a ocronose, o hipertireoidismo, a osteomalácia, a acromegalia, as neoplasias, entre outras doenças podem desencadear a sacroileíte;

Gravidez: durante este período o corpo feminino se adapta para a gestação e para o parto, ocorre, portanto, uma expansão dos ossos pélvicos, para dar passagem ao bebê, esta expansão pode ocasionar inflamação na articulação;

Traumas: quedas e pancadas podem causar inflamação na articulação sacroilíaca, as quedas são muito comuns entre idosos, que além desta predisposição, possui as estruturas articulares mais frágeis, além disso, acidentes de trânsito ou no trabalho podem ocasionar o trauma e assim, desenvolver a inflamação.

 

aonde fica sacroileite

 

Sintomas da sacroileíte

No início, a sacroileíte é assintomática, sendo somente percebida quando a inflamação está instalada há certo tempo, apresentando dor na região pélvica, podendo ser irradiada à lombar principalmente, mas também às pernas, à virilha e aos pés.

A dor pode piorar quando o paciente acometido permanece de pé ou sentado por tempo prolongado, após subir e descer escadas, após realizar alguma atividade física que requisite a articulação sacroilíaca e durante corridas.

Além da dor, pode ocorrer rigidez devido à inflamação e limitação dos movimentos devido à própria dor. Em casos cuja causalidade esteja relacionada a alguma doença reumática, pode haver um quadro de complicação, como comprometimento da respiração e circulação, bem como problemas cardíacos, alteração na anatomia da coluna, infecção pulmonar, entre outras complicações.

diagnostico sacroileite

Diagnóstico da sacroileíte

Vários testes podem ser realizados na identificação da sacroileíte, são testes clínicos e físicos de mobilidade ou provocativos. Os de mobilidade se referem a movimentos que ao serem realizados podem apresentar alterações, que irão indicar se o teste é positivo ou não. Os provocativos, por sua vez, são testes que provocam dor, de forma que ao manipular a região, se houver sensação dolorosa, o teste é positivo.

Além dos testes, a avaliação do histórico de doenças e dos fatores predisponentes e necessários para que seja construída a hipótese diagnóstica e para auxiliar na confirmação da hipótese, podem ser solicitados exames de imagem – radiografia simples, tomografia computadorizada, a ressonância magnética ou a cintilografia óssea.

Os exames de imagem são capazes de detectar alterações anatômicas, tumores, alteração óssea. A cintilografia óssea é muito útil para diagnosticar sacroileíte quando a causa for por um processo infeccioso ou quando a causa for por trauma.

 

alongamentos sacroileíteTratamento da sacroileíte

O tratamento para solucionar a inflamação na articulação sacroilíaca é geralmente conservador, ou seja, envolve fisioterapia, medicação, atividade física e terapias adicionais. No entanto, há alguns casos que requerem intervenção cirúrgica.

Inicialmente, vale acrescentar, que o repouso é indicado, porém não se trata de um repouso incapacitado, mas associado à atividade física ou fisioterapia. Isto quer dizer que o paciente acometido pela sacroileíte não deverá permanecer de resguardo, mas sim procurar realizar atividades programadas e orientadas, ao mesmo tempo evitar atividades realizadas equivocadamente e que esforcem a articulação.

A fisioterapia é essencial, pois é uma alternativa que promove a correção da postura, o fortalecimento e o alongamento dos quais a articulação como um todo necessita, sendo realizada de uma maneira supervisionada, orientada e com cautela.

Para que a fisioterapia seja mais confortável e assim, mais eficaz, pode-se utilizar medicamentos que aliviem a dor, isto é, para que a dor não impeça a realização das técnicas fisioterápicas. Os fármacos utilizados são os analgésicos e os anti-inflamatórios, podendo ser hormonais ou não hormonais, porém, os corticóides costumam surtir um efeito mais eficiente, estes últimos podem ser administrados de forma injetável.

A atividade física é recomendada quando a inflamação estiver controlada e jamais poderá ser realizada sem supervisão profissional e sem indicação médica. É preciso informar o profissional que ditará os exercícios sobre a condição da sacroileíte. No mais, a atividade física bem orientada proporciona fortalecimento, flexibilidade e melhora na circulação sanguínea, este último benefício contribui com a melhora da distribuição de minerais, tornando as estruturas da articulação oxigenada e nutrida.

Além do mencionado acima, a atividade física diária contribui também com a redução do peso, ou seja, quando a causa da patologia for relacionada ao sobrepeso, indica-se pelo menos trinta minutos de exercício aeróbico diariamente.

A acupuntura pode ser utilizada para auxílio no tratamento de dores da sacroileíte. Muitos pacientes com dor crônica acabam sofrendo de dores musculares, ou perda muscular associada à sacroileíte.

Outras terapias podem ser utilizadas ainda no tratamento conservador, dentre elas a radiofreqüência e a eletro-estimulação. Já no tratamento mais invasivo, pode ser proposta a cirurgia, cujos procedimentos podem variar dependendo da idade e do quadro clínico.

Um procedimento cirúrgico muito utilizado quando se trata de articulações é a artroscopia, o termo “artro” se refere à articulação. Consiste em um método pouco invasivo, cujos instrumentos são mais delicados, estes são inseridos através de pequenas incisões na região acometida para realizar correções. No entanto, são raros os casos que exigem este tipo de procedimento.

Conclusão

Vimos que a sacroileíte é uma patologia articular, mais precisamente na articulação entre o sacro e o quadril, ou seja, na região pélvica. Esta articulação, apesar de ser muito estável e fixa, como foi falado, é muito utilizada, pois é uma região relacionada com órgãos digestivos e reprodutores, por isso, pode ser causada por infecção ou pelas alterações da gravidez. No entanto, vimos também diversos outros fatores causais e fatores de risco, como a idade a obesidade.

Portanto, é preciso que ainda jovens, as pessoas procurem se exercitar regularmente, para que consigam prevenir doenças articulares que podem surgir ou agravar na terceira idade, da mesma forma, é preciso cuidar da saúde alimentar e física para o controle do peso. No mais, é fundamental procurar ajuda médica assim que os primeiros sintomas sejam apresentados.

 

 

Send this to a friend